logo Melhores Destinos

Como é viajar para Portugal durante a pandemia? Veja todos os detalhes de um voo para Lisboa com a Azul

Rafael Castilho
Rafael Castilho
28/07/2020 às 16:13

Como é viajar para Portugal durante a pandemia? Veja todos os detalhes de um voo para Lisboa com a Azul

Um dos destinos mais procurados está de portas fechadas para os turistas brasileiros. Desde o início da pandemia, Portugal proibiu a entrada de quem viaja desde nosso país para fazer turismo. Apenas brasileiros com dupla nacionalidade, residentes ou que exerçam atividades essenciais podem entrar em Portugal. Eu fiz esta viagem na última quinta-feira e conto os detalhes de como é viajar atualmente, em meio a pandemia, para as terras lusas.

Desde 1º de julho, quando a União Europeia começou a reabrir as fronteiras para alguns estrangeiros, com exceção do Brasil, Portugal restringiu um pouco mais a entrada dos brasileiros. Mesmo assim, vale destacar que o país foi um dos primeiros europeus a retomarem os voos de São Paulo e do Rio de Janeiro. Entre as novas restrições está a exigência de exame de Covid-19 para todos que pretendem embarcar para Lisboa. Com isso, a viagem para Portugal começa no mínimo 72 horas antes do embarque.

Meu voo partiu de Campinas para Lisboa no dia 23 de julho. Três dias antes, na segunda-feira, fiz o exame num drive-thru de um laboratório paulistano. O resultado negativo saiu em 48 horas. Fique atento ao prazo de entrega do resultado do laboratório escolhido. O preço do exame em São Paulo varia de R$ 280 a R$ 420.

Na fila do check-in no aeroporto de Viracopos, funcionários da Azul abordam todos os passageiros para checar o exame de Covid. Este item é obrigatório, conforme o decreto 6756-C/2020. Somente os brasileiros com residência ou dupla cidadania podem optar em fazer o exame na chegada a Portugal, mas lá custa 100 euros – o dobro do preço do Brasil.

Outro item checado pelo pessoal da Azul é o motivo da viagem, pois neste item há grandes restrições. Só podem viajar para Portugal:

1 – Cidadãos nacionais ou europeus – União Europeia ou Estados associados ao Espaço Schengen

2 – Familiares diretos de portugueses ou europeus

3 – Estrangeiros residentes, a trabalho, a estudo, reagrupamento familiar, razões de saúde ou humanitárias

Vale destacar que se você se enquadra nestes itens é muito importante levar todos os documentos que comprovem a informação. Eu tenho dupla cidadania e viajei por motivo de mudança para Portugal. De acordo com o pessoal da Azul, cerca de 20 passageiros por voo são proibidos de viajar para Lisboa devido à falta de documentos. A Azul está voando para a capital portuguesa às quintas-feiras e domingos. A TAP e a Latam também estão operando voos para Lisboa.

Em todo Aeroporto de Campinas há alertas sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras e para a manutenção do distanciamento social. Algumas adaptações foram feitas, como o isolamento de cadeiras, instalação de proteção acrílica nos balcões e faixas alertando sobre a necessidade de manter no mínimo dois metros de distância. Além disto, a Sala VIP da Azul foi fechada e só deve reabrir no final de agosto.

O voo não estava lotado, mas tinha 80% de ocupação. Nas viagens para Portugal, a companhia aérea é obrigada a encaminhar para as autoridades portuguesas a lista de passageiros com o nome de quem está embarcando com ou sem o teste de Covid. Tudo é checado. Caso haja algum problema a companhia pode ser multada.

Durante o embarque e dentro do avião os mesmos procedimentos são alertados, apesar de ser quase que impossível manter o distanciamento social. Mesmo assim, os passageiros tentam na medida do possível. Os comissário da Azul também destacam a capacidade dos filtros de ar dos aviões efetivamente eliminarem as bactérias e vírus.

Outra diferença é a distribuição de um formulário que deve ser preenchido sobre a localização de cada passageiro. Neste documento você deve informar em qual poltrona viajou e todos os seus contatos, como endereço e telefone em Portugal. O objetivo é localizá-lo caso algum contágio de Covid for detectado no pós voo. Também dado um folheto para você avisar as autoridades se tiver os sintomas do novo coronavírus.

Já durante o voo, tudo normal, a não ser pelo uso contínuo de máscara e pela redução no serviço de bordo, principalmente nas opções ofertadas de bebidas. Mas pelo menos o jantar continua igual. Durante a viagem pude escolher entre macarrão ou carne. Estava gostoso e até cheguei a repetir o prato de carne. Sabia que é possível repetir a comida do avião?

Chegando a Lisboa, a tripulação pediu para todos os passageiros permanecerem sentados para que a saída da aeronave fosse organizada por fileiras, assim as pessoas não se amontoariam no corredor e manteriam, um pouco, o distanciamento social.

Logo ao deixar o portão, autoridades portuguesas encaminham para uma fila os passageiros com exame e para outra os sem testes. Ali novamente tive que apresentar o resultado do meu exame PCR com resultado negativo mais o passaporte. Já as pessoas que chegaram a Portugal sem teste de Covid realizam ali mesmo e pagam 100 euros.

No aeroporto Humberto Delgado tudo bem tranquilo, assim também na fila da imigração. Como tenho dupla cidadania passei rapidamente, só tive que tirar a máscara para a foto de entrada.

Aviões da TAP parados em Lisboa devido à pandemia.

Se você se enquadra nos requisitos de estrangeiros permitidos a entrar em Portugal a viagem está bem tranquila. Não se esqueça de levar os documento e de fazer o exame PCR para Covid. No Brasil é mais barato. Já quem não vê a horas de turistar pelas terras lusas, infelizmente, terá que aguardar mais um pouco até a reabertura das fronteiras.

Leia também:
– Entrada autorizada: Lista de países para onde brasileiros podem viajar

– Viagem a Portugal: tudo o que você precisa saber para planejar a sua a partir do zero