logo Melhores Destinos

6 fatores a considerar antes de reservar um hotel em tempos de pandemia

Bruna Scirea
26/06/2020 às 11:38

6 fatores a considerar antes de reservar um hotel em tempos de pandemia

Adotar medidas de segurança sem perder o espírito de hospitalidade é o grande desafio dos hotéis, pousadas e resorts em tempos de pandemia. Para evitar o eventual risco de transmissão do vírus, boa parte do setor hoteleiro adotou novos protocolos de higiene, criou estratégias para garantir o isolamento social e, assim, seguir oferecendo a sensação de bem-estar aos hóspedes.

O funcionamento das hospedagens mudou – e vai seguir diferente, pelo menos em partes, mesmo após a redução do número de casos de infectados pela Covid-19 no Brasil e no mundo. Ao viajante responsável com sua própria saúde e também a dos outros, caberá avaliar quais hotéis ou estabelecimentos cumprem uma rotina de cuidados considerada suficiente, já que não existe um padrão adotado por toda a cadeia hoteleira. O bom turista pós-pandemia também terá consciência de que a manutenção de ambientes seguros é uma responsabilidade compartilhada, entre hotéis e hóspedes.

Leia mais:
Hotéis são seguros durante a pandemia? Conheça os cuidados para evitar a contaminação dos hóspedes

Neste post, trazemos cinco fatores que podem ser levados em consideração antes de se reservar um hotel. São quesitos que dizem respeito tanto à localização do estabelecimento e práticas de prevenção adotadas pelas hospedagens, bem como ao sentimento de segurança e condições de saúde dos que pretendem se hospedar. Confira!

1. Onde o hotel está localizado e como chegar até ele?

O primeiro critério para avaliar se um hotel é seguro ou não é sua localização. Por dois motivos: saber se você está indo para um local onde o risco de contágio não é muito alto e também para definir qual será o meio de transporte necessário para chegar até a hospedagem.

São vários os sites que fazem o monitoramento dos casos de Covid-19 e a taxa de transmissão da doença. Informações sobre destinos internacionais estão sendo compiladas no mapa da John Hopkins University. No caso de destinos nacionais, informe-se pelo site da prefeitura, onde geralmente são divulgados boletins diários. Lembre-se de também acompanhar as notícias locais, para ter ideia de qual a real situação da pandemia onde você pretende se hospedar e qual a projeção da curva até a data da sua estadia.

Se puder escolher, prefira destinos menos populares, que tenham atrações ao ar livre e onde a chance de concentração de turistas é menor. A editora de Destinos Monique Renne já deu dicas e sugestões de destinos para recomeçar a viajar. Confira também 10 destinos europeus que estão entre os mais seguros para visitar após a quarentena e 7 destinos que a Forbes acredita que devem bombar após a pandemia.

Considere ainda que meios de transporte você vai precisar pegar para chegar até o hotel. Se a viagem tiver de ocorrer ainda durante a pandemia, prefira lugares mais próximos, onde seja possível chegar de carro, ou então que exija um menor número de meios de condução. Evite destinos que exijam muitas escalas, barcos, ônibus e transportes coletivos. E pesquise o que as companhias aéreas, empresas de ônibus ou outras formas de transporte estão fazendo para evitar a transmissão do vírus nos seus serviços. Informe-se!

Leia mais:
Os filtros de ar dos aviões são capazes de deter o coronavírus? Veja o que dizem empresas e cientistas

2. Você confia nas políticas de prevenção da Covid-19 adotadas pelo hotel?

As maiores redes hoteleiras já divulgaram em seus sites e redes sociais as políticas de prevenção da Covid-19 que vêm adotando desde o início da pandemia. Leia atentamente tudo o que está sendo feito pelo hotel em que você deseja se hospedar e julgue se, dentro dos seus critérios, as medidas são suficientes. Em casos de pousadas e hotéis menores, é possível que você não encontre estas informações tão facilmente. Então, não hesite em ligar para as hospedagens para tirar suas dúvidas.

Aqui estão algumas perguntas que você pode fazer ao decidir se um hotel é seguro ou não:

1. Com que capacidade está operando? Muitos estabelecimentos decidiram neste momento operar com apenas metade da capacidade. É o caso do seu hotel?

2. O uso de máscaras nas áreas comuns do hotel é obrigatório ou apenas recomendável? Existe o risco de alguém estar circulando pelas área comuns sem máscara?

3. O hotel está disponibilizando álcool em gel nas áreas comuns?

4. Como está sendo feito o check-in? O funcionário está equipado com máscara ou protetor facial de acrílico? O processo foi reduzido ou ainda é preciso passar um tempo na recepção do hotel, onde circulam um grande número de pessoas, entregando documentos e encostando em canetas para assinar papéis?

5. Maçanetas, corrimões e superfícies de alto contato, como o balcão da recepção, estão sendo higienizados com que frequência?

6. Como é servido o café da manhã e outras refeições? Em um buffet, com todos os hóspedes encostando em pegadores e com comidas expostas? Ou à la carte, servido no quarto ou em um salão arejado e espaçoso?

Uma das medidas mais protetivas em tempos de pandemia é a suspensão dos buffet de café da manhã

7. As janelas dos quartos e áreas comuns podem ser abertas para uma melhor ventilação dos espaços?

8. Está havendo um rodízio de quartos, evitando que uma acomodação seja ocupada logo após outro hóspede ter saído? Alguns hotéis estão deixando quartos vagos pelo menos dois dias entre uma reserva e outra.

9. Piscinas, sauna, academia, espaço kids, spa… Que áreas compartilhadas estão abertas? Considere se o funcionamento de algum destes espaços é importante para a sua viagem e, se ele estiver operando, verifique quais são as medidas de prevenção específicas nestas áreas.

10. Nas redes sociais ou sites de reservas de hotéis, busque avaliações recentes de hóspedes que se acomodaram na hospedagem em que você está de olho. É nesses reviews que ficam escancarados os pontos negativos do hotel, se eles existirem.

3. Quão próximo de outros hóspedes você estará durante a estadia?

Além da taxa de ocupação do hotel, avalie se as áreas comuns são amplas e permitem que você se desloque com distanciamento social. Também verifique se o hotel tem áreas ao ar livre e, importante, quais serão as condições climáticas do destino no seu período de estadia. Com tempo chuvoso, são maiores as chances de você e também outros turistas buscarem atividades em lugares fechados, com possíveis aglomerações.

Hotéis com áreas ao ar livre devem ser priorizados nesta retomada das viagens

Como você chegará até o quarto? Existem escadarias bem ventiladas ou é preciso utilizar o elevador, um espaço fechado e que não permite distanciamento social? Se áreas como piscinas e academia estiverem funcionando, informe-se quais regras de distanciamento estão sendo aplicadas. Há um agendamento de horário para utilizar os equipamentos de ginástica? As cadeiras da piscina estão separadas? Há o controle do número de hóspedes utilizando os espaços comuns ao mesmo tempo?

E, claro, não custa lembrar: evite quartos coletivos (se é que algum hostel ainda estará oferecendo estadias em ambientes compartilhados). A hospedagem virou um quesito de segurança em uma viagem, então não é hora de querer economizar, escolhendo o hotel mais barato de todos, sem levar em conta o seu bem-estar. Aliás, se você chegar ao hotel reservado, mesmo avaliando todos os critérios antes da reserva, e ainda assim não se sentir confortável, troque de hospedagem.

4. Como está a sua saúde?

Por mais que todos os cuidados sejam tomados, em tempos de pandemia sair de casa já é o suficiente para se expôr ao risco de contágio. Esteja ciente disso e considere como está a sua saúde, se você faz parte do grupo de risco ou se convive com pessoas que façam. Além disso, avalie o quão seguro você se sente para sair de casa, viajar e se hospedar em um hotel. Se for para passar os dias de folga com medo, não tendo coragem para aproveitar minimamente a viagem, pode ser melhor ficar em casa.

Uma boa maneira para se sentir mais confortável viajando para longe de casa é pesquisar sobre como está a capacidade hospitalar do destino visitado. Essa é uma informação que costumam estar disponível nos boletins de saúde emitidos pelos órgãos públicos. É bem provável que, tomando todos os cuidados, você não irá precisar de atendimento médico. Mas, vale reforçar: tempos de pandemia.

5. Responsabilidade compartilhada entre hotéis e hóspedes

Antes de reservar uma hospedagem é bom que você esteja ciente de que a segurança é uma responsabilidade compartilhada entre os estabelecimentos e seus hóspedes.

O que você pode fazer para tornar a estadia mais segura para você, funcionários do hotel e outros hóspedes? Usar máscara sempre que deixar o quarto, lavar as mãos com frequência, utilizar o álcool gel antes de tocar em objetos ou superfícies de alto contato e praticar o distanciamento social, não chegando muito próximo de outras pessoas e, se possível, não entrando em elevadores já ocupados. Tenha paciência e aguarde.

Para se sentir ainda mais confiante, convém levar lenços e álcool em gel para higienizar por conta objetos e superfícies dentro do quarto, como por exemplo controle remoto, maçanetas e interruptores de luz. A ideia é que os hotéis estejam reforçando a higiene nestas áreas, mas, né? Não custa garantir. Em tempos de coronavírus, ninguém estará pecando pelo excesso de cuidado.

Reforçar a limpeza de superfícies de alto contato não é exagero em tempos de pandemia

6. Faça reservas canceláveis

Além disso, enquanto não enxergarmos uma luz no fim do imenso túnel que é esta pandemia, é recomendado que se faça reservas canceláveis e próximo à data da viagem, quando o cenário já estará melhor desenhado. Isso porque, infelizmente, a situação pode piorar e não se descarta nem mesmo uma segunda onda de contágios em locais que já estão em processo de reabertura.

Vale lembrar que a Medida Provisória n. 948/2020, publicada no início de abril, dá aos hotéis o prazo de até 12 meses para reembolsar hóspedes que queiram cancelar suas reservas.

E para finalizar, por favor, repita comigo: jamais viajar se estiver com algum sintoma!

Leia mais:
Como ser turista depois da quarentena: dicas para a sua primeira viagem


Você já teve que viajar durante a pandemia? Que tipos de cuidados tomou na escolha da hospedagem? Se ainda não viajou, que fatores consideraria fundamentais na hora de decidir onde ficar? Participe nos comentários!

Não perca nenhuma oportunidade!

ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção