logo Melhores Destinos

Quanto custa viajar para Fernando de Noronha? Guia completo de preços!

Leonardo Cassol
Leonardo Cassol
26/03/2021 às 10:22

Quanto custa viajar para Fernando de Noronha? Guia completo de preços!

Fernando de Noronha é o destino dos sonhos de muitos brasileiros. Com algumas das praias mais bonitas do mundo, um ambiente preservado e uma vida marinha rica e exuberante, o pequeno arquipélago de 21 ilhas e ilhotas merece mesmo o apelido de paraíso na Terra. Mas Noronha também tem fama de ser muito cara, quase proibitiva para a maioria das pessoas. Será mesmo? Nesse post você confere quanto custa viajar para Fernando de Noronha, com dicas para economizar na passagem aérea, hospedagem, passeios, transporte e refeições.

Atenção: esse post tem como objetivo te ajudar a planejar uma viagem futura a Fernando de Noronha. Lembre-se que devido à pandemia, agora não é recomendável viajar a turismo.

Quanto custa viajar para Fernando de Noronha?

Fernando de Noronha é um destino peculiar. Além dos custos tradicionais de qualquer viagem, como passagem aérea, hospedagem, passeios e refeições, os visitantes precisam pagar uma taxa diária e obrigatória de preservação ambiental, além do ingresso para o Parque Nacional Marinho se quiser visitar as principais praias do destino, o que acaba encarecendo a viagem.

Além disso, por ser uma ilha pequena e não produtiva, tudo precisa vir de barco do continente, o que acaba encarecendo os preços dos bens e serviços, do combustível aos alimentos.

Nos meses de férias escolares (dezembro, janeiro e julho) e nos feriados prolongados a ilha fica mais cheia e os preços mais altos. Leve isso em consideração na hora de planejar a sua viagem. Confira a seguir os principais custos ao visitar Fernando de Noronha:

Quanto custa a taxa de preservação ambiental em Fernando de Noronha?

A taxa de preservação ambiental de Fernando de Noronha custa R$ 79,20 por dia em 2021, com um pequeno decréscimo no valor conforme o período de permanência.

Valores em 2021. Fonte: Governo do Estado de Pernambuco

A taxa é obrigatória e deve ser paga antes de entrar na ilha, ou na chegada, no aeroporto (pagando antecipado evita as filas). Mais informações e o link para emitir a guia de pagamento no site do Governo de Pernambuco.

Quanto custa o ingresso para o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha?

O valor do ingresso para o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha é de R$ 126 para brasileiros e R$ 251 para estrangeiros (preços em março de 2021). O ingresso é válido por 10 dias, sendo pessoal e intransferível. São isentos do pagamento brasileiros maiores de 60 anos e crianças até 11 anos, moradores regularizados da ilha e seus parentes de 1º e 2º grau, além de pesquisadores com autorização do ICMBio.

O ingresso dá direito ao visitante a acessar todas as áreas de visitação pública do PARNAMAR, suas trilhas e praias. E, por mais que não seja obrigatório, na prática acaba sendo imprescindível se você quiser conhecer os principais atrativos da ilha.

É possível comprar o ingresso no site do Parque Nacional (PARNAMAR).

Quanto custa a passagem aérea para Fernando de Noronha?

As passagens aéreas para Fernando de Noronha no geral são mais caras do que para outros destinos, porque há uma limitação na oferta de voos e o aeroporto só pode receber aviões durante o dia. Mas aproveitando promoções que surgem ao longo do ano é possível economizar bastante.

Confira aqui os preços das passagens para Fernando de Noronha.

Partindo do Recife, de onde há voos diretos da Gol e da Azul, é possível encontrar valores promocionais a partir de R$ 250 ida e volta (a tarifa regular é em torno de R$ 600). Há também voos da Azul partindo de Natal, com valores um pouco maiores, que também se aplicam para saídas de outras capitais do Nordeste. Já de São Paulo, Rio de Janeiro e outros destinos do Sul, do Sudeste e do Norte a partir R$ 700 ida e volta (a tarifa regular é em torno de R$ 1.200, podendo custar bem mais nos períodos de maior demanda.

Se quiser ser avisado quando tiver promoção para Noronha ou outros destinos, baixe o aplicativo para celular do Melhores Destinos. É gratuito.

Quanto custa a estadia em pousadas e hotéis em Fernando de Noronha?

Não é barato se hospedar em Fernando Noronha. A ilha tem limitações para novas construções, o que torna a oferta de quartos menor que a demanda. O resultado são pousadas simples com preços inflacionados e acomodações de alto padrão mais caras ainda. No Réveillon, férias escolares e em feriados prolongados é bom reservar com alguns meses de antecedência, não sendo incomum não haver mais opções disponíveis. Mas pesquisando com antecedência é possível encontrar tarifas aceitáveis.

Quem quiser economizar encontra bom custo-benefício e excelente localização na Pousada da Albertina (diárias a partir de R$ 400), onde eu já me hospedei em duas oportunidades. Outras opções interessantes são a Pousada Água Viva (diárias a partir de R$ 342) e a Martinelli Residence (diárias a partir de R$ 316). As três ficam na Vila dos Remédios, perto do ponto de táxi, mercadinho, restaurantes, farmácia e lojas.

Quem procura um pouco mais de conforto, mas sem luxo, vai curtir a Pousada Nascer do Sol (diárias a partir de R$ 650, com café da manhã para um casal), onde também já me hospedei e curti. Tem também a Pousada Seu Dodó (diárias a partir de R$ 891, com café da manhã para um casal).

Quem viaja sozinho pode economizar nos bem avaliados e bem localizados Estação Noronha Hostel (diárias a partir de R$ 139 em quarto compartilhado), ou no Doce Lar Hostel (diárias a partir de R$ 115, também em dormitório misto). No quarto com banheiro privativo há diárias a partir de R$ 240.

Quem procura opções de alto padrão também não vai se decepcionar. Eu já fiquei na tradicional Pousada Zé Maria (diárias a partir de R$ 1.179, com café da manhã para um casal), na Pousada Maria Bonita (diárias a partir de R$ 2.416, com café da manhã para um casal), ou na Colina Pousada Spa (diárias a partir de R$ 2.010, com café da manhã para um casal).

Todas as tarifas foram consultadas em março de 2021 para se hospedar no segundo semestre de 2021.

Quanto custa o transporte de táxi, buggy e ônibus em Fernando de Noronha?

Apesar de a ilha ser pequena, é preciso se preocupar com os deslocamentos em Noronha. A forma mais econômica é andar de transporte público. Um ônibus percorre a estrada principal ilha, com 7,9 km de extensão, a cada 30 minutos. Custa apenas R$ 5,00, mas tem um problema. Algumas praias ficam de 10 a 30 minutos de caminhada distantes da BR, em estradas de pedra ou terra, por onde o ônibus não passa. Isso torna essa uma opção sofrida e desgastante, principalmente sob o sol quente.

Alugando um buggy você terá autonomia para andar pela ilha, mas terá que desembolsar entre R$ 100 e R$ 200 a diária (dependendo da negociação e do período que você viajar, além de pagar quase R$ 8,00 pelo litro da gasolina). Não sai barato. A maioria não aceita alugar nessa faixa de preço por apenas um dia.  Alugar um carro comum sai ainda mais caro na ilha. E não tem Uber ou 99 em Noronha!

Uma opção para quem vai visitar uma praia por dia é o táxi, com corridas que custam valores fixos entre R$ 25 e R$ 60, dependendo da distância. Se hospedando na Vila dos Remédios você não vai precisar de carro para comer ou ir ao comércio. Confira os valores detalhados aqui. Para chamar use o telefone (81) 3619-1314.

Leia mais sobre transportes em Fernando de Noronha.

Quanto custa comer em Fernando de Noronha?

Claro que comer não vai sair muito barato numa ilha onde tudo precisa vir do continente. Mas também não precisa entrar em desespero. No centro, na Vila dos Remédios, tem restaurante self service a quilo para quem não come muito. Ou bufê simples, visitados por locais, por R$ 30 na Vila do Trinta. Há ainda várias opções a la carte com preços que variam de R$ 40 a R$ 120 por pessoa, sem incluir a bebida. É cerca de 30% mais caro do que comer fora em São Paulo ou no Rio de Janeiro, por exemplo. Dá para economizar um pouco escolhendo pratos para duas pessoas. E há opções para todos os gostos, das mais simples as de maior qualidade, mas sem grande sofisticação. Não há aplicativos de delivery e poucos restaurantes fazem entrega.

Comprar água e pequenos lanches no supermercado também ajuda a economizar, já que uma garrafa pequena pode custar de R$ 3,00 a R$ 7,00. O mesmo vale para bebidas alcoólicas. Aliás, se você curte muito beber, talvez não seja uma má ideia trazer vinhos e destilados do continente. Mas fique atento à sua franquia de bagagem para não gastar ainda mais.

Alguns lugares que eu curti. O restaurante a quilo Empório São Miguel e o tradicional Flamboyant (à la carte) na Vila dos Remédios. Vale a pena jantar no excelente Xica da Silva (boa comida, num ambiente mais descolado e fácil de chegar), no Cacimba bistrô e no Mergulhão (com uma vista bem legal), entre outras boas opções. Tem até PF de boa qualidade na Barraca da Regina, na Praia do Porto, com peixe fresco grelhado. E as famosas comidas da Pousada Zé Maria.

A ilha conta até com sorveteria de gelato italiano, hamburgueria, pizzaria e creperia. Vale a pena conferir também os restaurantes das pousadas, que surpreendem com opções mais sofisticadas. Meu colega João Goldmeier, outro admirador da ilha, também indica comer nas barracas de praia de onde saem os passeios de barco. Comida caseira simples, mas bem feita e com peixe fresco. Veja mais sobre onde comer em Fernando de Noronha.

Quanto custam os passeios em Fernando de Noronha?

O Ilhatour, que é um passeio de dia inteiro numa 4×4 com banho nas principais praias da ilha, custa em torno de R$ 130 a R$ 180 (você economiza combinando com outros passeios). É o mesmo valor de um passeio de barco que dura uma manhã ou uma tarde. As trilhas com guias custam entre R$ 100 e R$ 140, e um mergulho de cilindro com batismo entre R$ 380 e R$ 550. Já o aluguel de colete salva-vidas ou de equipamento de snorkel custam de R$ 15 a R$ 20 por dia cada. Uma câmera GoPro em torno de R$ 80 por dia. Pagando no dinheiro vivo e levando mais de um item quase sempre se consegue desconto. Então, leve grana em espécie quando for para lá.

A dica para economizar é que dá pra fazer muita coisa por conta própria, sem precisar dos passeios. As praias, por exemplo, dá para visitar sem guia ou sem passeio. Fazer o Ilhatour pode ser interessante para quem nunca visitou Noronha e quer ter uma visão geral da ilha, para escolher onde voltar com mais calma depois. Mas não é obrigatório.

O passeio de barco é bem legal, pois você vai ver algumas praias do mar, uma visão incrível. Já o mergulho vale a pena para quem curte, especialmente se na época da sua viagem a visibilidade do mar estiver boa. Por fim, algumas trilhas exigem a presença obrigatória de guias credenciados. E a fiscalização em Noronha é bem intensa. Verifique as regras e o nível de dificuldade antes de se aventurar.

Preço médio de uma viagem para Fernando de Noronha (tabela resumo)

Custo médio por pessoa para uma viagem com duração de 4 ou 7 dias de médio padrão, sem contar a passagem aérea. 

Estimativa por pessoa  4 dias 7 dias
Taxa de permanência R$ 316 R$ 506
Ingresso Parque Nacional R$ 126 R$ 126
Estadia (acomodação dupla) R$ 800 R$ 1.200
Transporte (táxi) R$ 200 R$ 350
Alimentação R$ 480 R$ 840
Passeios (Ilhatour + barco) R$ 320 R$ 490
Outras despesas R$ 240 R$ 420
RT-PCR Covid-19* R$ 280 R$ 280
TOTAL R$ 2.762 R$ 4.212

*Durante a pandemia é exigido um exame RT-PCR negativo para entrar na ilha.

Os valores foram estimados com base nos preços praticados em 2021 e não incluem a passagem aérea, ou o consumo de bebidas alcoólicas. Podem variar conforme o padrão da estadia escolhida, o período da viagem, os restaurantes escolhidos e o tipo de transporte.

Vale a pena ir a Fernando de Noronha?

Apesar do custo mais alto se comparado a outros destinos de praia do Brasil, vale sim a pena visitar Noronha se o orçamento permitir. Os preços podem assustar um pouco, mas seguindo as dicas acima dá pra fazer a viagem sem precisar vender um rim.

Com uma beleza única, praias quase desertas e bem preservadas e uma vida marinha rica e diversa, o destino merece ser chamado de paraíso brasileiro. Eu gostei tanto que voltei outras vezes na ilha. E é o que eu escuto de quase todos as pessoas que estiveram lá.


Veja também: