logo Melhores Destinos

Países islâmicos: etiqueta, costumes e dicas para viajar em segurança

Wendell Oliveira
Wendell Oliveira
01/09/2020 às 5:00

Países islâmicos: etiqueta, costumes e dicas para viajar em segurança

Países islâmicos ou muçulmanos como Egito, Marrocos, Turquia e Emirados Árabes (Dubai) atraem milhões de turistas todos os anos. Em comum, possuem paisagens fantásticas, atrações imperdíveis e a forte presença da religião islâmica, que molda a cultura, etiqueta e costumes locais.

É normal ter dúvidas sobre o que vestir, como se comportar e quais cuidados ter ao visitar países de maioria muçulmana. Para não cometer nenhuma gafe, respeitar a fé alheia e evitar choques culturais, confira todas as nossas dicas e viaje em segurança!

Quais são os países islâmicos?

A maior parte dos países muçulmanos — isto é, aqueles onde a maioria da população professa a fé islâmica — estão no Oriente Médio e Norte da África. O Islã também tem uma presença significativa no Sul da Ásia, em países como Índia, Paquistão e Bangladesh, além de regiões nos Balcãs e do Cáucaso.

O Islamismo atualmente é a segunda maior religião do mundo. É muito provável que você já tenha sonhado em visitar um país muçulmano, mesmo sem saber.

Por exemplo, a Indonésia, famosa pela ilha de Bali, é o maior país muçulmano do mundo: 90% da população de 250 milhões de habitantes pratica o islamismo. Nas Maldivas, o Islã também é a religião oficial, com mesquitas espalhadas nas ilhas de praias paradisíacas. Em 2022, todos os olhos estarão voltados para o Catar, nação muçulmana que sediará a próxima Copa do Mundo.

Diferença entre países árabes e muçulmanos

Países muçulmanos não são necessariamente países árabes e vice-versa. Para entender a diferença, tenha em mente que “árabe” é uma etnia. Então, países árabes são aqueles de etnia árabe e que falam o idioma árabe como língua oficial.

muçulmanos são aqueles que seguem a fé islâmica. Há muçulmanos árabes, muçulmanos europeus e até muçulmanos brasileiros. No Irã, onde a maioria da população é de etnia persa, o islamismo é a religião oficial, tornando-se oficialmente um país muçulmano, mas não necessariamente um país árabe.

Aliás, o chamado “mundo árabe” reúne 22 países: Arábia Saudita, Argélia, Bahrein, Catar, Comores, Djibuti, Egito, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Iraque, Jordânia, Kuwait, Líbano, Líbia, Mauritânia, Marrocos, Omã, Somália, Sudão, Síria, Tunísia e territórios palestinos.

Etiqueta e costumes em países islâmicos

Ao viajar para um país de maioria muçulmana, você vai notar regras de etiqueta e costumes bem diferentes, que podem causar certo choque cultural. Alguns exemplos:

Hospitalidade muçulmana

A hospitalidade, estendida a familiares, amigos e estranhos, é uma forte característica das sociedades muçulmanas. Não é incomum ser convidado para tomar chá ou até mesmo jantar na casa de desconhecidos nestes países. A tradição de “honrar a visita” é um dos pilares mais importantes da fé islâmica, incentivada no Alcorão. Além disso, o conceito de receber bem os visitantes (Diyafa ضيافة) tem raízes nos povos nômades (beduínos), quando ser acolhido em meio ao árido ambiente do deserto era uma questão não só de generosidade, mas de sobrevivência.

Hospitalidade muçulmana

Hospitalidade muçulmana: não é incomum ser convidado para jantares e festas

Ao visitar um lar muçulmano, tire os sapatos antes de entrar. Lembre-se também de levar um presente — embora não seja obrigatório, é muito bem visto. Apenas certifique-se de não levar nada que contenha carne de porco ou álcool, proibidos (Haraam حرام) por serem considerados impuros ou até mesmo ilegais em certos países. Para alimentos e bebidas, confira se o produto tem a certificação Halal (حلال), apto para o consumo de muçulmanos.

Cumprimentos em países muçulmanos

Os cumprimentos também requerem atenção. Em alguns países islâmicos, como a Turquia, é comum que homens se cumprimentem com beijos no rosto. Já entre pessoas do sexo oposto, os beijinhos estão fora de cogitação, a menos que sejam da mesma família ou haja intimidade para isso. Em algumas culturas, nem mesmo o aperto de mão entre homens e mulheres é recomendável. A regra de etiqueta para homens é: se a mulher não der a mão primeiro, não ofereça a sua.

Se você é homem, a melhor alternativa é cumprimentar uma mulher muçulmana colocando sua mão direita sobre o lado esquerdo do peito. Dessa forma você consegue ser educado e respeitoso, sem tocar ou invadir o espaço pessoal dela.

Como cumprimentar mulheres muçulmanas

Príncipe da Noruega cometendo gafe ao cumprimentar mulheres muçulmanas

Cinco orações por dia

Outro costume importante nos países muçulmanos são as cinco orações obrigatórias (Salah صلاة) realizadas diariamente em direção à Meca. As preces ocorrem ao amanhecer, ao meio-dia, à tarde, ao pôr do sol e à noite; podendo causar pausas e interrupções temporárias nos comércios e serviços locais. Estrangeiros não são obrigados a participar, mas é recomendável manter a discrição e o respeito, mesmo fora das mesquitas. Embora muitos templos religiosos muçulmanos sejam abertos a visitantes, pode haver restrições de entrada durante as rezas.

O imponente som das chamadas para oração (Azan أَذَان) em público pode assustar os turistas mais distraídos. Versículos do Alcorão são cantados e recitados a partir de alto-falantes, instalados em minaretes e no exterior das mesquitas.

Salah, as cinco orações diárias dos muçulmanos

Salah, as cinco orações diárias dos muçulmanos

Mão esquerda, higiene e banheiro

A mão esquerda é considerada “impura” na cultura muçulmana, sendo geralmente relacionada aos hábitos de higiene pessoal. Por isso, evite usá-la até mesmo para passar objetos. Na hora de cumprimentar alguém ou comer, use sempre a mão direita.

Falando nisso, em alguns países como a Malásia, Turquia e Irã, os banheiros possuem sanitários bem diferentes do que estamos habituados. Ao invés de sentar, esteja preparado para agachar ao usá-los. A presença do bidê (ou baldes com água) é frequente, ao contrário do papel higiênico. Logo, o ideal é levar um rolinho na bolsa sempre que sair de casa. Nunca se sabe.

Banheiro em países muçulmanos

Em alguns países, o banheiro pode ser diferente do que estamos acostumados

Regras de vestuário em países muçulmanos

Saber como se vestir em países muçulmanos é muito importante na hora de viajar. Embora alguns destinos como Jordânia ou Líbano sejam mais liberais em termos de vestuário, outros, como Irã e Arábia Saudita, podem ter regras mais conservadoras.

Em geral, pode-se dizer que as regras de vestimenta para homens são bem menos exigentes do que para mulheres. Para o público masculino, calça e camisas são padrão, embora alguns países restrinjam bermudas e regatas. Também há casos em que turbantes e túnicas sejam exigidos apenas em cerimônias religiosas ou ao visitar mesquitas.

Roupas típicas de países muçulmanos

Roupas típicas de países muçulmanos

Como as mulheres muçulmanas se vestem?

A regra geral de vestuário feminino muçulmano é vestir-se com discrição e modéstia. Isto é, nada de decotes, roupas muito curtas ou apertadas. Mesmo em países mais liberais, o ideal é cobrir ombros e joelhos. Para as mulheres, o véu também é um acessório muito utilizado, embora só seja realmente obrigatório em poucos países, como Irã, Arábia Saudita e na província de Aceh, na Indonésia.

Apesar disso, optar por cobrir a cabeça com um hijab (حجاب) é um sinal de moralidade apreciado na cultura islâmica, que pode ajudar mulheres viajando sozinha a atrair menos atenção e fugir de assédios.

Tipos de véu muçulmano

Tipos de véu muçulmano

O hijab (حجاب), termo árabe para “cobertura”, é o mais conhecido no Ocidente (Imagem: El País)

De todas as roupas muçulmanas femininas, a burca e o niqab são as mais conservadoras, restritas a grupos étnicos específicos no Afeganistão, Paquistão e Arábia Saudita. Já o chador é mais comum em zonas rurais no Irã, Líbano, Iraque, Bahrein e Tunísia.

A Al-Amira é uma peça única que cobre cabeça, pescoço e ombros, muito utilizada em países muçulmanos da Ásia, como Malásia e Indonésia, principalmente pelas mais jovens, por ser mais fácil de manter no lugar. Já o hijab, termo genérico mais conhecido no Ocidente, cobre cabelos e pescoço deixando o rosto à mostra, frequentemente seguindo cores e tendências da moda.

A shayla é o véu mais simples: um lenço retangular enrolado no pescoço e cruzado na altura dos ombros, frequentemente com parte do cabelo descoberto (por descuido ou rebeldia).

Mulheres iranianas vestindo hijab

No Irã, o véu é obrigatório, mas as iranianas costumam deixar parte do cabelo à mostra

Nas praias, as mulheres muçulmanas não usam biquíni ou maiô, preferindo mergulhar de roupa ou com trajes de banho especiais que cubram o corpo e a cabeça. Em destinos com grande fluxo de turistas, como Bali e Maldivas, estrangeiros podem se vestir como quiser — embora topless seja crime e usar shorts ao invés de sungas (para homens) é o mais aconselhável. Em alguns casos, há uma divisão entre “praias públicas” e as “praias para turistas”.

Muçulmanos na praia

A moda praia em países de maioria muçulmana tende a ser mais conservadora

Melhor época para visitar países muçulmanos

Em relação ao clima, vale a pena pesquisar quando é o verão ou quais são os meses mais quentes do ano em cada país muçulmano, já que alguns estão localizados em áreas desérticas, apresentando temperaturas elevadas. Fora do eixo Oriente Médio-Norte da África, destinos como Indonésia, Malásia e Brunei podem sofrer ainda com os efeitos das chuvas de monções.

Viajar a turismo para países muçulmanos não é recomendável durante a época do Ramadã, quando os fiéis são incentivados a fazer jejum do nascer ao pôr do sol durante um mês. Isso quase sempre significa restaurantes fechados e restrições comerciais, o que pode atrapalhar bastante a sua viagem. As datas do Ramadã variam anualmente, de acordo com o calendário islâmico. Em 2021, será celebrado de 12 de abril a 11 de maio.

É seguro viajar para países muçulmanos?

Ao contrário do que se costuma acreditar, a maioria dos países muçulmanos é extremamente segura para se visitar a turismo. Com exceção óbvia daqueles afetados pelo terrorismo e conflitos armados (ex: Síria e Iêmen), turistas estrangeiros não costumam ter grandes problemas de segurança, como roubos e assaltos. Devido às leis rigorosas, há poucas ocorrências de violência urbana, embora golpes de viagem não sejam incomuns.

Mas é claro, cada país possui realidades diferentes. Então, vale a pena acompanhar o noticiário e saber como está a situação atual. Viajar para destinos como Marrocos ou Egito requer os mesmos cuidados e precauções que você teria ao viajar pelo Brasil. Já destinos como Dubai e Catar possuem taxas de criminalidade menores do que as de muitos países europeus!

Petra, na Jordânia

Jordânia: um dos destinos mais seguros do Oriente Médio

Um problema comum encontrado por alguns turistas em países muçulmanos, especialmente mulheres, são casos de assédio. Infelizmente eles são uma realidade. Há quem diga que as roupas estrangeiras, menos conservadoras, seriam a causa — por mais machista que isso possa parecer. Outros, porém, encontram nos diferentes hábitos culturais a justificativa para isso. Homens e mulheres possuem papéis separados em sociedades muçulmanas tradicionais, às vezes com pouca convivência entre o sexo oposto fora do contexto familiar. Sorrisos, toques ou simpatia demais podem ser mal-interpretados.

Não há muito o que fazer para evitar assédios, afinal, a culpa nunca é da vítima. No entanto, em países muçulmanos, vale a pena seguir o dress code local, evitar andar à noite sozinha e não dar muita atenção a homens que “só querem ajudar”. Não tenha medo de parecer ríspida: recuse gracejos e companhia não solicitada.

Ao público LGBTQI+, vale o alerta: relações homoafetivas não são bem vistas em países muçulmanos. Evite demonstrações públicas de afeto — isso serve para todos os casais.

Vistos para países muçulmanos

Turistas brasileiros podem viajar para diversos países muçulmanos sem precisar de visto. É o caso de destinos como Emirados Árabes Unidos (Dubai e Abu Dhabi), Catar, Turquia, Indonésia, Maldivas, Malásia, Marrocos, Tunísia, Albânia, Kosovo e territórios palestinos (via Israel).

Já outros países muçulmanos podem exigir vistos de brasileiros, como é o caso do Líbano (embora o visto seja gratuito), Irã, Jordânia, Egito, Azerbaijão, dentre outros.

Você pode conferir as exigências de visto de cada país no Portal Consular.

Fila na chegada ao aeroporto para o visto do Irã

Fila na chegada ao aeroporto para o visto do Irã

Passagens aéreas para países muçulmanos

Não é incomum encontrar promoções de passagens aéreas para países muçulmanos. Partindo do Brasil, podemos contar com voos para Istambul pela Turkish Airlines, para o Catar com a Qatar Airways e para Dubai com a Emirates, dentre outras conexões que levam para destinos em todo o mundo.

Baixe o aplicativo do Melhores Destinos para receber alertas de promoção em primeira mão!


E você, já visitou ou tem curiosidade de viajar para um país muçulmano? Compartilhe suas experiências!