logo Melhores Destinos

Voo precisa ser cancelado após larvas invadirem o sensor de velocidade do avião

Wendell Oliveira
24/11/2020 às 16:06

Voo precisa ser cancelado após larvas invadirem o sensor de velocidade do avião

Algumas larvas sofrem metamorfose e tornam-se borboletas, ganhando os céus. Outras, no entanto, encontram uma nova maneira de voar. Um voo da Wizz Air precisou abortar a decolagem após ser detectado que larvas invadiram o sensor de velocidade do avião! A causa da falha no instrumento só foi revelada em um relatório divulgado recentemente pela Agência Britânica de Investigação de Acidentes Aéreos (AAIB), embora o incidente tenha ocorrido em 16 de junho, quando um Airbus A321 se preparava para decolar do aeroporto de Doncaster, na Inglaterra.

Leia também:
Inacreditável! 10 motivos bizarros que já causaram pousos de emergência

Larvas no avião cancelam voo 🐛✈️

Essa seria a primeira viagem da aeronave, após meses parada devido à pandemia. Segundo o relatório, não havia passageiros a bordo no momento do incidente.

O plano era voar com a aeronave vazia para o Aeroporto de Londres Stansted (STN), mas ao se aproximar de V1 — velocidade na qual qualquer decisão de rejeitar a decolagem deve ser feita — o capitão percebeu que o sensor de velocidade havia parado de funcionar repentinamente e estava mostrando a velocidade zerada.

Aeronave da Wizz Air estava há meses parada devido a pandemia

Aeronave da Wizz Air estava há meses parada devido a pandemia

O primeiro oficial abortou rapidamente a decolagem e fez o avião parar. Uma segunda tentativa mais lenta resultou no mesmo problema.

Leia também:
Onde estão as milhares de aeronaves paradas por causa da pandemia de coronavírus?
Como é a preparação das aeronaves para voltar a voar, após ficarem armazenadas devido à pandemia

A investigação classificou o incidente como “sério”, em parte porque a aeronave havia atingido a velocidade V1 de 120 nós (222 km/h) antes de ser abortada, registrando uma velocidade no ar de aproximadamente 128 nós (237 km/h) em seu ponto mais rápido.

A causa do mau funcionamento só foi descoberta quando o sistema foi limpo. Os três ovos de inseto que impediram o funcionamento do sensor eram do tamanho de um grão de arroz, de acordo com o relatório.

E agora, Wizz Air?

De acordo com as conclusões da AAIB, a Wizz Air alterou seus procedimentos para garantir que a mesma coisa não aconteça novamente:

“O operador tomou medidas de segurança para introduzir um procedimento que libera as linhas de pressão estática e dinâmica de qualquer aeronave que tenha ficado estacionada por mais de três dias antes de retornar à operação”, concluiu o relatório. O avião havia ficado estacionado por 12 semanas.

Saiba como é voar com a Wizz Air:

Com informações do The Independent


E você, já tinha ouvido algum caso assim? Deixe seu comentário!

Não perca nenhuma oportunidade!

ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção