logo Melhores Destinos

Como está sendo voar pelo Brasil com a Azul, Gol e Latam durante a retomada?

Sandro Kurovski
12/11/2020 às 20:00

Como está sendo voar pelo Brasil com a Azul, Gol e Latam durante a retomada?

Aviões parados e aeroportos completamente vazios, essa era a realidade do transporte aéreo no país há alguns meses quando relatamos como era voar no Brasil no auge da pandemia, mas com a flexibilização das medidas de segurança sanitária e a retomada gradual dos voos a situação já não é mais a mesma.

A demanda de passageiros – que chegou a menos de 20% em abril – tem sido retomada a cada semana e atualmente já chega a 60% do que era antes da pandemia, conforme relatório do Departamento de Controle do Espaço Aéreo – DECEA e Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea – CGNA. A expectativa é de que o ano termine com algo em torno de 70% da demanda de 2019.

tabela retomada de voos no Brasil semana 44

Relatório de retomada de voos por semana – DECEA e CGNA

Para conferir como está sendo voar pelo Brasil nesse período de retomada realizei alguns voos nas últimas semanas e passei por 6 aeroportos diferentes. A seguir conto tudo que presenciei para que você saiba o que vai encontrar caso decida viajar nesse período. Confira os detalhes dessa maratona em texto ou em vídeo:

Os voos

Ao todo foram realizados 11 voos entre 14 de outubro e 6 de novembro de 2020, sendo 4 com a Gol, 4 com a Azul e 3 com a Latam, com passagem pelos aeroportos de Curitiba (CWB), São Paulo/Guarulhos (GRU), São Paulo/Congonhas (CGH), Campinas (VCP), Brasília (BSB) e Aracaju (AJU), em diferentes horários e dias da semana.

N.º Data Dia CIA Voo Origem Destino
1 14/10 Quarta Azul AD 4493 CWB VCP
2 14/10 Quarta Azul AD 4312 VCP CWB
3 21/10 Quarta Gol G3 1213 CWB GRU
4 21/10 Quarta Gol G3 1770 GRU AJU
5 24/10 Sábado Gol G3 1773 AJU GRU
6 25/10 Domingo Gol G3 1142 CGH CWB
7 05/11 Quinta Azul AD 4309 CWB VCP
8 05/11 Quinta Azul AD 4312 VCP CWB
9 06/11 Sexta Latam LA 3033 CWB BSB
10 06/11 Sexta Latam LA 3261 BSB GRU
11 06/11 Sexta Latam LA 3673 GRU CWB

 

A princípio, passar pelo aeroporto de Congonhas em São Paulo não estava nos meus planos, mas ele acabou entrando no roteiro depois que um dos voos da Gol foi cancelado. Consegui escolher outro voo com facilidade pelo site da companhia, mas fui obrigado a mudar de aeroporto e esperar 5 horas a mais por falta de opção.

aviões gol no aeroporto de Congonhas CGH em São Paulo

Movimentação nos aeroportos

Os dias de aeroportos vazios definitivamente ficaram para trás. Os terminais estão bem movimentados, mas o fluxo de pessoas ainda varia bastante conforme o horário.

aeroporto de Viracopos em Campinas área de embarque

Movimento no aeroporto de Viracopos (VCP) em Campinas

aeroporto de congonhas são Paulo área de embarque

Aeroporto de Congonhas em São Paulo em um horário menos movimentado

Como muitas rotas diretas ainda não foram retomadas – ou estão com frequência reduzida – as companhias acabam concentrando voos em determinados períodos para facilitar as conexões. De uma hora pra outra a sala de embarque enche e logo depois volta a esvaziar, como pude constatar em todos os aeroportos pelos quais passei.

Para evitar filas é recomendado fazer o check-in de forma on-line. Também é importante chegar com antecedência maior para o embarque nacional – no mínimo duas horas antes da partida – principalmente se precisar despachar bagagem. O check-in agora é finalizado uma hora antes do voo e as filas do raio-x podem ficar bastante lentas nos horários de pico.

Lojas e restaurantes voltaram a atender com algumas adaptações, mas algumas ainda permanecem fechadas, principalmente em aeroportos menos movimentados, como o de Curitiba e Aracaju.

Medidas de segurança

Aeroportos e companhias aéreas passaram a adotar os protocolos da Associação Internacional de Transporte Aéreo – Iata e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa para segurança dos passageiros e funcionários. Procedimentos que eram novidade no início da pandemia agora fazem parte da rotina.

No aeroporto

Além da sinalização para distanciamento nas filas e corredores, estações com álcool gel, e cadeiras bloqueadas para evitar o contato entre os passageiros, os aeroportos também instalaram divisórias de acrílico para proteger os atendentes nos balcões e reforçaram os procedimentos de higiene.

Nas praças de alimentação as mesas foram afastadas ou bloqueadas para proporcionar maior distanciamento. Em Campinas, a movimentação na hora do almoço era grande quando passei por lá, e até mesas com avisos para não serem utilizadas estavam ocupadas.

preça de alimentação aeroporto de Campinas Viracopos VCP

Praça de alimentação cheia no aeroporto de em Viracopos (VCP)

A medição de temperatura é realizada em alguns aeroportos. Em Guarulhos, por exemplo, ela feita por câmeras especiais que medem a temperatura e em Aracaju por agentes de saúde.

No avião

O tempo de solo entre os voos ficou mais longo para que os procedimentos de limpeza e desinfecção possam ser feitos. Todas as áreas de contato são higienizadas com produtos próprios para eliminação de vírus e bactérias. Durante os períodos mais longos de inatividade dos aviões é realizada uma limpeza ainda mais profunda.

limpeza de aeronaves na pandemia

Mas será que adianta distanciamento e limpeza se dentro do avião fica todo mundo fechado e pertinho? Estudos realizados pela Iata e pelas principais fabricantes de aviões reforçam que sim, pois a filtragem e renovação do ar nos aviões é eficiente para reduzir o risco de transmissão da Covid-19. Os executivos da indústria destacaram que num avião a renovação do ar acontece a cada 2-3 minutos, com filtragem de mais de 99,9% de partículas, vírus e bactérias, incluindo o coronavírus. Isso é de quatro a seis vezes mais que num centro cirúrgico de um hospital, ou dez vezes mais do que em um escritório ou shopping center. Além disso, o fluxo de ar – de cima para baixo – cria barreiras invisíveis que dificultam que microrganismos se espalhem pela cabine.

O uso de máscara cobrindo nariz e boca é obrigatório no aeroporto e também durante todo o voo. Os únicos momentos que elas podem ser retiradas é na hora de comer alguma coisa ou durante a troca de máscara. É recomendado que a máscara seja trocada a cada 3 ou 4 horas. Se você tem dúvidas, não deixe de ler nosso post sobre o uso de máscaras no avião e tudo o que você precisa saber para ter um voo tranquilo.

limpeza em avião da Azul deviso pandemia

Check-in e embarque

As filas na área de check-in não estão tão longas quanto costumavam ser. Grande parte dos passageiros tem optado pelo check-in on-line, por segurança. Quem não tem bagagem para despachar pode seguir direto para a sala de embarque, o que agiliza muito o processo. Se possível, prefira levar apenas a bagagem de mão de até 10 kg mais o item pessoal – que pode ser uma bolsa ou mochila pequena.

área de check-in no aeroporto de Brasília BSB

Para evitar aglomerações nos portões de embarque as companhias pedem para que os passageiros só se aproximem quando sua sessão for chamada, mas aparentemente essa tem sido a etapa mais problemática da viagem.

check-in da Gol no aeroporto de congonhas em São Paulo

Apesar dos avisos e da sinalização no piso, nem todos os passageiros seguem as orientações ou respeitam o distanciamento mínimo. Nos 11 embarques presenciei algum tipo de aglomeração na sala de embarque ou no acesso à aeronave. No interior do avião não foi diferente: as pessoas não esperam e ficam muito mais próximas do que deveriam no corredor.

aglomeração no embarque no avião

Durante o voo

A Azul tem oferecido lenços com álcool ou álcool gel em sachê para os passageiros, já a Gol e a Latam deixam fracos com álcool gel à disposição na frente e atrás das aeronaves.

Na Latam foi necessário pedir o álcool gel em um dos voos, já que ele não estava ao alcance como deveria. Por precaução, levo sempre meu próprio frasco.

Vale lembrar que o transporte de álcool líquido no avião não é permitido, mesmo que em pequenas quantidades.

As companhias têm recomendado que os passageiros evitem usar os banheiros do avião, mas caso seja necessário fazer uma visitinha é importante lembrar de lavar bem as mãos.

Serviço de bordo

Por recomendação da Anvisa, o serviço de bordo segue suspenso em todos os voos nacionais. A medida busca diminuir a interação dos comissários com os passageiros, reduzir a movimentação na cabine e também evitar que todos tirem as máscaras ao mesmo tempo para se alimentar durante o voo.

Snacks e água continuam a ser oferecidos na Azul, Gol e Latam, porém no desembarque, para que os passageiros possam consumir fora do avião.

Na Azul foram mantidos os tradicionais snacks e as balinhas de gelatina em formato de avião.

A Gol tem oferecido batata frita e cookies – o que pode ser considerado um upgrade em relação ao serviço de antes da pandemia.

Já a Latam manteve as bolachinhas em embalagem individual, mas os passageiros da Premium Economy recebem itens diferenciados minutos antes do pouso.

As três companhias servem água durante o voo, em embalagens individuais lacradas, mas é necessário pedir aos comissários.

Desembarque

O desembarque está mais organizado do que o registrado no início da pandemia. Parece até milagre! O avião para e todo mundo permanece sentado, nada de gente em pé se apertando no corredor.

Infelizmente alguns ainda insistem no velho hábito e os comissários precisam repetir as orientações de forma mais enfática, mas no geral a saída por fileiras – iniciando a partir da frente da aeronave – foi respeitada em todos os voos que fiz. A exceção foi em um dos voos da Latam, do qual vou falar adiante.

Na hora de retirar a bagagem também costuma haver aglomeração ao redor da esteira.

Incidentes

Claro que nem tudo são flores. Se por um lado percebe-se uma grande preocupação das companhias e aeroportos com relação à segurança, não se pode dizer o mesmo dos passageiros. Não foram poucos os flagrantes de pessoas utilizando máscara de forma errada, desrespeitando a sinalização de distanciamento nas filas ou se amontoando no corredor da aeronave durante o embarque.

Problemas no embarque

O embarque, aliás, parece ser o momento mais crítico e onde notei mais falhas que podem aumentar o risco de contaminação. Embora as companhias façam embarque por seções e peçam para as pessoas aguardarem a chamada antes de se dirigirem para a fila, em todos os voos observei pessoas indo para o portão antes de serem convidadas, provocando aglomeração desnecessária.

A marcação no piso para manter uma distância mínima, no geral, não tem sido respeitada. Tive que pedir para pessoas atrás de mim se distanciarem ao perceber que encostavam na minha mochila.

No embarque com a Gol em Aracaju tive dificuldade para chegar ao meu assento, 26F no fundo da aeronave. Isso porque foi liberado acesso pela porta dianteira e traseira, as pessoas começaram a entrar pela porta de trás e caminhar para a frente antes que eu pudesse chegar ao meu lugar. Com isso fiquei preso no meio da aeronave até todo mundo passar.

Na Azul, mesmo com o tapete virtual que organiza o embarque, presenciei aglomeração no portão em Curitiba. No fim do embarque os atendentes chamaram todos os passageiros que faltavam – ao mesmo tempo – e o tapete deixou de ser respeitado.

Problema no desembarque

O caso mais grave, e que me deixou mais apreensivo, foi no voo da Latam LA 3261 de Brasília para Guarulhos. Ao chegar em GRU a aeronave parou em uma posição não programada e com desembarque remoto – aquele com ônibus. Houve espera de 15 minutos para início do desembarque e muitas pessoas acabaram desrespeitando a saída por fileiras apesar dos pedidos dos comissários, Houve aglomeração no corredor e mais demora para desembarcar.

Depois todos ainda tiveram que se espremer nos ônibus para chegar ao terminal.

Eu tinha uma hora para fazer a conexão em Guarulhos, mas com a confusão sobraram apenas 10 minutos para correr até o portão onde o próximo voo já estava sendo encerrado sem mim. Foi por pouco!

Voo cancelado

Esteja ciente de que cancelamentos de voo ou alteração de horário podem ocorrer devido à reorganização constante da malha aérea e demanda instável. Tive um voo da Gol cancelado duas semanas antes da viagem, mas consegui escolher outro facilmente pelo site da companhia. A ponto negativo é que tive que mudar o embarque de Guarulhos para Congonhas e o tempo de conexão aumentou em 5 horas por falta de uma opção melhor. Vale ficar atento e adotar alguns cuidados antes de comprar passagens aéreas durante a pandemia.

É seguro viajar de avião nesse momento?

Voltar a voar depois de meses no chão foi bastante empolgante, não posso negar. Me senti bastante seguro com as medidas implementadas pelas companhias aéreas e aeroportos para garantir a higienização e o distanciamento, mas confesso que fiquei bastante aflito com a atitude despreocupada e o desrespeito de muitos passageiros, principalmente durante o embarque. Em alguns voos preferi esperar para entrar por último no avião, justamente para fugir das aglomerações.

É importante lembrar que a pandemia ainda não acabou e que, embora o risco de contrair Covid-19 em uma aeronave seja baixo, ele existe, sobretudo no embarque e desembarque. Caso decida viajar nesse período, siga as orientações e respeite os avisos. A segurança durante a viagem também depende do nosso comprometimento.

Fez alguma viagem nesse período ou está planejando viajar nos próximos meses? ou ainda não se sente confiante o suficiente? Conta pra gente nos comentários.

Não perca nenhuma oportunidade!

ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção