logo Melhores Destinos

Azul recebe a primeira aeronave Embraer E195-E2 do mundo!

Leonardo Cassol
Leonardo Cassol
12/09/2019 às 13:35

Azul recebe a primeira aeronave Embraer E195-E2 do mundo!

A Embraer entregou hoje o primeiro exemplar do maior avião comercial já produzido por ela, o E195-E2, que contempla uma nova geração de aeronaves da empresa. A Azul foi a primeira cliente no mundo a receber o jato, que tem capacidade para 136 passageiros, mas pode transportar até 146 pessoas em configurações de maior densidade. Saiba tudo sobre o avião, que deve começar a voar no Brasil em outubro.

A Azul é uma das principais clientes da Embraer. Opera atualmente uma frota de dezenas aviões da empresa, nos modelos de primeira geração E190 e E195. Além desse exemplar número 1, a empresa possui outras 50 unidades encomendadas, todos do E195-E2, modelo que foi certificado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), bem como pelo FAA (Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos) e a EASA (Agência Européia de Aviação) em abril desse ano.

A primeira rota já está definida. Será entre Campinas e Brasília, a partir de outubro, em data não definida.

Características do novo Embraer E195-E2

O E195-E2 apresenta motores de alto desempenho, asas novas, fly-by-wire completo e um novo trem de pouso. Em comparação com a primeira geração do E195, 75% dos sistemas da aeronave são novos.

A cabine continua com 4 poltronas por fileira, no formato 2-2, o que elimina poltronas do meio e amplia o conforto dos passageiros. Por ter uma fuselagem maior, a aeronave possui três fileiras adicionais de assentos, sem reduzir o espaço entre as poltronas. A cabine pode ser configurada com 120 assentos em duas classes, ou até 146 em classe única. A opção da Azul foi classe única com 136 assentos, por conta das fileiras com o Espaço Azul.

“Os passageiros vão adorar o novo interior e as companhias aéreas vão se impressionar com a eficiência operacional. Estou orgulhoso de toda a equipe da Embraer que trabalhou tão duro para ver esse dia”, disse John Slattery, Presidente da Embraer.

O Presidente da Azul, John Rodgerson, disse que todos os E2 terão internet wi-fi a partir de janeiro. Destacou que eles já serão entregues configurados, mas que a Azul ainda precisa certificar a tecnologia junto à Anac.

Segundo a fabricante, o consumo de combustível da aeronave deve ser até 15% menor que a geração anterior, mesmo tendo 3 fileiras adicionais de assento. Isso gera um desempenho médio 25% superior a geração do E1.

O custo de manutenção deve ser reduzido em 20%. Isso porque o E2 terá os intervalos de manutenção mais longos no mercado de aviões de corredor único, com 10 mil horas de voo para atividades básicas de manutenção e sem limite de calendário para utilizações típicas. Isso significa 15 dias a mais para utilização da aeronave em um período de dez anos, comparado à atual geração de E-Jets.

Detalhes do interior do E2

Visitamos a cabine hoje e algumas diferenças importantes podem ser notadas.  Ela aparenta ser mais moderna e confortável, e os monitores de entretenimento são bem maiores, com uma definição de imagem muito superior – se comparado aos E1 atualmente operados pela Azul.

As poltronas são mais finas e mantém o acabamento em couro com detalhes em cinza e azul escuro (Espaço Azul nas cinco primeiras fileiras), ou apenas em cinza (demais poltronas). Os compartimento de bagagens também ganharam mais espaço.

Não foi só os compartimentos de bagagem que cresceram. As janelas são bem maiores em relação ao E1, com bastante campo de visão. Já os banheiros ganharam um pouco mais de espaço.

Finalmente as poltronas ganharam entradas USB com carregamento rápido. Mas continuam sem tomadas de energia elétrica. Nas mesinhas, pouca novidade.

O espaço entre as poltronas não aumentou. E eu notei uma menor reclinação no Espaço Azul. Dêem uma olhada na imagem a seguir.

No mais, novas saídas de ar, galeys e saída de emergência.

Outras características técnicas do Embraer E2

Alcance: A autonomia máxima é de 2.600 milhas náuticas com carga total de passageiros, 600 milhas náuticas a mais que o E195.

Aeroportos restritos: O E195-E2 poderá atender mais mercados que contam com aeroportos com restrições de operação. De Denver, o alcance da aeronave é de 900 milhas náuticas – mais longo do que o do E195. Do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, o ganho é mais de 500 milhas náuticas.

Área de decolagem: No peso máximo de decolagem (MTOW, na sigla em inglês), o E195-E2 requer apenas 1.800 metros, enquanto o E195 precisa de 2.180 metros.

E aí, o que achou da novidade? Comente e participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *