Avaliação da TAAG

Leonardo Cassol 3 · novembro · 2016
Econômica
LAD - GRU
DT 745
Boeing 777-300
02/11/2016

Embarque

Previsto: 22:30h
Efetivo: 22:50h

Partida

Previsto: 23:30h
Efetivo: 23:50h

Chegada

Previsto: 04:30h
Efetivo: 04:50h

Hoje publicamos uma avaliação do leitor Leandro Aragonez, brasileiro que mora em Luanda (Angola), e que recentemente voou com a TAAG.

É uma avaliação muito interessante para quem aproveitou ou quer aproveitar a super promoção para várias cidades na África que a companhia está promovendo desde a semana passada.

Agradecemos ao Leandro pelo super oportuno review!


Fala, pessoal!

Sou o Leandro Aragonez, brasileiro, e atualmente moro em Luanda, em Angola (e vale aproveitar para dizer que é um país fantástico, com recursos naturais incríveis, como cachoeiras, praias, rios, deserto, montanhas).

Vi recentemente as passagens aqui no MD em promoção para a África e vi alguns comentários sobre a preocupação em voar com a TAAG.

Entendo essa preocupação em voar com uma companhia que para nós é desconhecida e que há pouco tempo era proibida de voar pela Europa. Mas vou começar esse post com uma frase: fiquem tranquilos!

A TAAG se reposicionou, a gestão é feita pela Emirates e há aviões novos e modernos, como o 777-300. Ontem eu fiz o voo DT 745 Luanda – São Paulo nesse avião e quis contar para vocês como foi essa experiência.

Check-in

8,5

Muito tranquilo! Cheguei no aeroporto 4 de fevereiro e estava vazio (mas não é sempre que isso acontece). Fiz o check-in em menos de 10 minutos e, mesmo com a mala com 2kg a mais do que o permitido, me deixaram seguir sem problemas.
Passei na imigração, pelo controle de alfândega e fiquei esperando na sala de embarque.

Atenção: o limite de levar dinheiro em espécie para fora de Angola é de USD 5.000. Se você tiver mais que isso você fará uma “doação” involuntária!

Atenção 2: mesmo ao sair do país você precisa mostrar o seu certificado internacional de febre amarela. Isso não me foi pedido em outros países que precisavam do certificado (apenas ao entrar no país). Achei curioso.

Embarque

A sala de embarque era simples, assim como é o aeroporto. Sem luxos, mas funcional. O embarque foi relativamente rápido.

O aeroporto de Angola não tem fingers, então é necessário pegar o ônibus. Ao chegar na área do avião, foi feita mais uma revista, o que é pouco comum. Mas, em tempos atuais, melhor pecar pelo excesso de segurança.

A revista era bem improvisada, com um carro no meio da pista com a esteira para o raio-x. Mas foi jogo rápido.

como-e-voar-taag-review-angola-025

Cabine

7,5

Isso vai de acordo com o modelo da aeronave, não apenas com a companhia. Já fiz alguns trechos internos em Angola com a TAAG, voando tanto em alguns aviões mais antigos, como nesse mais novo. Sempre foi tranquilo.

Nesse caso o avião era um Boeing 777-300 novinho em folha, com 293 assentos, sendo 12 em primeira classe, 56 em executiva e 225 em econômica.

boeing-777-taag-avaliacao

A vantagem da classe econômica é que são nove poltronas por fileira no formato 3 x 3 x 3. No mesmo avião da Latam, por exemplo, são 10 por fileira, no formato 3 x 4 x 3 mais apertado.

As poltronas são dentro do padrão que conhecemos nas principais companhias (tenho 1,80 e vim bem), com um travesseiro e uma pequena manta – além de um fone de ouvido meia-boca, mas que quebra o galho (rsrsrsrs).

A classe executiva eu achei simples pelo o que a gente vê em outras companhias. Mas eu ainda não posso opinar muito sobre isso porque eu praticamente só voo de econômica. 🙂

Assim que fecharam as portas, as comissárias vieram com uns sprays de desinfetantes. É um procedimento padrão de saúde pública e está no regulamento de saúde internacional. Por Angola ser um dos países com casos de malária e febre amarela, eles fazem isso para impedir qualquer chance de infecção dentro do avião e também para impedir que os insetos vão para países onde as doenças não existem.

Entretenimento

7,5

 

O avião era novo, com telas individuais para entretenimento com filmes, séries, música e até porta USB para carregar celulares.

Achei de boa qualidade e ajuda a passar o tempo.

Algumas aeronaves já contam com Wi-fi, mas o serviço não estava disponível nesse voo para a classe econômica.

Serviço de bordo

8,0

Uma hora depois da decolagem começaram a servir o almoço. A comida estava ótima! Salada, peixe com arroz e legumes e um vinhozinho pra relaxar. Tinha opção de carne e opção para vegetariano também. (Eu me considero uma pessoa sem frescura pra comer e pra dormir. Como praticamente de tudo e durmo em qualquer lugar).

Aproximadamente 5 horas depois, serviram o lanche. Um sanduíche com carne, suco e um bolinho. Ótimo também!

Comissários e equipe de solo

7,0

Eu pessoalmente gosto muito dos angolanos. Como a maioria dos africanos, eles são alegres e sorridentes, mesmo com tanta dificuldade que eles enfrentam. É uma galera muito gente boa! Mas as comissárias não eram muito simpáticas, apesar de que faziam bem o seu papel.

O inglês, inclusive do piloto, era meio fraco, mas não foi um problema por Angola e Brasil falarem a mesma língua.

taag-crew

Nesse quesito, o melhor serviço que já experimentei foi da Thai: excelência em educação, simpatia e profissionalismo. Imbatível!

Programa de fidelidade

5,0

O programa de fidelidade da TAAG é o Umbi Umbi. Como os demais, ele permite acumular milhas sempre que viajar e trocar por bilhetes prêmio ou upgrades.

O acúmulo de milhas ocorre em função de quanto se gasta com a passagem.

O problema, para a maioria dos brasileiros, é que o programa da TAAG não possui parcerias com outras companhias, sendo ruim para quem vai voar com a empresa apenas uma ou duas vezes na vida. Isso deixa ele muito limitado.

 

Nota final

7,2

O voo foi muito tranquilo, assim como das outras vezes que voei com a TAAG. Tiveram umas turbulências, mas nada demais.

A previsão era de sair 11h20 e saiu 11h50. Esse é um ponto negativo da TAAG: frequentemente atrasa. Algumas vezes mais, algumas vezes menos.

Como disse no início do post, entendo o receio de voar com uma companhia que não temos muitas informações. Na primeira vez que fui voar com a TAAG eu até tive um certo receio, mas logo vi que não precisava me preocupar. Os voos são ótimos e hoje eles estão se reposicionando, ficando cada vez mais profissionais.

Fiquem tranquilos e aproveitem as passagens porque a África é incrível (inclusive Angola!).

Publicado por

Leonardo Cassol

Editor

  • Duda Bonaldo Monari

    Muito legal o comentário de uma pessoa que vivenciou a experiência, obrigada Leandro Aragonez por compartilhar!

  • Nunca viajei com a TAAG, mas morei muitos anos em vários países da Africa e posso dizer, como o Leandro, que o continente é maravilhoso! Super vale a pena visitar! E o povo, nos lugares que passei, é muito hospitaleiro e querido! Se não tivesse outras prioridades no momento eu pegaria todas as passagens da TAAG! 😀

  • euler

    Muito boa a avaliação, fiquei ainda mais curioso por conhecer melhor este paraiso na Africa.

  • Lázaro Oliveira

    Excelente avaliação! Esclareceu muita coisa. Inclusive estava na dúvida sobre a necessidade de vacinação. Aproveitei essa promoção e comprei passagem para Cidade do Cabo, no mês de março.

  • Pelo que entendi do relato, a TAAG hoje é uma subsidiária da Emirates?

    • Bruno Becker

      Igual a Alitalia

      • Thomas Hisamura

        Alitalia é com a Etihad

  • Leonardo de Paula

    Valeu pelo report! Aproveitei a promoção unica e exclusivamente pra voar na TAAG! Bate e volta pra Cidade do Cabo em março/2017. 2h30m de conexão em LAD na ida, 3h35m no solo em CPT e 2h35m de conexão em LAD na volta. Cada louco com sua loucura (ou melhor, paixão) hahaha

    • Guilherme Zanutin

      Como assim bate e volta? Será entendi direito? Hahaha
      Quantos dias vc vai ficar la?

      • Leonardo de Paula

        Isso mesmo. Fico algumas horas em Cape Town e retorno ao Brasil. Hahaha

        • Thiago Mourthé

          To confuso aqui tbm! hahaha. Não valeria passar uma noite lá? De qualquer forma, admiro sua coragem.

    • Jonatas Elias

      Que show, nem vai sofrer com o fuso horário kkk.

    • Thiago Matos de Sousa

      WTF!!! Que loucura. kkkkk

    • Vinicius Luiz

      Cara que loucura hahaha mas show. Sinceramente acho que você não consegue nem chegar a nenhuma praia com esse tempo em CPT, mas parabéns pela coragem.

  • Olá Marcos, na verdade em vários países. Rwanda, por exemplo é muito segura. Senegal, Uganda, Quênia e mesmo na Africa do Sul não tive problemas. Como brasileiros estamos sempre espertos e de olho, obviamente. Mas não me senti insegura em nenhum deste lugares. E olha que eu andava de transporte público e a pé, como o resto do povo. O mais importante, na minha opinião, é não sair pela rua ostentando, se faz isto, a probabilidade de ter problemas é muito pequena.

    De todos os países que visitei (e morei) a Africa do Sul é quem tinha a pior reputação. Lá é bom ficar esperto porque o nível de violência é bem maior se comparado com cidades do mesmo porte no Brasil. Mas se você der ouvidos ao pessoal que mora lá e seguir os conselhos deles sua viagem pode ser muito tranquila! Espero ter ajudado! 🙂

  • Filipe Lyrio

    Ótima avaliação… qnd andava de TAAG até 2010 era bem ruim, mas já estavam começando a mudar.

  • Stephane, só precisa de visto de trânsito se for sair do aeroporto. Apenas para conexão não é necessário

    • Sthephane Tomani

      ah que otimo, Denis. Eu faço uma conexão tanto na ida quanto na volta de 2hs apenas em Luanda. Então só preciso mesmo do passaporte, e os voos..certo?

      • Sthephane Tomani

        alias, muuuito obrigada! (essa info não tem em lugar algum!)

      • Sim, foi o que nos disseram tanto a TAAG quanto a Embaixada de Angola 🙂

      • Paula Tedrus

        E da carteirinha de vacinação contra febre amarela!!! Não se esqueça. 😉

  • Não é necessário. Já confirmamos com a cia e com o Consulado.

    • Sthephane Tomani

      Perfeito, obrigada! Seria legal se vocês incluissem no post porque não sabem o quão dificil é encontrar esse informação. Muito agradecida!

      • Sabemos! Tivemos um trabalho terrível para confirmar! kkk

  • Joao Huang

    Voo da TAAG muito tranquilo, apenas deveria dar uma “chá de simpatia” para os comissários, todos muito mal humorados, sem exceção. Para uma companhia com voos internacionais, deixa muito a desejar o quesito atendimento.

  • Orem B. Hartuing

    No que diz respeito à violência urbana, varia muito. Excetuando-se Lagos e Johannesburgo, cidades bastante perigosas, algumas das grandes metrópoles africanas possuem um nível de violência similar às brasileiras, o que significa tomar os cuidados habituais que temos aqui, como não dar trela a estranhos, cuidar com pequenos golpes e identificar bairros a serem evitados. Nesse grupo, enquadram-se grandes capitais como Luanda, Nairobi, Abidjan, Dar-es-Salaam, Dakar. Há também muitas cidades onde a criminalidade é menor ou às vezes bem menor que a média brasileira, casos de Maputo, Windhoek, Gaborone, Cairo, Casablanca, etc.

    O que é bastante importante, em qualquer lugar, é ter uma atitude de não chamar muita atenção, ou ao menos não ser o centro das atenções. Pessoas de pele branca precisam ter em conta que atrairão olhares à distância e, dependendo do lugar, podem ser tomados como gente endinheirada, por isso é preciso ter alguma precaução e uma postura firme quando estiver em lugares com grande concentração de pessoas como os fantásticos mercados públicos das cidades.