logo Melhores Destinos

Para se isolar: conheça 10 dos hotéis mais remotos do mundo

Bruna Scirea
Bruna Scirea
18/07/2020 às 6:15

Para se isolar: conheça 10 dos hotéis mais remotos do mundo

Ninguém sabe direito como vai ser viajar assim que o isolamento acabar, as fronteiras se abrirem e os voos internacionais forem retomados. Mas alguns pitacos já estão aí: possivelmente as viagens pós-quarentena serão para destinos em que o destaque está na natureza que o cerca; os dias de férias provavelmente serão ao ar livre, com caminhadas e mergulhos; e o distanciamento social deve ainda vigorar, pelo menos em alguma medida.

Pensando nisso, viajamos virtualmente em busca de alguns dos hotéis mais remotos do mundo. Para chegar até eles é exigido um certo esforço – que é completamente recompensado com belas vistas e a calmaria que só os destinos mais isolados do mundo oferecem. Confira abaixo a nossa lista e escolha o seu preferido!

Fogo Island Inn, Canadá

Uma das hospedagens remotas mais cobiçadas de todo o mundo é a Fogo Island Inn, no extremo leste do Canadá. Para chegar até ele, os viajantes têm de pegar um voo até o aeroporto internacional de Gander, alugar um helicóptero particular ou então dirigir até Farewell (uma hora de viagem), pegar uma balsa até a Ilha do Fogo (uma hora de travessia) e depois mais um transfer de 30 minutos até o hotel. Ufa!

São apenas 29 quartos, que oferecem vistas para o oceano, numa região conhecida como Iceberg Alley, onde não é raro ver icebergs deslizando pelo mar em direção ao sul. Mas não pense que a dificuldade está só em chegar ao Fogo Island Inn. Os preços também podem complicar, com tarifas a partir de 1.400 dólares por pessoa por noite.

Skylodge Adventure Suites, Peru

Para quem quiser se isolar nas alturas, a boa pedida está no Peru: o Skylodge Adventure Suite, encravado no alto de uma montanha do Vale Sagrado, na região de Cusco. Os quartos são suspensos, totalmente de vidro e oferecem uma belíssima vista para este lugar que muitos consideram mágico. Aí você deve estar pensando: ah, mas este hotel nem é tão remoto assim. É verdade. A questão é que para chegar até a hospedagem é preciso escalar um paredão de 400 metros (coisa que profissionais levam uma hora e meia) ou então fazer o caminho por meio de tirolesas. Aventura garantida desde o início da experiência. Já pensou passar uma noite admirando a Via Láctea e a imensidão da paisagem peruana lá de cima? Então pensa de novo: a diária por pessoa sai, em média R$ 3.000. Mas pelo menos eles oferecem janta e vinho inclusos na estadia. Dá pra engolir melhor 🙂

Sea Lion Lodge, Ilhas Falklands (Malvinas)

O Sea Lion Lodge está localizado em uma das últimas ilhas do arquipélago das Falklands (Malvinas), no Atlântico Sul. Não está muito distante da Antártica. Para chegar até ele, primeiro é preciso pegar um voo até Stanley, a única cidade das Malvinas, e depois mais um avião monomotor até a Sea Lion Island, uma viagem de cerca de uma hora. A hospedagem é uma casa com poucas suítes e refeições coletivas entre os raros hóspedes.

O que fazer por lá? Curtir a natureza: acompanhar a reprodução dos pinguins, admirar penhascos com vista para o mar e passar horas observando a vida marinha, principalmente leões e lobos marinhos, que todos os anos vão até a ilha para se reproduzir. Já estivemos por lá e neste post damos nossas dicas e roteiros pelas Falklands. E aqui: tudo o que você precisa saber para planejar uma viagem para as Malvinas.

Sheldon Chalet, Alasca

Não tem outro jeito: só de helicóptero se chega ao Sheldon Chalet, um dos hotéis mais remotos do Alasca (e, óbvio, de todo o mundo). A hospedagem fica sobre um glaciar, no meio do Parque Nacional Denali, um daqueles lugares em que há gelo e picos de neve por todos os cantos. Por ali, os poucos e endinheirados turistas, que chegam em um voo de 40 minutos, podem curtir os espetáculos da Aurora Boreal, bebericar espumantes, comer caranguejos e outros sofisticados pratos, além de praticar montanhismo, rapel e andar de trenó. Quanto custa essa brincadeira? A partir de 3 mil dólares por pessoa por noite, com estadia mínima de três dias. É de congelar até o orçamento.

Manta Resort, Ilha Pemba, Tanzânia

Sonho desta que vos escreve: adormecer em um quarto subaquático, em algum mar bem cheio de peixes. Pois na Tanzânia isso é possível. Mais especificamente no Manta Resort, próximo à Ilha Pemba. A acomodação é uma plataforma ancorada no fundo do mar: no andar submerso está o quarto, todo envidraçado; no nível da água estão banheiro e um lounge, e no piso superior, um deck para tomar sol. Para acessar este hotel remoto e exclusivo, é preciso pegar uma embarcação e se afastar 250 metros da Ilha Pemba.

Holofotes iluminam suavemente o fundo do mar, e dá para assistir à movimentação da vida marinha até durante toda noite. Alguns hóspedes, inclusive já foram contemplados com a aparição de baleias e tubarões por ali. Se estou rindo, é de nervoso.

Song Saa Private Island, Camboja

Uma ilha privada a 30 minutos de lancha da costa do Camboja reserva aos seus visitantes luxo, conexão com o meio ambiente e isolamento do resto do mundo. No Song Saa Private Island, os hóspedes ficam cercados de praias de areia dourada, águas calmas e claras e, claro, muitos peixes. Para um distanciamento ainda maior, o resort oferece passeios de vela, mergulhos e caiaques. Quem mais aí sonha em se isolar no paraíso? Dá uma olhada na hospedagem no Booking.

White Desert Whichaway Camp, Antártida

Luxo em um dos ambientes mais inóspitos do planeta: essas são algumas características da experiência no Whichaway Camp, na Antártida. Para chegar lá, só pagando por um voo particular. O campo conta com sete cápsulas modernas, ecológicas e com capacidade máxima de duas pessoas cada. Com seis metros de diâmetro, os alojamentos vêm equipados com escrivaninha, lavatório e vaso sanitário. Fora dos quartos, estão chuveiro, cozinha, lounge e uma sala de jantar que serve refeições preparadas por um renomado chef de cozinha.

O que fazer por lá? Escalar picos e cordilheiras e caminhar até túneis de gelos, além de observar pinguins e outros animais que só se encontra nesta região do mundo. Uma semana hospedado no Whichaway Camp pode custar em torno de 80.000 dólares por pessoa. Lide com isso.

Kachi Lodge, Bolívia

E se para onde você olhasse houvesse apenas sal? Esta é a sensação de se hospedar no Kachi Lounge, hotel localizado no incrível Salar do Uyuni, na Bolívia, a 3.600 metros de altitude. O isolamento não é pouco: a hospedagem está cercada por 4 mil quilômetros quadrados de sal, que conferem uma vista inteiramente branca e um céu infinito. Cada barraca tem cerca de 90 metros quadrados, com aquecimento e banheiro privativo. É luxo no meio do deserto de sal! E isso tudo, claro tem um preço igualmente salgado: cerca de 2.300 dólares em acomodação dupla por noite. O hotel está a 90 minutos de transfer de Uyuni – viagem que na época de chuvas pode levar até quatro horas. Veja detalhes do Kachi Lodge no Booking.

Qasr Al Sarab, Emirados Árabes

Passar as férias no meio do deserto pode não ser a primeira coisa que vem à cabeça, né? Mas e se esta hospedagem combinasse isolamento com luxo em meio a uma das mais selvagens paisagens árabes? O hotel Qsar Al Sarab fica nos Emirados Árabes, localizado no maior deserto de areia ininterrupto do mundo. É tão remoto que, para chegar até ele, é preciso pegar um helicóptero ou então enfrentar pelo menos duas horas de carro. Por lá, os hóspedes comem bem, recebem massagens, relaxam no spa ou piscina e também fazem caminhadas pelo deserto tão, mas tão silenciosas, que até parece que não existe mais ninguém no mundo. Isolamento acústico, além de físico. Boa pedida para quem pretende visitar Abu Dhabi e quer dar uma esticada deserto adentro!

Three Camel Lodge, Mongólia

Para experimentar a solidão do Deserto de Gobi, na Mongólia, a boa pedida é se hospedar no Three Camel Lodge. Para chegar até a acomodação, é preciso pegar um voo de uma hora e meia desde Ulaanbaatar, capital da Mongólia, e depois fazer um percurso de mais 90 minutos de carro. É para quem busca isolamento e a experiência da vida nômade tradicional do país – claro, num versão luxuosa. As cabanas são redondas, feitas de camadas de feltro e lona, e contam com banheiro privativo e fogão a lenha para o aquecimento. Boa parte dos funcionários do Three Camel Lodge são nascidos no Deserto de Gobi e compartilham com os hóspedes seus conhecimento sobre a remota região.


Já esteve em algum hotel remoto? Conta para a gente qual foi. E se ainda não, participe nos comentários: qual seria a sua opção entre estas que apresentamos?