Amaszonas vai operar voos diários entre Montevidéu e Porto Alegre e já planeja outras cidades brasileiras

Thayana Alvarenga 3 · janeiro · 2017

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

A companhia uruguaia Amaszonas Línea Aérea anunciou que vai operar voos para o Brasil e outros países da América do Sul a partir deste ano. Para isso, a companhia vai investir quase 30 milhões de dólares nos próximos dois anos, inclusive para aumentar sua frota com a compra de novas aeronaves.

O primeiro destino brasileiro já está definido. A partir de março, a companhia vai operar voos diários entre Porto Alegre e Montevidéu. Outras cidades, como Curitiba, Florianópolis e São Paulo estão nos planos da empresa, que é do mesmo grupo da Amaszonas boliviana.

A rota entre as capitais gaúcha e uruguaia vai ser feita com jatos Bombardier CRJ-200, que comportam até 50 passageiros, com duração aproximada de 60 minutos. Outra boa notícia é que com o aumento da frota de aviões, a periodicidade de voos para Porto Alegre também deve aumentar.

Mais rotas

Em um anúncio de seus projetos ao governo do Uruguai, a companhia manifestou interesse em voar, ainda este ano, de Montevidéu para Curitiba e Florianópolis e de Punta del Este para Porto Alegre. No ano que vem, o objetivo da Amaszonas é comprar mais aeronaves e aumentar ainda mais as rotas saindo de Montevidéu. Entre os destinos brasileiros, estão São Paulo, Foz de Iguaçu, Belo Horizonte e Brasília.

Por enquanto, a Amaszonas tem oito aeronaves em sua frota, mas a empresa espera aumentar este número para 20 até o ano que vem. A promissora companhia aérea já faz voos de Montevidéu para alguns destinos domésticos na Bolívia, além de cidades como Buenos Aires, Cidade del Este e Assunção.

Com informações do site de notícias uruguaio LaRed21

Agradecemos a dica do atento leitor Rodrigo Branchini!

Autor

Thayana Alvarenga - Repórter