TAM e LAN devem unificar marca em três ou cinco anos

Denis Carvalho 10 · julho · 2013

A TAM pode estar com os dias contados. Pelo menos é isso que se percebe a partir da entrevista do principal executivo da Latam, Enrique Cueto. Em entrevista à revista chilena Capital ele, o ideal é que haja apenas uma marca no grupo e a unificação entre TAM e LAN ocorra em um prazo de três a cinco anos. Político, ele evitou dizer com todas as letras qual das duas vai permanecer, mas dada a participação acionária e a composição da diretoria não é difícil saber que os chilenos dão as cartas na Latam. Aliás, o próprio Cueto dá uma dica de que apenas a LAn ficará ao afirmar à revista que no futuro os chilenos que voarem TAM terão a impressão de estar em um avião da LAN.

“Nós não sabemos como ficará. A questão da marca é o tema final (do processo de fusão). O primeiro é ir trazendo nossas propostas de valor. Ao longo do tempo, o ideal é ter uma marca, mas isso implica uma promessa”, afirmou  Cueto. Segundo ele, o prazo para a unificação é de três a cinco anos. “Hoje estamos unindo as redes, mas não me peça que em um ano transforme duas companhias em uma só. Primeiro, porque eu não posso fazer isso fisicamente e, segundo, porque eu tenho que mudar a cultura”.

O chefe da Latam explicou um pouco dessa dificuldade em unir duas companhias consolidadas, que apresentam diferenças importantes entre si: “A TAM tem um sistema de reserva, que é o seu centro nevrálgico e a LAN outro, dois sistemas que não conversam. De repente, chega um passageiro TAM e quer emitir uma passagem com o sistema LAN, algo que não pode ser feito hoje. Unificar o sistema de reservas é como fazer um transplante de coração: se prepara com anos e se busca a data adequada, neste caso, aquele que não se enquadre com ou Copa do Mundo ou com as Olimpíadas”. Cueto salientou que ainda não há data e nem está definido se será mantido o sistema da TAM ou da LAN.

Com relação aos serviços das duas companhias, ele destaca que a tendência é de padronização ao longo de tempo até que a experiência de voar LAN ou TAM seja a mesma: “Em termos de serviço (LAN e TAM) estão cada vez mais a padronizadas. Estamos tornando iguaiso interior das aeronaves e no sistema de entretenimento a bordo são os mesmos 120 filmes. Em cerca de quatro anos, os passageiros vão entrar em um avião – seja pintado LAN ou TAM – e os assentos serão iguais”.

Hub em Guarulhos

Com relação ao futuro da companhia, o comandante revela que a estratégia da Latam é fortalecer o aeroporto de Guarulhos como um hub de voos internacionais. Há algum tempo chegou-se a cogitar a criação de um novo centro de operações no Nordeste do Brasil, mas parece que pelo menos o plano foi abandonado.

“Nossa principal estratégia é fazer de São Paulo um centro de conexões internacionais. Isso permitirá que os passageiros cheguem a um bom terminal e possam rapidamente se conectar a muitos destinos. Queremos fortalecer este hub e seguir crescendo com  nossas operações dentro da América do Sul”.

Confira a entrevista  completa no site da revista Capital (em espanhol)

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Amaury

    Falou muito e não disse nada, poderia ser deputado em Brasilia.

  • Fernando Vieira

    Isso acontecendo, quero muito que a tal Super-Azul apareça, mesmo que seja com recursos públicos. É vergonhoso para um país, sexta economia mundial, maior potência da América Latina e um dos países que dá as cartas no mundo hoje ter como principais companhias aéreas que voam ao exterior uma colombiana e uma chilena.

  • Márcio Sampai

    Na boa, alguém tinha dúvida disso?

    Há anos a LAN deixou de ser apenas uma companhia aérea chilena para ser uma Rede sulamericana: Chile, Argentina, Peru, Equador e Colômbia. Logo, nada mais óbvio que inserir Brasil (TAM e ABSA) e Paraguai (TAM Mercosur) nessa Rede.

    Tempos globalizados: em vez de "companhia de bandeira", teremos "companhia de continente"…

    • Gabriel Sperandio

      A marca da LAN é uma estilização sobre a bandeira do Chile… Enquanto o mundo chamava o Chile de país mais estreito do mundo, os caras da LAN foram lá e provaram que não é o mais estreito, e sim o mais comprido!

  • Julio Brandao

    Os membros do CADE certamente levaram uma boa grana nesta fusão. O Brasil é a terra onde tudo é permitido fezendo-se utilizar as brechas da lei…

    • Gabriel Sperandio

      O mesmo CADE negou a fusão da TAM com a Varig, que se efetivada teria uma gigante brasileira de bandeira. Agora é esperar para ver uma gigante multinacional de bandeira chilena.

  • Tarcísio Mede

    É uma pena eles sempre concentrarem os vôos internacionais em São Paulo e no Rio.

    Já teve vez de ficar esperando 1h pra pegar bagagem no Rio e ficar em pé e parecendo que estava num show de tanta gente que tinha no embarque em Guarulhos. Para os vôos para o Chile, Argentina e Uruguai ainda entendo. Porém é muito bizarro alguém de, por exemplo, Natal, ter de passar 3h num avião descendo, pra depois subir tudo isso de novo pra ir pros EUA ou Europa. Poderiam fazer ao menos em Brasília. Pelo menos não desceria tanto…

    • Mendonça J&ua

      Concordo com você Tarcísio.

      É o cúmulo para mim sair de Fortaleza com destino à Nova York e ter que perder pelo menos nove horas, pois tem-se sempre que "descer" três horas e meia para São Paulo, esperar pelo menos duas horas a conexão e depois "subir" as mesmas três horas e meia.

      É um absurdo!

      Deviam tocar a ideia do HUB no Nordeste.

    • Paulo Oliveira

      Isso também precisa ser feito nos voos domésticos. Na Tam tem que ir em São Paulo pra tudo. Já tive que ir da Bahia pra Belo Horizonte, parando em São Paulo e foi triste ver no monitor que a rota passava em cima de casa e que ainda tinha que ir pra CGH pra chegar em BH. No caso de voos internacionais, ia ser muito bem vindo um hub no nordeste pois saindo de Minas, rapidinho sobe pro Nordeste, a conexão seria no sentido do voo e de lá não seriam as infinitas 12 horas de GRU até na Europa.

    • Adriano Luis Bruch

      O problema é que infelizmente as grandes empresas e conseguente o dinheiro estão muito concentrados no Sudeste e Sul do Brasil. E as empresas aéreas sabem que o que realmente mantem os voos rentáveis são os passageiros viajando a trabalho. Pois estes passageiros corporativos não se "preocupam" tanto com o preço da passagem, e se sujeitam a pagar mais caro.

      Então não tem muito sentido financeiramente falando para uma companhia aérea montar um hub fora de SP ou Rio, pois as outras regiões não possuem passageiros viajando a trabalho suficientes para manter as linhas rentáveis.

      Um bom exemplo são inúmeros casos de empresas aéreas que iniciam voos para o Nordeste, mas que depois de 6 meses ou alguns poucos anos descontinuam o voo pois a demanda é muito irregular, com picos de ocupação nos meses de férias e aviões voando batendo lata na maioria dos outros períodos.

      A economia do Nordeste, Centro-oeste e Norte está crescendo bastante nos últimos anos, mas ainda falta muito até chegar a se aproximar do nível de SP e Rio. Eu torço para que este dia não demore muito a chegar, mas enquanto não chega, as companhias aéreas vão continuar a concentrar os seus voos em SP e no Rio.

      • Marcelo Henrique

        O novo aeroporto de Natal que esta sendo construído, e que duvido fique pronto até a Copa de 2014, poderia ser um ótimo HUB para o Nordeste, até por questões de localização estratégica tanto para rotas da Europa e Africa, mas o super faturamento e atrasos falaram mais alto no final de tudo… Isso é Brasil!
        http://www.infraero.gov.br/index.php/br/aeroporto

  • Gui Lopes

    Bacana é as autoridades brasileiras e chilenas permitirem a criação de uma megacompanhia que provavelmente vai dominar o mercado na América Latina. Quando uma ponte aérea for mais cara que um voo para a Europa lamentaremos…

    • Ruan Fernando Cardos

      Pras autoridades chilenas foi ótimo, o Chile agora tem uma megaempresa aérea nacional. Pras brasileiras, deve ter rolado muita grana. Agora, o que não concordo é falar em "fusão" quando claramente a TAM foi COMPRADA.

      • Felipe

        Fato, ficam insistindo nessa "Fusao"…

        O que houve foi a compra da TAM pela LAN, portanto nada mais obvio que a cia assumir a identidade chilena, espero que com o passar do tempo a TAM atinja o padrao da LAN (que na minha opiniao é superior ao da cia brasileira)…

  • Pedro

    Qual a surpresa de ser gru? Mas poderia bem ser bsb..

    • Márcio Sampai

      Pedro, moro em Brasília, e na boa: o aeroporto daqui mal tem espaço para atender os vôos que já existem… Um aeroporto que acho apropriado (com espaço e bons serviços) e ainda não totalmente explorado é o do Recife.

      O que não consigo conceber é como querem aumentar ainda mais o tráfego em Guarulhos sem espaço físico para tal, enquanto existem aeroportos em que o sítio aeroportuário é enorme como Galeão, Confins e Manaus (isto é, existe espaço para expansão, não estou falando do espaço já construído, e é claro que todos carecem de MUITAS melhorias) . Para fazer um HUB de conexões, o que se precisa é de bons serviços e opções para amenizar a espera dos passageiros. Há alguns anos, o aeroporto de Brasília tinha cinema! Por que não retormar isso quando se pensa em HUB: cinema, massagem, cybercafé, concorrência no freeshop… um HUB como Singapura ou Dubai!

      • Pedro

        Confins é uma otima opção, mas não adianta nada ter espaço para crescer, seja no galeão, em confins ou em outro, se estes não ficam em sp, o tal "hub brasileiro", hub das pessoas em pé, hub das pessoas esperando 3 horas na esteira de bagagem, hub dos que pagam em uma pizza o valor de uma passagem, otimo esse seu hub Brasil..

  • Roberto Guedes

    Com todas essas tendências e modificações na aviação comercial brasileira, novas companhias teriam espaço para o tal comércio? Digo pois parece padrão em muitas companhias, crescer, crescer, dominar, encarecer e se estabilizar como "top-monopólio". Lembro automaticamente da Azul, que investindo em voos regionais (dentro do Brasil, principalmente), teria uma boa oportunidade de visibilidade e crescimento neste ramo/nicho. Uma coisa é certa, o futuro da aviação no Brasil é promissor e cheio de (sempre) novidades.

  • Silvio Akcelrud

    Acho que não li bem, "Brasil sexta economia mundial, maior potência da América Latina e um dos países que dá as cartas no mundo hoje"… acho que estou tendo alucinações… onde está este país? Eu ainda não conheço? Alguém sabe de um vôo pra lá? Adoraria conhecer!!

    • Fernando Vieira

      Não fala bobagem, só coloquei fatos. O Brasil pode não ser o melhor lugar do mundo, mas o que disse são fatos.

      Pelo visto você deve ser daqueles que foram na rua "desculpe o transtorno, estamos mudando o país", "o gigante acordou" mas agora o gigante tá em Miami nas férias da Facul…

      Enfim, se acha que eu to errado, prova.

      • Gabriel Sperandio

        O engraçado é companhia colombiana com capital brasileiro e companhia brasileira com capital chileno…

        O Brasil tem um quadro social e indicadores vergonhosos, mas é uma potência econômica sim, enquanto responde por país.

        Se a cabeça de brasileiro indica que Brasil é uma coisa e América do Sul é outra, a LAN Brasil seria um tiro no pé.

        Brasileiro não aceitaria fácil uma marca de fora, mesmo falando em português. A Avianca só funciona porque é de nicho (e unificou o nome sem unificar os programas de fidelidade…)

  • Silvio Akcelrud

    O Brasil vai acabar tendo uma cia aérea, um banco, um partido, uma economia vibrante à la venezuelana. Viva o Gigante que Não Acordou!

  • Ernesto Polotto

    Acho o cumulo ter a TAM, de um pais com190 milhões de habitantes, virar LAN, de um país de poucos milhões. É praticamente falta de respeito. Acho bem digno de um boicote geral. Deveríamos sair às ruas também por isso. Nada contra a LAN ou Chilenos, gosto de ambos, mas é vergonhoso ter uma diretoria da TAM tão submissa. Isso sem contar que para atingir o padrão LAN, a TAM deixa 2 portas do Boing 777 sem comissário atualmente. Fiquei sabendo disso há pouco e achei péssimo. Isso não é só vergonhoso, como perigoso para todos nós. Pior o serviço e menos a segurança. A LAN não consegue nem passageiros para seus vôos internacionais que partem do Chile. Vários voos param no Peru para receber mais passageiros. A TAM sai abarrotada de Guarulhos mesmo cobrando preços nada baratos! Como fomos acabar sem empresa aérea??? Isso é não somente indigno do pais como um mistério!

  • Eduardo

    Isso já está acontecendo.

    Eu comprei uma passagem para Sydney com a LAN, e o treco interno no Brasil é com a TAM (POA-GRU)

    O bilhete está mais ou menos assim

    POA-GRU

    LATAM

    Operated by TAM

    GRU-SCL

    LATAM

    Ou seja, a LAN é a dona da bagaça e a TAM vai sumir em breve, como hoje quando nos voos TAM tem as rotas da Pantanal, mas o avião é TAM.

  • WESLEY

    Gosto da LAN e principalmente da TAM, sou um apaixonado por essa cia aérea, mas achei o horrível a nossa Brasileira ser vendida para LAN. Como não tenho poder pra isso, o jeito é aceitar essa venda. Já voei pela LAN dentro da Argentina, Peru e Chile.

  • Elton Moraes

    Nasce a LAN BRASIL!!!! E o que tenho percebido é a redução gradativa das promoções. É a realidade, a LAN comprou a TAM e agora vai mudar o nome para LAN BRASIL. Espero que a SUPERAZUL seja de fato uma CIA Aérea brasileira.

  • Everton Souza

    Super indico a leitura do blog http://aviadoranonimotam.wordpress.com há alguns posts sobre segurança. Chego a ficar nauseado com alguns comentários dos tripulantes diante do descaso da empresa com seus funcionários e consequentemente, passageiros. O que percebo é que a diretoria está brincando de transportar pessoas em detrimento do lucro.

  • Silvio Akcelrud

    Mistério? Os corruPTos estão vendendo o que podem,se enchendo de dinheiro igual que o DESgoverno da Venezuela para implantar o comunismo aqui igualzinho que lá… não tem mistério nenhum só um povo muito burro não enxerga o que tá acontecendo!

  • HERMES BENTO

    Gui Lopes,

    Sua observação foi legal, porém, vale acrescentar que não chegará o tempo em que uma ponte aérea custe o mesmo ou mais que um voo para a Europa, pois, este já chegou! Tente comprar uma passagem na ponte aérea com 1 semana a 3 dias de antecedência que você chega a pagar de R$ 800,00 a R$ 1.200 (cada trecho), ida e volta saindo de R$ 1.600,00 a R$ 2.400,00… é o mesmo que voar para os EUA (detalhe, com o dólar em alta, pq se a cotação estiver baixa é mais barato voar SP-NYC que SP-RIO)…. Portanto, este tempo já chegou e já exite —-INFELIZMENTE

  • Renato Almeida

    Tambem nao conheco esse lugar. Brasil da as cartas no mundo? Potencia??? Acho que quem emite esse tipo de opiniao, nunca saiu da America Latina. So posso deduzir isso. Ou estao assistindo muita propaganda do PT.

  • beto

    Isso já aconteceu no setor de bancos (que lida com muito mais gente que cias aéreas) e com o tempo todos se acostumaram.

    Lembro que diziam que jamais as fortes marcas Banespa e Real poderiam ser substituídas por uma estrangeira. Bom, pouco a pouco, de maneira profissional, todo o visual das agências, correspondências, etc foi mudando e um dia tudo virou Santander, nome de uma cidade espanhola.

    Os caras da LAN já fizeram isso em vários países, sabem o que estão fazendo, por isso que o cara fala de 3 a 5 anos para mudar a marca.

  • Oscar Luiz da Silva

    Quero ver o dia que os "controladores" da TAM se derem conta da burrice que fizeram…

    O Cmte. Rolim dá voltas no caixão cada vez que esse chileno abre a boca…

  • Gabriel Sperandio

    Mais ou menos, que bancos privados fortes mesmo só o Itaú e o Bradesco. Unibanco e Nacional foram engolidos por aqui mesmo. No caso do real, quando o ABN-AMRO comprou, antes de ser comprado pelo Santander, preferiu manter o nome mis fácil de pronunciar. A LAN substituiu companhias de língua espanhola. Vai dar mais trabalho substituir a marca brasileira. Num país que se acha forte, isso pode abrir mercado e top of mind para a Gol, a não ser que a TAM, então LAN Brasil seja muito maior. Pouco maior, como a TAM é hoje mudar para LAN Brasil não vai dar certo. Se bem que com a Azul querendo crescer e só deixar que a Gol perca mercado sozinha. Deixo caro que não duvido da mudança. Padrão LAN logo já iria bem, se bem que eu gosto do programinha TAM no Ar… Já tem na LAN canal de música brasileira no entretenimento de bordo da LAN… Será que teremos revista de bordo trilíngue (na TAM e na LAN)? Canais específicos de Samba, sertanejo, axé e MPB?… Canais de rock tocando Raul, Legião, Paralamas, Engenheiros, Mutantes, Secos e Molhados?… Na LAN! Fora os canais de música em espanhol nos nossos voos domésticos… Pensando bem, acho que o entretenimento de bordo da LAN Brasil será diferenciado…

  • Elton Moraes

    Me lembro de ver os fokker 27 cruzando os céus até pousar em congonhas… Será que essa turma ainda lembra do Cmte. Rolim? O Cmte. Rolim criava expectativas a respeito da TAM & tal. Hoje deixaremos de ver cruzar os céus os Airbus vermelhos e seremos obrigados a nos acostumarmos com a LAN Brasil…

  • Gabriel Sperandio

    Há uma hipótese interessante: um terceiro nome para essa companhia continental. "Sudamerica", "Sul-Am", "Andina", "Panamericana"… Nomes que funcionem no Brasil (mesmo que não sejam tipicamente brasileiros), que é o maior mercado e represente o continente em outros cantos do mundo. O Chile tem o mesmo tanto de habitantes que a região metropolitana de São Paulo. Por mais que o capital majoritário seja o deles, se não ficar palatável para brasileiros, o negócio não vinga. Imagino ter de novo uma companhia com capital brasileiro indo até o Japão e a Austrália. Via Chile? Sim. Não dá para ir até lá sem parar o avião. Ou mesmo via Peru. O marketing pode funcionar muito bem se a companhia parecer brasileira. Hoje, a TAM não consegue concorrer dignamente direito com as companhias que saem da América do Sul. E dentro da América do Sul, já vinha perdendo passageiros brasileiros para a LAN antes da fusão. A TAM nunca conseguiu ser uma espécie de opção trivial para fora do Brasil como a Varig já foi. Se os chilenos conseuirem achar um nome que pareça nacional no Brasil e nos países andinos e pampeiros… Aí, a coisa decola.

    Só não vale chamar LATAM linhas aéreas, pois em português não soa lá muito bem…

  • Fernando Vieira

    Perdeu a chance de ficar calado

  • Fernando Vieira

    Eu gosto muito da TAM, nunca tive problemas com eles, são sempre minha primeira escolha na hora de voar (mas acabam perdendo várias vezes por causa do preço), e foi com eles que viajei ao exterior (para fora da América Latina, certo Renato Almeida?), e fui extremamente bem atendido (exceto no check-in de volta por causa dos mexicanos que falavam português), e foi ótimo depois de um tempo em país estrangeiro já ter um pouco de Brasil a bordo da aeronave.

    Sempre que eu for ao exterior darei preferência a companhias brasileiras, para voar no mercado doméstico, nem penso em estrangeiras. A TAM virando LAN, perde ao menos eu como cliente. E melhor agendar logo minha visita ao museu da TAM antes que a LAN acabe com ele.

  • Silvio Carneiro

    Infelizmente é a LAN que dá as cartas nesta aliança. Haja vista a decisão de ficar na Oneworld em detrimento da Star Alliance. O pior é que o Fidelidade está cada vez mais roda presa como é o Lanpass. Acabei de descobrir da pior forma possível que o Fidelidade não ponua mais os bônus das alianças. Eles divulgam o que é bom e esconde o que é ruim. Parece que aprenderam com um determinado ex-ministro.