logo Melhores Destinos

Primeira viagem com milhas passo a passo: como emitir passagens aéreas de graça!

Sandro Kurovski
Sandro Kurovski
15/05/2021 às 16:02

Primeira viagem com milhas passo a passo: como emitir passagens aéreas de graça!

Você sonha em viajar de avião, mas nunca sobra dinheiro para comprar uma passagem aérea? E se eu te disser que seus gastos do dia a dia como mercado, luz, água e internet podem se transformar em viagens grátis? Nesse post vamos te ensinar o passo a passo para você transformar suas despesas básicas em milhas e viajar quase de graça. Acredite, não é lenda, nem pegadinha!

Minha primeira viagem grátis com milhas

A primeira viagem de avião da minha vida foi (quase) de graça e com milhas. E olha que naquela época eu nem sabia nada sobre o assunto. Cresci no interior achando que viagem de avião era coisa apenas para gente rica. Até os 20 anos eu não conhecia ninguém que já tivesse voado por aí. No segundo ano da faculdade abri minha primeira conta em banco e recebi meu primeiro cartão de crédito, um cartão da Caixa para universitários com limite de R$ 500.

Depois de dois anos usando o cartão para minhas pequenas despesas de universitário com salário de estagiário, notei que na fatura apareciam alguns pontos e que todo mês uma pequena parte deles vencia.

Eu não fazia ideia para que aqueles pontos serviam, então fiz o que qualquer um faria: liguei para o SAC do cartão para perguntar, lógico! (Pois é, nem pensei em pesquisar no Google) e a atendente me explicou que aqueles pontos podiam ser usados para trocar por passagens aéreas.

“Ahã, sei, deve precisar de milhões de pontos pra poder fazer uma viagem”, pensei. Quando que um universitário com dinheiro contado, que mal usa o cartão de crédito ia conseguir juntar o suficiente para uma passagem?

primeira viagem grátis com milhas

A primeira viagem com milhas a gente nunca esquece, a minha foi com a finada Varig

Mesmo duvidando, transferi meus minguados 2.500 pontos para o Smiles, que na época era o programa de fidelidade da Varig. Apesar de serem poucos pontos, a atendente me explicou que ao transferir eles teriam mais 2 anos de validade, então parecia melhor do que ver eles vencerem na fatura. Mas sinceramente, não tinha a menor esperança de conseguir juntar o suficiente para uma passagem em mais 2 anos não.

Poucos meses depois chegou uma mensagem da Smiles no meu e-mail avisando sobre uma promoção com trechos nacionais por 1.000 pontos. Opa! Com meus 2.500 pontos dava pra resgatar ida e volta de Curitiba para São Paulo e ainda sobrava! Parecia bom demais pra ser verdade.

Na época ainda não dava para resgatar passagem pelo site da Smiles, então liguei para o atendimento do programa e emiti minha viagem. Mal podia acreditar que iria viajar de avião pela primeira vez e ainda de graça! Bom, quase de graça: só precisei pagar as taxas de embarque, que era o equivalente a uns quatro lanches na cantina da Universidade. Depois disso, não parei mais de viajar!

Só queria compartilhar essa história para você saber que viajar quase de graça com milhas é possível e não é tão complicado quanto parece.

Agora chega de enrolação e vamos ao passo a passo para você fazer a sua primeira viagem com milhas:

Passo 1 – Escolha um programa de milhas

Escolher um programa de fidelidade e fazer o seu cadastro é o primeiro passo rumo a sua viagem grátis. No Brasil temos o Smiles, com o qual é possível resgatar passagens na Gol e em alguns parceiros internacionais, o Latam Pass que é o programa de fidelidade da Latam e também oferece alguns resgates com parceiros, e o TudoAzul, que como o próprio nome entrega, é o programa de fidelidade da Azul e também conta com alguns parceiros.

Além desses, existem os programas que não são vinculados a nenhuma companhia aérea, mas que também permitem o resgate de passagens, como a Livelo.

Um bom critério, é optar pelo programa da companhia que oferece mais voos para a sua região. Não faz muito sentido juntar pontos no Latam Pass se a Latam não faz voos para a sua cidade, não é mesmo?

Uma coisa que aprendi logo no início é que não adianta nada acumular pontos em vários programas de milhas ao mesmo tempo, principalmente quando a gente junta poucos pontos. O melhor mesmo é concentrar tudo em um único programa, assim fica mais fácil conseguir o suficiente para resgatar uma passagem.

Passo 2 – Escolha um cartão de crédito que acumule pontos

Escolher um bom cartão de crédito para acúmulo de pontos, de acordo com a sua renda e perfil de consumo, é fundamental para conseguir uma viagem grátis usando milhas.

Conheço muita gente que nem sabe se o cartão de crédito acumula pontos, ou até sabe, mas nunca deu atenção para eles (o que parte o coração 💔). Não dá pra usar o cartão de crédito que o banco te enviou de forma automática sem saber quais os benefícios que ele oferece ou quantos pontos acumula.

No Melhores Cartões, o nosso novo site especializado no assunto, há um ranking com os melhores cartões para ganhar pontos. Se o seu cartão não estiver nessa lista, considere trocar. A recomendação também vale caso seu cartão esteja mais no fim da lista e sua renda permita ter um cartão com posição mais alta no ranking, assim você vai poder acumular ainda mais pontos.

E se você não tem um cartão de crédito, está na hora de fazer um! Pode ser que você não consiga um dos melhores cartões para acumular pontos logo de cara, mas existem cartões sem anuidade que, embora ofereçam poucos benefícios, são ótimos para quem está começando, fáceis de serem aprovados e que vão ajudar a construir o seu score de crédito para solicitar cartões melhores depois.

Alguns cartões, no então, não são muito vantajosos para acumular pontos. O Nubank, por exemplo, cobra uma mensalidade de R$ 19,90 ou anuidade de R$ 190 para você ativar o Nubank Rewards.

Os melhores cartões para acumular milhas vão sim ter taxa de anuidade, mas na maioria dos casos você fica isento se gastar um determinado valor todos os meses na fatura, sem precisar negociar. Em outros casos, é possível ligar para a administradora e conseguir descontos de até 100%. Por isso, é bem importante escolher um cartão que se adeque a sua renda e ao seu perfil de consumo, para que você possa isentar a anuidade com o uso.

Passo 3 – Acumule os pontos

A ideia de acumular pontos para a primeira viagem com milhas é transformar os gastos que você já tem em viagens grátis. Sempre que você usa dinheiro em espécie ou cartão de débito está perdendo a chance de resgatar uma passagem de avião de graça. Uma boa estratégia é concentrar seus gastos no cartão de crédito, assim aquele valor que você gasta no mercado todo mês pode virar uma viagem daqui um ou dois anos, sem esforço.

Com ajuda das carteiras digitais também é possível acumular pontos ao pagar contas básicas como luz, água, internet, condomínio, entre outros. Já que são gastos que você já vai ter de qualquer forma, porque não transformar isso em uma viagem? Se você não sabe por onde começar, leia nosso artigo sobre como pagar contas e boletos com o cartão de crédito e acumular milhas.

Sei que muita gente tem receio de usar o cartão de crédito e até medo de perder o controle dos gastos, mas o cartão pode ser um grande aliado para o controle financeiro quando usado da forma responsável. Evite gastar mais do que você ganha ou fazer parcelamentos sem necessidade. Uma dica é reservar os valores que você for gastando numa conta separada para não ter o risco de não conseguir pagar a fatura.

Passo 4 – Tenha uma meta de resgate

Agora que você já está acumulando pontos com suas compras no cartão e já sabe a média que consegue juntar todo mês, está na hora de estabelecer uma meta de resgate. Não importa se o que você junta é suficiente para uma viagem nacional até o estado vizinho, ou se para uma passagem para a Europa, o que importa é que você vai poder realizar o sonho de voar sem gastar quase nada!

Juntando 4.000 pontos já é possível resgatar uma viagem nacional de ida e volta, aproveitando promoções de resgate com milhas em voos de curta duração. Com 20.000 pontos já dá para viajar pela América do Sul, e acima de 60.000 pontos você já consegue resgatar passagens para a Europa ou Estados Unidos.

O melhor jeito de saber quantos pontos você precisa é fazer uma simulação de resgate no site do programa de fidelidade. Estimando quantos pontos você vai conseguir juntar em um ano ou dois e sabendo quantos pontos custa, em média, uma passagem, você já vai conseguir estabelecer sua meta de resgate.

Assim dá pra saber também quanto custa a taxa de embarque que você vai precisar pagar em dinheiro ou em milhas na hora de resgatar sua passagem. Algumas companhias, como a Azul e a Latam, cobram taxa de serviço para emitir a passagem com pouca antecedência. Mas reservando com antecedência de pelo menos 3 meses do voo você evita esse custo e ainda encontra as menores tarifas. E algumas companhias internacionais, como a Emirates e a Air Europa podem cobrar taxas adicionais bem altas nos resgates de passagens de retorno ao Brasil.

Passo 5 – Multiplique seus pontos

Os pontos que você junta no cartão de crédito podem ser multiplicados! Para isso basta aproveitar as promoções de transferência bonificada para enviar os pontos do cartão de crédito para o programa de fidelidade. Promoções com 70%, 80% ou até 100% de bônus são bastante comuns e a gente sempre avisa aqui no site e pelo aplicativo quando surge alguma. Dependendo do caso é possível conseguir até 130% de bônus.

multiplicar milhas e viajar de graça com milhas

Com as promoções de transferência bonificada é possível multiplicar muito seus pontos

Digamos que você consiga juntar 10.000 pontos em um ano. Ao transferir em uma promoção de 80% eles já viram 18.000 e sua viagem grátis fica bem mais perto.

Os clubes de milhas também podem dar uma ajuda para acumular mais pontos, mas só se você estiver disposto a desembolsar um valor mensal extra.

Passo 6 – Não deixe seus pontos vencerem!

Enquanto você junta seus pontos é importante ficar atento ao prazo de validade. Sim, pontos vencem, e não podemos permitir que isso aconteça! Normalmente os pontos acumulados no cartão de crédito valem por 2 anos, e depois que você transfere eles para o programa de fidelidade valem por mais 2 ou 3 anos. Então é possível acumular pontos por até 4 anos para completar o suficiente para sua viagem grátis. Existem ainda gerenciadores que ajudam a acompanhar o vencimento dos pontos, como o AwardWallet.

A maioria dos cartões de crédito estabelece limites mínimos para essa transferência, que pode ser de 100 até 20.000 pontos. Esse é um ponto a ser considerado na hora de escolher o cartão. Se você escolher um cartão com limite mínimo de 10.000 pontos para transferência e só consegue juntar 9.000 ao longo de dois anos, eles vão acabar vencendo sem que você possa aproveitar.

Passo 7 – Resgate sua passagem

Depois de ver seu saldo de pontos crescer ao longo do tempo, chegou o momento de resgatar sua passagem. Para isso basta acessar o site do programa de fidelidade, escolher as datas, os voos e fazer a emissão. Mas cuidado!

O valor das passagens em milhas não é fixo e varia da mesma forma que o das passagens em dinheiro, por isso, de tempos em tempos, vale refazer a simulação de resgate para acompanhar as possíveis mudanças. Mas caso a quantidade de pontos necessária seja mais alta do que quando você estabeleceu sua meta, não se desespere. Aguarde para fazer o resgate mais tarde, pesquise outras datas ou destinos alternativos ou aguarde promoções de resgate com milhas. Comprar passagens nacionais com menos de 30 dias de antecedência geralmente é mais caro, e a mesma regra vale para emissão com pontos.

Para voar no Brasil as passagens com milhas já incluem a bagagem de mão de até 10kg e caso você precise despachar alguma mala será necessário fazer a compra separadamente. Saiba quanto custa despachar bagagem na Azul, Gol e Latam em voos nacionais.

Passo 8 – Faça sua primeira viagem grátis com milhas

Agora sim, chegou o dia tão esperado! É hora de arrumar a mala e seguir para o aeroporto. Não esqueça de chegar com antecedência de pelo menos 2 horas. Viajar usando uma passagem emitida com milhas não tem nenhuma diferença, será preciso fazer o check-in, e despachar a bagagem (caso você tenha bagagem para despachar) da mesma forma. Se você vai viajar de avião pela primeira vez, confira nosso post com dicas para sua primeira viagem de avião. No mais é só curtir essa experiência, viajar de avião é muito bom, e viajar de avião de graça é ainda melhor!

Se ainda ficou alguma dúvida deixe aí nos comentários que a gente responde. E depois que fizer a sua primeira viagem com milhas não esquece de voltar aqui pra contar como foi, hein?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *