Dicas de Málaga: Um roteiro surpreendente e barato pela região de Andaluzia, na Espanha

Redação
Redação
8/04/2019  ·  4:56Publicado 8 · abr · 2019  ·  4:56Atualizado 7 · Maio · 2020

Dicas de Málaga: Um roteiro surpreendente e barato pela região de Andaluzia, na Espanha

A Espanha é muito mais que Madri e Barcelona! O país é dividido em várias comunidades autônomas, dentre elas a Andaluzia, que é a segunda maior e também a mais populosa. Nosso leitor Ernesto Lippmann, o Pato Econômico, fez uma viagem inesquecível pela região, visitando a cidade de Málaga e explorando o melhor da culinária espanhola, com paisagens de tirar o fôlego, muita arte e cultura. Confira nesse post todas as dicas!

Dicas de Málaga: Um roteiro surpreendente e barato pela província de Andaluzia, na Espanha

Por Ernesto Lippmann

dicas andaluzia malaga espanha

Você quer um roteiro econômico, pouco conhecido e com várias possibilidades diferentes de extensão, de um tour de vinhos, aos românticos e históricos pueblos blancos, ao maior parque natural da Europa? Ótima comida, hotéis simpáticos e limpos a partir de 25 euros, além de deliciosos menus com vinho e sobremesa a partir de 10 euros fazem deste um roteiro que cabe em qualquer bolso.

É também uma viagem para todas as fases da vida… Dá para ir solo, com amigos, em casal, pode-se levar as crianças (uma foto na ponte Indiana Jones do Caminito del Rey dá wow com aquela do Mickey na Disney!) e até mesmo na melhor idade dá para aproveitar bem.

A parte cultural também surpreende. Curioso quanto ao destino? #VemParaMalaga!

Conheça a Andaluzia. É um lugar pouco conhecido pelos brasileiros, mas que vale a pena. Vamos começar nosso roteiro pela cidade de Málaga, que lembra uma Barcelona em miniatura, mas menos muvucada, porém com todos os seus charmes. O Centro Histórico é charmoso. Há um belo calçadão junto ao porto, que leva para um farol e vários restaurantes. É uma cidade feita para o pedestre, com ruas fechadas para carros, onde os seus pés são o melhor meio de transporte: saudável e sem custos.

dicas malaga

 

A comida está longe de ser um problema. Não é necessário ser masoquista para gostar de vários tapas… eles são pequenas porções que podem ser de especialidades do mar, como uma pequena paella, um atum ligeiramente grelhado, um autêntico jamón serrano, ou um queijo de cabra com cobertura de geleia amarga. Quem sabe você prefira uma seleção de mariscos frescos com um divino molho vinagrete? Que tal uma porra antequerana? Você vai gostar da sopa fria de tomate, pimentão alhos e presunto cru… E tudo isto é bem acompanhado por uma sangria, um tinto de verano (uma mistura de vinho, soda limonada, e gelo) ou uma caña. Não é um beijo, mas você vai ter um imenso prazer com sua língua!

malaga comida

É fácil pedir, em muitos bares elas ficam numa vitrina, é só escolher entre as diversas tentações. Em geral, com algo como entre 10 e 20 € se tem aquela agradável sensação de estar muito bem alimentado.

Onde comer em Málaga?

O velho mercado é uma escolha que permite uma grande variedade e preços acessíveis. Lugares cheios indicam comidas boas. Outra opção é fazer um lanche e comer no seu hotel, ou num dos bancos do calçadão do porto. Nos arredores também há varias restaurantes, inclusive uma rotisserie que vende pratos prontos e baratos, por menos de 4 €.

Outra dica de comida simples e boa é “Las Merchanas” na Calle Mosquera 5. Na Plaza de la Merced, onde fica a estátua de Picasso, uma dica de restaurante turístico, mas muito frequentado pelos locais, é o Cortijo de Pepe, que merece a visita. Lembre-se que em geral é mais barato comer na barra (ou seja, no balcão) do que nas mesas.

Este festival gastronômico tem sua razão de ser: a região combina o melhor da costa, da montanha, e de todas as civilizações que passaram por lá. Tudo começou com a influência árabe dos fenícios, mas há o toque italiano do império romano, que logo se apossou de um dos melhores pontos de pesca da Europa. Foram desalojados pelos muçulmanos, que a partir do Século XV foram expulsos pelos cristãos, que se esmeram em duas iguarias proibidas pelas leis islâmicas: porco e frutos do mar.

Málaga é a segunda maior cidade da Andaluzia e sua história pode ser vista no anfiteatro romano, no castelo muçulmano, e na catedral erguida sobre as paredes de uma antiga mesquita. Eu sugiro começar o tour cultural pelo museu de Málaga, que mostra as diversas fases da evolução da cidade, e que tem entrada por módicos 1,50 €.

Se você gosta de arte, este é um destino privilegiado. Talvez não saiba, mas Picasso nasceu em Málaga. Além da selfie com a estátua, você pode visitar a casa onde ele nasceu, e um museu que abrange todas as fases de sua rica produção. Para quem gosta de retratos antigos, que revivem a vida cotidiana de 200 e 300 anos atrás, o Museu Thyssen é uma parada obrigatória. Aproveite o domingo, quando estes museus são grátis. E ainda tem dois museus que não fui, o Centro Pompidou e o Museo Russo, que é uma filial do museu de São Petersburgo.

Estátua de Picasso

A catedral, chamada La Manquita, pois uma de suas torres não chegou a ser concluída, também faz parte do Centro Histórico. É parte da mescla de culturas local, e ainda guarda uma pequena parte do que seria uma mesquita. Seu interior é uma mistura de estilos, com destaque para os entalhados de madeira. Se quiser economizar a entrada, que é cara, vá à missa de domingo de manhã, e seja qual for a sua religião, agradeça pela benção de estar num lugar tão maravilhoso.

Em poucos minutos de caminhada, você estará no anfiteatro romano, e logo após no grande Alcazaba, o castelo construído pelos árabes como uma fortaleza. Vamos continuar? Hora de caminhar no calçadão do porto, e do Centro Pompidou de Paris – sob um lindo caixote colorido, de apreciar os barcos, e terminar no lindo farol, não sem antes escolher um dos restaurantes da orla para um petisco.

Caminito del Rey 

Agora, vamos emagrecer de um modo bem agradável. Se você gosta de caminhadas, vou lhe mostrar uma das melhores que já fiz até hoje, o Caminito del Rey, um daqueles lugares únicos onde o engenho humano se soma à beleza da natureza. O antigo e perigoso caminho dos trabalhadores foi restaurado em 2015, e agora você pode ter o privilégio de sentir que quase voa como um pássaro sobre as passarelas de madeiras pelos desfiladeiros e cânions do rio Chorros. Dá para ver muitas cabras, além de águias e outros pássaros, enquanto aprecia a paisagem espetacular.

Apesar da altura, é uma trilha segura e tranquila de fazer, as passarelas são de madeira, e com protetores seguros. São 8 km, a maioria numa leve descida. Um excelente bate e volta de Málaga, ou da bela cidade de Ronda. Só não vá se tiver medo de altura, ou menos de 8 anos (crianças abaixo desta idade não podem fazer o passeio), mesmo acompanhadas. Ficou animado? A entrada custa 16 euros. Para chegar lá você tem que tomar o ônibus ou trem até El Chorro, ou fazer uma excursão com uma das várias agências que fazem o passeio como a Julia Travel, que cobra 42 € – ao meu ver é a opção mais cômoda, pois pega-se o ônibus na praça central de Málaga.

Atenção: Reserve o Caminito del Rey com muita antecedência pelo site oficial, e se possível num dia de semana que é mais vazio. Faça logo depois de comprar sua passagem aérea, pois há pouca disponibilidade. Se não for possível fazê-lo por conta, geralmente existem lugares disponíveis nas excursões. Leve água e um lanche, pois não há pontos de venda no caminho.

Ainda tem muito mais na Andaluzia! São possíveis várias extensões. Nesta viagem eu fui até a cidade de Jerez de la Fronteira, passando por Gibraltar e Cádiz, mas em outra visitei Ronda e os Pueblos Blancos. Vou dar as dicas logo abaixo.

Como chegar a Málaga

TAP, Ibéria, Air France e KLM, Turkish Airlines e Royal Air Maroc têm voos com conexão para Málaga. Se pegar uma oferta do Melhores Destinos, Madrid, Barcelona, e várias cidades na Inglaterra tem boas opções com companhias low cost. Na saída do aeroporto há um ônibus frequente para a Estação Central por 4 euros. Ela é um pouco longe do Centro histórico. Dependendo do seu hotel, vale a pena fazer uma combinação com um táxi para não ficar andando com malas numa cidade que você não conhece depois de horas na sardinha class.

Transporte

Fiz todos os deslocamentos de ônibus e trem, e funcionaram bem, pois estava sozinho. As rotas são regionais, então não é necessário comprar com antecedência. Se estiver em mais pessoas, alugar um carro é uma boa ideia, mas não faça no Aeroporto, aproveite alguns dias em Málaga sem carro, que é uma cidade bem agradável para caminhadas, e faça a retirada na estação de trem. Geralmente alugueis fora do aeroporto são bem mais baratos e a devolução pode ser feita gratuitamente no aeroporto. De maneira geral, não há pedágio na Andaluzia, mas os estacionamentos nas cidades são caros, por volta de 20 € por dia.

Se estiver sem carro, vale a pena se planejar e comprar um bilhete multi destinos, e voltar por Sevilha, ou Jerez de la Frontera, e se alugar o carro, verifique antes qual a taxa da devolução numa destas cidades.

Quando ir

Fui em novembro e a maioria dos dias foram de sol e as temperaturas bem agradáveis. Evite o verão de junho a agosto. A região é famosa pelas praias e os preços serão de alta temporada. Este não é um bom motivo para ir. O litoral do Nordeste é muito mais bonito. Além disto, é muito quente nesta época do ano.

Onde ficar em Málaga e Andaluzia

Em Málaga, fiquei no The Lights Hostel, um ambiente agradável, que tinha uma happy hour e jantar grátis por 25 €. Recomendo para quem for viajar solo.

Outras dicas de hotéis bons e baratos para estender a viagem: em La Línea de Concepción (Fronteira de Gibraltar): Ohtels Campo de Gibraltar ótimo 4 estrelas com café espetacular e a 200 metros da rodoviária (55 €). Em Cadiz: Pensión Cádiz, bem situada e atendimento simpático por 26 € (com banheiros coletivos). Em Jerez de La Frontera: Pensión San Andrés I (25€), hotel pequeno e agradável, no Centro (com banheiro individual). As tarifas são de baixa temporada e devem encarecer no verão.

7 dicas sobre a Andaluzia

Algumas sugestões de como extender esta viagem para outros lugares interessantes:

1 – Leve um conjunto de talheres e faça seu lanche! Comprar algo no mercado, ou numa casa gourmet e comer numa praça é uma das melhores maneiras de provar a comida local;

2 – Se alugar carro, evite deixá-lo na rua, em especial se estiver com malas dentro. Infelizmente muitas locadoras colocam seus adesivos de propaganda no veículo, o que o torna um alvo preferencial dos meliantes;

3 – Há várias extensões possíveis desta viagem, seja como bate e volta, ou melhor ainda passando alguns dias na cidade de Ronda e a sua belíssima ponte, cenário de vários filmes, passando pelos pueblos blancos;

4 – Outra opção é Gibraltar, que acho um pouco longe para o bate e volta oferecido em algumas agências. Melhor se hospedar em La Línea de la Concepción, que é uma cidade pequena e agradável, e não em Algeciras, uma cidade portuária feia e movimentada, como costuma ser recomendado. Gibraltar é uma cidade histórica, e vale pelas suas fortalezas, pela caminhada no parque com seus simpáticos macacos, e pelo aeroporto, o único no mundo que você pode cruzar a pista a pé. Não vale a pena se hospedar lá pois é muito mais caro, e pode-se ir a pé para a fronteira;

dicas andaluzia gibraltar

5 – Duas horas depois de Gibraltar, você estará em Cádiz. É a mais antiga cidade da Europa, e a porta para a rota dos vinhos. Se puder dê uma parada em Tarifa, que ainda conserva as ruas do Souk árabe do ano de 1200, e no verão é uma localidade de observação de golfinhos e baleias;

6 – Se você gosta de natureza, uma atração imperdível a 3 horas de carro é no parque Nacional de Doñana, o maior parque ecológico natural da Europa e que pode ser acessado pela cidade de Sanlucar de Barrameda. De maio a outubro o local é cheio de aves, que estão em rota de migração;

7 – Jerez de La Frontera é a Capital do Vinho e do Flamenco, e está a menos de uma hora de trem de Cádiz. Não deixe de visitar a famosa escola de equitação e o espetáculo dos cavalos adestrados. Pode ser o ponto para a sua volta para o Brasil, pois dispõe de aeroporto a poucos minutos da cidade.

Espero que tenham gostado, e se tiverem alguma dúvida, farei o possível para responder e ajudar. Fico feliz ao viajar pelo mundo, e gosto de compartilhar isto. Se você ficou com vontade de ir, já é o primeiro passo. Fique de olho numa promoção do MD, que muito mais rápido que você imagina, já estará lá.

E você, já foi para a Andaluzia tem alguma dica para dar? Gostou da viagem ? Tem alguma dica de um lugar bonito e que ninguém conhece?


Agradecemos ao Ernesto pelas dicas! Quer compartilhar sua experiência de viagem com a gente? Envie um e-mail para convidado@melhoresdestinos.com.br!