logo Melhores Destinos

Empresas low cost europeias: um guia para você viajar pagando pouco sem dores de cabeça!

Rafael Castilho
Rafael Castilho
22/01/2013 às 13:21

Empresas low cost europeias: um guia para você viajar pagando pouco sem dores de cabeça!

As companhias aéreas Low Cost ganharam o mundo e já fazem parte no planejamento de qualquer viagem. Cada vez mais os viajantes buscam estas empresas que operam com baixo custo e oferecem passagens promocionais com preços incríveis. Mas como encontrar a melhor tarifa? Quais as maiores companhias Low Cost na Europa? Quais rotas estas empresas operam? Como comprar passagem? E como não cair em roubadas e gastar muito mais que numa companhia tradicional? Encontre abaixo as respostas e um panorama do setor aéreo de Low Cost na Europa.

Como surgiram as companhias Low Cost na Europa

O conceito Low Cost chegou ao transporte aéreo nos Estados Unidos no final da década de 70 após a liberalização do setor. Mas foi na Europa, nos anos 90, que a Low Cost ganhou força e se multiplicou após o setor de transporte aéreo ser liberalizado por completo. O processo de abertura e mudanças aéreas na Europa permitiram o surgimento da Ryanair, a pioneira das companhias Low Cost por lá.

Atualmente o Velho Continente, Estados Unidos e a Ásia abrigam as maiores companhias de baixo custo do mundo, tendo a Ryanair, Frontier, Spirit, Southwest Airlines, EasyJet e Air Asia como suas grandes protagonistas.

Como as companhias aéreas Low Cost na Europa conseguem tarifas tão baixas?

Hoje o conceito e o tipo de operação criados pelas empresas Low Cost não são mais exclusivos destas companhias. Muitos serviços que geram economia e novos ganhos para estas aéreas foram adotados, nos últimos anos, pelas companhias aéreas tradicionais, como: cobrança de bagagem e marcação de assento, operações com uma única classe principalmente em voos domésticos, prioridade na venda e atendimentos online, operação com único tipo de aeronave, diminuição de custos com pessoal, sistema simples de tarifação, etc.

A grande diferença entre a tradicional e a Low Cost é que as companhias de baixo custo também operam no esquema de Low Fare. Isto quer dizer que as Low Cost na Europa vendem passagens bem baratas. Veja aqui mais detalhes de como as companhias aéreas low cost funcionam.

Cuidados na hora de escolher uma Low Cost

Pesquisa – Item indispensável para quem busca pagar pouco. Procure em site de buscas e aqui no Melhores Destinos os preços das tarifas na rota e data desejadas.

Bagagem – A maioria das companhias, inclusive as tradicionais, agora cobra pela bagagem despachada. Veja o custo em cada companhia antes de fazer a compra, pois a mala despachada pode sair mais cara que a própria passagem. Considere comprar a tarifa que já inclui bagagem.

Mala de mão – Leve este item em conta antes de adquirir a passagem. Algumas empresas cobram pela mala de mão e este item pesa no preço final da passagem.

Low Cost x Tradicional – Não acredite que a Low Cost sempre custará menos. Pesquise, faça as contas dos itens extras e compare. Lembre-se também que ao tentar cortar custos, muitas empresas tradicionais estão operando da mesma forma que as Low Costs e cobrando vários itens, como bagagem despachada e marcação de assento. Além disto, há companhias Low Cost na Europa controladas por empresas aéreas tradicionais.

Check-in – Diferentemente das companhias aéreas tradicionais, algumas Low Costs na Europa cobram pelo check-in presencial nos aeroportos. Sendo assim, o check-in online é mais que obrigatório se o passageiro não quiser pagar tarifas extras. A Ryanair cobra 55€ pelo check-in presencial. Fique atento!

Embarque – Entre na fila, aguarde e tente ser um dos primeiros a embarcar, assim você terá mais chances de conseguir lugar no compartimento superior para guardar a sua mala de mão.

Compra antecipada – Tente comprar a passagem com uma antecedência de 120 dias, assim você terá mais chances de garantir os melhores preços. Normalmente quanto mais perto da data da viagem mais alto será o valor.

Voos independentes – Se for marcar voos independentes com conexão fique atento aos horários. Sugerimos uma folga superior a 4 horas para evitar problemas com atrasos.

Aeroportos – Algumas Low Cost na Europa operam em aeroportos secundários, principalmente a Ryanair. Estes aeroportos muitas vezes estão localizados bem longe do centro das cidades. O custo do transfer e o tempo de viagem devem ser levados em conta pelo passageiro.

Conforto – Se você está buscando conforto, a Low Cost na Europa não é a sua praia. Boa parte dos assentos não reclina e o espaço para as pernas é bem restrito. Também não há entretenimento a bordo. Esses problemas podem não incomodar tanto em voos curtos.

Serviço de bordo – Está com sede? Na maioria das Low Cost, até o copo de água é cobrado. Todo o serviço de bordo é pago. A Ryanair oferece descontos para quem reservar a compra de itens a bordo com antecedência.

Portão de embarque – Não é raro as low cost ficarem nas áreas mais distantes dos terminais de passageiros. A fila para o despacho de bagagem também costuma ser maior do que o normal, já que as empresas operam com equipes reduzidas em solo.

Clubes e Milhas – Na maioria das companhias Low Cost não é possível acumular pontos em programas de fidelidade. Uma exceção é a Vueling que é controlada pela Iberia. Em algumas outras companhias o passageiro tem a oportunidade de ficar sócio de um clube de descontos. Que só vale a pena se você viajar bastante com aquela empresa aérea.

Como encontrar passagens promocionais na Europa

Para aproveitar as passagens em promoção para a Europa é preciso acompanhar diariamente as tarifas das companhias aéreas. É isso o que o Melhores Destinos faz: monitora os preços a todo instante (24 horas por dia e 7 dias na semana) e avisa os leitores sempre que encontra boas oportunidades. Não acompanhamos diretamente as passagens aéreas de Low Cost na Europa, mas alertamos sobre as grandes promoções no Velho Continente. Para ser avisado gratuitamente sobre as promoções não esqueça de instalar o aplicativo do Melhores Destinos ou assinar nossa newsletter.

Onde pesquisar e encontrar tarifas de companhias aéreas low cost?

No Brasil, a agência online que pesquisa e vende passagens da grande maioria das low cost em operação no mundo é o Edreams. Assim você consegue comparar os preços das diferentes empresas low cost e tradicionais, escolhendo a melhor alternativa. A vantagem do site é a compra da passagem em reais sem incidência de IOF. Em alguns casos, também é possível fazer o pagamento parcelado.

Outra opção é ir direto nos sites das companhias aéreas low cost, especialmente se você deseja adicionar serviços extras. A cobrança geralmente é feita no cartão em moeda estrangeira.

Quais são as companhias Low Cost na Europa

 

EMPRESA PAÍS
Aegean Airlines Grécia
Aer Lingus Irlanda
Air Baltic Países Balticos (Lituânia, Letônia e Estônia)
Air Malta Malta
Blue Panorama Itália
Blue Air Romênia
Brussels Airlines Bélgica
Corendon Holanda
Easyjet Inglaterra (Reino Unido)
Eurowings Alemanha
Helvetic Airways Suíça
Icelandair Islândia
Jet2 Inglaterra (Reino Unido)
Norwegian Noruega
Onur Air Turquia
Pegasus Airlines Turquia
Ryanair Irlanda
SmartWings República Tcheca
SunExpress Turquia
Transavia Holanda
TUIfly Alemanha
Volotea Espanha
Vueling Airlines Espanha
Wizz Air Polônia / Hungria / Bulgária

Quais são as taxas e custos das companhias Low Cost na Europa

A operação de uma companhia Low Cost busca o preço mínimo da passagem, mas com tarifas extras em muitos outros serviços. Conheça abaixo o custo para viajar nas principais companhias Low Cost da Europa:

Ryanair

A mais conhecida e maior companhia Low Cost na Europa tem sua sede em Dublin, na Irlanda, e foi fundada em 1984. Hoje conta com uma frota exclusiva de 450 Boeings 737 da série 800. A empresa voa para mais de 200 destinos em 40 países na Europa, além de Marrocos, Tunísia, Israel e Jordânia. Encontre mais informações e detalhes da Ryanair a maior companhia Low Cost da Europa.

EasyJet

A outra gigante no setor de Low Cost na Europa é a EasyJet, empresa inglesa fundada em 1995 com sede em Luton, na Inglaterra. Diferentemente da sua concorrente, a Easyjet aposta na linha Airbus e tem a sua frota de 330 aeronaves somente de A319, A320 e A321. A companhia que voa para 140 destinos em 30 países já tem encomendado mais 110 aviões da Airbus. Encontre mais informações e detalhes da Easyjet a segunda maior companhia Low Cost da Europa.

Norwegian

A Norwegian é uma das companhias de baixo custo da Europa e a única que voa para o Brasil. A companhia com sede na Noruega tem voos baratos por toda a Europa e para outros países fora do Velho Continente. É uma das low cost mais bem avaliadas do mundo. Conheça mais informações sobre a Norwegian.

Vueling

A Vueling é outra companhia Low Cost na Europa e conhecida de vários brasileiros que buscam viajar pagando pouco pelo Velho Continente. Bem menor que a Ryanair e a EasyJet, esta empresa espanhola com sede em Barcelona, opera 120 Airbus (A319, A320 e A321) para mais de 100 destinos na Europa, África e Oriente Médio. Diferentemente das outras, ela voa para o Líbano e Argélia, e uma boa pedida para quem busca viajar pela Espanha. Encontre mais informações e detalhes da Vueling importante companhia Low Cost da Europa.

Wizz Air

A Wizz Air surgiu em 2003 e é mais uma Low Cost na Europa. A companhia tem sede em Budapeste, Hungria, e conta com 121 aeronaves Airbus (A320 e A321) e mais 260 novos pedidos. Com subsidiárias na Ucrânia, Romênia, Bulgária e Reino Unido, a Wizz Air voa para 150 destinos na Europa, mais Israel, Marrocos e Emirados Árabes Unidos. Encontre mais informações sobre custos extras, bagagem, check-in, e outros detalhes da Wizz Air.

Vale a pena voar com Low Cost na Europa?

As companhias Low Cost vieram para ficar e você deve experimentar. Já viajei em várias. Sempre fui bem atendido, com conforto razoável, sem atrasos e, o melhor, pagando pouco. Para quem busca uma forma econômica de viajar as companhias Low Cost são uma bela opção. É claro que você deve pesquisar bastante, comprar com antecedência, comparar preços, custos do transfer até o aeroporto, fazer check-in online e, principalmente, não levar malas e não adicionar itens extras que encarecem o valor da tarifa.

Já viajou com uma Low Cost na Europa? Como foi a experiência? Para você qual a melhor Low Cost europeia? Deixe seu relato e comentário logo abaixo.

86 Comentários

  • David Pitombeira says:

    Muito boa a matéria. Só acho que tem um errinho: diz que a Easy Jet tem hub no Rio de Janeiro. A info está errada ou eu que estou?

    Vlw MD por mais essa.

    Abs

  • Luiz Cunha says:

    Voei de Easyjet de Milão (MXP) x Paris (CDG) x Barcelona (BCN) x Milão (MXP) e não tive nenhum problema. Sequer houve atrasos nos voos, tudo perfeito e dentro das normas muito bem esclarecidas no site da propria empresa. Comprei meu bilhete tranquilamente pelo site e junto comprei um peso adicional para bagagem bem mais barato. Se voces deixarem para pagar na hora, certamente vão pagar bem caro por isso. Mas as regras são muito claras e só paga mais quem não lê atentamente as regras antes de efetivar a compra. Quando eu voltar na Europa, certamente voarei pela Easyjet novamente. Adorei!

    • Carlos Dias says:

      Voei de EasyJet em 2011 nos trechos Edimburgo-Paris e Amsterdã-Berlim e foi tudo tranquilo. Como o Luiz Cunha falou, compre o peso adicional junto com a compra da passagem que fica muito mais barato. Recomendo fortemente a EasyJet!

    • Luiz Cunha says:

      Vale salientar que dentro do avião voce poderá adquirir ate bilhetes de trem, onibus e ate taxi que fazem o transfer aeroporto/estações principais/centros turisticos nos principais aeroportos. Isso agiliza muito seu desembarque, principalmente se voce não conhece bem o aeroporto local.

  • Patricia Camargo says:

    Brigaduuu pela indicação do Turomaquia 🙂

    • Michel Passos Zylber says:

      Claro que citaria você e o outro pessoal que faz um trabalho super legal Paty! Foram ótimas fontes de consulta pro post, espero que tenha gostado – já que você é uma super especialista! 😀 Bjo

  • Márcio Alves says:

    Já viajei com a duas: Webjet e Ryanair. Ótimas para quem não liga muito para conforto, e sim com praticidade. São rígidas mesmo quanto às regras de tamanho e peso de bagagem. Embarco quantas vezes for preciso!!

  • Matheus Zanon says:

    Na minha viagem pela Europa só utilizei as low costs. Com bagagem extra em todos os voos e viagens para cinco países diferentes, consegui gastar 150 euros, em alta temporada. De ônibus ou trem teria gastado basicamente isso com uma viagem. Óbvio que não tem as comodidades, mas pelo preço vale a pena. Fui bem atendido em todos os guiches e voos e mesmo quando perdi um voo encontrei compreensão dos atendentes que fizeram de tudo para minizar os custos extras. Vale realmente a pena.

  • Alessandro Luciano S says:

    Só uma retificação, no Skyscanner.com.br é possível pesquisar tb voos da Ryanair. Já está saindo na pesquisa.

  • Gisela Cabral says:

    Post muito legal e cheio de informações úteis para quem usa ou vai usar os serviços dessas cias aéreas! Moro na Holanda e já viajei bastante pela Easyjet. Posso dizer que todas as minhas experiências nesta cia foram bastante positivas, mas pq sempre fiquei atenta a todas as regrinhas descritas no post! E realmente, programando-se com antecedência dá pra adquirir passagens inacreditavelmente baratas!

  • Fabricio Ricardo Do says:

    "Busque, pesquise, compare e… não compre! Veja o voo que mais vale a pena, vá ao site da empresa escolhida e compre diretamente lá." É o que faço com o Submarino Viagens.. hahahahahahahah

  • Samir Peña says:

    Em outubro usei 3 low cost em voos pela Europa: Transavia de Paris (Orly) para Porto (Portugal), RyanAir de Barcelona (El Prat) para Treviso (próximo à Veneza), Itália e EasyJet de Roma para Amsterdam. Quando comprei não declarei bagagem e fui com uma mochila de mochileiro, tive que despachar e na Transavia me cobraram 20 euros, na EasyJet 30 euros e na RyanAir 60 euros, quase o dobro do valor que paguei na passagem (34 euros). Fica a dica mesmo que realmente não pretenda levar mala, já compre com despacho de mala, preferivel pagar 10 euros a mais do que ter que pagar 60 euros. Quanto as cias aéras, gostei muito da EasyJet, vendem até café da Starbucks (pelo menos o catalogo dizia que era xD), a Transavia apesar do aspecto dos aviões o serviço é bom e tranquilo e na RyanAir é um verdaeiro shoping, até loteria vendem, mas nada que atrapalhe a sua viagem, principalmente se você for como eu, que viaja dormindo o voo inteiro (exceto que o comissário me acordou mandando eu fechar minha janela e não sei por qual motivo, já que minutos depois me acordou mandando abrir o.O).

    • lidianne says:

      Aconteceu comigo na Ryanair. Só que eu já sabia do problema do excesso de peso da bagagem e que eles sempre tarifam. Então cheguei com antecedência no aeroporto e vesti as roupas mais pesadas da mochila, levei o guia na mão + um casacão. Sufoco! Mas na hora de pesar a mochila, passou raspando! 😉

  • Fabi Cherubim says:

    Recomendo fortemente a easyjet!!! A air lingus que é irlandesa também é muito boa… Agora ryanair vale a pena pelos preços e viagens curtas, pois é estressante passar com malas fora do tamanho… porém não tive maiores problemas com ela… como disseram acima, pessoas bem informadas sobre as regras dessas cias nunca terão problemas…

  • Camila Montanha says:

    Tem dessas empresas de low cost nos EUA tb? Entre NY e Vegas?

  • Eduardo Carrá says:

    Excelente artigo! A principio essas companhias parecem ser incriveis, mas quem não conhece os detalhes acaba pagando bem mais que um voo normal. Mas, como foi citado, quando se está bem informado vc consegue tirar proveito. Em fevereiro desembarco na europa. Das companhias citadas como low cost, só viajarei de Lufthansa e Air Berlin.

    Ahh, não sei se é o foco do MD, mas achei uma low cost de ÔNIBUS com preços incríveis! Por exemplo, minha passagem de Paris para Manchester custou no total, com as taxas, 5,50£!!!

    O site da empresa é: http://www.megabus.com/
    A companhia circula por todo o Reino Unido + Paris, Bruxelas e Amsterdam. Os trechos internacionais, comprados com atnecedência, são sempre baratos, podendo achar passagens até de 1£!

  • lidianne says:

    Já viajei de:

    – Air Europa: voos dentro da Espanha são ok. Já do Brasil prá Espanha, não recomendo. Aeronaves velhas, assentos incômodos e apertados, serviço de bordo ruim

    – Easy Jet: ótima! recomendo. Vale lembrar que eles tem um ótimo e barato serviço de ônibus dos aeroportos mais distantes de Londres para o centro.

    – Lufthansa: excelente! Os voos do Brasil prá Europa são equiparáveis aos da AirFrance

    – Ryanair: simples, cobram por tudo, vendem tudo quanto é bugiganga durante o voo, a regra de bagagem é ruim, mas costuma ser a mais barata. Tem que ficar atento aos aeroportos, normalmente ficam distantes das cidades principais

    – Vueling: excelente, voa para os aeroportos principais, serviço de bordo ótimo, ótimas promoções.

    Vale a pena se cadastrar nos sites das cias aéreas quando estiver programando a sua viagem. Consegui ótimas promoções.

  • Erik Galdino says:

    Sobre a Easyjet, na verdade o bagagem despachada não está inclusa no preço. Fiz voo com eles diversas vezes e um recentemente, em dezembro, paguei 11 euros por mala despachada, comprando antecipadamente no site.,

    • Michel Passos Zylber says:

      Olá Erik, obrigado pelo comentário. Eu fiquei mesmo em dúvida quanto a essa questão bagagem na Easyjet, mas acredito que dependa do voo. Li relatos onde era inclusa e outros não. Em todo caso é sempre melhor confirmar com a empresa antes de voar! Abraço

  • Henrique Zarpellon M says:

    CUIDADO com a AIR BALTIC!
    CUIDADO com a AIR BALTIC!
    CUIDADO com a AIR BALTIC!

    • Henrique Zarpellon M says:

      A Air Baltic parcela as passagens! Ok! Até aí nada de diferente das demais! O problema é que para cada data de vencimento da parcela você precisa entrar no site da Air Baltic e passar novamente o cartão. Para cada parcela vc deve entrar no site e passar o cartão!!! Se não fizer isso e a data do vencimento da parcela ser ultrapassada vc irá perder a passagem e eles não irão reembolsá-lo!

  • Marcos Esteves says:

    Viajei de EasyJet no trecho Paris/CDG – Porto e não tenho reclamações. Custou 46 euros, com os 10 euros da bagagem despachada. Nossas bagagens de mão era bastante grandes, especialmente a minha. Tinha esse medidor de bagagens no início do check-in. Nem tentei por ali, pq sabia que não caberia rsrs. Mesmo assim, nos deixaram embarcar normalmente, sem custos adicionais. Apenas implicaram com a bolsa da minha mãe, que enfiamos na hora, com um certo sufoco, dentro de uma das bagagens. Pras mulheres, é bom ficarem atentas a isso. Lembro que na sala de embarque não tinha banheiro. Esse speed boarding é zuação, o povo passa na frente, mas, se vc chegar no horario, nao vai perder voo.

    Só um comentário, a GermanWings é ainda melhor! parece uma companhia normal. Atendimento ótimo, bom avião e totalmente despreocupados com essas formalidades de bagagem (ao menos comigo foi assim). Fiz o trecho Colônia – Lisboa e recomendo até mais que a Easyjet… Porém, a GermanWings nem sempre tem bons preços… e esse trecho saiu mais caro (84 euros, com bagagem despachada) até (mas era o único que tinha, na época) que um outro da TAP (60 euros) quatro dias depois de Lisboa pra Munique. No entanto, sei que a GermanWings tem promoções interessantes tbm!

    valeu

  • Zé Jos&eacute says:

    Só uma dúvida, essas empresas na verdade fazem trechos somente entre países da Europa como diz no começo da reportagem, correto ou entendi errado? Daqui do Brasil para lá não tem, ou tem?

  • Eli Moreira says:

    Já usei a Vueling de Barcelona para Amsterdã, saindo do El Prat (BCN) e chegando no Schiphol(AMS). Além de utilizar os aeroportos principais para esse trecho, gostei muito do serviço e o espaço entre as poltronas não me pareceu tão desconfortável.

    Também já voei com a EasyJet de Paris para Lisboa, saindo do Charles de Gaulle (CDG) e chegando no Portela (LIS). Apesar de também haver utilizado os aeroportos principais nesse trecho, o serviço da EasyJet me pareceu um pouco pior que o da Vueling e as poltronas não reclinavam.

    A avaliação que faço é positiva, desde que se tenha em mente todas as regras restritivas, que são feitas justamente para os desatentos, gerando uma receita com a qual esse tipo de companhia costuma contar, razão pela qual eles quase nunca perdoam os desavisados.

    • Eli Moreira says:

      Para quem quer fazer toda uma eurotrip no esquema "low cost, low fare" E NÃO É CLAUSTROFÓBICO, a easyJet ainda tem uma rede de hotéis em várias cidades, a exemplo de Amsterdã, Berlim e Londres.

      Os hotéis geralmente são bem localizados e tudo é muito novo. O lado ruim fica pelo tamanho do quarto, sem falar no pagamento de taxa para quase tudo: controle remoto da tv, limpeza todos os dias etc.

      Nunca me hospedei num desses, mas alguns amigos já e disseram que ficariam novamente em razão do custo-benefício.

      Um outro amigo já ficou numa outra rede semelhante em Londres, chamada Tune, e também aprovou.

      Eis os links de ambos:
      http://www.easyhotel.com http://www.tunehotels.com

      Espero que as dicas sirvam para alguém que esteja planejando uma viagem como essas.

  • Diogo Andrade says:

    Eu recomendaria essas viagens por companhias low cost para viajantes que já tem uma boa experiência sobre como se locomover pelas cidades da Europa. Vou citar meu caso como exemplo, quando era mais novo, fiz minha primeira viagem só para a Europa, fui a princípio para a Espanha e planejei uma viagem por 6 países e fiquei encantado com os preços da Ryanair e Easyjet. Consegui trecho de Londres – Valladolid por 14 Euros, enquanto as outras estavam mais de 100 euros por trecho. No fim das contas todos os trechos comprados pela Ryanair e Easyjet saíram por um preço mais barato que apenas um trecho por outras companhias! Porém a inexperiência pesou quando estava em Paris, onde precisava pegar um vôo para a Escócia. A poucas horas de embarcar, fui procurar me informar onde era o aeroporto Paris-Beauvais, faltando pouco mais de 3 horas pro vôo, após muito lutar para conseguir alguém que passasse informações em inglês e que soubesse onde ficava esse aeroporto, descobri que não era exatamente em Paris e sim numa cidade a cerca de 1:30 de lá. Assim que descobri fui correndo para pegar o ônibus e ir até lá. E assim que cheguei na estação de ônibus havia um partindo para lá e o outro só saía em meia hora. Então cheguei lá cerca de 9:30 da noite e meu vôo saía as 10! Assim que entrei no aeroporto escutei meu nome sendo chamado para embarcar, porém menos de 2 minutos depois quando chego no check in a moça lá disse que já não podia embarcar mais. No fim das contas não tinha mais jeito.. A princípio tinha na cabeça a ideia de virar a noite no aeroporto e pegar o primeiro vôo do dia seguinte. Mas o aeroporto estava prestes a fechar. Então saí pela cidade e era um deserto, estava frio e eu carregava minhas bagagens. Procurava táxi e não encontrava. Quando achava alguém, não falava inglês. Perguntava por hotel e ninguém conhecia algum que tivesse recepção depois das 10. Até que passou a polícia e pedi ajuda. Apesar de não me entenderem, perceberam que procurava um hotel e pelo que entendi, fazendo gestos com os dedos, entendi que o que teria aberto seria mais caro. Mas mesmo assim disse ok. Peguei a carona com os policiais e cheguei no hotel, a diária me saiu 130 euros. Pra dormir poucas horas! Acordei cedinho e segui pro aeroporto novamente, quando fui ver o preço das passagens, estava mais de 300 euros! No dia seguinte tinha uma por mais ou menos 100. Então resolvi comprar pro dia seguinte.. Passei o resto do dia nessa cidade que é um lixo! Só fazia frio, chovia e não tinha nada pra ver. Fui pra um hotel mais barato onde dormi.. E somente no outro dia peguei o vôo para a Escócia. No fim das contas, esse imprevisto me tirou uns 2 dias de passeio, e só fiquei mais um em Edinburgo, onde mal conheci.. E o preço que paguei por transporte, hospedagem e outra passagem cobriram todos os benefícios que tinha pago pelas passagens baratas. Desse dia em diante, sempre procurei me informar o máximo possível e acho que hoje me viro em qualquer lugar do mundo! O que pesou na época foi o fato de ser novo, adolescente e inexperiente em viagens. Então o negócio hoje em dia é sempre pesquisar o aeroporto com antecedência, ver meios de transporte e o tempo que levam, o gasto também para chegar dessas cidades satélites para a cidade destino. Em alguns casos pode sair bem mais barato e valer a pena, mas em outros sai pouco mais barato e definitivamente não vale a pena! É isso.. acho que acabei escrevendo demais. E ótima postagem por sinal, se tivesse disso naquela época com certeza não perderia meu vôo!

  • Andre says:

    Usei a Pegasus para ir de Istambul a Tel-Aviv e achei otima

    Preço muito bom com excesso de bagagem comprado pela internet

    Pena que ela usa o aeroporto de Sabiha e nao o Ataurk , mas valeu a pena o preço

  • Diogo Alves da Conce says:

    Leo, excelente matéria. Muito bom. Na boa, sempro acompanho aqui o MD. Mas esse post se superou. Completo, informativo e bastante útil. Muito bom … Se pudéssemos dar uma nota, seria nota "Infinito" … Hahahaha… Novamente, parabéns …

  • Sonia Canellas says:

    Acompanho o Melhores Destinos há muito tempo. Há sempre informções e dicas ótimas para quem gosta de viajar. Mas, este foi, para mim, o melhor post. Bem escrito, informativo, detalhado, até mesmo didático. Adorei! E chegou no momento em que estou planejando uma viagem à Europa, vai me valer muito mesmo. Obrigada, MD! Vocês são realmente fantásticos!!!! Obrigada também ao Michel por tantas informações importantes e por compartilha-las com os leitores. Muito bom. Parabéns.

    • Michel Passos Zylber says:

      Oi Sonia, tudo bem? Que legal teu comentário! Tenho certeza que a equipe do MD também gostou muito, mas não posso negar que pra mim teve um gostinho especial, né? 😀 Espero que ajude mesmo na tua viagem aqui na Europa e que seja uma experiência única! Prazer colaborar com o MD que tem leitores "de classe" como você! Grande abraço e muita paz! Michel

  • George says:

    Algumas dicas das cias. que eu já voei:

    – RYANAIR: Ela opera com mini-hubs (por exemplo: em Portugal é no Porto, além de voar até Faro). A organização depende muito do aeroporto e da equipe de cada país. Um exemplo: em Portugal todo o processo de check-in até o embarque é feito da mesma maneira que as outras cias aéreas, sem diferença nenhuma. Já na Alemana, em Hahn (que a Ryanair vende como Frankfurt, mas fica a 120kms de distância) é a desorganização total, pois são todos os counters para fazer o check-in de todos os vôos que eles operam. Super desorganizado mesmo (sem contar que ela fica em um terminal específico, enquando que a Lufthansa, por exemplo, opera em outro)

    Em todos os vôos da Ryanair que saem de Portugal é feito a pesagem e a colocação das bagagens nesses boxes. No Porto são um pouco mais rígidos. Em Faro já vi funcionários a somente alertar os passageiros. Já voei para de Faro para Rygge, Noruega (que a Ryanair vende como Oslo) e lá eles não fizeram a vistoria de bagagem. Tanto que vi várias pessoas a carregar mais de um volume por pessoa (uma mala de mãe e uma mochila).

    – EASYJET: fiquei com uma má impressão dela pois o avião decolou com 10 minutos de antecedência. Acabei por perder o vôo. E depois entendi a razão, que serve para praticamente toda cia. low cost low fare:

    A pontualidade é muito estimada pelas cias. Esses aviões voam para vários e vários destinos durante o dia, praticamente non-stop. Então geralmente (caso não ocorra problemas de ordem climática ou greve) os primeiros vôos da manhã saem sempre na hora, mas os últimos decolam com grande atraso devivo algum contratempo que ocorreu durate estes trajetos. Talvez, para "irem ganhando tempo" os pilotos saem um pouco antes.

    Outra coisa: pelo que pude perceber, pela Ryanair o embarque sempre é feito pela remota. Ganha-se tempo.

    Acho que é isso.

    Excelente artigo!

  • Ana Cristina Da Roch says:

    Webjet ou EasyJet? 😉

  • Aline Rubinato says:

    OLá! Será que podem me ajudar? Comprei uma passagem de Londres pra Paris pela EasyJet e comprei o que era necessário para despachar a mala. Vi que fazer chekin sem ser online tem um alto custo. Posso fazer o chekin online e chegar no aeroporto e só despachar a mala? Estou bem perdida mesmo pois nunca viajei assim.

  • Michel Passos Zylber says:

    Fala Diogo, beleza? O Léo tem toda razão, curti demais essa força de vocês e com certeza gratifica um trabalho que faço com muita dedicação e prazer! Valeu mais uma vez Léo pelo espaço nesse trabalho tão irado no MD e Diogo pelo comentário bem especial! Abração pra vocês, boas viagens e muita paz!

  • Bernardo says:

    Excelente post! Realmente informativo, bem escrito e organizado. Tive boas experiências com a Ryanair, mas por ter feito algo na época algo reforçado aí pelo Michel: "ler todas as informações passadas no momento da compra do bilhete no site". Parabéns Michel pelo trabalho e ao MD pelo mais novo guia! 🙂

  • Rodrigoclt says:

    A Easyjet é nojenta com mala de bordo, pelo menos saindo de Londres, uma amiga estava com uma mala de mão e uma bolsa de dinheiro pequena. No embarque falaram que só podia 1 volume, aí tive que abrir a mala de bordo e dar um jeito de enfiar a bolsa de dinheiro lá dentro. Foi difícil pois a mala estava lotada.

  • Camilla Morais says:

    Viajei de Vueling de Barcelona a Madrid e Madrid a Florença. A Cia oferecia um serviço de despacho de bagagem por um valor x com até 23kg por mala se você comprasse no site junto com a passagem. Não sei agora, mas quando eu comprei não havia especificado um limite de peças. Comprei as passagens aqui do Brasil com mais 3 malas para despachar. No primeiro trecho não tivemos nenhum problema, despacharam nossas 3 malas de Barcelona a Madrid sem nenhum adicional e ainda levamos duas peças de bagagem de mão com 10kg cada. Em Madrid tudo mudou, não queriam deixar a gente despachar a terceira mala, com o argumento de que só poderia ser despachado uma peça por pessoa. Pedimos o regulamento, não havia nada sobre essa restrição, mostramos o site da vueling e o bilhete de Barcelona a Madrid e não conseguimos acordo. Enfim, tivemos que pagar 12E por quilo e jogar uma mala menor no lixo. Não tivemos problemas com o vôo, como atrasos e desconforto, e para quem não viaja com muita bagagem, compensa e muito em curtas distâncias. Só não recomendo a vueling pelo modo como fomos tratados em Madrid.

  • Windson Mateus says:

    Em 2009, voei de Barcelona para Ibiza pela Ryanair. Preço: 20 euros. Agora fiquei pasmo quando soube que eles cobravam até mesmo a ida ao banheiro => 2 euros!

  • Isabella Rabello says:

    Adorei a sua dica, Eli! Ano que vem pretendo fazer uma viagem maior pela Europa, porém estava achando os preços pra hospedagem bem pesados. Agora ficou um pouco mais leve!

  • Windson Mateus says:

    Ainda bem que era um vôo bem curto. Mas sou bem prevenido sim hehehe E ainda bem que não surgiu a necessidade de utilizar esse serviço 😀

  • beto says:

    Eu já fiquei em um Tune em Londres e recomendo, com as mesmas observações para as low-cost aéreas: leia bem o que está escrito no site e saiba o que está incluído ou não (inclusive horários de entrada e saída).

    Tudo é cobrado extra, reserve antes o que vai precisar e veja se ainda vale a pena. Por exemplo, eu não preciso de secador, tem gente que não quer TV ou wifi, eu tb paguei pelo checkout mais tarde. O quarto era novíssimo (os de Londres foram inaugurados em 2012). Para uma pessoa só é tranquilo, para 2 já fica apertado; tem que ser 2 pessoas que se dão muito bem, rsrs. Tem até diferença de preço de quarto com ou sem janela; como só ia dormir lá, peguei o mais barato, sem janela.

  • beto says:

    Aline, acho que nisso é igual a voar na Tam ou Gol e fazer o checkin online com antecedência. Depois vc chega no aeroporto e despacha a mala – pois, para despachar a mala, só no aeroporto mesmo, certo?

    Normalmente no processo de checkin online há uma pergunta sobre se vai ou não despachar malas e depois aparece a orientação de como fazê-lo no aeroporto.

  • Samir Peña says:

    Olá Aline

    No meu voo com a EasyJet eu já sai do Brasil com todos os check-in feitos e impressos (não saberia se eu iria conseguir imprimir lá, então já resolvi sair precavido). O processo de check-in online é igual ao nosso aqui da Gol ou Tam. Com o check in impresso é só chegar no aeroporto e despachar a mala, e é onde eles conferem se sua mala está nas especificações, no meu caso, no meu vôo de Roma para Amsterdam não estava e tive que pagar 30 euros. Quanto aos seguros que eles vendem eu não comprei, até porque eu já estava 'segurado' com o seguro-viagem que temos que comprar aqui do Brasil para poder entrar na Europa e pelo menos no meu seguro (da Mondial) dizia que também cobria extravio de bagagem. Com isso não contratei nenhum seguro dessas cias de low cost

  • leonardo salgueiro says:

    Olá ja utilizei a easyjet num trecho PORTO- PARIS e foi tudo bem, eu tinha produtos na mala com mais de 100ml e não pude embarcar na mão, fui até o balcão pq precisava despachar , fui morrendo de medo e até agora não acredito que a moça do balcão despachou a minha mala e não me cobrou nada!!!Já utilizei a VUELING e tbm deu tudo certo, com a AIREUROPA eu descobri no momento do embarque q só poderia despachar uma mala, mas deu tudo certo.

  • Michel Passos Zylber says:

    Valeu demais Bernardo, fico feliz que tenha gostado e realmente o post se resumiria nessa frase aí: ler todas informações no momento da compra para evitar problemas! Mas assumo que até pouco tempo atrás eu também não lia e até por isto resolvi desenvolver esse guia! Agradeço mais uma vez a turma do MD pelo espaço e pelo convite! Abração e muita paz! Michel

  • Michel Passos Zylber says:

    Verdade Rodrigo, tive o mesmo problema e é muito chato, até porque já organizamos a mala para encontrar as coisas mais facilmente e aí bagunça tudo. Basta se organizar um pouco antes que essas coisas podem ser evitadas! Valeu pleo comentário, abraço

  • Michel Passos Zylber says:

    Boa Windson, dessa eu nunca tinha ouvido falar! Se for pensar é realmente um absurdo… mas é a política meio paradoxa das low costs! :/ Abraço

  • Dênis Colli says:

    PRINCIPIO BÁSICO PARA VIAGENS:

    "Sempre pesquise no GOOGLE MAPS o destino, trace rotas de origem e destino para ter uma ideia de distancia, etc… E para saber se a hospedagem fica em lugar bacana, seguro, utilize o Google StreetView"

  • Aline Rubinato says:

    Muito obrigada Samir e Beto!

  • Maria do Socorro Bar says:

    Alguma informação da Transavia? To pesquisando um trecho de Lisboa a paris em julho e encontrei melhores tarifas nessa companhia. Ja viajei de vueling e de easyjet sem qualquer problema, tendo os cuidados devidos com a bagagem. Essa Transavia nao encontro informações consistentes!

  • Rafael says:

    Já fiquei num easyHotel (para experimentar, pois também tinha fechado diárias em um hotel no Centro) em Amsterdam e a localização não é ruim, fica perto da rua onde tem o Kuypmarkt e há comércios ao redor, mas para ir à região dos canais (Centro) é necessário ir de tram.

    O preço da diária não achei "low fare" – é igual ao dos outros três estrelas de Amsterdam. A realidade é que em AMS a hospedagem é cara, no mesmo naipe de Paris.

    Quanto ao hotel em si, achei bem relapso. Há taxa para tudo, não repõem as toalhas (cada toalha extra: 1 euro) e a taxa de limpeza do quarto, se solicitada, é 15 euros.

    Já sabia disso tudo quando fiz a reserva, mas ao chegar lá o quarto que me deram não estava "pronto", com a roupa de cama usada e suja, o chão bem sujo (o pé ficava preto ao andar descalço) e o box do "inovador" banheiro de paredes de vidro deixava vazar água para o quarto, correndo risco de molhar as malas.

    Claro que quando reclamei – da limpeza e do box vazante – o pessoal da recepção queria cobrar extra pela limpeza. E não adiantava falar que sequer havíamos usado a cama, pois deixamos as malas e saímos direto pra rua.

    A coisa foi só resolvida depois que insisti e bati o pé para que trocassem o quarto e ainda pedi para a atendente subir comigo até o quarto a fim de atestar se estava tudo OK e eu não precisar questionar de novo.

    O pior é que não pareceram surpresos com a minha reclamação.

    É hotel para ficar duas noites no máximo, ainda assim se for só para servir de base para dormir e ficar fora na rua o dia todo. O custo-benefício não compensou, além de ser claustrofóbico para quem não gosta de aperto, a janela é selada (ar central).

  • Rafael says:

    Excelente matéria, parabéns!

    E as dicas do pessoal aqui nos comentários são a cereja no bolo.

    Parabéns ao autor, à comunidade MD e à própria equipe do MD pro nos proporcionar esse "hub" de informações. 🙂

    Abs.,

  • Rafael says:

    Talvez seja para inibir o pessoal de beber água da torneira… rs

    Abs.,

  • Elisa says:

    Também estou em busca de informações sobre a Transavia. No meu caso, será de Paris para Veneza e ela oferece um horário que me atenderá perfeitamente! Alguém ajuda? rs

  • Denise de Gastao says:

    Gostaria de sugerir o tema " Seguro de viagens".

  • Adriano Leal says:

    Obrigado pela matéria bem completa, estou indo a Europa em Julho de 2013 e andei pesquisando no skyscanner vôos entre cidades sendo que em algumas delas tá saindo mais barato voar pela Iberia e Airfrance, vale a pena desistir das lowcost e voar com essas duas companhias mencionadas?

  • Adriano Leal says:

    Corrigindo…

    Onde se lê "tá saindo mais barato" favor substituir por "tá saindo um pouco mais caro na faixa de 5 a 10 euros apenas"

  • Daniel Soares says:

    Olá!

    Vou de Veneza a Colônia/Alemanha e encontrei um preço/horário muito bom pela lowcost Germanwings.

    Mas estou preocupado, pois não encontrei muitas referências sobre ela.

    Sabe dizer algo? Dica ou recomendação?

    teh mais

  • Guilherme Vulcano says:

    Morei na Europa por 1 ano e meio e aproveitei o período e conheci muitos lugares por lá e a grande maioria dos trechos com companhias low cost ou trem, gastei uma mixaria de avião e valeu MUITO a pena. Recomendadíssimo! Tem que pesquisar muito, e se for em mais gente é melhor porque se precisar de bagagem extra faz 1 mala a mais para 2 ou 3 pessoas e divide o custo. Outra coisa é procurar fazer os trechos em baixa temporada, os meses de fevereiro e março, outubro e novembro costumam ter preços arrasadores (cheguei a ver voos da Calábria, no sul da Itália para Pisa por 8 euros, já com taxa de embarque e tudo!!! É um voo de 2 horas). Os trechos em que utilizei as companhias low cost foram: Ryanair voei Roma > Londres , Londres > Frankfurt (dai peguei trens para Amsterdã, depois bruxelas, depois Paris), e então Paris > Roma. Em outra trip, voei pela low cost Pegasus Airlines o trecho Roma > Istanbul e pela Olympic Airlines os trechos Istanbul > Atenas e Atenas > Cairo … de lá um ônibus para Hurghada (no Egito também), e de lá voei Easyjet o trecho Hurghada > Genebra, depois Genebra > Barcelona, Barcelona > Madri (este pela Vueling) e Madri > Lisboa de novo pela Easyjet(ai então um trem para Porto), ai voei Ryanair Porto > Milão (ai um trem para Veneza), e então Easyjet novamente Veneza > Nápoles/Ilha de Capri. É maravilhoso poder conhecer o mundo sem gastar muito. Enquanto isso, aqui na América Latina, temos que ficar torcendo para uma baixa nos pontos para emitir passagem com milhas ou pagar 500 reais com taxa de embarque em um voo de 2:30h para Buenos Aires =( Aproveitem as low cost da Europa, porque dá saudades =P

  • Wagner Brito says:

    Agora uma dúvida paira em minha mente rs: o que fazer com a bagagem se eu estiver fazendo um mochilão pela Europa e optei por uma destas cias, tendo em vista o fato de a passagem de trem estar meio salgada e o fato de que levei uma bagagem desproporcional ao da maioria das cias low coast do velho continente? Esses armários em estações de trens são realmente seguros ou compensa usar a mesma cia que opera vôos para o Brasil mas com aviões narrow-body, como British Airways?

  • Ivys Melo says:

    Galera será que alguém poderia me ajudar ?

    Vou ficar em Dublin e minha namorada vai ficar em Albi na França, gostaria de conseguir encontrar com ela pelo menos 1 vez ao mes usando as companias low cost. Pelo que já vi, as cidades mais proximas de Albi que recebem voos sao Toulouse, Carcassone e Rodez, porém só econtro a ryanair que faz esse trecho, vcs conhecem alguma outra compania que saia da irlanda pra frança ? O ruim da ryanair é que os vôos são muito limitados principalmente em relação a dias e horários.

  • A Aer Lingus também faz, mas deve ser mais cara. As grandes fazem com conexões, como a Lufthansa, que passa por Frankfurt, ou a British em Londres. Se estiver com tempo podem ser boas opções.

  • Carol says:

    Preciso de ajuda… Tenho tentado comprar na ryanair de Paris para Roma e não consigo pagar pq o site converte automaticamente para Real… o que as operadoras de crédito não estão mais aceitando… Como faço pra pagar???
    Desde já agradeço a colaboração.

  • Daniel says:

    Em todo site que vou há muita desinformação.
    Viajo em dezembro pra 3 ou 4 países da Europa. Com certeza vou utilizar estas empresas "low cost".
    Serão 4 passageiros adultos, levando pelos menos 3 malas (com nenos de 20 Kg) que NÃO poderão ir a bordo.

    Pergunta: a EasyJet sempre cobrará para despachar as 3 malas?

    Obrigado!

  • Karine says:

    gostaria de saber qual a melhor companhia para eu comprar trecho Paris (França) – Faro (Portugal) em dezembro, estarei com meu filho de 10 anos de idade. e depois de faro para Brasilia (Brasil)

  • Talita says:

    Olá! Será que poderiam me ajudar? Gostaria de saber se o pagamento das passagens nessas cias, é feito somente através do cartão de crédito. Não é possível fazer o pagamento no débito? Gostaria de saber se as taxas no cartão de crédito são muito altas.
    Obrigada!

  • Talita says:

    Olá! Vc estava tentando pagar no débito ou no crédito? Deu certo?
    Também estou com problemas para fazer o pagamento.
    Obrigada!

  • Bom dia, adorei o Post e esta sendo de gigante ajuda, estou com uma duvida.

    minha volta para o Brazil esta marcada para o dia 24 de novembro Barcelona/sao paulo – estarei fazendo turismo com a minha esposa. Eis a minha duvida agora, estarei em Roma e preciso ir para Barcelona que meu voo de volta para o BR será as 20h30 da noite tem um voo muito barato low cost 08:55 Fiumicino Arpt (FCO) 10:45 Barcelona Arpt (BCN) custando 155 reais para duas pessoas. a pergunta é POSSO CONFIAR? morro de medo de comprar e atrasar ou devo comprar em empresas grandes como a IBERIA?

    muito obrigado e aguardo!

  • romuloff says:

    Alguem pode me ajudar ? Leonardo?
    Estou indo pra um mochilão final de abril, e como a mochila é facilmente
    mais de 10kg, nos trechos que voarei de low fare já estou comprando o
    extra da bagagem despachada.

    .

    Até aí sem problemas, mas o que eu gostaria de saber é que apesar de aqui ter sugerido 2h30m antes, quanto tempo
    antes da viagem as empresas cobram o limite pra despachar esta bagagem?

    .

    Pois pode tornar-se inconveniente eu escolher algumas passagens
    cedo, por exemplo de Berlim a Amsterdam estou olhando uma de 06:30. Se
    eu precisar chegar extremamente cedo não compensa (teria que estar no aeroporto às 04:00 da madrugada, enfim, não dormir).

    .

    Pior que a outra hora é só às 16:05 daí já atrasa meu dia por lá. O que
    eu queria mesmo era que tivesse uma que saísse às 10:00, mas nada é
    perfeito né hehehe

    .

    Obrigado

  • eric says:

    ótima matéria! Acho que a Ryanair mudou de 15kg pra 10kg

  • Lili says:

    Irado esse post! Muito alto astral a linguagem….apaixonei! Parabéns pela especificidade das informações. Vlw!!!

  • Aline Fontana says:

    Alguém já voou de Volotea dentro da Itália? Não consigo entender se toda bagagem despachada é paga a parte…

  • André NKT says:

    Ótima matéria, show de bola.

  • João says:

    Li vários comentários de várias pessoas aqui e, foram muito bons e instrutivos. Os que eu li , não vi uma dica e observação de extrema importância: Elas só são Low Cost quando você não “despachar” mala. Paga-se, e caro para despachar mala. Portanto, planeje sua viagem apenas com mala de mão e que caiba nos dispositivos de controle nos check in.

  • Deise says:

    Essas empresas Low Cost aceitam Visa Travel Money?

  • Bethania Villela says:

    Matéria sensacional. Super bem escrita. Objetiva, didática e de alto valor de conteúdo! Parabéns ao Michel Zylberberg pela excelência de seu artigo e ela boa vontade em auxiliar viajantes menos afortunados. Parabéns ao Melhores Destinos por inserir matéria de tal importância. Vocês são um espetáculo!!!

  • Deise says:

    ngm ajuda aqui…kkkkkkkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *