Brasil assina acordo com 18 países para buscar o fim da cobrança de roaming internacional

Thayana Alvarenga 28 · março · 2018

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

O Brasil assinou uma carta de intenções para adotar políticas que levem ao fim da cobrança de roaming internacional nas redes móveis até 2022, especialmente em zonas de fronteira. As informações são do portal Telesíntese. De acordo com o site, o documento foi firmado com outros 18 países durante assembléia da Comissão Interamericana de Telecomunicações (Citel).

Entre os signatários estão alguns dos países mais visitados por brasileiros no exterior: Estados Unidos, Canadá, Argentina, Chile, México e Uruguai. O fim das altas taxas de roaming permitiriam o uso dos chips de celular brasileiros nos demais países e vice-versa, a exemplo do que ocorre nos países da União Europeia.

O Brasil foi representado por integrantes do Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, além de representantes da própria Anatel.

Contudo, ainda há a possibilidade do grupo concluir que a cobrança do roaming não deve acabar, assim apenas reduzindo a tarifa. No plano estratégico, documento elaborado na assembleia da Citel, a meta aparece com uma ressalva de “redução ou a eliminação de sobretaxas de roaming”.

Com a meta acordada internacionalmente, a Anatel deve começar a desenvolver análises sobre o assunto. Ainda não há informações sobre como as tarifas de roaming serão eliminadas para o consumidor, porém um grupo de trabalho com representantes foi criado. A primeira reunião está marcada para maio, quando as propostas devem ser apresentadas.

E você, o que achou desta nova medida? Comente e participe com a gente!

Autor

Thayana Alvarenga - Repórter
  • Deivson Martins

    Boa iniciativa mas a Claro já está fazendo isso em 18 países com o plano dela passaporte das Américas a qual eu adquiri e tenho e é muito bom funciona nos Estados Unidos e no México sem cobrança alguma fiz ligação como se estivesse no Brasil e recebi como se estivesse no Brasil sem cobrança alguma a mais do seu plano no Brasil.

    • Emmanuel Kalispera

      O problema é a Claro funcionar NO BRASIL. hahahah

      • Marcelo Fercondiny

        Vdd na maioria dos lugares não funciona

      • RABUGENTO SFQNS

        Aqui em Campinas, onde nasceu a Claro (TESS) o serviço é sofrível.
        Ainda não optei pelo “chip” deles, por conta disso.

        • Emmanuel Kalispera

          Mesmo motivo pelo qual não troquei. Os planos são bons, os serviços, horríveis.

        • Mauricio Laukenickas

          A CLARO nasceu no RJ através da ATL que depois de alguns anos virou Claro. A TESS foi comprada posteriormente pela Claro ou ATL (não lembro exatamente em que época foi).

          • RABUGENTO SFQNS

            Verifique suas informações.
            A TESS foi comprada pela NET de depois mudou para CLARO. Estão fazendo uma campanha louca de vendas mas por aqui o serviço não funciona melhor que as outras.

    • Jakeline Santos

      Quando eu vi o serviço da Claro fiquei super empolgada. O problema é que o plano da Claro que permite a contratação do Passaporte Américas é muito caro. Meu plano atual tem praticamente os mesmos serviços e custa R$ 45 mensais, contra R$ 100 na Claro. Tô na esperança que seja aberto a planos mais baratos em algum momento ou que as outras operadoras entrem nessa onda também.

  • Jorge Bahia Cezar Filho

    Toda vez que chego em algum país no exterior, sempre compro chip pré-pago no destino. Não tem jeito. Não consigo ficar sem internet. Não é somente para postar nas redes sociais e se comunicar, mas também para ver mapas, rotas e também pegar Uber. Essencial mesmo!

  • Deyvisson F. R. Almeida

    Chip é uma desgraça, depois que pega o primeiro não consegue mais viver sem. É muito útil saber horário de trem, restaurantes, mapas e ter outras coisas na palma da mão.

  • Bia Fortuna

    O passaporte Américas da Claro funcionou muito bem nos EUA e Porto Rico. Em julho vou testar na Argentina.

  • Carlos Neto

    Se uma empresa tem alcance proprio ou por meio de terceiros parceiros a regioes bem amplas , a quem é pago o “roaming” realmente?

  • Ricardo

    Não entendo pq a Vivo cobra tão caro as diárias no exterior. Quem usa? Se cobrassem por ex. R$ 2,99 por dia ganhariam muito mais no volume, e compensaria se comparado ao valor do chip convertido em R$ por um período de 7 a 12 dias de viagem.

  • Carlo Butarelli

    Por que a Vivo não faz como a Claro e libera o roaming na rede Movistar. A Claro é a melhor, com o Passaporte América. Usei no México, Panama a Usa e funcionou muito bem.

  • Daniel Gadelha

    Ainda não conseguiram eliminar totalmente a cobrança de roamming em viagens dentro do Brasil. Acho pouco provável conseguirem algo no roamming internacional.

    • Vc tem toda razão

    • RABUGENTO SFQNS

      Não é que não “conseguiram eliminar”.
      Não QUEREM eliminar o roaming. Se quisessem já teriam feito. É uma fonte absurda de lucro fácil.

  • Parece longe, mas são apenas 4 anos; lembra que outro dia mesmo estávamos tomando 7 a 1 da Alemanha e já vamos para outra Copa 🙂

    • Davi Teixeira

      Pensei que ia dizer que já iamos para outro 7X1.

      • Renan

        aí a gente pegava o Dennis e fazia um montinho kkkkkk