logo Melhores Destinos

11 curiosidades sobre viagens de avião que você provavelmente não conhece

Leonardo Cassol
Leonardo Cassol
14/11/2020 às 5:35

11 curiosidades sobre viagens de avião que você provavelmente não conhece

O universo da aviação é encantador e, ao mesmo tempo, misterioso para a maioria das pessoas. São tantos detalhes e questões incomuns, que até os mais viajados não tem respostas para algumas perguntas. Por exemplo, o que acontecem com as bagagens perdidas que ficam sem dono? Por que as pernas incham durante os voos? O que são aquelas trilhas brancas deixadas nos céus pelas aeronaves? E aquele triângulo preto em cima da janela? Quanto combustível um avião carrega? Nesse post respondemos a essas e a outras questões que despertam curiosidade em passageiros de todas as idades!

1. Bagagens perdidas e não reclamadas são doadas ou leiloadas

Quase 2 milhões de bagagens despachadas em aviões são perdidas todos os anos no mundo. A grande maioria é recuperada. Outras não são encontradas e o passageiro recebe uma indenização da companhia aérea. Mas, uma parte das bagagens não é reclamada, ou não tem proprietário identificado. Nestes casos, no Brasil, as empresas fazem uma doação para instituições beneficentes. Nos Estados Unidos e em alguns países da Europa as malas sem dono são leiloadas. Portanto, se você tinha uma mala que nunca mais viu, provavelmente foi esse o destino dela…

2. É muito difícil calcular a duração exata de uma viagem

Existem diversas variáveis que influenciam no tempo de voo, como distância, altitude, tipo de aeronave, clima (especialmente a direção dos ventos) e o tráfego aéreo nos aeroportos de saída e chegada e ao longo do trajeto. Por melhor que seja a previsão, não é incomum acontecerem eventos não esperados. Por isso, as companhias aéreas geralmente utilizam um software para calcular o tempo de viagem, mas sempre adicionam uma margem de segurança para contingências (que pode chegar a 20% do tempo total estimado), evitando assim atrasos em cascata na programação dos voos. Mas nada como uma tempestade inesperada, um passageiro atrasado, ou uma manutenção de última hora na aeronave para fazer com que o voo atrase assim mesmo…

3. Pernas e pés podem inchar durante voos mais longos

Se você passar mais de duas horas voando, pode notar que seus pés, tornozelos e pernas se expandiram. Em alguns casos, o inchaço é bem visível. Eu várias vezes já tive dificuldade de recolocar o tênis no pé depois de muitas horas de voo! São sintomas comuns da mudança na pressão do ar e de uma menor hidratação do corpo, especialmente se você ficar sentado durante muito tempo, sem se movimentar durante a viagem. Por isso, o ideal é utilizar calçados e roupas confortáveis e leves durante viagens longas. Andar um pouco no avião, movimentar os pés e as pernas mesmo sentado e beber bastante água também ajuda muito, não só a reduzir o inchaço, mas também a prevenir tromboses. Veja mais em “Como se preparar para voos longos: dicas para ter uma viagem mais agradável e tranquila

4. O rastro branco deixado pelos aviões nos céus é chamado de trilha de condensação

Aquelas faixas brancas no céu, que ficam depois que um avião passa em elevada altitude, são chamadas de trilhas, rastros ou esteiras de condensação (contrail, em inglês). Isso acontece porque o avião libera vapor da combustão do motor, que se mistura com a atmosfera ao redor, muito mais fria e úmida devido à elevada altitude, deixando uma nuvem fina de cristais de gelo que demora a se dissipar.

5) Pequenos triângulos pretos perto das janelas dos aviões têm significados especiais

O interior dos aviões geralmente é marcado com setas ou triângulos pretos ou vermelhos. Já se perguntou para que eles servem? Eu achava que indicavam onde estavam os kits de sobrevivência, mas não é nada disso! Eles mostram para a tripulação os assentos que oferecem a melhor visão das asas e dos motores. Em caso de emergência, ou em condições climáticas adversas, de lá fica mais fácil ver se há neve acumulada nas asas, ou se está saindo fumaça ou fogo dos motores, por exemplo. Então, se estiver num desses assentos e um dos comissários aparecer inesperadamente te oferecendo um drink, ele pode estar incumbido de checar a situação externa da aeronave!

6) As pessoas ficam mais emotivas dentro de aviões

Viagens geralmente causam ansiedade, ativando áreas do cérebro responsáveis pelas emoções. De acordo com os cientistas, mesmo sem perceber, isso aumenta a nossa sensibilidade, nos deixando mais propensos a chorar, a gargalhar, ou a se preocupar dentro de um avião. Será que isso ajuda a explicar alguns chiliques de passageiros que vemos vez ou outra? Não sei! Mas eu já chorei algumas vezes enquanto voava (vendo filmes ou lembrando de coisas boas e tristes). Você já passou por isso? Agora pelo menos sabemos o motivo (ou temos uma boa desculpa hehehe)!

7) Faz muito frio fora do avião

A temperatura fora da aeronave pode chegar a -50 °C durante o voo de cruzeiro. O que nos impede de congelar é a fuselagem e o isolamento térmico da estrutura do avião, construído para suportar temperaturas extremas. Além disso, o sistema de ventilação foi desenvolvido para manter uma temperatura estável e agradável para passageiros e tripulantes. O curioso é que quando estamos do lado do sol às vezes podemos sentir um forte calor ao encostar na janela do avião. É porque ele aquece a camada interna da janela. Mas, acredite, lá fora vai estar beeem frio!

8) Mudanças na pressão do ar podem afetar seus ouvidos

Quando o avião está em procedimento de decolagem e pouso, as mudanças de altitude provocam mudanças rápidas na pressão do ar, que podem causar estalos nos ouvidos e até serem bastante dolorosas. A trompa de Eustáquio, que conecta o ouvido médio à faringe, geralmente iguala a pressão por conta própria. Mas, em bebês ou em pessoas mais sensíveis, por exemplo, esse mecanismo pode não responder com rapidez suficiente e causar desconforto. Bocejar, mascar chiclete ou engolir ar, água ou alimento regularmente enquanto a aeronave estiver subindo ou descendo pode ajudar bastante nestes casos. Outra tática comprovada é beliscar o nariz para impedir a passagem de ar e soprar suavemente pela boca. Agora, se isso acontecer com frequência, procure um médico. Existem tratamentos e medicamentos que podem atenuar esse problema.

9) Um avião pode levar 40 minutos para abastecer, dependendo da necessidade de combustível

O consumo de combustível de um avião depende principalmente do peso, do modelo da aeronave e da duração do voo. Por razões de segurança, sempre é colocado mais combustível do que o necessário, para o caso o avião ter que aguardar devido ao fechamento de um aeroporto, ou alternar para outra cidade. Um fato curioso é que todos os cálculos são feitos com base no peso do combustível, já que o querosene de aviação pode ganhar ou perder volume conforme a temperatura, mas sem alteração no seu peso. Um Airbus A380 (de dois andares), por exemplo, pode carregar até 320 mil litros (ou 253 mil kg) de querosene de aviação, o que pode demandar cerca de 40 minutos de abastecimento. Já um voo da ponte aérea Rio-SP vai consumir cerca de 2 mil litros, sendo abastecido em menos de 15 minutos.

10) Alguns aviões comerciais podem voar a mais de 1.000 km por hora

A velocidade de cruzeiro de um jato de passageiros costuma girar em torno de 925 km por hora. Mas um Boeing 747-8i, que no Brasil é operado pela Lufthansa, costuma atingir 1.060 km por hora. E olha que já existiram aviões mais rápidos, como o supersônico Concorde, aposentado no ano 2000, que chegava a impressionantes 2.158 km por hora e fazia a rota ParisRio de Janeiro em pouco mais de 6 horas (chocado!). Aviões comerciais geralmente viajam a 35.000 pés de altura (10.668 metros), onde conseguem otimizar o consumo de combustível.

11) As máscaras de oxigênio fornecem apenas 15 minutos de ar

Todo voo, não importa qual é a companhia aérea, os comissários alertam que em caso de uma inesperada perda de pressão da cabine, máscaras de oxigênio cairão automaticamente. A questão é que a reserva de oxigênio desses equipamentos dura pouco tempo, de 12 a 15 minutos. Mas é o suficiente para que o avião seja levado a uma altitude mais baixa e segura, onde esse equipamento deixa de ser necessário. De qualquer forma, prefiro passar a vida sem precisar conferir na prática a veracidade desse item…

E aí? Curtiu conhecer algumas curiosidades sobre o mundo da aviação? Ficou surpreso com algum dos itens? Comente e participe!


Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *