Como é a imigração no aeroporto de Madri – Barajas

Camille Panzera 27 · fevereiro · 2012

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Quando eu soube que meu vôo chegava pelo aeroporto de Barajas, pensei comigo mesma “iihhh”. O aeroporto de Madrid é um dos mais, senão “o mais” temido pelos brasileiros. Tudo isso se deve ao fato de nos últimos anos ter havido uma grande veiculação na mídia de reportagens sobre pessoas barradas e deportadas no aeroporto – algumas sem o menor motivo para tal.

Muitas reportagens alegam que os brasileiros são os mais barrados na chegada a Madrid, independente de ser a cidade o destino final ou não do passageiro. A maior parte dos problemas ocorre quando os viajantes não cumprem os requisitos exigidos pelas autoridades espanholas.

Nas filas ao lado eu observava a movimentação, e percebia que algumas pessoas passavam rápido pelos policiais, outras demoravam mais, algumas o policial nem cumprimentava e já carimbava o passaporte, outras iam para um lugar diferente (a salinha dos encrencados, acredito eu). O policial, naquele momento, é a autoridade. Só não pode te desrespeitar, mas se estiver com vontade vai tentar descobrir se você está mentindo. Ele pode não perguntar nada, como pode pedir pra você apresentar documentos comprobatórios sobre a viagem. Não minta, eles farejam mentira.

Na minha chegada a fila da imigração estava pequena. Não levei mais do que 5 minutos para ser atendida pelo policial. Depois do “buenos días”, um senhor de meia idade e bigode me fez algumas perguntas em espanhol. Como a pronúncia do policial era rápida, houve momentos em que eu não entendi o que ele dizia, pedi para repetir e ele não teve problemas com isso.

O policial não era simpático, nem carrancudo, posso afirmar que era neutro. As perguntas foram: “Qual o seu destino final?” ; “Qual a finalidade da viagem?” ; “Qual o tempo de permanência?” ; “O que você faz no Brasil?”  ; “Com que você trabalha?”. Tudo respondido. Nenhum documento requisitado. Passaporte carimbado. Agradecimento dado e “hasta la vista”.

Não é necessário visto prévio para quem vai a turismo e fica até 90 dias no país, mas é importante comprovar o local de estadia e que você tem condições financeiras para se manter. Na bagagem de mão leve uma cópia do seguro saúde,  da reserva do vôo (mostrando também a passagem de volta). Tenha como comprovar que tem pelo menos 60 euros para cada dia da viagem (comprove isso através de um extrato bancário recente, moeda papel e extrato do cartão de crédito internacional) e confirmação da reserva do hotel ou carta-convite oficialmente registrada se for ficar na casa de um parente. Além disso, pode ajudar levar uma conta comprovando o lugar de residência, uma carteira de trabalho registrada ou a posse de algum bem no Brasil.

A verdade do momento é que a Europa está em crise e isso facilita a entrada dos brasileiros. Todo mundo sabe, turismo é dinheiro. Sem mentir e comprovando a finalidade da sua viagem, maiores problemas serão coisa rara. Tenha em mãos todos os documentos exigidos e vá sem medo. Madrid é um cidade linda e vale esse pequeno esforço. Conheça o quanto puder da cidade e depois conte para gente o que achou!

Você já passou pela imigração de Barajas? Quando? O que achou?

Autor

Camille Panzera - Editora de destinos Apaixonada por novas culturas, diferentes sabores, peculiaridades e paisagens que cada pedacinho do mundo é capaz de oferecer.