logo Melhores Destinos

Quanto custa voar de “jatinho” entre o Rio de Janeiro e São Paulo? Fomos conferir

Sandro Kurovski
28/02/2022 às 6:00

Quanto custa voar de “jatinho” entre o Rio de Janeiro e São Paulo? Fomos conferir

Viajar em uma aeronave executiva, com toda comodidade e mordomia de um voo particular, não é privilégio apenas para magnatas e celebridades. Embarcar em um “jatinho” tem se tornado cada vez mais acessível e, graças aos serviços de compartilhamento de voos, já é possível viver essa experiência sem gastar muito.

Até pouco tempo, para fazer um voo executivo você precisava possuir o próprio avião (e arcar com todos os custos que isso implica), fretar uma aeronave ou ter a sorte de ser convidado por alguém, mas hoje é possível trocar os voos comerciais lotados por uma viagem mais exclusiva com preços a partir dos R$ 500,00.

Para saber como funciona esse tipo de serviço embarcamos em um voo executivo entre o Rio de Janeiro (SDU) e São Paulo (CGH) a convite da Flapper, plataforma que reúne empresas de táxi aéreo homologadas e oferece voos executivos sob demanda. É como se fosse o “Uber” dos aviões e helicópteros, onde você pode fazer reservas por assento ou até mesmo fretar o avião inteiro.

pilatus pc-12 táxi aéreo

Como comprar assento em um voo executivo?

Reservar um lugar em um voo executivo através do site ou app da Flapper é relativamente simples, basta escolher um dos voos disponíveis, conferir os detalhes de data, itinerário, valor e concluir a compra. Os lugares não são marcados, você pode escolher os melhores lugares do avião no dia da viagem.

É possível encontrar trechos a partir dos R$ 500,00 para voar de táxi aéreo de São Paulo para o Rio de Janeiro, ou de São Paulo para Angra dos Reis, por exemplo. O valor varia de acordo com a rota e com o tipo de aeronave utilizada para o voo. Alguns aviões possuem custo de operação mais alto que outros, e isso reflete no valor dos assentos ofertados.

O que diferencia a compra de lugares em voos executivos dos voos comerciais regulares é justamente o fato de serem voos sob demanda, que não possuem horário ou data fixas. Ou seja, se você encontrar um voo de Curitiba para São Paulo saindo no próximo domingo, não significa que ele vai estar disponível todos os domingos.

Isso porque os assentos avulsos normalmente são de voos de reposicionamento, também chamados de empty leg (ou perna vazia),  quando o avião precisa ser deslocado de um aeroporto para outro. Nesse caso, os assentos são vendidos por um valor muito mais baixo do que custariam ao fretar a aeronave toda para fazer aquele mesmo trecho, o que acaba sendo bastante vantajoso.

No voo que fizemos entre o Rio de Janeiro e São Paulo, cada lugar custava R$ 1.200,00. A princípio o valor pode parecer alto comparado com o de um voo comercial regular da ponte aérea,  mas se considerarmos que os preços das empty legs são fixos, e que um voo entre o Santos Dumont (SDU) e Congonhas (CGH) comprado de última hora pode custar mais de R$ 1.300,00, o táxi aéreo pode sim ser uma opção bem interessante dependendo da situação.

O que são e como funcionam as empty legs?

Empty legs ou pernas vazias é como são chamados os voos de reposicionamento de aeronave. Por exemplo, se alguém fretou um avião para voar de São Paulo para Florianópolis e essa aeronave precisa retornar sem passageiros para São Paulo, esse trecho é considerado uma “perna vazia”.

Cessna Grand Caravan Aerosul

Cessna Grand Caravan da Aerosul Táxi Aéreo

Para aproveitar esse voo que sairia completamente vazio, as empresas de táxi aéreo vendem os lugares por um valor mais baixo do que custariam ao fretar o avião todo. Assim o passageiro consegue adquirir uma viagem em avião executivo por um valor menor e a empresa de táxi aéreo reduz seu custo de operação. Ou seja, todos ganham.

Tipos de aeronave executiva

Quando se fala em aviação executiva é comum vir logo a mente a imagem do “jatinho particular”, aquela aeronave luxuosa que a gente costuma ver nos filmes. Mas o fato é que existem diversos modelos de aviões executivos para diferentes necessidades, desde turboélices monomotores como o Grand Caravan, com configurações mais simples, passando por monomotores mais luxuosos como o Pilatus CP-12, até aviões com motores a jato, como o Learjet 45.

Aeronave executiva Cessna Citation Excel

Aeronave executiva Cessna Citation Excel

Vantagens do voo executivo

  • Preço fixo, o que favorece a compra próximo da data da viagem;
  • Menor burocracia de embarque e atendimento VIP;
  • Facilidade para pousar em aeroportos não atendidos por voos comerciais regulares;
  • Possibilidade de fazer voos diretos, sem necessidade de conexão;
  • Aeronaves com configuração executiva e maior conforto;
  • Mais exclusividade, já que os voos comportam menos passageiros.

Desvantagens das empty legs

  • Preço mais alto que os voos regulares;
  • Menos opções de datas e horários;
  • Dificuldade para comprar com maior antecedência;
  • Sujeito a alterações e cancelamentos;
  • Menor número de destinos disponíveis;
  • Quantidade de bagagens mais restrita.

Segurança

É natural que acidentes envolvendo empresas de táxi aéreo, como o da cantora Marília Mendonça, gerem muito receio em quem não está acostumado a usar esse tipo de serviço, nem a voar em aeronaves de menor porte.

Por isso a Flapper trabalha apenas com operadores aéreos homologados e com as certificações RBAC 135 e RBAC 121, que impõem padrões mais rigorosos para operações comerciais fretadas e de transporte regional.

Além disso, a empresa afirma que faz auditorias para revisar a documentação das transportadoras aéreas parceiras, incluindo certificados de navegabilidade, apólices de seguro e manuais de manutenção.

Como é fazer um voo executivo entre o Rio de Janeiro e São Paulo e quanto custa?

A convite da Flapper, embarcamos em um voo executivo do Rio de Janeiro (Aeroporto Santos Dumont), até São Paulo (Aeroporto de Congonhas). O voo foi realizado pela Voar Aviation em uma aeronave Pilatus PC-12 com capacidade para até 8 passageiros.

Você também pode conferir o relato completo em vídeo:

Compra da passagem

No nosso caso o bilhete foi emitido pela Flapper, mas verificamos que cada lugar nesse mesmo voo podia ser adquirido por R$ 1.200,00 através do site ou do app da empresa. Como já mencionado, o valor das passagens varia de acordo com a rota e o modelo de aeronave utilizado.

Após a emissão uma confirmação foi enviada por e-mail e as informações do voo podiam ser consultadas pelo app da Flapper.

Check-in e Embarque

No dia da viagem cheguei ao Aeroporto Santos Dumont uma hora e meia antes do horário previsto para a partida. Quando estava a caminho, uma assistente remota da Flapper entrou em contato comigo pelo Whatsapp para dar orientações sobre o check-in e embarque.

No aeroporto Santos Dumont o atendimento das empresas de táxi aéreo fica na área de desembarque C, longe dos balcões de check-in das grandes companhias comerciais.

Logo visualizei a sala da Voar Aviation e me apresentei como passageiro do voo para Congonhas. Meus documentos foram conferidos e depois fui convidado a aguardar o voo em uma das duas salas privativas disponíveis.

sala vip voar aviation

Na sala VIP são oferecidos alguns petiscos, café e outras bebidas. Há sofás confortáveis e uma TV com filmes sob demanda. Além de wi-fi e banheiro exclusivo.

Além de mim, havia mais 5 passageiros confirmados, mas um deles não apareceu. Conversei rapidamente com os colegas de voo e descobri que era a primeira vez que viajavam em aeronave executiva. Os dois casais (que não se conheciam) haviam aproveitado a facilidade de adquirir passagens pela Flapper justamente para viver a experiência de voar em aeronave executiva e fazer uma viagem especial para a capital paulista.

Faltando meia hora para o embarque nossas bagagens foram encaminhadas para o avião, que estava sendo abastecido e preparado para o embarque. Eu estava com uma bagagem de mão padrão, que foi despachada, e mais uma mochila pequena que seguiria comigo. O limite de bagagem nesses voos varia de acordo com o tipo de aeronave, mas em geral é possível levar uma mala de até 25kg mais um artigo pessoal, que pode ser uma bolsa ou mochila pequena.

Bagagem de todos os passageiros sendo encaminhada para o avião

A saída atrasou pouco mais de 30 minutos, em parte pelo mau tempo e porque a empresa tentou contactar o passageiro faltante. Os horários dos voos executivos não são tão rígidos, e pequenas esperas por passageiros como essa podem ocorrer – o que é uma boa notícia caso seja você o atrasado!

Uma funcionária da empresa de táxi aéreo nos acompanhou para o embarque. Passamos por um raio-x exclusivo, sem fila, e pegamos uma van que nos levaria até o avião.

Chovia um pouco e fomos conduzidos até a aeronave sob guarda-chuvas.

Aeronave Pilatus PC-12

Para algumas pessoas pode ser um pouco decepcionante comprar um voo executivo sonhando em voar em um jatinho e se deparar com um avião monomotor na hora do embarque. Mas o Pilatus PC-12 é uma aeronave moderna, que reúne a versatilidade e o menor consumo, com o desempenho muito similar a aeronaves com dois motores.

Pilatus PC-12 voo executivo

O interior possui configuração mais requintada em comparação com as aeronaves comerciais. Os assentos reclinam muito mais do que nas grandes companhias, e até giram. Na frente há quatro poltronas viradas de frente umas para as outras, com uma mesa dobrável entre elas. Já os quatro assentos de trás ficam todos voltados para a frente da aeronave.

Interior Pilatus PC-12

Infelizmente o espaço não é o forte desse tipo de avião. As poltronas ficam bastante próximas e não há tanto espaço para as pernas. Ao reclinar a poltrona o passageiro de trás fica um pouco apertado.

O avião possuía tomada no padrão americano e USB. Não havia serviço de wi-fi.

Também há banheiro no avião, mas acabei não conseguindo fazer imagens dele.

Vale destacar que essa é uma aeronave pressurizada, que voa a grandes altitudes, diferente do Grand Caravan, usado pela Azul Conecta, por exemplo.

Como é fazer um voo executivo

Antes da partida um dos comandantes passou as orientações de segurança e verificou se todos estavam com os cintos afivelados. Ele também falou do tempo de voo (que seria de uma hora) e das condições atmosféricas.

Apesar do alerta de turbulência na saída do Rio de Janeiro o avião não balançou muito. O PC-12 é bastante silencioso e a decolagem foi bem suave apesar da chuva.

Cada passageiro recebeu uma garrafa de água, havia uma almofada no assento e uma cesta com mini sanduíches de sabores variados à disposição para quem quisesse se servir. Normalmente não há comissários de bordo em voos executivos.

Nos voos particulares o uso de máscara durante a pandemia não tem a mesma obrigatoriedade dos voos comerciais, vai do bom senso de cada passageiro. Eu preferi manter o acessório durante toda a viagem, tirando apenas rapidamente para comer.

O voo foi bem tranquilo. Mas confesso que me senti um pouco enjoado devido ao espaço reduzido e ao balanço da aeronave. Nada sério para um voo curto.

Chegada

A chegada em São Paulo foi com atraso de 30 minutos em relação ao horário estipulado na passagem, principalmente pelo mau tempo e espera do passageiro que não pareceu.

Os voos executivos não usam o terminal de passageiros em Congonhas, mas sim um terminal executivo do outro lado da pista. O hangar também conta com sala VIP.

Sala de espera hangar executivo Congonhas CGH

Sala de espera hangar executivo em Congonhas

No desembarque todos puderam fazer fotos dentro e fora do avião e guardar recordações do seu primeiro voo executivo. Mas para mim o sonho durou pouco, do hangar VIP de Congonhas segui direto para a Rodoviária do Tiete, onde peguei o ônibus de volta para Curitiba. Pelo menos agora sei exatamente como a Cinderela se sentiu quando a carruagem voltou a ser abóbora.


E você, tem curiosidade de voar em uma aeronave executiva? Já sonhou em embarcar em um avião particular? Conta pra gente nos comentários.

Não perca nenhuma oportunidade!

ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção