Avaliação da Southwest Airlines

Redação 31 · outubro · 2017
Econômica
SAN - HOU
3170
Boeing 737-700
30/06/17

Embarque

Previsto: 13:20h
Efetivo: 14:20h

Partida

Previsto: 14:20h
Efetivo: 17:30h

Chegada

Previsto: 19:30h
Efetivo: 22:30h

A Southwest Airlines foi a primeira companhia aérea do mundo a assumir o padrão “low cost”, ainda em 1971. Atualmente com uma frota de 691 aeronaves, ela é a maior companhia doméstica dos Estados Unidos e uma das maiores do mundo, chegando a operar até 4 mil voos por dia na alta temporada, para 99 destinos. Com o slogan “Low fares. Nothing to hide”, a companhia preza pelos baixos preços e clareza na comunicação, quase sem custos adicionais. Nosso leitor Ricardo Falck escolheu a companhia para viajar com a família. Acompanhe o relato dele e saiba mais sobre esta empresa, que poderá estar em sua próxima viagem aos Estados Unidos:

Na viagem de volta das férias, voamos de San Diego a Houston pela Southwest. Foi a oportunidade de voar pela simpática low cost norte americana, já que na viagem de ida tínhamos ido de United. Uma curiosidade sobre a empresa é que eles possuem uma imensa frota de aeronaves, todas do mesmo modelo: 737!

A compra foi feita através do site deles. A empresa não aparece em páginas de pequisa de preços na internet, por isso olhei antes em dois sites onde vi os preços da United, Spirit e American e, depois olhei a Southwest, que estava a mais barata entre as opções com voo direto. Cada passagem custou 239 dólares.

Embarque

Passamos pela segurança e fomos para a área de embarque. Nosso embarque estava previsto para às 13:50 e chegamos vinte minutos antes disso. Na Southwest não existe assento marcado, mas a entrada é organizada dando preferência a quem comprou entrada prioritária. Depois, o que eles chamam de business select e, então, os grupos A, B e C divididos em grupos de quinze (01 -15, 15-30…). Famílias com crianças menores de seis anos entram depois do grupo A, o que era o nosso caso.

Embarcamos com meia hora de atraso, ou seja, na hora que o avião deveria estar decolando. Foi um embarque tranquilo e não tivemos nenhuma dificuldade em nos acomodar, eu, esposa e dois filhos, na mesma fileira. Pena que o voo atrasou demais, um pouco mais de três horas para ser preciso.

Tivemos que sair do avião após quase uma hora lá dentro e voltamos à mesma aeronave depois de outra hora esperando na área de embarque. Pelo menos deu para matar a fome em uma hamburgueria que tinha bem na frente do portão de embarque. A decolagem finalmente aconteceu às 17:30.

Check-in

8,0

Nosso voo estava marcado para às 14:20 e chegamos ao aeroporto de San Diego duas horas antes.

Este aeroporto é bem agradável, pois não é tão grande e tem boa sinalização. O check-in da Southwest fica no terminal 1 e estava bem cheio, afinal era véspera do feriadão de 4 de julho (Independência dos EUA).

Fomos para o terminal de auto atendimento, mas o cartão de embarque do meu filho menor não saiu, nos obrigando a entrar na tradicional fila. O check-in foi um pouco demorado mas sem confusão. Despachamos duas malas e um carrinho de bebê. Lembrando que a Southwest não cobra pela primeira mala de cada passageiro (esse é um dos motivos porque tantos americanos adoram esta empresa).

Cabine

7,0

O aparelho utilizado neste viagem foi um 737-700 ainda com a pintura antiga da empresa. A configuração desta aeronave é toda de classe econômica com 24 fileiras de três assentos de cada lado.

O Avião era antigo, com sinais visíveis do tempo nos bagageiros e nas saídas de ar e luz. Os assentos porém estavam bem conservados e tinham bom espaço para pernas. Os bagageiros deste 737 parecem menores que os da versão 800 com Sky Interior, mas não tivemos problema algum em achar espaço.

A mala despachada gratuitamente e o embarque organizado, sem aquela correria para conseguir assento fazem a grande diferença da Southwest em relação a outras low cost.

Entretenimento

8,0

Já em 30.000 pés de altura chegou a hora de procurar pelas diversões a bordo.

Baixando o aplicativo Airtime Player e usando o wifi da Southwest, tivemos acesso a programação de TV. Não dei bola para isso e fui para o menu de filmes, aí era só pagar 5 dólares. Foi o que fiz e comprei o Batman Lego para animar as crianças. Havia também a possibilidade de comprar por oito dólares o wifi para acesso a internet, mas isso eu deixei de lado.

Segundo a revista de bordo, existem restrições à utilização dessa internet paga, como Netflix e outros.

Serviço de bordo

10

Com mais ou menos 30 minutos de voo, o comissário passou anotando pedidos de bebida. Percebi que a turma da minha frente pedia bebidas alcoólicas e ninguém estava passando cartão.

No menu de bebidas estava lá: refrigerantes, sucos e água eram grátis, mas cerveja, garrafinha de vinho ou destilados eram 5 dólares. Por esse preço também estavam sendo vendidos drinks do tipo Jack Daniels com Coca Cola, Blood Mary e Marguerita.

Imaginei o seguinte: estavam dando bebida de graça para amenizar o stress do atraso. Uma vez li que homem não gosta muito de ficar perguntado, e acho que sou desse tempo… entendi que era isso mesmo que estava acontecendo e mandei bala, pedi um Wild Turkey.

O comissário já tinha alguns drinks prontos e me ofereceu um Jack com soda. Aceitei. Aí ele disse que ainda traria o outro que havia pedido. Dito e feito! Minha intuição estava certa e nada foi cobrado. Ponto para Southwest! Após a rodada etílica, vieram os famosos amendoins e um snack integral muito bom.

Comissários e equipe de solo

10

Os funcionários da Southwest de uma maneira geral são atenciosos. O movimento no check- in estava acima do normal por causa do feriado mas isso não abalou a equipe do local.

No primeiro embarque tudo transcorreu bem, já no segundo obviamente o clima estava mais tenso, mas aí apareceu um gerente de atendimento que junto com outro funcionário conduziu bem o processo. No balcão, haviam três funcionários cuidando da turma que perderia conexões em Houston (a turma que estava mais nervosa).

Dentro do avião, tivemos um bom serviço de bordo. Os comissários não deixaram a peteca cair, explicaram o quanto sabiam sobre o atraso e foram extremamente generosos no serviço de bordo. O que atendeu a minha fileira se enrolou com os pedidos de drinks (que não foram poucos), mas aí entrou em campo a experiência dele e a generosidade possivelmente provocada pelo atraso, ele oferecia o que estava sobrando e corria atrás rapidamente do que estava faltando.

O voo foi tranquilo até o final e, após quase três horas iniciamos nossa descida para o aeroporto Hobby em Houston. Aí tivemos um momento de descontração que há muito tempo não via: o comissário anunciou a aterrissagem fazendo algumas piadas com a cidade e curtindo uma de DJ colocando músicas típicas do Texas.

Programa de fidelidade

6,0

Talvez o ponto mais vulnerável da empresa seja este. Se por um lado, temos que lembrar que a Southwest é uma low cost e que por definição este segmento quase não possui programa de fidelidade, por outro estamos falando de um programa que não faz parte de nenhuma aliança global e nem tampouco tem parcerias com outras companhias aéreas.

No entanto existem diversas parcerias com hotéis, cartões de crédito e estabelecimentos comerciais que podem alavancar suas milhas caso more ou venha muito por aqui. Um ponto que eles ressaltam bastante é que o resgate de milhas não tem blackout dates, ou seja você resgata sua passagem para voar em qualquer época. Isso não acontece com as principais companhias aéreas dos EUA.

Nota final

8,1

A Southwest faz questão de passar uma imagem de companhia aérea simpática e com preços transparentes sem custos adicionais embutidos, o que por aqui chamam de hidden fees. Acho que ela atinge as duas coisas. Um voo com três horas de atraso tem tudo para se tornar um desastre, mas tanto a atitude tanto do pessoal de terra quanto dos comissários fizeram com que os passageiros ficassem calmos (claro que não todos…) e o voo acabou transcorrendo bem.

A Southwest não cobra extra por tudo, como fazem outras low cost, e vale lembrar que com as novas tarifas chamadas basic economy, as principais empresas daqui (American, Delta e United) já cobram até por mala de mão e não reservam assento.

Recomendo voar pela Southwest estando aqui nos EUA. A relação custo x benefício é ótima e, como voam para mais de 80 cidades espalhadas por quase todos os estados, acabam se tornando uma ótima opção para voos diretos.

E para falar um pouco mais do atraso, mesmo sem ter feito nenhum tipo de reclamação, acabamos recebendo um voucher de 100 dólares por passageiro para usar em voos futuros.

Agradecemos ao Ricardo pelo relato! Quer ver a sua avaliação publicada no Melhores Destinos? Peça as instruções, capriche no texto e nas fotos e mande para a gente: avaliacao@melhoresdestinos.com.br