logo Melhores Destinos

Cruzeiros poderão não aceitar crianças a bordo quando viagens forem retomadas

Bruna Scirea
06/05/2021 às 15:45

Cruzeiros poderão não aceitar crianças a bordo quando viagens forem retomadas

Após mais de um ano paralisados, pode ser que os navios de cruzeiro voltem a navegar saindo dos portos dos Estados Unidos em direção ao Caribe e outros destinos a partir de julho deste ano. No entanto, neste reinício de operação, as viagens de cruzeiros podem ocorrer sem crianças a bordo.

Na semana passada o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos informou às empresas de cruzeiros que o retorno das viagens de navio poderia ser antecipado sob uma condição: de que os cruzeiros tenham 98% da tripulação e 95% dos passageiros vacinados contra a covid-19.

Embora o ritmo da vacinação nos Estados Unidos esteja bastante acelerado, as vacinas ainda não foram aprovadas para crianças e adolescentes até 16 anos. Pode ser que até julho o imunizantes já estejam liberados para todos a partir de 12 anos (a Pfizer deve ser aprovada pelo órgão americano para o grupo entre 12 e 15 anos até o início da próxima semana). Ainda assim, ficariam adiados os planos de boa parte dos pais e avós de navegarem com as crianças ao longo do verão americano – ou ao menos no início dele.

Ansiosas para retomarem suas atividades o quanto antes, é bem provável que as armadoras que operam nos Estados Unidos aceitem as condições propostas pelo CDC. Fora isso, para além de decisões dos governos dos países por onde navegam, algumas companhias de cruzeiro por conta própria já decidiram que só aceitarão passageiros vacinados nas próximas viagens – inclusive crianças. É o caso de armadoras como a Norwegian Cruise Line, Oceania Cruises, Regent Seven Seas Cruises, Crystal Cruises, Cunard Lines, Princess Cruises, Seabourn, Silversea, UnCruise Adventures e Viking.

Norwegian é uma das armadoras que está exigindo vacina de seus passageiros

E na temporada brasileira de cruzeiros?

Como a temporada de cruzeiros nos Estados Unidos tende a ter início cerca de três meses antes de os navios começarem a chegar na costa brasileira, pode ser que muitas das regras e etapas aplicadas no contexto norte-americano venham a ser replicadas por aqui. Erros e acertos da temporada de verão na Europa, que está iniciando agora, também irão direcionar as medidas adotadas aqui.

O Melhores Destinos especulou junto às empresas de cruzeiro sobre a possibilidade de uma temporada só para vacinados e/ou sem a presença de crianças. As companhias responderam que questões como estas devem ser avaliadas em um segundo momento, já que os esforços agora estão concentrados nas conversas com a Anvisa – a agência ainda não autorizou a temporada brasileira de cruzeiros 2021/2022.

No entanto, a Costa Cruzeiros ressaltou que acaba de retomar suas operações no Mediterrâneo, com itinerários passando somente por portos italianos. Neste reinício na Europa estão sendo aplicados protocolos de segurança exigidos pelo governo italiano, como a obrigatoriedade de testes para tripulantes e passageiros. Por lá, ao menos por enquanto, a vacina não é uma obrigatoriedade. A MSC Cruzeiros, outra armadora que opera no Brasil, também retomou as viagens na Europa e deu início a um programa de vacinação para toda a tripulação. Nas viagens na Itália, a MSC também está recebendo hóspedes não vacinados.

Se a retomada dos cruzeiros no Brasil seguirá as mesmas regras deste reinício na Europa ou nos Estados Unidos, só o tempo dirá. Tudo vai depender da evolução e do controle da pandemia no Brasil e do ritmo da vacinação, além das exigências feitas pela Anvisa e também pelas armadoras.

Nós seguimos atentos aos indícios e acompanhando todas as movimentações do setor e voltaremos sempre com novidades, torcendo pelo retorno das viagens seguras.

Não perca nenhuma oportunidade!

ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção