logo Melhores Destinos

Após espera de sete meses, turista consegue visitar Machu Picchu sozinho

Wendell Oliveira
Wendell Oliveira
14/10/2020 às 8:32

Após espera de sete meses, turista consegue visitar Machu Picchu sozinho

Imagine ser o único turista no Machu Picchu, uma das sete maravilhas do mundo moderno. Esse foi o incrível feito do japonês Jesse Katayama, que conseguiu visitar as ruínas sozinho, graças a uma permissão especial do governo do Peru. Preso no país durante a pandemia, o turista não desistiu do sonho de visitar o Patrimônio da Humanidade e se tornou o primeiro visitante em sete meses a poder caminhar pela “cidade perdida dos Incas” — uma história de paciência e superação!

Leia também:
Peru anuncia retorno dos voos internacionais em outubro, incluindo Brasil
Reabertura: Veja a lista de 66 países para onde brasileiros podem viajar

Turista japonês visita o Machu Picchu sozinho

O japonês Jesse Katayama planejava encerrar sua viagem de volta ao mundo no Machu Picchu, a 2.430 metros acima do nível do mar. Mas infelizmente uma pandemia no meio do caminho atrapalhou os planos, fechando todas as atrações turísticas do Peru e deixando o turista preso no país.

Mas a história que tinha tudo para dar errado teve um final feliz: após sete meses de espera, ele conseguiu ser o primeiro visitante autorizado a entrar no sítio histórico, tendo o privilégio de ser o único turista no local. Tudo graças a uma permissão especial solicitada enquanto estava em isolamento, desde meados de março, na cidade de Aguas Calientes, nas montanhas próximas ao local.

Depois do lockdown, a primeira pessoa a visitar o Machu Picchu sou euuuuu”, escreveu emocionado o viajante em um post no Instagram, com fotos dele e o diretor do parque.

 

View this post on Instagram

 

マチュピチュキタァァァァァァァァァァァァァァァァァァ‼️‼️‼️

A post shared by Jesse Katayama (@jessekatayama) on

Segundo o ministro da Cultura, Alejandro Neyra, em entrevista coletiva virtual: “Ele veio ao Peru com o sonho de poder entrar. O cidadão japonês entrou junto com o diretor do parque para que ele possa fazer isso antes de retornar ao seu país.”

“O último turista em Machu Picchu”

Katayama revelou a um jornal japonês que considerou embarcar nos voos de repatriação emergenciais organizados pelo governo do Japão, mas achou os valores muito caros. Ele então decidiu ficar no Peru, adiando sua partida na esperança de que Machu Picchu reabrisse em breve.

Sua paciência acabou sendo recompensada e ele se tornou uma espécie de celebridade local na semana passada, quando o La República, um importante jornal peruano, cobriu sua vigília e o chamou de “o último turista em Machu Picchu”.

Japonês foi o primeiro visitante autorizado no Machu Picchu em sete meses (Imagem: La República)

“Fiquei com o único propósito de conhecer essa maravilha e não queria sair sem fazê-lo”, disse ele ao jornal em uma entrevista.

Reabertura de Machu Picchu

Ainda de acordo com o ministro da Cultura, Alejandro Neyra, em novembro as ruínas do Machu Picchu serão reabertas a visitantes estrangeiros. Mas a capacidade será reduzida. Normalmente, o sítio histórico tem capacidade para receber até 675 pessoas por dia. Mas, por conta da pandemia, somente 200 turistas serão autorizados a entrar no local.

“Ainda estamos no meio de uma pandemia, e tudo será feito com o cuidado necessário”, disse Neyra.

Machu Picchu

Machu Picchu: lotação máxima de até 675 pessoas por dia antes da pandemia

Covid-19 no Peru

O Peru foi fortemente atingido pela pandemia do novo coronavírus e estava com o seu espaço aéreo fechado para estrangeiros desde 16 de março. Os voos domésticos foram retomados em julho. O país andino registra mais de 850 mil casos de Covid-19 com 33 mil mortes, mantendo a taxa de mortalidade mais alta do mundo: 101 mortes para cada 100 mil habitantes.


E você, se esforçaria tanto assim para conhecer o destino dos sonhos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *