logo Melhores Destinos

Metrô de Londres: guia completo sobre como usar e economizar com o Oyster Card

Gisela Cabral
Gisela Cabral
17/07/2019 às 5:03

Metrô de Londres: guia completo sobre como usar e economizar com o Oyster Card

O metrô de Londres é superpopular entre turistas e locais e é parte da estrutura incrível da cidade para receber a grande quantidade de visitantes que lá desembarcam todos os anos. Nesse post a gente dá dicas de como usar esse transporte, entre elas como pagar mais barato com o Oyster Card!

Mind the Gap: como usar o Metrô de Londres sem gastar os tubos

Alguns destinos têm o privilégio de oferecer um dos melhores e mais eficientes sistemas de transporte sob trilhos do globo, o popular metrô. E a cosmopolita Londres – a bela capital da Inglaterra e do Reino Unido – não poderia ficar fora dessa lista tão seleta.

Utilizar o tube – como é conhecido o metrô na terra da Rainha Elizabeth II – não é nada de outro mundo, basta dominar um pouco de inglês e ter em mãos um bom mapa. Estações bem cuidadas, identificadas e com Wi-Fi, carros limpos, pontualidade e agilidade são algumas das qualidades desse transporte, que é o queridinho dos habitantes locais e também dos visitantes.

A parte ruim é que os preços – em tempos de libra alta – não costumam ser dos mais amigáveis para os brasileiros que estão de passagem pela cidade. Porém, nesse post você vai conferir uma porção de dicas importantes, entre elas como economizar no transporte público em Londres e como comprar seu Oyster Card. A intenção é que você faça uma viagem suave e não perca nenhum dos fantásticos pontos turísticos dessa cidade tão rica e que tanto tem a oferecer!

Leia também:
O que fazer em Londres – dicas para a sua viagem à capital do Reino Unido

Metrô de Londres

Estação Lancaster Gate, em Londres

História do metrô de Londres

O Metrô de Londres é o mais antigo do mundo. Inaugurado em 10 de janeiro de 1863, o sistema foi idealizado com o objetivo de aliviar o trânsito, que já naquela época estava bem complicado: veículos puxados por animais se acumulavam na área central da cidade.

No primeiro dia de funcionamento, locomotivas a vapor foram responsáveis pelo transporte de 40 mil pessoas. De lá para cá muita coisa mudou, o número de passageiros aumentou bastante e novas tecnologias foram grandes aliadas, responsáveis por uma série de melhorias. Atualmente, a rede subterrânea londrina conta com 270 estações e um total de 11 linhas, cada uma batizada com um nome e uma cor diferente.

Leia também:
O que fazer de graça em Londres. Como explorar a terra da Rainha sem voltar falido

Linhas do metrô de Londres

Zonas do metrô de Londres

O mapa do transporte público de Londres está dividido em 9 zonas e entender a cidade por esse ponto de vista pode ajudar bastante aqueles que a visitam pela primeira vez. Funciona da seguinte maneira: quanto menor o número da zona, mais central é a área. Boa parte dos pontos turísticos famosos, como o Palácio de Buckingham e o Parlamento Britânico (Big Ben), concentram-se nas zonas 1 e 2. Os aeroportos de Heathrow e London City ficam nas zonas de 1 a 6.

Oyster card

Antes do embarque, no entanto, é preciso adquirir um Visitor Oyster card, o cartão de plástico que garantirá ao visitante acesso não só ao metrô de Londres, mas também a trens, ônibus, bondinhos elétricos de South London, Docklands Light Railway (DLR) e até o Thames cable car (Emirates Air Line).

Oyster card

O Oyster card

O cartão custa £5, porém esse montante é reembolsado no ato da devolução. Da última vez em que estivemos em Londres, adquirimos o nosso Oyster no café do trem Eurostar Paris-Londres, porém o cartão também é vendido online, em máquinas e guichês nas estações, bancas de jornais e mercados.

Com o Oyster, o visitante vai pagar mais barato: toda vez que o cartão de plástico é utilizado, o valor do trecho em questão é debitado automaticamente. São as chamadas tarifas pay as you go. Além disso, é possível adicionar a ele um travelcard, caso o passageiro opte por pacotes de um, dois ou três dias de uso de transporte público ilimitado.

Ah, se o seu cartão bancário for habilitado para a função “pagamento sem contato”, você pode usufruir das tarifas pay as you go imediatamente. Pagamentos pelo aparelho celular, relógios do tipo Apple watch, Google Pay e Samsung Pay também são aceitos pelo metrô de Londres. Antes, porém, é preciso abrir uma conta.

Oyster Card metro de londres

Quem tem o Oyster acaba pagando mais barato/print: tfl.gov.uk

Como usar o Oyster card

  • Aproxime o Oyster (cartão de débito/crédito/celular, no caso do pagamento contactless) do “símbolo amarelo” que fica nas catracas das estações, afim de liberar a sua entrada. Em cada plataforma há um placar eletrônico indicando o ponto final e a hora de chegada do próximo carro.
  • Caso não haja mais créditos, a sua entrada será negada. Dirija-se a uma máquina automática ou guichê de atendimento para efetuar a compra com cartão de crédito, por exemplo. No caso das máquinas, é só escolher o idioma e seguir o menu. Bem fácil e intuitivo!
  • Na saída, não esqueça de fazer o check-out no mesmo símbolo amarelo.
  • Famílias ou grupos podem dividir o mesmo cartão? Não, cada passageiro precisa portar o seu próprio Oyster, exceto menores de 11 anos que viajam gratuitamente com um adulto pagante.

Preços do metrô de Londres

Quanto de crédito é preciso para uma temporada? De acordo com o site oficial do metrô londrino, aqueles que pretendem passar um dia explorando a área central da capital – partindo do aeroporto de Heatrow – devem adicionar um crédito de £20 (a partir de 2019 o Oyster Visitor pode ser usado no Heathrow Express, a ligação direta entre o aeroporto e a supercentral estação de Paddington);

O ponto de partida é o aeroporto de Gatwick? Boa notícia, pois o Oyster card agora pode ser usado para pagar a sua viagem no Gatwick Express ou na National Rail. Neste caso, o órgão recomenda um crédito de £25. Confira abaixo outras sugestões:

  •  Londres por 1 ou 2 dias? O Oyster Visitor com £20 deve ser suficiente para um dia inteiro de viagens ilimitadas nas zonas 1-2;
  •  Londres por 3 dias? O Oyster Visitor de £25 deve cobrir viagens ilimitadas nas zonas 1-2;
  • Vai passar 1 semana inteirinha em Londres? Então, o crédito de £50 pode ser uma excelente opção;

Para evitar um metrô cheio, evite as horas de pico

Mapa do metrô de Londres

Ter em mãos um mapa do metrô de Londres é importantíssimo para que o visitante entenda bem o sistema e, claro, chegue ao destino pretendido sem se perder. O mapa oficial foi desenhado em 1933 por Harry Beck, pode ser encontrado, de graça, nas estações, e é de fácil compreensão. Nele, constam as direções gerais usadas para designar trens (Norte, Sul, Leste, Oeste), as linhas e suas respectivas cores.

Se você, no entanto, é do tipo que prefere utilizar um smartfone em vez do mapa de papel, pode fazer o download do aplicativo Tube map – London underground disponível para Iphone e Android. Com o app é possível planejar, facilmente, a sua viagem de um ponto a outro da cidade. Depois disso, é só dirijir-se à estação, seguir as placas que indicam a linha correta e embarcar.

Versão atual do mapa do metrô de Londres

Horário de funcionamento do metrô

De segunda a sábado, das 5h à 0h, e aos domingos, das 7h30 às 23h30. Cinco linhas – CentralVictoriaJubileeNorthern e Piccadilly – oferecem serviço 24 horas às sextas e sábados. Uma boa opção para os que desejam curtir a noite londrina, sem ter que gastar com táxi ou Uber.

Acessibilidade no metrô de Londres

Pessoas com problemas de mobilidade devem planejar a viagem com uma certa antecedência. Isso porque, apesar de bem preparado, com elevadores e escadas rolantes, nem todas as estações do metrô de Londres são totalmente livres de degraus. Para ajudar o visitante nessa missão, há mapas que indicam os trajetos mais convenientes. Além disso, os funcionários das estações são treinados para ajudar em casos especiais.

Mind the gap

De tão replicada, a advertência sonora e visual acabou virando um dos símbolos do metrô de Londres. O objetivo é chamar a atenção dos passageiros para o vão que fica entre a plataforma e a porta do carro do metrô. Quer levar o Mind the Gap para casa? Em Londres são vendidas camisetas, canecas, entre outros artefatos gravados com a famosa frase!

Interior de carro do metrô de Londres

Outras dicas importantes

  • Evite os horários de pico do metrô, ou seja, dias úteis, das 7h às 9h e das 17h30 às 19h;
  • Antes de embarcar, confira sempre o letreiro que fica na parte da frente do carro, contendo a direção correta;
  • Caso deseje ficar parado na escada rolante, deixe o lado esquerdo sempre livre para os que estão com pressa;
  • Não ceder o lugar para idosos, mulheres grávidas/com crianças e pessoas com deficiência é uma grande falta de educação;
  • Espere sempre que os passageiros saiam do carro, antes de embarcar. Além disso, nunca bloqueie a passagem;
  • Como medida de segurança, aguarde o trem sempre atrás da linha amarela;

E você, leitor do MD, já usou o metrô de Londres em alguma viagem? Conta pra gente como foi a experiência!