Compras no Exterior

As dicas que você precisa para fazer boas compras lá fora.

Compras e viagens. Está ai um casamento que sempre dá certo! É difícil imaginar conhecer um novo lugar, especialmente fora do país, e não trazer algumas coisinhas, mesmo que o motivo da viagem não seja especificamente fazer compras.

Não importa se você está entre os que sonham em viajar somente para fazer compras na Black Friday em Miami ou se pretende comprar apenas lembranças, chocolates e cosméticos no Free Shop: não deixe de ler esse guia para economizar e gastar melhor seu dinheiro no exterior!

Programando os gastos

Evite a depressão pós-viagem.

Está com passagem marcada para Nova York, Orlando ou Miami? Ninguém acreditará se você disser que vai voltar sem algumas compras. Se o destino for a Europa, pode ser que a mala volte quase com o mesmo peso da ida, salvo alguns belos souvenirs encontrados por lá. O importante, independente do destino, é ter em mente o seu objetivo na viagem e quanto você pode gastar. Não dá para esquecer que cartão crédito tem fatura, mesmo que a cobrança venha apenas no mês seguinte.

Calcule bem o quanto poderá investir nas compras, sem passar aperto na volta. Ter a noção deste valor ajuda a definir quais produtos você poderá adquirir. Talvez aquela tão sonhada bolsa tenha que ficar pra a próxima, assim como o tablet recém lançado. Com o mesmo valor você poderá comprar vinte camisetas. Mas você prefere as vinte camisetas ou a bolsa dos sonhos? Definir prioridades ajuda a organizar os gastos e você não voltará falido e decepcionado.

Claro que nem todas as compras podem ser previstas, e para estes casos um fundo de reserva é essencial! Ele dará conta daquele produto incrível, único e inexistente no Brasil. Você precisa muito comprar? É para este fim que o dinheiro está guardadinho. Nunca se sabe o tamanho de desconto que irá passar por você, então não gaste tudo no primeiro dia de viagem!

Opções de pagamento

Dinheiro, cartão de crédito, débito, pré-pago ou saque no exterior?

A dúvida é cruel e não dá para escapar dela. Qual a melhor opção de pagamento no exterior? Com o aumento do IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras) de 0,38% para 6,38% em quase todas as formas de pagamento, os critérios para escolha mudaram um pouco.

Todas as formas de pagamento têm seus prós, seus contras e oferecem riscos de darem errado, por isso a primeira regra é sempre combinar várias opções. Você poderá ter todo o seu dinheiro furtado, seu cartão de viagem pode não funcionar em várias máquinas, o cartão de crédito talvez não tenha o limite necessário para a viagem, assim como o de débito tem um limite diário de gastos. Fora o fato de que você poderá perder qualquer um deles.

Ah! Não adianta levar várias opções de pagamento e guardar todas juntas. Já pensou perder a carteira com todos os seus cartões dentro dela? Ao menos uma opção, por segurança, deve permanecer no hotel, seja no cofre ou trancada na mala.

Conheça um pouco mais sobre as opções mais comuns usadas pelos viajantes:

Dinheiro

A forma mais barata de pagar suas contas no exterior. A principal vantagem de levar dinheiro em espécie é ser a única opção de pagamento que ainda tem o IOF de 0,38%, isso faz dele a opção mais em conta. Como a cotação das moedas estrangeiras varia entre as casas de câmbio e bancos, o ideal é verificar em vários estabelecimentos antes de comprar. Pergunte sempre pelo valor da taxa de administração cobrada por alguns estabelecimentos e que alteram o valor final da moeda. Não deixe para comprar a moeda na última hora. Muitas vezes os bancos não têm o montante desejado, ou dispõem apenas de notas de um único valor, o que pode dificultar a vida do turista.

A grande desvantagem de levar dinheiro em espécie em relação aos cartões: não é nada seguro andar com um bolo de notas por aí. Se você for furtado, infelizmente, não poderá fazer nada além de ir a uma delegacia. Não há como bloquear o dinheiro e receber outro em 48 horas. Caso opte por esta forma de pagamento, lembre-se que a Receita Federal limita a 10 mil reais o valor em espécie que pode deixar o país sem ser declarado. Regras semelhantes se aplicam a outros países em relação à entrada de valores, por isso, se estiver com um grande montante de dinheiro, informe-se sobre o destino a ser visitado.

Cartão de crédito

Com o aumento do IOF nos cartões de débito e viagem, de 0,38% para 6,38%, o cartão de crédito voltou a ser uma ótima opção para os brasileiros na hora de viajar. Além de não exigir a compra de um novo plástico, carregamentos e senhas, eles têm como grande trunfo os programas de milhagens. Entre gastar em um cartão que não traz nenhum benefício e outro que pode render a passagem da próxima viagem, sem dúvidas é melhor escolher o segundo. E vivam as milhas!

Outra grande vantagem do cartão de crédito é a segurança em relação a furtos e extravios. Você poderá bloquear o cartão e, mesmo que ele tenha sido usado indevidamente, a operadora irá estornar as compras. Além disso, dependendo do seu cartão, você receberá outro rapidamente, ainda durante a viagem.

A principal desvantagem é a imprevisível cotação do dólar, já que a conversão para real considera o dia do pagamento da fatura e não o dia da compra. É questão de sorte ou azar. Além disso, não há um padrão no tipo de cotação usada pelos cartões. Entre comercial e turismo vale tudo. Para quem pretende gastar muito, o cartão de crédito pode ser um problema, afinal o limite pode não ser suficiente. Uma saída é antecipar o pagamento da fatura pela internet e assim liberar mais limite ou entrar em contato com a emissora e solicitar um aumento ou mesmo limite extra, ainda que temporário. Alguns cartões de crédito – não todos – permitem saque em dinheiro no exterior, porém existe um limite diário que é diferente do limite dentro do Brasil.

Importante: antes de embarcar não se esqueça de informar ao banco ou emissora do cartão que vai usá-lo no exterior. Alguns permitem que se faça isso por telefone, internet ou caixas eletrônicos.

Cartão de viagem pré-pago

De mocinho a bandido, o cartão de viagem que antes tinha IOF de 0,38% agora segue a regra do cartão de crédito e tem o imposto em 6,38%. Isso praticamente anulou as vantagens deste tipo de cartão.

O fucionamento é simples: você compra o cartão, recebe a senha e carrega ele com o valor que pretende usar. Durante a viagem, o funcionamento é idêntico a um cartão de crédito ou débito comum, permitindo saques no exterior e bloqueio no caso de furto ou perda.

A vantagem do cartão pré-pago é que ele permite levar para a viagem quantos dólares você quiser, já que não tem limite como o cartão de crédito, e é bem mais seguro que o dinheiro em espécie. Além disso, se o dinheiro depositado no cartão acabar, você pode recarregar pela internet ou telefone.

Agora as desvantagens. A primeira, como dissemos, é que ele não oferece programa de milhas. Além disso, você precisa carregar o dinheiro da viagem no cartão antes de usá-lo, sujeito ao câmbio e taxas da empresa emissora, enquanto no cartão de crédito você paga no mês seguinte ou pode parcelar. Ainda tem mais: o cartão pré-pago não oferece um seguro, como o cartão de crédito, que estorna as compras feitas em caso de furto. Você deverá cancelar o cartão logo que perceba o sumiço dele, já que muitas máquinas não exigem senha para compras.

Outro ponto negativo é o eventual não reconhecimento dos cartões no exterior. E se todo o seu dinheiro estiver lá, vai ser bem complicado!

Cartão de débito

Se o seu cartão de débito da sua conta bancária está habilitado para uso no exterior, você poderá fazer compras com ele normalmente, porém o IOF, assim como dos outros cartões, também é de 6,38%.

Esta opção apresenta uma grande desvantagem: de acordo com o banco há limites para compras no mesmo dia e para saques em dinheiro. Isto pode ser um grande problema, especialmente para quem desejar adquirir um bem de valor alto.

Além disso, a função débito não oferece milhas em alguns bancos e não funciona muito bem em alguns países, por outro lado você escapa da variação cambial do cartão de crédito.

Saque da conta corrente no exterior

Esta opção também teve seu IOF aumentado para 6,38% recentemente e por isso tornou-se menos interessante. As vantagens são que você não precisa sair do país com muito dinheiro e também a previsibilidade da conversão, você sacará sempre em moeda local e no momento do saque será feita a conversão para reais.

É importante consultar seu banco para saber se há taxa por saque e qual é o limite diário para a retirada.

Comprando pela internet antes de viajar

Compre em casa e receba no hotel

Compras online são um grande facilitador na vida do turista. Se você quer passar todos os dias curtindo o destino, mas não abre mão das compras, que tal adquirir alguns produtos ainda no Brasil? Nessas horas os sites de grandes empresas como Amazon, Target, Best Buy, Disney Store e Walmart são grandes aliados. O prazo de entrega costuma ser bem mais eficiente do que no Brasil, o risco de não receber a mercadoria é baixo e você ainda pode conseguir bons preços se fizer uso de cupons de desconto.

Verifique com o hotel se ele permite o recebimento de encomendas, alguns cobram uma taxa para guardar as caixas. Caso não seja possível, você poderá usar um dos serviços de caixa postal disponíveis no exterior. Basta calcular o tempo de entrega para o mesmo período que estiver na viagem. Se o produto não chegar a tempo, oriente o hotel a devolver o pacote, assim você não ficará no prejuízo. É um processo que depende da honestidade de muitas pessoas e da confiança no serviço de entrega. Mas, acredite, funciona e te deixará livre para aproveitar a cidade. Quando chegar, basta recolher as caixas na recepção, fazer as malas e ser feliz!

Sabe aquela encomenda que seu cunhado fez? Peça pra ele comprar pela internet e entregar no hotel, assim você não gastará seu precioso tempo na viagem procurando encomendas e correndo o risco de comprar errado.

Arrumando as malas

Reserve espaço para as compras

Está quase na hora de embarcar! Já tem ideia do que pretende comprar no exterior? Arrume as malas tentando prever quanto espaço será necessário para todos os bens a serem adquiridos. Se estiver na dúvida, que tal levar uma sacola de viagem dobrada e vazia? É uma precaução que não ocupa espaço, ajudará a não passar aperto na hora de fechar a mala e evitará que você compre mais uma bagagem no exterior.

Para os turistas que estão focados nas compras, e viajam com uma mala vazia para voltar com duas cheias, vale um alerta importante: chegar a um país estrangeiro para passar dez dias, com uma mala vazia, é passível de desconfiança. O MD recebeu vários relatos de passageiros que foram barrados no raio-x da imigração americana simplesmente por não terem quase nada na mala. O susto é grande e muitas vezes desnecessário. Ninguém relatou que foi deportado, porém todos prestaram esclarecimentos à imigração.

Não esqueça que o avião não é um caminhão de mudança e há limites para as bagagens. Em voos internacionais o passageiro da classe econômica geralmente poderá levar até duas malas com 32 kg cada. Além das bagagens despachadas, geralmente é permitido levar uma mala de mão, com volume de 115cm e peso variável. Para saber mais detalhes, acesse o nosso post sobre bagagens.

Compras no Free Shop

Fugindo dos impostos nas compras

A tentação começa ainda em solo brasileiro. O free shop é um convite a pequenas comprinhas. Porém, vale lembrar que compras no free shop do embarque entrarão na cota de US$ 500 permitida para compras no exterior. Segure e carteira para aproveitar as pechinchas lá fora. A cota extra do free shop, no valor de US$ 500, vale apenas para o momento do desembarque, quando você retornar ao Brasil. Aproveite para fazer pesquisas de preço, assim você saberá quanto custa o produto que pretende adquirir na volta.

Free shop no embarque do exterior

Não comprou o suficiente ou esqueceu alguns presentinhos de última hora? Aproveite o free shop antes de embarcar. Quase sempre eles têm mais variedade que o brasileiro. Porém, como nem tudo são flores, a mesma regra do free shop no embarque do Brasil vale para o embarque no exterior: qualquer produto adquirido no free shop lá fora entrará na cota de US$ 500 permitida para compras internacionais. A cota extra de US$ 500 é apenas para o duty free de desembarque no Brasil. Mas nós já estamos quase lá!

Free Shop de desembarque no Brasil

Agora sim! Está liberado! Você tem mais US$ 500 para gastar além do limite, também de US$ 500, para compras no exterior. Este é o único free shop que permite o uso da cota extra. No free shop do Brasil, na área de desembarque, você poderá optar por pagar em reais, e não ser vítima do IOF de 6,38%, ou pagar em dólar e euro. Aproveite para levar o perfume que esqueceu e alguns chocolatinhos. Outra dica é já deixar reservado pelo site os produtos que pretende comprar, dessa forma você economiza tempo e não precisa ficar procurando os produtos na loja.

A hora de ir às compras!

Algumas dicas que vão te ajudar durante as compras.

A metodologia varia. Muitos preferem comprar apenas o que encontram durante os passeios, outros vão direto aos pontos de venda, como shoppings, outlets e lojas de departamento. Seja qual for o seu espírito comprador, o importante é tomar alguns cuidados que podem facilitar a sua vida na hora de gastar dinheiro. O Melhores Destinos separou algumas dicas que podem ajudar neste processo de compras:

1- Organize-se! Não dá para sair comprando o mundo sem saber como pagar ou fazer caber na mala. É preciso estar consciente para não comprar em excesso (afinal, temos a Receita Federal);

2- Priorize locais de compra que ofereçam várias opções de lojas. É uma boa maneira de economizar tempo, paciência e sola de sapato, além de você poder aproveitar mais a viagem;

3- Pretende realmente comprar o mundo? Leve uma mala para carregar as compras! Não é preciso ter vergonha, você não será o único a transportar sacolas sobre rodas;

4- Experimente tudo o que comprar, talvez não haja oportunidade de retornar à loja e fazer uma troca (e ninguém merece perder tempo de viagem fazendo isso). Teste os eletrônicos e veja atentamente se não há defeitos nas roupas e calçados. A dica vale para todos os produtos!

5- Antes de ir para as compras, procure cupons e livros de desconto. Eles são realmente eficientes, especialmente nos EUA. Ah! Não basta imprimir, é preciso lembrar-se de usá-los!

6- Em alguns países os impostos não estão inclusos no valor do produto e você só saberá o preço final na hora de fechar a compra. Aquele vestido de US$ 300 pode sair um pouquinho mais caro do que você imaginou. Calcule sempre o valor do imposto antes de ir para o caixa;

Tax Free

Receba de volta parte do que gastou.

E se depois de gastar um bom dinheiro com as compras você pudesse ter um pouco dos gastos restituídos? Pois essa possibilidade existe e é chamada de tax free. Com ele, os turistas podem receber de volta o valor do imposto embutido nas compras, o VAT (Value Added Tax) e, acredite, pegar esse dinheirinho no final da viagem pode fazer uma grande diferença! As regras para pegar o VAT variam de país para país; enquanto a restituição do imposto é difundida na Europa, é quase inexistente nos EUA.

Para pegar o VAT você deve fazer sua compra e sempre guardar as notas fiscais. Na própria loja onde o dinheiro foi gasto, pergunte sempre pelo formulário do tax free. Em posse das notas fiscais e formulários do tax free, leve esses documentos ao escritório de restituição da taxa, normalmente localizado no aeroporto onde deixará o país. No escritório as notas fiscais e formulários são analisadas e quando tudo está de acordo com as regras, seu direito ao reembolso é confirmado através de um carimbo nos formulários. Carimbo recebido, é hora de ir ao centro de reembolso, onde você poderá receber seu dinheiro do imposto das compras em cheque e até em espécie! As regras variam de acordo com o destino, o importante é sempre guardar as notas fiscais e pedir o formulário de reembolso!

A passagem pela alfândega

O momento mais tenso da viagem.

Sem dúvida, este é um dos piores momentos para os turistas que retornam do exterior. É difícil prever o que vai acontecer quando passamos pela alfândega, por isso é sempre bom agir dentro da lei para evitar problemas. A regra básica é: cada brasileiro tem o direito de trazer bens adquiridos no exterior, no valor de até US$ 500, sem pagar impostos. O que passar desta cota deve ser declarado à Receita Federal, que fará o cálculo de imposto – de 50% – sobre o valor que exceder os US$ 500.

É importante conhecer bem as regras de bagagem, até mesmo para poder argumentar com o fiscal, caso você seja o escolhido da vez. Saber o que é ou não bem de uso pessoal, quantos produtos de cada são permitidos, quais eletrônicos entram ou não na cota é fundamental na hora da aduana. Ninguém está livre de ser barrado, mesmo os que seguem para a fila de “nada a declarar”. O importante é agir corretamente, assim você não corre o risco de ter que pagar, além dos 50% de imposto, mais 50% de multa pela mentira.

  • mirtes s.c. lopes

    Muito importantes estas dicas. Gostei muito.

  • A reserva pode ser feita no site http://www.dutyfreedufry.com.br

  • Aquela opção de fazer uma conta no BB Américas e transferir o dinheiro não existe mais não? Dei uma olhada esses dias e não encontrei nada.

    • Luiz Alberto

      Eu tb adoraria ter essa resposta!

      • Adriano Reis

        Há essa possibilidade sim, abrindo a conta no BB América você consegue transferia pela cotação do dólar comercial, que sempre é mais barato que o turismo. Agora o ideal é fazer isso com um mínimo de 6 meses de antecedência, já que é mais ou menos o tempo que leva pra eles te enviarem o cartão.

  • Ana Paula

    Gostaria muito de fazer compras agora já que estão com coisas de verão nas lojas e mandar entregar no hotel que a amiga ficara. Minha dúvida se recebem estou tentando tirar mais ainda não responderam e se pago. Teria dica dessa empresa de caixa postal que receberia e entregaria no hotel dela? Não conheço esse serviço.
    As lojas tem prazo de entrega também? Eu queria comprar agora , e ela só vai em Out.

    • FELIPE BRAGA

      EU RECEBI COMPRAS EFETUADAS PELA MINHA FILHA AQUI NO BRASIL NO HOTEL ROSEN INN DA INTERNACIONAL DR ONDE NADA PAGUEI.

  • Leonardo Pereira

    Só quero relatar um ocorrido comigo há poucos dias. Eu peguei um voo de Orlando para Guarulhos e a Receita Federal agora tem escolhido ao acaso todos os passageiros de um mesmo voo para passar todas as malas pelo raio X (basicamente voos de cidades como Orlando, Miami e Nova Iorque).

    Eu estava dentro da minha cota, mas eu comprei várias roupas para uso durante a viagem e estavam amarrotadas e sujas dentro da minha mala, e mesmo assim, o fiscal super educado alegou que haviam roupas demais para quem passou uma semana e me forçou a pagar o imposto juntamente com a multa.

    Várias pessoas também foram obrigadas a passar e tiveram que pagar a multa. Tinha gente chorando, foi muito triste.
    Parece que com esse terminal novo de Guarulhos, os brinquedos novos da Receita Federal, os fiscais têm intensificado mais os voos "suspeitos" e penalizando pessoas de bem.

    • Marcos

      Será que isso será prática comum? Todos do mesmo voo serem "premiados", sacanagem.

    • alexei

      PArabens a todos q votaram na DILMA e no PT!… graças a voces a receita pega no nosso pé e deixa os peixes grandes fugirem felizes e contentes.

      Graças a voces, nosso IOF foi para as alturas!..

      Continuem mesmo votando no PT

    • Junior

      Não querendo defender os fiscais, mas às vezes, a falta de conhecimento de ambos (fiscal e passageiro) causam transtornos, o fiscal acha que todo mundo está enganando ele, e o passageiro muitas vezes abusam da cota e das compras torcendo para o fiscal não pegar. É o gato e o rato sempre !!! Então… como se vê… não é só a falta de conhecimento, mas também existe o jeitinho brasileiro!! rsrs

  • pessoal , leiam as dicas acima com muita atenção , elas são preciosa ! Atendo muito turista completamente perdido pois não se programou antes da viagem com relação a compras, cartão de crédito, taxfree
    Abs
    Josi
    http://www.saboreandoparis.com/aonde-comprar-cosm

  • jose accyoly

    e uma forma de arecadar mais p o nosso excelente governo,somos taxados e espoliados ,e os nossos admnistradores vivem de cpi em cpi, que maravilha p eles,triste pais,

  • André

    Olá tenho uma dúvida um pouco besta com relação a essa cota de $ 500.

    Se eu trouxer um Ipad no valor de $ 600 e uma MacBook no valor de $ 1500. Como serei taxado?

    – Tira 500 dólares de cada produto e vou pagar (100 dólares (600 – 500) em cima do Ipad e 1000 dólares (1500 – 500) em cima do MacBook?)
    – Ou soma se o valores do dois produtos e tira 500 dólares (2100 – 500)?

    Obrigado!!

    • alexeei

      simples:

      1500 + 600 = 2100 – 500 cota = 1600 ( aqui sera calculado o imposto, no excedente de 500 dolares )

      Se nao me engano sao os 50% mais alguns tributos como icms e tals.

    • FELIPE BRAGA

      SOMA-SE OS DOIS PRODUTOS (ELES FAZEM PARTE DE UMA UNICA COTA) DIMINUE-SE DOS 500 DOLARES QUE VOCE TEM DIREITO E AI O GATO PEGOU O RATO COMO DIZ O JÚNIOR ACIMA.AFINAL É A BRIGA DO GATO ( RECEITA ) CONTRA O RATO ( PASSAGEIROS )

  • William Schweickardt

    Alguém do MD me explica melhor essa frase final por favor… ”O importante é agir corretamente, assim você não corre o risco de ter que pagar, além dos 50% de imposto, mais 50% de multa pela mentira.” Ou seja que se me barram e cobram os 50% extras ainda se paga uma multa, ou seja, paga-se 100% em cima do valor do produto?

    Se eu tiver algo que passe a cota, e for para declarar, a mala é aberta e vistoriada item a item ou é mais suave e eu declaro alguns produtos e deu, tipo… ”tá chega, paga isso e te manda”… ? Obrigado!

    • Luiz Alberto

      William, se vc não se candidatar a ser “fiscalizado” e for “sorteado” por algum fiscal e este verificar que sua cota de U$ 500,00 foi ultrapassada, vc pagará 100% do valor das compras (50% multa + 50% imposto).

      • Receita Federal

        Exato.

        • Bob

          Errado. Vai pagar 50% de imposto sobre o que exceder os $ 500 de isenção e sobre o imposto calculado haverá uma multa de 50%. Num exemplo, se a totalidade do que trouxer for $ 700, e for surpreendido pela fiscalização, o imposto será de $ 100 e a multa de $50, convertidos para real pelo câmbio do dia.

          • Luiz Alberto

            Bob! Se ele NÃO se candidatar a ser fiscalizado, ele pagará multa por TODA a compra, não só pelo excedente…

  • Mauricio Borges

    Estou com uma preocupação na minha próxima viagem… se alguém puder me ajudar agradeço! Se eu comprar 2 telefones celulares no exterior, quando desembarcar no Brasil eu vou querer declarar um telefone e o outro vou considerar como de uso pessoal. Então declaro por exemplo 1 telefone, sendo pago assim os 50% do que passar da cota dos 500 dolares. Por eu ter declarado esse aparelho, minha dúvida é a seguinte, poderá o fiscal mexer na minha mala para ver se não tenho outro objeto que deixei de declarar? E outra, o fiscal poderá taxar e multar o meu celular de uso pessoal por ser um aparelho “visivelmente” novo, e que eu não quis declarar? Neste ultimo caso posso, eu poderei argumentar que o aparelho é de uso pessoal e que tenho o direito de não ser taxado nele? Agradeço quem puder me ajudar. Obrigado!

  • Mauricio Borges

    Estou com uma preocupação para minha próxima viagem… se alguém puder me ajudar agradeço! Se eu comprar 2 telefones celular no exterior, quando desembarcar no Brasil eu vou querer declarar um telefone e o outro vou considerar como de uso pessoal. Então declaro por exemplo 1 telefone, sendo assim pago os 50% do que passar da cota dos 500 dolares, por eu ter declarado esse aparelho. Minha dúvida é a seguinte, poderá o fiscal mexer na minha mala para ver se não tenho outro objeto que deixei de declarar? E outra, o fiscal poderá taxar e multar o meu celular de uso pessoal por ser um aparelho “visivelmente” novo, e que eu não quis declarar? Neste ultimo caso, eu poderei argumentar que o aparelho é de uso pessoal e que tenho o direito de não ser taxado nele, certo? Agradeço quem puder me ajudar. Obrigado!

    • Ricardo Inocencio

      Caro Mauricio,

      Desde outubro de 2010, celulares, máquinas fotográficas, relógios, roupas, sapatos e cosméticos não precisam ser declarados. Entretanto existem limites com relação a quantidade desses produtos. No seu caso é bem possível (Digo possível, pois sempre vai depender do nível de rigorosidade do fiscal que o abordar) que não haverá problemas.

      1. Câmera fotográfica e celular:
      Quantidade máxima: um (01) por pessoa.
      Entra na cota dos US$ 500? Não. São considerados objetos de uso pessoal, não importa o modelo e o valor, se estiverem fora da embalagem e usados.

      2. Lentes e outros equipamentos fotográficos
      Quantidade máxima: depende do valor. Procure não trazer mais de 10 nem de marcas e tipos diferentes.
      Entra na cota dos US$ 500? Sim. A menos que você consiga provar que comprou para uso profissional durante a viagem.

      3. Câmera filmadora
      Quantidade máxima: duas por pessoa.
      Entra na cota dos US$ 500? Sim. Porém, no caso de máquinas que filmam e fotografam, vale a regra da câmera fotográfica.

      4. Notebook, videogame e outros eletrônicos
      Quantidade máxima: um de cada tipo por pessoa.
      Entra na cota dos US$ 500? Sim. Para proteger o mercado nacional, o Ministério da Fazenda não libera esses produtos.

      5. Relógio
      Quantidade máxima: três por pessoa.
      Entra na cota dos US$ 500? Não. Faz parte dos produtos considerados de uso pessoal.

      6. Roupa e sapato
      Quantidade máxima: três de cada tipo/modelo.
      Entra na cota dos US$ 500? Não. São considerados de uso pessoal, mas têm de ser condizentes com o passageiro e o tipo da viagem.

      7. Bebida
      Quantidade máxima: 12 litros do exterior mais 24 garrafas do Duty Free.
      Entra na cota dos US$ 500? Sim. Somente as compradas no Duty Free não são tributadas.

      8. Cigarro
      Quantidade máxima: dez maços do exterior, mais 20 maços do Duty Free.
      Entra na cota dos US$ 500? Sim. Somente as comprados no Duty Free não são tributados.

      9. Cosméticos
      Quantidade máxima: não há número oficial, mas o recomendável é trazer no máximo dez unidades de um mesmo produto.
      Entra na cota dos US$ 500? Não. É considerado de uso pessoal. Só não exagere – do contrário, podem ser tributados.

      Espero que tenha ajudado,
      Abraço!

      • Mauricio Borges

        Ricardo! Obrigado pelo seu comentário, realmente espero que não taxem meu celular de uso pessoal, já que é considerado de uso pessoal, apesar de ser novo. Vou ter que contar com a sorte, rezar para a fiscalização não me parar, como vou fazer um voo NYC-Campinas mes que vem a nova rota da American Airlines, eu to apreensivo por causa da fiscalização nesse novo voo, espero que não me parem… Mais uma vez obrigado!

      • Alan

        Ricardo, saberia me dizer se os smartwatch entram na conta dos relógios?

        Outra questão, tripé e fone de ouvido entraria como uso pessoal?

  • Mario Lima

    Olá, ano passado comprei 4 passagens da TAM e devido a um
    imprevisto não conseguimos embarcar de lá para cá não consigo o
    reembolso pq uma das passagens compradas não tinha essa opção e a TAM
    por incrivel que parece não faz o reembolso das outras passagens, depois
    de muita briga eu consigo emitir usando o valor que paguei mas essa
    data está para expirar no dia 25/11 preciso vender esses créditos de
    R$2315,00 estou vendendo por R$700,00 em 2x se alguem tiver interesse
    por favor me procura no e-mail marios_lima@myway.com podemos conversar
    na melhor forma, eu não consigo emitir para mim pq estou viajando a
    trabalho até o mês que vem, está aí uma ótima oportunidade de viajar
    ainda esse mês para as cidades que tem feriado para semana que vem.
    Obrigado e dúvidas estou a disposição.

  • Thereza

    Gente, Comprei uma passagem EZE/MIA/EZE pela LAN. Vcs sabem como é a alfândega em Ezeiza, em relação a voos chegando de Miami? Disseram-me que é mais rigorosa que a alfandega brasileira!!

  • Renatão

    Para quem vai aos EUA ao menos 1 vez por ano acho que vale a pena abrir uma conta por la.
    Voce pode levar uma graninha, depositar na conta e usar o cartão de débito (que sai na hora geralmente) sem se preocupar.
    Quando fui abri uma conta no Wells Fargo (Sim, o mesmo do desenho do Pica Pau) e eles levaram uns 20min para abrir minha conta e só pediram o passaporte e RG.
    Dependendo do banco eles exigem que voce deixe uma quantia em dinheiro para não pagar a tarifa da conta. No meu caso foram 1200 dolares. Mas como vai voltar algumas vezes para lá não tem erro.
    Se sobrar dinheiro pode sacar no Brasil em caixas comuns. Eles cobram uma taxa que no meu caso foi de 5 dólares, o que compensa no final porque o dolar cobrado foi o comercial e não o turismo como no cartão de crédito.
    Se for somente 1 vez acho que não compensa mas para quem pretende ir mais algumas acho que é uma boa alternativa para não cobrar IOF.

  • Renatão

    Uma coisa que percebi no free shop do Brasil é que eles oferecem a conversão para Real, porém, analisando a taxa deles, se eu usasse a taxa que estava no meu cartão de crédito e incluir o IOF de 6.38% ainda assim compensava fazer a compra em dolares de tão absurda que estava a taxa deles.
    No caixa eles te falam que é mais barato, que não cobra IOF, etc etc mas no fim estão ganhando bastante com isso.

    Fiz uma reclamação no reclame aqui com os cálculos todos e a resposta que tive foi: Quer comprar, essa é a nossa condição e pronto. Viva o Brasil!

  • Laerte Oliveira

    Amigos, uma dúvida: Posso reservar 3 produtos no free shop e na hora de pagar, recolher, no desembarque, querer comprar apenas um? Valerá o “preço de reserva” ou será como uma compra avulsa?

    • Daniela De Paula

      Tbm não sei infelizmente. .. tbm tenho essa dúvida mas ninguém responde. …

      • Bruno

        Fica com desconto o que levar, não é obrigatório pegar td,
        Lembrando q a reserva tmb não pode exceder 500 doletas

  • Daniela De Paula

    Tenho uma dúvida, posso solicitar tax free em compras realizadas no free shop da Europa, em Paris e Bruxelas? Grata

  • Daniela De Paula

    Tem como conseguir tax free sem os formulários das lojas, só com os cupons fiscais? Grata

    • Bruno

      Tem q ter o formulario

  • Rubens

    Um ponto importante no “ARRUMANDO AS MALAS”: considere se você vai fazer outros voos que não foram comprados juntos, pois pode ter que pagar excedente de bagagem caso pegue um voo local.

    Algo como: você comprou passagem barata pra NYC e, de lá, quer pegar um voo *local*. Note que sua franquia de bagagem não é mais 32kg, mas 23, ou ainda menos, dependendo da companhia.

  • Receita Federal

    O que você pode trazer do exterior?

    Antes de viajar é importante saber a cota de compras a que você tem direito para evitar problemas na chegada ao Brasil. A regra básica é: cada brasileiro tem o direito de trazer bens adquiridos no exterior no valor de até 500 dólares (via marítima e aérea) ou 300 dólares (via terrestre), sem pagar impostos, desde que estejam incluídos no conceito de bagagem.

    Alguns produtos, além da cota em dinheiro, têm também um limite quantitativo. O que passar da cota deve ser declarado à Receita Federal, que fará o cálculo do imposto (50%) sobre o valor que exceder o valor global de 500 dólares.

    Os bens sujeitos ao pagamento de tributos ou aqueles para os quais se deseje comprovar a regular entrada no País devem ser apresentados à fiscalização aduaneira localizada nos pontos de fronteira, nos portos e nos aeroportos, no momento da chegada ao Brasil.

    Leia mais: http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/aduaneira/viagens-internacionais/viajantes/dicas-para-os-viajantes

    Siga a página da Receita Federal no Facebook: http://www.facebook.com/receitafederaloficial

  • Bruna Alves

    Oi, se eu exceder a cota, o valor a ser cobrado pela alfândega, que é de 50%, eu pago alguma outra taxa sobre esse valor, como IOF? Isso eu no Brasil. E eu pago em dinheiro ou posso pagar com cartão?

  • FELIPE BRAGA

    CHEGUEI DE ORLANDO NA SEMANA PASSADA ONDE PASSEI 15 DIAS E AO DESCER EM GUARULHOS NO TERMINAL 2 UM PARENTE MEU FOI PARADO PELA ALFANDEGA E MUITO BEM ATENDIDO PELA FISCAL QUE FOI EDUCADA E SOLÍCITA COM ELE APESAR DA MULTA DE R$ 1.500.00.VAI ALGUMAS DICAS DADAS POR ELA.O IPHONE 6 (O DA MODA)DEVE VIR COM CHIP E COMPROVADAMENTE QUE FOI USADO.COMPRE NA YES BRASIL UM CHIP NO VALOR DE USS 60 VÁLIDOS PARA USAR DURANTE 30 DIAS E FALE À VONTADE PARA FIXO NO BRASIL.VOCE TEM DIREITO A TRAZE-LO SEM SER TAXADO MAS SE FOR ESCOLHIDO TEM QUE PROVAR QUE FOI USADO.PROCURE DEIXAR ALGUMAS ETIQUETAS NA ROUPAS COMPRADAS ( AS DE PREÇO MÉDIO ) POIS AS VEZES ELES COSTUMAM SOMAR A QUANTIDADE DE PEÇAS E MULTIPLICAR POR UMA DAS ETIQUETAS.RELÓGIOS (QUALQUER MODELO)TRAGAM NO PULSO POIS VC TEM DIREITO DE ALÉM DELE TRAZER MAIS UM OU DOIS.AS BOLSA COMPRADAS ( MK – PRADA – LOUIS VITTON ) DEVEM VIR NA SUA MÃO,POIS SE VC COLOCA-LAS NAS MALAS E FOR PARADO COM CERTEZA VAI TER PROBLEMAS.PREFERENCIALMENTE TRAGAM ROUPAS AMASSSADAS,USADAS E NUNCA QUANTIDADE COMPATÍVEL COM OS DIAS PASSADOS.ATUALMENTE ESTÃO TRAZENDO SHAMPOO E CONDICIONADOR “AUSSIE” EM GRANDES QUANTIDADES(UM OUTRO PARENTE QUE VOLTOU COMIGO TROUXE 20 ) PARA VENDE-LOS NO BRASIL POR ATÉ R$ 80,00 (LÁ CUSTA 2 POR USS 8)FICANDO IMPOSSIVEL CONVENCER AO FISCAL A ENORME QUANTIDADE TRAZIDA.TRAGA DOIS PARES EM CADA MALA POIS DÁ PRÁ PASSAR.AO CHEGAR NO FLÓRIDA MAIL,PREMIUM,PRIME,COMPRE POR 5 DOLARES UM CARTÃO DE DESCONTO POIS A MAIORIA DAS LOJAS DÃO EM MÉDIA 50% DE DESCONTO + 20 % A QUEM TIVE-LO.LEMBRE-SE QUE ALGUMAS LOJAS SÓ PERMITE USA-LOS UMA ÚNICA VEZ.COMPREI LACOSTE – MANGA LONGA – POR USS 32 – HOLLISTER MANGA LONGA POR USS 9 – PUMÃ POR USS 17 ENFIM FIZ MEU GUARDA ROUPAS POR MAIS UM ANO.COSTUMO COMPRAR PERFUMES NAS BARRAQUINHAS QUE EXISTEM NOS CORREDORES DO OUTLETS,NUNCA TIVE PROBLEMAS DE FALSIFICAÇÃO MAS PARA COMPRAR UM FEMININO DA BURBERRY POR USS 40 TIVE QUE COMPRAR UM LANÇAMENTO DA MILLIONAIRE DA LOMANI POR USS70.AINDA BEM QUE VENDI LOGO QUE CHEGUEI.OS PREÇOS DE PERFUME YES BRASIL E NA PERFUMELAND TÃO PAU A PAU.GOSTO E COMPREI ROUPAS NA ROSS QUE FICA EM PEQUENOS CONJUNTOS DE LOJAS ( VIZINHO A PERFUMELAND TEM UM ) ONDE TAMBÉM EXISTEM OUTRAS BOAS LOJAS.ESPERO QUE MINHAS DICAS SIRVAM PARA ALGUMAS DÚVIDAS E CADA VEZ QUE VOU FICO COM MAIS VONTADE DE IR.AH ! NÃO TRABALHO NA RECEITA NEM SOU FISCAL DA ALFANDEGA.VALEU!

  • Victor Custódio

    enviar dinheiro via Western Union fica cerca de 0,20 centavos mais barato que comprar Dólar espécie…

  • Gilmar

    Nos ultimos 4 anos, tenho viajado para Boston todo mês de Março/Abril, este ano 2015 tive o dissabor em fazer a viagem via Rio de Janeiro / Boston, isto porque a Belo Horizonte /Boston estava dando uma diferença de R$800,00 , pois moro no interior de MG e viajaria com meus 2 filhos mais velhos. Bem, na ida tudo é mais tranquilo, malas vazias, tempo de sobra … Porém com o dolar a R$3,24 fica dificil fazer boas compras, e bons passeios, mas em si, na terra americana foi tranquilo. Na volta! tinha direito a 6 malas grandes, porém retornei com 4 malas e se comparado com as viagens anteriores não havia comprado muita coisa. Ao chegar no Rio / Alfandega, tive que passar no Raio x as 4 malas e 3 mochilas, o PF me chamou no canto e afirmou que eu havia comprado mais de $4.000,00 dolares . Bem , ele me passou as seguintes opções: 1º Levaria as malas para a bancada e verificava os itens de cada mala, juntamente com as notas de compras. obs.: 3 malas eram minhas, porém a quarta era da minha cunhada (presentes).
    2º – Taxaria as compras em $ 2.000,00 dólares e como estávamos em 3 pessoas, sobraria $500,00 dólares para
    impostos e multas. Como não sabia o quanto tinha na 4ª mala, e tinha certeza que nas minhas haviam mais de $2.000,00 dolares em compras, optei pela 2ª opção.
    No final das contas, paguei R$1209,00 em imposto e multas.
    Resumindo:
    Creio que as compras feitas nesta viagem, não compensaram.

    Conclusão que cheguei ao viajar com dolar acima de R$3,00:
    Não compensa comprar determinados itens nos EUA.
    ex.: óculos Ray Ban que nos EUA é em torno de $ 200,00 , no Brasil está em torno de R$600,00 e podemos pagar em 10X ou mais.
    Paguei $3,12 numa garrafinha de água de 700ml no aeroporto, ou seja R$10,10 em 700ml de água.

  • Gleise

    Dicas valiosas. Gostaria de me informar sobre um cartão que oferecem nos aeroportos da Europa com o qual você não paga a Value Added Tax. Vocês sabe alguma coisa à respeito?

  • igor

    Gente, eu levei no cartao de credito da ultima vez e me ferrei. Pois com
    a alta do dolar eu acabei tendo que pagar bem mais caro.
    Meu amigo
    foi e me falou que levou no cartao de viagens. Realmente com essa alta é
    a melhor opcao pois nao tem risco de variacao nenhuma.
    Pra quem
    quiser saber ele comprou numa casa de cambio do abc ( nao lembro o nome)
    mas o telefone de la é 23245624 /23245625 . Eu so comprei um pouco em
    especie la pois o preco deles é mto bom, o melhor de todos
    que cotei. mas tive a infelicidade de nao fazer o cartao de debito deles
    e pagar no meu cartao de credito.

    Bom essa é a minha opniao

  • Lariani Delboni

    Me desculpe estar tão por fora, mas estas informações estão atualizadas? Pretendo viajar em outubro ou novembro, e não sei nada sobre os impostos. As informações que estão acima são as vigente hoje?

  • SONIA

    INFORMAÇÕES IMPORTANTES, GOSTEI

  • Thais Cacique Trindade

    Prezados,
    Preciso de informações sobre compras de instrumentos(baixos, Guitarras, Cabeçotes, etc em Orlando e Miami, indicações de lojas e principalmente como funciona a questão da receita para quem e musico.
    Brigaduuuu

  • Cleide Alves

    Estou viajando na próxima semana e pretendo fazer compras num valor que ultrapassarão o limite de US$500. Minha dúvida é com relação aos impostos:
    1 – devo apresentar as notas fiscais dos produtos comprados para que sejam calculados os impostos?
    2 – devo reservar dinheiro em real (R$) para pagar esses impostos na alfândega ou é possível pagar com cartão?

  • Rui Elias

    Uma duvida que muitas pessoas tem; se nos EUA temos o direito ao VAT (Value Added Tax), pois já viajei várias vezes aos EUA, e nunca um posto de restituição em qualquer aeroporto, como acontece na Europa.