logo Melhores Destinos

Passageira é surpreendida levando esqueleto humano na bagagem – e ainda consegue embarcar

Wendell Oliveira
05/08/2020 às 10:48

Passageira é surpreendida levando esqueleto humano na bagagem – e ainda consegue embarcar

O trabalho dos operadores de scanner pode parecer monótono, mas essa é uma das funções mais importantes do aeroporto. Ossos do ofício, certo? Nesse caso, literalmente. Uma mulher que voava da Grécia para a Armênia com conexão na Alemanha foi parada no Aeroporto de Munique. Funcionários do aeroporto descobriram uma caixa de madeira em sua bagagem, que continha nada menos que o esqueleto de seu marido, morto há mais de 10 anos.

Esqueleto na bagagem

A passageira de 74 anos estava viajando com a filha. O itinerário era de Atenas a Munique, de onde deveriam continuar até Kiev, na Ucrânia, e depois para Yerevan, capital da Armênia. Durante o raio-x, funcionários do aeroporto de Munique descobriram os restos humanos e alertaram a alfândega. Eles também trouxeram um médico e um promotor público para ajudar na investigação.

Esqueleto encontrado na bagagem de passageira no Aeroporto de Munique

Ossos encontrados na bagagem de passageira no Aeroporto de Munique (Imagem: Divulgação)

No interrogatório policial, ficou claro que a mulher apenas queria repatriar os ossos do marido falecido para a Armênia, sua terra natal. O homem morreu em 2008 e estava enterrado próximo à casa do casal em Tessalônica, no norte da Grécia.

A mulher apresentou documentos que sustentavam suas reivindicações e a transferência acabou sendo considerada legal. Por isso, ela e a filha, juntamente com os ossos do marido na caixa, foram autorizadas a continuar sua jornada.

Infelizmente elas acabaram perdendo a conexão como resultado da investigação. A polícia de fronteira alemã não soube informar em qual companhia as passageiras estariam voando.

Não é a primeira vez…

Essa não foi a primeira vez que um viajante foi parado em Munique levando um esqueleto na bagagem. Em março de 2008, uma mulher e sua amiga foram detidas pelas autoridades aeroportuárias enquanto estavam viajando do Brasil para a Itália. O scanner revelou um saco plástico com um crânio humano e ossos na bagagem da mulher.

Os ossos pertenciam ao irmão da mulher. Ao transportá-los para a Itália, ela estava tentando cumprir o desejo de seu irmão de ser enterrado lá, depois de falecer onze anos antes, em São Paulo.

À época, as mulheres também conseguiram continuar a viagem com a ossada, após emitir os documentos necessários e a transferência ser considerada lícita.

Posso levar ossos e cinzas na bagagem?

As regras variam conforme o país no que diz respeito ao transporte de restos mortais humanos. No entanto, para transportar ossadas através de fronteiras que assinaram a convenção de Estrasburgo, é preciso emitir um documento de viagem laissez-passer, concedido e regulado por legislação específica.

Quando se trata de cinzas de pessoas que foram cremadas, as regras também diferem ligeiramente entre cada companhia aérea. A maioria das transportadoras permitirá que você leve as cinzas do seu ente querido ou animal de estimação a bordo na bagagem de mão. No entanto, será necessário apresentar um atestado de óbito e um certificado de cremação.

Em alguns casos, as companhias aéreas também exigirão que você possa provar seu relacionamento com o falecido. Também é bom lembrar que eles serão radiografados e precisam ser transportados em um recipiente não metálico.


Com informações do Simple Flying

Não perca nenhuma oportunidade!

ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção