logo Melhores Destinos

Quer morar na Europa? Estônia cria o primeiro visto para nômades digitais do mundo

Wendell Oliveira
Wendell Oliveira
23/06/2020 às 12:22

Quer morar na Europa? Estônia cria o primeiro visto para nômades digitais do mundo

Ficou mais fácil ser um nômade digital e morar na Europa: a Estônia é o primeiro país do mundo a criar um visto para nômades digitais, permitindo trabalhar legalmente – à distância! Até então, essa era uma das principais barreiras para o trabalho remoto no exterior. Esse tipo de profissional costuma ficar em um “limbo” entre o turismo e a necessidade do visto de trabalho.

Com a pandemia do novo coronavírus, muitas empresas foram obrigadas a repensar as políticas de trabalho remoto. A Estônia alterou sua legislação para criar um novo visto, convidando nômades digitais que não estão vinculados a um escritório físico a viver legalmente no país.

Leia também:
Os 10 destinos mais procurados por nômades digitais (e alternativas)

Visto para nômades digitais na Estônia

A Estônia aprovou uma emenda em sua Lei de Migração para permitir um visto para nômades digitais com estadia de até um ano. Isto é, nove meses a mais do que o visto de turista, com duração de três meses.

A moderna nação báltica já possuía um programa de residência digital, chamado e-Residency. Por apenas € 100, o programa oferece aos empreendedores estrangeiros a possibilidade de abrir uma empresa online dentro da União Europeia, ter uma identidade e conta bancária, sem estar fisicamente presentes. A diferença agora é que, com o novo visto, os profissionais poderão se mudar e viver legalmente no país.

Estônia: o primeiro país digital do mundo.

Estônia: o primeiro país digital do mundo.

De acordo com Mart Helme, Ministro do Interior da Estônia, “o visto para nômades digitais fortalecerá a imagem da Estônia como um estado eletrônico e dará à Estônia uma voz mais influente em nível internacional”.

Mais detalhes sobre o novo visto

Mais de 50.000 pessoas de 157 países já se tornaram e-residentes desde o lançamento do programa, em 2014. Com o lançamento do novo visto para nômades digitais, a ideia é atrair viajantes de longo prazo a viver e gastar dentro do próprio país, sem tirar o emprego da população local.

A expectativa é que o novo visto seja lançado em fases a partir deste mês. Embora os detalhes finais ainda estejam sendo definidos, estima-se que até 1.800 vistos sejam disponibilizados por ano no país. Segundo o governo, a emissão de visto para nômades digitais passará pelos mesmos critérios minuciosos dos solicitantes de outras categorias e, por isso, não são garantidos.

Outros países europeus, como Alemanha, Espanha e Portugal, também oferecem opções de visto para freelancers e profissionais independentes com comprovação de renda mensal. Mas o visto da Estônia está sendo reconhecido como o primeiro do mundo especificamente para nômades digitais, que diferem dos freelancers, já que podem ser empregados por uma única empresa.

Viajar para a Estônia durante a pandemia

As fronteiras da Estônia estão reabertas para turistas europeus desde 1º de junho. Viajantes provenientes de países com mais de 15 casos de coronavírus por 100.000 habitantes serão solicitados a ficar em quarentena.

Leia também:
Retomada das viagens: confira como está o processo de reabertura em 64 países
União Europeia lança portal online para auxiliar turistas sobre situação de cada país

Com informações do Estonian World