logo Melhores Destinos

Saiba o que são as milhas aéreas e confira 7 passos para você começar no mundo das milhas hoje!

Bruno Rocha
15/05/2024 às 11:47

Saiba o que são as milhas aéreas e confira 7 passos para você começar no mundo das milhas hoje!

Você já deve ter visto alguma informação a respeito do mundo das milhas por aí. Seja nas redes sociais, na internet em geral e até nos aeroportos (ah, os aeroportos ❤️), elas estão lá, em algum lugar. Mas você já faz parte do grupo de pessoas que juntam pontos em tudo o que podem? Se ainda não, vou te dar algumas dicas! E já adianto: não é tão complicado assim.

Acumular pontos ou milhas em programas de fidelidade é uma maneira de fazer o dinheiro gasto em compras ou serviços voltar para você de alguma forma, inclusive como passagens aéreas.

Bora explicar o que fazer para entrar nesse mundo? Confira abaixo 7 passos que você deve seguir!

O que são milhas aéreas?

milhas aéreas

Afinal de contas, o que são as milhas?

As milhas aéreas são uma bonificação que as companhias presenteiam aos seus clientes mais fiéis. Elas funcionam como uma moeda de troca, quanto mais você viaja por companhia x, mais milhas você recebe do programa dessa companhia, além de outras condições especiais.

Onde acumular milhas aéreas?

Agora você já sabe o conceito, você deve estar se perguntando onde juntar milhas. Bom, há dois principais meios de acumular milhas:

  • Viagens
  • Cartão de crédito

Os pontos ou milhas aéreas que você acumula ficam disponíveis nos programas de fidelidade. Esses programas são divididos em dois tipos: os programas das companhias aéreas e os programas dos bancos. Veja quais são os principais programas no mercado atualmente:

Programas de fidelidade das companhias aéreas

  • Latam: Latam Pass
  • Gol: Smiles
  • Azul: Azul Fidelidade

Programas de pontos dos bancos

  • Livelo: Banco do Brasil, Bradesco e algumas cooperativas
  • Esfera: Santander
  • Pontos Caixa: Caixa Econômica Federal
  • Átomos: C6 Bank
  • Curtaí: BRB
  • Inter Loop: Inter

Há diferença entre pontos e milhas?

Não. A diferença entre pontos e milhas está na nomenclatura. Ambos são formas de bonificação que podem ser resgatados por produtos, serviços e passagens aéreas. No entanto, as milhas surgiram como benefício das companhias aéreas, por fazer alusão a distância percorrida em voos. Enquanto os pontos surgiram como um dos benefícios dos cartões de crédito.

A nomenclatura mais usada é a de pontos, até as companhias aéreas usam. As promoções do Azul Fidelidade utilizam pontos, assim como o Latam Pass. A Smiles, entretanto, utiliza exclusivamente milhas em suas campanhas.

O que importa aqui é você saber que pontos e milhas são termos correlatos, significando uma moeda virtual que você pode acumular, seja nas companhias aéreas quanto no seu cartão.

Além dos resgates, os pontos do cartão de crédito podem ser transferidos para os programas das companhias aéreas, fazendo assim a conversão de pontos para milhas (que já vamos falar em breve). Mas a transferência só pode ocorrer se for de bancos para companhias aéreas. Não é possível transferir entre bancos e nem entre companhias.

Como transferir pontos para milhas?

Primeiro, veja qual é o programa de fidelidade do seu banco e como funciona a pontuação nele. Muitos destes programas têm parcerias com as principais companhias aéreas nacionais, o que permite que você converta seus pontos em milhas.

Mas, antes de transferir, é bom checar se o seu banco determina um limite mínimo de pontos para a transferência. Outro ponto a se considerar é o momento da operação. Vai ser muito mais vantajoso você esperar por uma promoção entre os programas para transferir os pontos e ganhar bônus no processo.

Como funciona um programa de milhas?

Os programas de milhas fazem parte da estratégia de fidelização das companhias aéreas e dos bancos. A maioria desses programas tem adesão gratuito e é possível juntos pontos e milhas o suficiente para resgatar diversos serviços e produtos. O resgate mais em conta, na minha opinião, é a passagem aérea.

7 dicas para começar a acumular milhas

1. Inscreva-se nos programas de fidelidade

O primeiro passo é um pouco óbvio, mas ainda tem muita gente que não segue ou não conhece: inscreva-se em todos os programas de fidelidade que você puder. Ele pode ser ligado ou não ao seu banco, afinal, alguns deles permitem acúmulos independente do uso de cartão de crédito, como por meio de compras no varejo, casos do Livelo e do Esfera.

Também é importante fazer parte dos programas de milhas das companhias aéreas: Azul Fidelidade, Smiles, Latam Pass, TAP Miles&Go, AAdvantage… são vários! Mas, neste caso, tente priorizar aqueles que você utiliza com mais frequência. Não faz sentido acumular milhas com a TAP se você quase não faz viagens para o exterior, por exemplo.

Na opinião deste singelo editor, o Smiles sai com uma pequena vantagem entre as aéreas, já que permite a emissão de passagens em diversas companhias parceiras, além da Gol no Brasil, embora os resgates de bilhetes pelo programa tenham passado por uma alta considerável nos últimos meses.

2. Voe com sua companhia aérea preferida

Sim, esse passo é um pouco mais “primitivo”, mas ainda assim, importante. Antigamente, essa era a principal forma de acumular milhas, já que, dessa forma, as companhias aéreas seguravam o cliente para ele também gastar seus pontos com os voos dela.

Além de ganhar milhas, priorizar os voos com uma única companhia pode elevar seu status no programa fidelidade, trazendo outros benefícios, como possíveis upgrades de cabine, serviços exclusivos, acesso a salas VIP, bagagem despachada e marcação de assentos gratuitos, entre outros.

Voar com a companhia preferida ajuda a acumular pontos e melhorar o status de fidelidade. 

3. Use o seu cartão de crédito

O cartão de crédito não é um vilão. Usado com sabedoria, na verdade, ele é um ótimo aliado, o mocinho da história!

Pague tudo o que puder utilizando seu cartão de crédito. Assim, acumulará os pontos do programa ligado a ele e poderá fazer resgates ou transferir para outros parceiros.

 

Seu cartão não acumula pontos? Não tem problema, utilize mesmo assim para ir construindo um histórico de crédito (assunto da nossa próxima dica), enquanto escolhe um novo. Você pode conferir no ranking do Melhores Cartões qual o melhor cartão para acumular milhas e ver se consegue ter um aprovado.

Mas atenção! Acompanhe de perto os seus gastos para que a fatura do mês seguinte não represente uma surpresa. Lembrando que a partir de 2024, os juros do rotativo do cartão são limitados a 100%, mas essa nova regra só vale para os cartões contratados neste ano e não inclui o IOF.

De qualquer forma, ter que pagar juros sempre é uma dor de cabeça.

4. Crie um histórico de crédito

Usando seu cartão e pagando as faturas sempre em dia, você estará construindo um histórico de crédito com a instituição, e isso permitirá que sejam oferecidos novos serviços, como cartões com limites mais altos, pontuação melhor, acesso a salas VIP e tudo mais, mesmo que você não tenha aquela super renda exigida para muitos cartões exclusivos do mercado.

Afinal, o banco saberá, com base no seu histórico, que seu perfil é de bom pagador e que poderá honrar com suas obrigações financeiras sem precisar olhar apenas o seu holerite ou extrato bancário.

5. Faça compras pela internet em lojas parceiras

Devo fazer uma confissão: sou o louco das compras online! Compro de tudo, MESMO! De desodorante a roupas, passando por tênis, bebidas, eletrônicos… se tem na internet, é aqui que eu vou comprar!

Muitos sites oferecem a possibilidade de gerar uma determinada quantidade de pontos a cada real gasto em compras, por meio de parcerias com os programas de fidelidade. Em algumas campanhas, essa pontuação pode dar um verdadeiro up na sua carteira de milhas, podendo chegar a 10, 15, até 25 pontos por real!

Mas aqui também vale uma observação importante! Pesquise o preço e veja se está valendo a pena comprar com o acúmulo de pontos. Não são raros os casos em que os produtos estão bem mais caros que o normal apenas por causa dessas milhas.

E não vai sair comprando sem necessidade só para acumular pontos, hein!? Pratique o consumo consciente! Seu bolso agradece.

6. Fuja dos “milagres”

Poderia colocar várias aspas nesses milagres, até porque eles não existem quando o assunto são milhas. Não adianta querer entrar nesse mundo em um dia e, no outro, já ter milhões de pontos.

Fuja desse papo de que há possibilidades de acumular milhas infinitas e tudo mais. Aja com responsabilidade, sem sair comprando tudo e estourando o cartão de crédito por aí. Aos poucos também é possível juntar MUITAS milhas, e você ainda não vai precisar tomar sustos com a sua fatura no outro mês.

7. Juntou? Resgate!

De nada vai adiantar acumular milhares (ou milhões) de pontos se não for usar. A maioria dos programas de fidelidade dão um prazo para esses pontos serem resgatados, e você pode perdê-los se isso não acontecer. As transferências bonificadas costumam ter uma validade menor, então tenha atenção aos seus extratos e verifique sempre se não há pontos a vencer em um período próximo.

Ah, e esqueça aqueles resgates por panelas, facas e fones de ouvido! Suas milhas poderão valer muito mais sendo usadas para “pagar” passagens aéreas, hotéis e até aluguel de carro.

Viu que os pontos estão para vencer e não pretende viajar em breve? Programe as próximas férias ou presenteie aquela pessoa querida com uma passagem! Já pensou a felicidade dela? (Essa dica é um bônus para aquele presente especial para o mozão, hein!).

Dica bônus: Baixe o aplicativo do Melhores Cartões

Achou que tinha acabado?

Decidi apresentar uma dica bônus que vai te ajudar bastante. O Melhores Cartões é nosso site especializado no mundo das milhas, cartões e promoções em geral! Baixando o aplicativo do Melhores Cartões, você ficará por dentro de várias promoções de milhas, cartões, cashback e cupons, além de ótimos resgates de passagens aéreas para você aproveitar.

E o melhor: você não precisa pagar nada para ter acesso ao aplicativo. É totalmente grátis. Clique aqui e baixe o aplicativo agora mesmo.

Quais são os principais programas de milhas?

  • Latam Pass da Latam: Oferece muitos trechos internacionais, incluindo América do Sul, Europa, Estados Unidos, Caribe, África do Sul e Oceania. Os pontos do programa podem ser resgatados por passagens aéreas, produtos e serviços.
  • Azul Fidelidade da Azul: Acumulando pontos no programa, é possível resgatá-los com passagens aéreas, pacotes de viagens, diárias em hotéis, aluguel de carros e até mesmo ingressos para eventos.
  • Smiles da Gol: O programa tem muitas parcerias internacionais, como a American Airlines, Aerolíneas Argentinas, Avianca, Air France e com a KLM. Sendo assim, você pode usar as milhas Smiles para emitir passagens internacionais também.
  • Livelo do Banco do Brasil e Bradesco: O principal programa de pontos do mercado, a Livelo possui parceria com muitas lojas de varejo. Muitas vezes, ela oferece promoções especiais, como o festival de 10 pontos por real, que ocorre quase mensalmente.
  • Esfera do Santander: Há várias formas de pontuar na Esfera, a principal sendo por meio dos cartões Santander. Mas também dá para pontuar no programa com compras em lojas parceiras, assinando o Clube Esfera ou comprando pontos.

Como saber quantas milhas eu tenho?

Basta fazer o login no site da companhia aérea na qual você se cadastrou ou no programa do seu banco. Em alguns casos, as pessoas têm uma quantia considerável de pontos acumulados, mas não sabem ainda porque não fizeram a inscrição no programa.

Como escolher o melhor programa de milhas?

Um erro comum quando alguém começa a acumular é querer juntar pontos em vários programas de uma vez só.

Paciência, jovem padawan! O melhor a fazer é escolher o programa que vai se encaixar melhor com as suas necessidades. Pensa, do que adianta acumular em programa x, se ele não tem o trecho que você quer?

Lembrando que você também pode usar os programas de fidelidade financeiros. Assim, você pode aproveitar uma promoção de transferência bonificada para turbinar o seu saldo de milhas.

Quantas milhas são necessárias para uma passagem?

Não há uma resposta certa para esta pergunta. Muitos fatores entram em jogo no que diz respeito ao preço: o destino turístico, o período da viagem, se é um voo direto ou com conexão, em certos casos até a escolha do aeroporto afeta a precificação.

De maneira geral, uma passagem nacional deve custar a partir de 10.000 milhas e uma passagem internacional a partir de 20.000 milhas.

Mas dependendo da sua estratégia de acúmulo de milhas para comprar passagens, você pode chegar a esses valores em um ano.

É possível vender milhas?

A venda de milhas é um assunto bem polêmico que gera discussões dos dois lados. A venda de milhas é uma operação muito arriscada. Além da demora do pagamento das milhas, quem pretende vender precisa passar o login e a senha do programa de fidelidade para a empresa que quer comprar as milhas. Ou seja, a pessoa fica sujeita a sofrer um calote e ainda pode ter os dados vazados.

Por enquanto, o mercado de milhas não é regulamentado no Brasil, mas os programas de fidelidade proíbem expressamente a venda de milhas, visto que vai contra o propósito inicial das milhas (a fidelização).

Regulamentação dos programas de milhas

No ano passado, foi criado o PL 2767/23, para regulamentar os programas de milhas das companhias aéreas.

A proposta da nova lei das milhas é acabar com o prazo de vencimento dos pontos e milhas e ainda permitir a “sucessão” das milhas. Isto é, se o titular falecer, os pontos poderão ser transferidos para outra pessoa previamente cadastrada no programa.

Outra mudança que promete dar o que falar é a permissão da venda de milhas, mas com os programas de fidelidade agindo como intermediadores na operação. No entanto, ela proíbe o pagamento sob promessa de entrega futura do serviço. Ao que tudo indica, a regra será: pagou, recebeu.

O projeto ainda está em tramitação na Câmara dos Deputados, em regime de urgência.

Principais perguntas e respostas sobre milhas aéreas

Quanto vale 1.000 milhas em dinheiro?

Em média, 1.000 milhas (normalmente chamamos de “milheiro”) custa R$ 70 nos principais programas de fidelidade.

Qual é o valor de 1 milha?

No geral, os programas vendem em milheiro, o equivalente a 1.000 milhas. Como a maioria dos programas cobra R$ 70 por milheiro (1.000 milhas), o valor de 1 milha é R$ 0,07.

Nubank tem milhas?

O Nubank não tem um programa de milhas. O banco tem o Nubank Rewards, que dá benefícios exclusivos, só que ele não aceita novas assinaturas. 4 pontos Rewards viram 1 milhas Smiles.


Bom, essas são algumas dicas que eu segui quando comecei a me interessar por esse tema das milhas, e que permitiram que eu estivesse aqui no Melhores Destinos para compartilhá-las com vocês! E aí, tem alguma outra dica para quem está começando? Deixe aí nos comentários! Ah, e não esquece de nos seguir no Melhores Cartões!

Veja também:

Não perca nenhuma oportunidade!
ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
tela do app do melhores destinos
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção