logo Melhores Destinos

Como é voar no Brasil durante a pandemia? Voamos com a Gol de Guarulhos a Aracaju

Wendell Oliveira
13/05/2020 às 5:02

Como é voar no Brasil durante a pandemia? Voamos com a Gol de Guarulhos a Aracaju

Voar durante a pandemia do coronavírus não é aconselhável — aqui no MD nós até paramos de divulgar promoções de passagens por um tempo. A frequência de voos domésticos foi reduzida significativamente e as companhias aéreas já começam a sentir os impactos econômicos da queda de demanda. No entanto, para quem ainda precisa se deslocar, há uma malha mínima que garante ao menos uma ligação aérea em cada estado brasileiro.

No meu caso, recentemente fui repatriado num voo organizado pelo Itamaraty. Cheguei em Guarulhos, mas além de não morar em São Paulo, havia um detalhe: minha esposa está grávida e queria ter o bebê junto com a família, em Aracaju. E quem sou eu para negar o desejo de uma gestante? Não quero que meu filho nasça com cara de Gol. Ou de Latam. Ou um Smurf.

Leia também:
Azul, Gol e Latam na crise do coronavírus: confira a situação de cada empresa, o que está sendo feito e perspectivas para o futuro da aviação

Por isso, mesmo em meio às incertezas da pandemia, tomamos a decisão pessoal de reservar nossa ida no voo 2808 da Gol, com destino à capital do Sergipe. Concordamos que viajar durante este período é indicado somente para situações de vida ou morte.

E neste caso, felizmente é vida. 👍

Compra da passagem e check-in

Comprei as passagens com pouca antecedência, seguindo apenas o critério do preço mais baixo. Aliás, como é de se imaginar, as tarifas estão variando bastante nessa época. A passagem de Guarulhos para Aracaju estava R$ 250 com a Gol, e R$ 800 com a Latam — uma diferença considerável.

Ao fazer o check-in online, notei que além das poltronas da janela e corredor, e também poderia selecionar os assentos do meio. A prática contraria a tendência de algumas companhias aéreas internacionais, como é o caso da American, Delta, United e JetBlue, a fim de manter o distanciamento social.

Check-in online e assento do meio

Assentos do meio liberados para reservar no check-in online.

Para evitar toques na tela e a possível disseminação do vírus, as máquinas de check-in do aeroporto foram temporariamente desativadas. Na prática, ninguém lia o aviso no monitor. Os passageiros que se aproximavam pressionavam continuamente a tela — talvez até por mais tempo do que o habitual — até se darem conta de que havia algo errado. Pensando bem, talvez fosse melhor mantê-las desligadas.

O recomendável é ter o aplicativo da companhia e emitir o cartão de embarque digital.

Toten desativado

Toten desativado para evitar toques na tela e disseminação do vírus.

A menos que você tenha bagagem para despachar, evite o contato humano com os colaboradores da companhia. Em todo o caso, não tinha ninguém na fila.

Despachar bagagem durante a pandemia

Fila para despachar bagagem vazia.

Aeroporto de Guarulhos durante a pandemia

Confesso que não imaginava encontrar o maior aeroporto do Brasil tão vazio. Embora o embarque estivesse marcado para as 12h50, cheguei de manhã ao Aeroporto de Guarulhos e o cenário era fantasmagórico. E não mudou muito nas horas seguintes.

Aeroporto de Guarulhos vazio devido à pandemia do Covid-19

Você já tinha visto o Aeroporto de Guarulhos vazio assim?

A cada passo, uma sensação angustiante. Dá pra sentir literalmente o vazio do lugar. Acostumado aos cenários de aeroportos frequentemente lotados, movimentados e barulhentos, é difícil se habituar à essa nova realidade. Espero que dure por pouco tempo, guardadas as devidas ressalvas com a segurança e a saúde de todos.

Esteira do Aeroporto de Guarulhos vazia

Cenários como esse são cada vez mais comuns em aeroportos de todo o mundo.

Em todas as áreas do aeroporto há diversas sinalizações reforçando o uso obrigatório de máscara. Aliás, sem máscaras hoje em dia você mal pode sair de casa.

Sinalizações reforçando o uso de máscara no Aeroporto de Guarulhos.

Sinalizações reforçando o uso de máscara.

Máscaras obrigatórias no Aeroporto Internacional de Guarulhos

Sem máscara você nem entra no aeroporto.

Além do álcool em gel à disposição, há uma nova configuração de assentos feita sob medida para garantir o distanciamento social entre os passageiros.

Para quem não dispensa um lanche no aeroporto, a boa notícia é que as praças de alimentação continuam abertas — embora algumas lojas/quiosques estejam temporariamente fechados. Contudo, algumas mesas foram bloqueadas para evitar que as pessoas sentem-se próximas umas das outras.

Praças de Alimentação no aeroporto abertas durante a pandemia

As praças de alimentação seguem abertas, embora algumas mesas estejam bloqueadas.

Embarque

Mesmo próximo da hora de embarque, havia poucos passageiros no saguão.

Embarque no Aeroporto de Guarulhos durante a pandemia

Embarque: mantenha distância.

A entrada do embarque ainda reservava uma triagem de temperatura, onde passaríamos por mini scanners térmicos operados por profissionais. Felizmente não havia nada de errado conosco e tivemos a entrada rapidamente liberada.

Triagem de temperatura no embarque do Aeroporto de Guarulhos

Triagem de temperatura

Scanner térmico no Aeroporto de Guarulhos durante a pandemia

Deu 35,9ºC, caso você esteja curioso.

Não houve nenhum procedimento diferente durante o raio-x, o único destaque eram os equipamentos de proteção individual dos funcionários do aeroporto.

Poucos voos domésticos e internacionais em Guarulhos durante a pandemia.

Poucos voos domésticos e menos ainda internacionais durante a pandemia.

Na área interna, os avisos nos alto-falantes solicitavam o distanciamento de pelos menos 1 metro entre cada passageiro na fila. Para evitar aglomerações, marcas no chão com a distância correta serviam de referência.

Embarque do voo Gol 2808 de São Paulo para Aracaju.

Embarque do voo Gol 2808 de São Paulo para Aracaju.

Com poucas aeronaves dividindo slots, é natural que tenhamos decolado dentro do horário previsto. Na verdade, um minuto antes: às 13h29 já estávamos no ar!

Delimitações de distância no finger.

As delimitações de distância no chão continuaram até mesmo no finger

O voo

Todos a bordo do Boeing 737-700 que nos levaria até Aracaju. Passageiros devidamente mascarados, respeitando as regras de segurança e convivência. Apesar disso, não havia nenhum outro protocolo extra em vigor.

Saudades de quando as máscaras só faziam parte das normas de segurança em caso de despressurização da cabine.

Normas de segurança do voo

Passageiros a bordo do Boeing 737-700 da Gol rumo a Aracaju

Assim como os passageiros, os comissários também precisavam usar máscaras. E a exemplo de outras companhias que lançaram uniformes especiais para combater o coronavírus, as luvas foram incorporados ao vestuário.

Comissários de máscara e luva.

Comissários de máscara e luva

A ausência de alguns compartimentos da galley era um mau sinal, que logo se confirmou: não teríamos serviço de bordo. Nem snacks, nem bebida, nada. Certamente para evitar o contato entre comissários e passageiros. Então, caso vá viajar durante a pandemia, lembre-se de levar sua própria água e lanches.

Não há água nem snacks disponíveis a bordo.

Não há água nem snacks disponíveis a bordo.

Chegamos 30 minutos adiantados, já que as aerovias andam descongestionadas e autorizações de pouso não são mais uma tarefa que consome muito tempo.

Todos os demais detalhes do voo transcorreram normalmente, com as características padrões do voos da Gol. Se quiser saber como é voar com a companhia, confira nossas avaliações:

Como é voar com a Gol para os EUA
Como é voar com a Gol na nova rota de Buenos Aires a Brasília com um bebê

Chegada a Aracaju

A chegada em Aracaju foi tranquila, apesar de uma pequena aglomeração na saída. Não adianta, o mundo é dividido entre dois tipos de pessoas: as que esperam calmamente a hora de sair da aeronave e aquelas que se espremem como loucas na esperança de serem as primeiras a sair, sabe-se lá por quê.

Um ponto extremamente positivo — e até surpreendente — foi ser recebido por profissionais de saúde logo na saída.

Desembarque no aeroporto de Aracaju durante a pandemia

Fiquei feliz em ser recebido por profissionais de saúde. Melhor do que rapazes de terno dançando.

Logo fomos encaminhados a uma rápida triagem, novamente com medição de temperatura, e também preenchimento de questionários e recomendações em caso de sintomas. É algo que eu esperava encontrar em um desembarque internacional, mas num trecho doméstico foi interessante de ver!

Medição de temperatura no desembarque em Aracaju

Medição de temperatura no desembarque em Aracaju.

Conclusão

Reforçamos que agora não é hora de viajar, pelo menos não a turismo. Mas cada um tem sua realidade e necessidades pessoais de deslocamento. Para atender a esses clientes, as companhias áreas brasileiras vêm se esforçando ao manter rotas essenciais, ao passo que começam a adotar medidas de prevenção ao contágio do coronavírus.

Ainda é cedo para dizer quando os voos serão retomados e como poderemos planejar viagens pós-quarentena. Resta-nos torcer para que tudo isso passe o mais rápido possível, e que possamos ser viajantes melhores (e mais saudáveis) no futuro!

Agora, se me dão licença, permitam-me passear e explorar as praias de Aracaju… de drone 😉

aracaju orla drone

Orla de Aracaju vista de drone.


E você, precisou pegar um voo doméstico durante a pandemia? Deixe seu comentário!

Não perca nenhuma oportunidade!

ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção