logo Melhores Destinos

Aracaju 166 anos: o que fazer na surpreendente capital do Sergipe!

Wendell Oliveira
17/03/2021 às 10:34

Aracaju 166 anos: o que fazer na surpreendente capital do Sergipe!

Aracaju é a capital de Sergipe, o menor estado do Brasil. Hoje, dia 17 de março de 2021, a cidade comemora seu aniversário de 166 anos. Aracaju não costuma ser a primeira opção dos turistas entre os principais destinos do Nordeste — mas quem visita, se apaixona. Embora seja uma capital, Aracaju ainda preserva um jeitinho de cidade pequena. Tudo é perto. As atrações são relativamente vazias, os preços são baixos e há uma confortável sensação de segurança. Aliás, Aracaju é frequentemente eleita como a capital com a melhor qualidade de vida do Nordeste. Praias bonitas que se estendem por quilômetros, clima quente, comida boa, povo simpático e acolhedor… dá para querer mais?

Confira o que fazer em Aracaju, todas as dicas, a melhor época, onde se hospedar e tudo que você precisa saber antes de visitar a capital sergipana. Boa viagem, e prepare-se: você vai querer morar lá!

Leia também:
Viagens baratas! Os 10 melhores destinos no Brasil para viajar pagando pouco!
Melhores praias do Brasil: 35 lugares incríveis para visitar em 2021

Aracaju – Sergipe

Pergunte a qualquer um que tenha feito uma viagem para Aracaju e, sem dúvidas, eles lhe dirão que é uma cidade encantadora. Com brilho nos olhos, tecerão elogios à orla de Atalaia — “a orla mais bonita do Brasil” —, falarão da maravilhosa cultura local do forró e festa junina, e até dos benefícios terapêuticos de comer um caranguejo à beira-mar. Não duvide, eles não estão exagerando.

Seja por qual motivo for a sua viagem para Aracaju, saiba que você será muito bem-vindo!

O que fazer em Aracaju

1. Orla de Atalaia

É na Orla de Atalaia que tudo acontece em Aracaju! Ao longo de seus seis quilômetros, há praia, lagos, oceanário, pistas de skate, quadras poliesportivas e calçadão. A orla é um lugar muito turístico e tem segurança reforçada. À noite, bares e restaurantes movimentam o local, que é o mais agitado da cidade em termos de vida noturna.

Arcos da Orla de Atalaia

Arcos da Orla de Atalaia, um dos principais cartões-postais de Aracaju

Letreiro "Eu Amo Aracaju"

Letreiro “Eu Amo Aracaju”, na orla de Atalaia

Os Arcos de Atalaia, símbolo de Aracaju, ficam na orla, assim como o famoso letreiro. Durante a noite, a fonte dos arcos fica iluminada e costuma atrair muitos turistas. A praia, de água morna, é perfeita para banho e tem várias opções de barracas, sendo um bom local para aproveitar um dia ensolarado.

Orla de Atalaia

Orla de Atalaia, perfeita para caminhadas à beira-mar

Além de ciclovia e pista para corrida, a orla também reserva espaço para estátuas e símbolos históricos, como o Monumento dos Formadores da Nacionalidade, que prestar homenagem a diversos líderes e figuras importantes da história do Brasil. Entre os homenageados, estão Joaquim José da Silva Xavier (Tirandentes), Zumbi dos Palmares, Dom Pedro II, Princesa Isabel, Duque de Caxias, Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek, entre outros.

Monumento dos Formadores da Nacionalidade em Aracaju

Monumento dos Formadores da Nacionalidade

2. Passarela do Caranguejo

A Passarela do Caranguejo é a continuação da Orla de Atalaia, e o seu mascote é visto de longe. Com dezenas de restaurantes e bares, o espaço fica cheio até a madrugada. Boa parte dos restaurantes ao redor tem música ao vivo e alguns promovem festas (fora dos períodos de restrição e com distanciamento social), com muito forró e comidas típicas.

Passarela do Caranguejo

Passarela do Caranguejo, continuação da Orla de Atalaia

3. Mercado Municipal Albano Franco

O Mercado Municipal Governador Albano Franco possui uma imensa variedade de frutas, grãos, verduras, peixes e o que mais você puder imaginar. Aproveite para comprar castanhas — elas custam aqui bem menos do que na sua cidade! Não deixe de provar a mangaba, fruta típica de Sergipe.

Mercado Municipal Albano Franco em Aracaju

Visitar o Mercado Municipal de Aracaju é uma experiência autêntica (e barata!)

4. Mercado de Artesanato Thales Ferraz

Os mercados são um ótimo lugar para observar o estilo de vida da cidade e valem a visita, eles ficam pertinho um do outro. No Mercado de Artesanato Thales Ferraz você encontra o que há de melhor na cultura popular sergipana, como literatura de cordel, repentistas e grande variedade de artesanato e doces típicos.

Mercado de Artesanato de Aracaju

Vista aérea do Mercado de Artesanato e sua torre do relógio

Chaveiros de Lampião

Chaveiros de Lampião, uma ótima lembrancinha de Aracaju

5. Orla Pôr do Sol

A Orla Pôr do Sol (ou simplesmente “orlinha”, como chamam os locais) tem um visual deslumbrante. O céu fica vermelho-alaranjado para depois o sol sumir no rio. O espetáculo reúne turistas diariamente, principalmente em dias ensolarados. A orla ainda dispõe de barzinhos, onde você pode se deliciar com delícias nordestinas enquanto espera o pôr do sol. Dica: alugue uma prancha de stand-up paddle e se exercite enquanto assiste ao sol se por. Não se esqueça de tirar fotos! Durante a manhã, a orla também fica bastante movimentada, já que de lá partem os catamarãs para a Croa do Goré.

Orla pôr do sol em Aracaju

Orla Pôr do Sol, de onde também partem os catamarãs para a Croa do Goré

6. Croa do Goré e Ilha dos Namorados

Croa do Goré é um dos passeios mais procurados de Aracaju. O extenso banco de areia é formado no meio do rio pela maré baixa. Um barco serve bebidas e petiscos enquanto os turistas apreciam a bela vista do local. Uma das paradas do catamarã é na Ilha dos Namorados, formada entre o rio Vaza Barris e o Oceano Atlântico. Há estrutura com guarda-sol e até uma piscina natural, ideal para crianças.

Croa do Goré em Aracaju

Croa do Goré, banco de areia formado pela maré baixa no meio do rio

7. Oceanário (Projeto Tamar)

Localizado na Orla de Atalaia, a 500 metros do mar, o Oceanário de Aracaju é administrado pelo Projeto Tamar e conta com 70 espécies diferentes, todas nativas do litoral sergipano e também do rio São Francisco. Ao todo, são 18 aquários (cinco de água doce e 13 de água salgada). O espaço conta ainda com tubarões, arraias, moreias, várias espécies de peixes e programação infantil, além de vídeos educativos sobre a preservação do meio ambiente.

Oceanário de Aracaju, administrado pelo Projeto Tamar

O Oceanário de Aracaju é administrado pelo Projeto Tamar

8. Feira do Turista

Localizada em frente à Orla de Atalaia, a Feira do Turista é um complexo de lojinhas charmosas e variadas. Tem de tudo: roupas, sapatos, chapéus, objetos de decoração feitos em mosaico, pintura em azulejo, biquínis, roupões e artesanatos em geral, além de outros artigos. Há também lanchonetes e restaurantes. A Feira do Turista abre às 09h diariamente, mas a maioria das lojas funciona a partir das 16h até às 23h. Fora da pandemia, de quinta-feira a sábado, acontecem apresentações de forró na entrada da feira, a partir das 20h.

Feira do Turista em Aracaju

Feira do Turista em Aracaju: entrada franca

9. Calçadão Formosa

Ponto turístico relativamente novo de Aracaju, o Calçadão Formosa foi inaugurado em 2016 e é um sucesso. Logo no início do dia ou finzinho da tarde, o local vira ponto de encontro para corredores, ciclistas ou visitantes que queiram observar a bela paisagem. O espaço conta com equipamentos para exercício físico, fontes de água, iluminação LED, além de lazer para as crianças. Próximo dali, o Mirante da 13 de Julho oferece uma vista bonita da cidade, mostrando o encontro do Rio Sergipe com o mar, além do manguezal que margeia o rio.

Calçadão Formosa

Calçadão Formosa, inaugurado em 2016

10. Museu da Gente Sergipana

O premiado Museu da Gente Sergipana merece uma visita! Com exposições interativas, o espaço mostra diversos traços da cultura sergipana por meio de ferramentas lúdicas e criativas. As instalações permanentes estão repletas de atrativos, como a ala “Nossos Pratos”, uma mesa em que o próprio visitante mistura virtualmente várias especiarias para compor os principais pratos sergipanos. Já na ala “Nossos Cabras”, descobrimos curiosidades de grandes personalidades históricas de Sergipe. Além das instalações permanentes, o espaço recebe ainda exposições temporárias. Um passeio para todas as idades!

Museu da Gente Sergipana

Diferente de tudo que você já viu (Foto: Museu da Gente Sergipana/Reprodução)

11. Espaço Zé Peixe

O espaço presta homenagem a José Martins Ribeiro Nunes, carinhosamente apelidado de Zé Peixe. Peças, fotografias e painéis contam a trajetória do ícone sergipano, que ganhou fama ao auxiliar a navegação pelo rio Sergipe, pulando na água de alturas inacreditáveis e guiando os navios por caminhos seguros. Há registros de que ele tenha nadado até 13 quilômetros! Apesar de toda fama, das várias premiações e do modo único de guiar as embarcações — sempre nadando — Zé Peixe levava uma vida muito simples e é lembrado pela população como um herói do Sergipe.

Espaço Zé Peixe

Espaço Zé Peixe: conheça a trajetória de um ilustre sergipano

12. Parque da Sementeira

O “Central Park” de Aracaju. O Parque da Sementeira (também conhecido como Parque Augusto Franco) é um espaço verde muito agradável e costuma reunir muitos sergipanos para praticar esportes, como corrida e ciclismo. Para os turistas que não estão interessados em se exercitar, também há opções: lago com pedalinho, parque infantil e quiosques. Em seus quase 400 metros quadrados, há mais de 110 espécies de árvores que servem de refúgio para aves como pica-pau, joão-de-barro, gavião e coruja, entre outras.

Parque da Sementeira em Aracaju

Parque da Sementeira

13. Parque dos Cajueiros

Localizado no bairro 13 de Julho, o Parque dos Cajueiros é um complexo de lazer e esportes. Há quiosques, campo de futebol, quadras poliesportivas, pistas de skate e até um deck usado por pescadores, além de um restaurante com vista panorâmica para o rio Poxim. Sem cercas e com uma notável área verde, o espaço é ideal para levar crianças e relaxar.

Parque dos Cajueiros em Aracaju

Parque dos Cajueiros

14. Colina do Santo Antônio

Marco zero de Aracaju, a Colina do Santo Antônio é o ponto mais antigo da cidade. Foi inaugurada em 17 de março de 1855. Lá, está localizada a Igreja de Santo Antônio. Da colina, temos uma das mais belas vistas da cidade, com uma panorâmica que permite avistar o centro e até mesmo a Ilha de Santa Luzia.

Colina do Santo Antônio em Aracaju

Colina do Santo Antônio, onde nasceu Aracaju

Praias de Aracaju

Com extensas faixas de areia, água morna, vegetação de restinga e até dunas, as praias de Aracaju são um convite para o descanso e contemplação. Confira algumas das melhores praias de Aracaju:

Praia de Atalaia

A praia de Atalaia é, sem dúvida, uma das mais frequentadas de Sergipe. Apesar de ser uma praia urbana, a água é própria para banho, bem limpa. Várias barracas oferecem a típica culinária sergipana, além de sombra e água fresca. Ideal para relaxar. Além disso, a estrutura da Orla de Atalaia é muito boa: é fácil sair do mar e em menos de cinco minutos achar um bom restaurante, caso não queira almoçar na praia. Com cerca de 5 km de extensão, um dos melhores pontos para banho é quase na saída para o litoral sul, perto da Passarela do Caranguejo. Uma ótima praia para adultos e crianças.

Praia de Atalaia em Aracaju

Praia de Atalaia e suas famosas passarelas sobre a restinga

Praia de Aruana

A Praia de Aruana (ou Aruanda) é a primeira saindo da Orla de Atalaia em direção ao litoral sul. Extensa, com areia bem clara e um mar calmo, ela é tranquila e costuma ficar vazia durante a semana. Tem uma boa estrutura, com várias barracas espalhadas ao longo de seus quilômetros de litoral. A areia é bem compacta, boa para caminhadas. Para chegar até lá, bastam 5 minutos de carro partindo da Orla de Atalaia — dá até para ir a pé, se estiver com disposição!

Praia de Aruana em Aracaju

Praia de Aruana (ou Aruanda)

Praia do Refúgio

A Praia do Refúgio é bem tranquila, com poucos visitantes. A água é bem quentinha, no entanto, é bom tomar cuidado com águas-vivas. Elas estão presentes nessa praia principalmente por causa da temperatura do mar, que é mais elevada. Durante os meses chuvosos, a água pode ficar um pouco mais escura.

Praia do Refúgio em Aracaju

Praia do Refúgio

Praia do Mosqueiro

A Praia do Mosqueiro é a “última” praia de Aracaju, no sentido sul, nos limites da cidade com o rio Vaza-Barris. Apesar da distância (cerca de 20 km da Orla de Atalaia), é considerada uma das melhores praias da região, com alguns dos beach bars mais badalados da região. A Praia do Mosqueiro também fica próxima da Orla Pôr do Sol, valendo a pena combinar os dois passeios no mesmo dia.

Praia do Mosqueiro em Aracaju

Praia do Mosqueiro é lar de alguns dos beach bars mais badalados da cidade

Praia do Mosqueiro em Aracaju

Beach Bar na Praia do Mosqueiro

Passeios bate e volta saindo de Aracaju 

1. Cânions do Xingó

Localizado bem divisa entre os estados de Sergipe e Alagoas, os Cânions do Xingó (ou Cânions do São Francisco) é uma das maiores maravilhas naturais do Nordeste. Durante o trajeto de 17 km pelo rio, podemos observar diversas formações rochosas que ganharam nomes interessantes, como a Ponta do Papagaio, a Pedra do Japonês e o Paraíso do Talhado.

Cânions do Xingó

Cânions do Xingó, uma opção de passeio bate e volta saindo de Aracaju

O 5º maior cânion navegável do mundo só se tornou navegável por causa da instalação de uma usina hidroelétrica no local. O vale formado tem 65 km de extensão, 170 m de profundidade e uma largura que varia entre 50 a 300 m.

Para quem está hospedado em Aracaju e vai fazer um bate e volta, o passeio dura cerca de nove horas: três horas de estrada até Canindé de São Francisco, três horas de passeio e três horas de volta a Aracaju. Pernoitar pode ser uma opção.

2. Mangue Seco / Praia do Saco

Cenário de filmes e novelas, como Tieta, a praia de Mangue Seco, na divisa entre Bahia e Sergipe, é um dos pontos mais procurados pelos turistas. São cerca de 30 km de litoral de areia branca e fofa, alternando entre dunas, manguezais, restingas e fazendas de coqueiro. A melhor (na verdade, única) maneira de conhecer todas as belezas de Mangue Seco é de buggy. Os caminhos entre dunas não permitem a passagem de carro. As duas praias da região, Mangue Seco e Praia do Saco, são rústicas e têm barracas com redes espalhadas pela areia.

Mangue Seco

Mangue Seco, na divisa entre Bahia e Sergipe

3. Lagoa dos Tambaquis

A Lagos dos Tambaquis fica no município Estância, no caminho entre Aracaju e Praia do Saco. A princípio, pode parecer uma fazenda sem grandes atrativos, mas o local proporciona uma experiência divertida: alimentar tambaquis que comem ração na mão dos turistas. Os peixes, que medem cerca de 50 centímetros, são mansos e sempre ficam perto dos turistas. A experiência é única, tanto para crianças quanto para adultos.

Lagoa dos Tambaquis

Lagoa dos Tambaquis, a 55 km de Aracaju

Ração para peixes na Lagoa dos Tambaquis

Ração para peixes na Lagoa dos Tambaquis

4. Barra dos Coqueiros

Quer visitar uma praia fora de Aracaju, mas sem ir muito longe? Faça como os nativos e visite a IIha de Santa Luzia, conhecida atualmente como Barra dos Coqueiros. A praia da Barra é um verdadeiro refúgio, a poucos minutos do centro de Aracaju, com coqueirais espalhados por toda sua extensão. Para chegar até lá é fácil, bastando apenas atravessar a Ponte Construtor João Alves.

Praia de Barra dos Coqueiros

Barra dos Coqueiros, a cerca de 10 minutos de Aracaju

5. Laranjeiras e São Cristóvão

Laranjeiras é uma cidade histórica, que preserva forte arquitetura colonial e está localizada a menos de 30 km do centro de Aracaju. A cidadezinha foi centro de comercialização de escravos e solo de diversos engenhos de cana-de-açúcar. Cheio de história, o vilarejo, que tem menos de 30 mil habitantes, é sede do Museu Afro-Brasileiro, com acervo de maquinários de engenho, objetos de tortura de escravos e móveis coloniais; e do Museu de Arte Sacra. Em outubro, Laranjeiras sedia uma encenação histórica: o confronto entre os Lambe-Sujo e Caboclinhos, batalha entre escravos fugitivos e índios contratados para capturá-los.

Laranjeiras, cidade histórica de Sergipe

Laranjeiras

São Cristóvão, cidade histórica de Sergipe

São Cristóvão

Já São Cristóvão detém o título de Patrimônio da Humanidade pela Unesco, e é a quarta cidade mais antiga do país. Foi capital de Sergipe até 1855, quando Aracaju foi fundada. Ela foi construída com traços arquitetônicos espanhóis, além de contar com edificações barrocas dos séculos XVII e XVIII. A dica é visitar a cidade entre terça-feira e domingo, pois museus e mercados são fechados às segundas-feiras.

Restaurantes em Aracaju: onde comer

Camarões, caranguejos, macaxeira, carne de sol… A culinária sergipana é de dar água na boca! Nos restaurantes mais modernos, é possível experimentar moquecas deliciosas, camarões com variados molhos, sushis e pratos mais tradicionais. Nos restaurantes mais regionais, os turistas têm a oportunidade de ousar e experimentar pratos mais típicos, como buchada de bode, surubim na brasa, moqueca de aratu e carne de sol com pirão de leite.

Alguns dos melhores restaurantes de Aracaju são o Caçarola (que recentemente se mudou do Mercado de Artesanato para o Espaço Zé Peixe), o Cariri e o Mangará, com um delicioso buffet de iguarias nordestinas. Para os carnívoros de plantão, a Carne de Sol do Ramiro, do paraibano homônimo que adotou Aracaju como sua casa, é uma excelente opção. Para quem busca algo mais em conta, o o Point do Espetinho do tradicional Bairro Industrial tem opções a partir de R$ 8!

Onde comer em Aracaju

O restaurante Mangará oferece um delicioso buffet com o melhor da culinária nordestina

Nas barracas de praia, não deixe de tomar uma água de coco (facilmente encontrada a partir dos R$ 2, em pleno 2021), acompanhada de pastel de aratu ou do próprio caranguejo inteiro — que deve ser quebrado e descascado com paciência, com suas próprias mãos. Os vendedores dizem que é terapêutico!

Caranguejo de Aracaju

Caranguejos, encontrados facilmente nos restaurantes e barracas de praia de Aracaju

Leia também:
12 comidas típicas do Nordeste para você provar em sua viagem
Comidas típicas brasileiras: os pratos mais deliciosos de cada estado eleitos pelos nossos leitores!

Quando ir a Aracaju: melhor época

Aracaju é um destino para ser visitado o ano todo. Como toda capital nordestina, Aracaju fica mais cheia no verão, especialmente durante o Précaju, o carnaval antecipado de Sergipe. O evento acontece em janeiro e geralmente dura três dias, com dezenas de blocos e trios desfilando na Avenida Beira Mar. Em junho é época do Forró Caju, uma das maiores festas do Nordeste e que reúne cerca de um milhão de pessoas todos os anos. Vale a pena conferir a Festa de São João, uma das marcas culturais mais fortes do Brasil! Durante os outros meses do ano, a baixa temporada dá lugar a uma cidade mais vazia e bem mais tranquila.

Melhor época para visitar Aracaju

Aracaju é um destino para ser visitado o ano todo

Onde se hospedar em Aracaju

A praia da Atalaia é a principal região turística da cidade, com os melhores hotéis para turistas e viajantes a trabalho. Mas há outros bairros com boas opções de hospedagem, como Coroa do Meio, que fica próximo da orla de Atalaia e oferece preços mais em conta. Para quem tem interesse na parte histórica de Aracaju, vale a pena ficar no centro, mas tenha em mente que essa não é a região mais segura da cidade, principalmente à noite. Outros bairros interessantes são o 13 de Julho e Jardins, bem mais agradáveis e sossegados, próximos a shoppings, parques e pistas de corrida.

Orla de Atalaia em Aracaju

A orla de Atalaia é lar dos melhores hotéis de Aracaju

Quem busca por resorts no Nordeste será muito bem servido pelo Makai Resort All Inclusive, na cidade de Barra dos Coqueiros, a cerca de 10 minutos de Aracaju.

Makai Resort All Inclusive Aracaju

Makai Resort All Inclusive Aracaju, na cidade vizinha de Barra dos Coqueiros

– Confira mais opções de hóteis em Aracaju

Se quiser esticar a viagem até o Cânion do Xingó (220 km de Aracaju), considere pernoitar uma ou duas noites na cidade de Canindé de São Francisco, ou Piranhas, do lado alagoano.

Quanto custam as passagens aéreas para Aracaju

O preço das passagens aéreas para Aracaju varia entre R$ 400 e R$ 1.000 dependendo da época do ano e da cidade de origem. Porém, com frequência o Melhores Destinos encontra voos para Aracaju por valores abaixo desse patamar. Para ser avisado gratuitamente sobre as promoções não esqueça de baixar o aplicativo do Melhores Destinos e assinar nossa newsletter.

Como ir do aeroporto de Aracaju ao centro da cidade?

O Aeroporto de Aracaju – Santa Maria (AJU) fica a 12 km do centro da cidade. No aeroporto estão disponíveis o serviço de táxis credenciados que seguem para diversos bairros de Aracaju e cidades vizinhas, com preços fixos que variam de acordo com a distância. Outra alternativa é chamar um carro por aplicativo, como Uber e 99É possível ainda alugar um carro nas diversas locadoras 24h disponíveis no aeroporto.

Aeroporto de Aracaju (AJU)

Aeroporto Internacional de Aracaju – Santa Maria (AJU)

O modo mais econômico de sair do Aeroporto de Aracaju para o centro da cidade é de transporte público. Os ônibus passam pela Avenida Júlio César Leite e fazem o trajeto Aeroporto x Centro x Aeroporto ou via Atalaia (linha Atalaia x Santa Tereza). A passagem custa R$ 4,00 e o trajeto dura cerca de 15 minutos, com horário de funcionamento das 5h à 0h.

Vida noturna em Aracaju

Não se engane com a fama de “cidade pequena” de Aracaju. Apesar de pacata, a capital sergipana dispõe de ótimas opções para aproveitar a noite. Quem curte um bom forró se sente em casa, pois há casas noturnas com bandas ao vivo durante boa parte da madrugada. Já aqueles que preferem música eletrônica podem optar por lounges ou boates. Fora dos períodos de restrição devido à pandemia, os estabelecimentos funcionam normalmente, com medidas sanitárias e de distanciamento social.

💡 Dica de onde curtir a noite em Aracaju

Uma clássico de Aracaju é a Casa de Forró Cariri. Durante a noite, o ambiente se transforma. Forrozeiros cantam ao vivo e embalam os clientes, que geralmente se levantam para dançar. Um ótimo lugar para comer bem, dançar, se divertir e observar a animada cultura nordestina.

Casa de Forró Cariri, em Aracaju

Casa de Forró Cariri, em Aracaju

Quanto tempo ficar em Aracaju

Aracaju é uma cidade relativamente pequena e em 3 dias é possível ver “quase tudo”. Mas recomendamos alguns dias a mais caso queira conhecer outras atrações famosas de Sergipe, como Mangue Seco e os Cânions de Xingó, em Canindé do São Francisco (a 220 km de Aracaju).

O mesmo vale para quem quiser curtir as tradicionais festas juninas ou a folia do Pré-Caju — acrescente pelo menos uma semana ao seu roteiro. Independente de quanto tempo durar sua visita, Aracaju é um destino fantástico e que vai te deixar com vontade de visitar novamente.


E você, já tinha pensado em viajar para Aracaju? Confira nosso vídeo com dicas da capital sergipana e também o Guia de Aracaju.

Não perca nenhuma oportunidade!

ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção