logo Melhores Destinos

Quer viajar nos próximos meses? Saiba a hora certa de comprar a passagem aérea!

Leonardo Cassol
Leonardo Cassol
23/10/2018 às 13:33

Quer viajar nos próximos meses? Saiba a hora certa de comprar a passagem aérea!

Você planeja viajar nos próximos meses e está indeciso quanto ao melhor momento para comprar a passagem aérea? Se pergunta se não é melhor esperar o dólar baixar mais? Ou se pode aparecer uma promoção melhor na semana que vem, depois das eleições, ou na Black Friday? Nós sabemos as respostas para essas e outras dúvidas, que você confere nesse post especial!

Passagens aéreas internacionais

Estamos vivendo um momento raro e importante. A combinação de uma baixa ocupação geral dos voos interacionais que saem e vem para o Brasil, com um dólar mais fraco e em queda. O resultado são as melhores tarifas do ano para dezenas de destinos no exterior. Por exemplo, recentemente divulgamos promoções com voos para Miami por R$ 1.115, para o Chile por R$ 417, para a Espanha por R$ 1.496, para Portugal com voos diretos por R$ 1.664, e por aí vai… Todos valores de ida e volta, com as taxas incluídas!

As grandes questões são: Esses preços mais baixos vieram para ficar? É possível que as tarifas baixem ainda mais? Claro que pode aparecer uma super promoção ou bug a qualquer momento, mas a nossa experiência de mais de dez anos acompanhando diariamente os preços das passagens aéreas nos permite afirmar que esse momento de preços excepcionais nos voos internacionais é temporário e, infelizmente, não deve durar muito tempo. E vamos explicar o porquê!

De um lado, o custo das companhias aéreas aumentou significativamente nos últimos meses. O preço do combustível de aviação bateu seu recorde histórico em setembro desse ano. De outro, a disparada do dólar assustou os viajantes e derrubou a procura por passagens. Para não voar com aviões vazios, as empresas tiveram que diminuir muito as tarifas e passaram a operar no vermelho. A gente viu esse mesmo filme em 2016…

Acontece que com a queda do dólar e do euro e tendência de estabilização do câmbio a procura por passagens internacionais está subindo rapidamente. As pessoas estão perdendo o medo de viajar e os bons preços vão atraindo a demanda que estava represada. Os voos gradativamente vão voltando a sua ocupação normal e, uma vez esse movimento consolidado, as companhias aéreas vão recompor suas margens e até, possivelmente, compensar as perdas que tiveram com tarifas ainda maiores. Isso pode acontecer rapidamente, ou de forma gradual, começando por determinadas rotas. Mas será sem aviso prévio!

Entenda como funciona o preço das passagens aéreas

Portanto, a nossa recomendação para você que planeja viajar nos próximos seis meses para os Estados Unidos, Europa, Caribe ou Ásia é: encontrou uma passagem com bom preço para o destino que você quer, em datas que te atendem, não deixe para depois!

As chances de daqui a alguns dias você nunca mais encontrar nada parecido é infinitamente maior do que a de aparecer alguma promoção nova e com preço melhor do que as estão rolando. Quem aproveitar o momento certamente vai garantir os menores preços!

Se for viajar de julho de 2019 em diante, não tenha pressa. Nesse post temos mais ficas sobre qual é a melhor hora para comprar passagens aéreas.

Já sobre a Black Friday, a data tradicionalmente não costuma trazer nenhuma grande promoção nas passagens em dinheiro. No segmento de viagens, geralmente os hotéis e os programas de fidelidade que costumam ser mais agressivos durante o evento.

Passagens aéreas nacionais

As passagens nacionais seguem uma dinâmica um pouco diferente. De um lado a demanda não caiu tanto quanto como nos voos para o exterior. Até porque, com o dólar em disparada, parte dos que iriam fazer uma viagem internacional acabaram optando por viagens dentro do Brasil. De outro, nos últimos anos houve uma grande e sucessiva redução de oferta e corte de rotas. Por isso estamos vivendo uma seca histórica de promoções, tarifas mais elevadas, e uma escalada expressiva do que as companhias aéreas chamam de receitas auxiliares, como taxas para o despacho de bagagem, que dobraram de valor em pouco mais de um ano, além de novas ou altas taxas para antecipar voo, marcar assento, remarcar a passagem etc.

Infelizmente, no curto prazo, esse cenário não deve mudar. Quem planeja viajar no fim do ano, ou nas férias de janeiro, provavelmente não vai encontrar tarifas melhores do que agora. Pesquise e compre preferencialmente nos fins de semana, quando os preços costumam ser menores (apenas nos voos domésticos). Se for despachar bagagem, tente comprar a tarifa que já oferece o despacho, já que no aeroporto o despacho pode custar até R$ 120.

Para fevereiro a junho, exceto o período do Carnaval, que será no início de março, é possível que apareçam algumas promoções até o fim do ano. Mas não espere nada arrebatador, porque a tendência é de alta nas tarifas, mesmo com todas as taxas que as companhias aéreas criaram nos últimos meses.

Leia também


E você, planeja viajar nos próximos meses? Para onde? Ficou com alguma dúvida? Comente e participe!