Coronavírus: É seguro viajar para a Ásia? Tudo que você precisa saber!

Wendell Oliveira
22/01/2020  ·  5:00Publicado 22 · jan · 2020  ·  5:00Atualizado 15 · mar · 2020

Coronavírus: É seguro viajar para a Ásia? Tudo que você precisa saber!

O coronavírus da China (Covid-19) é uma nova e misteriosa doença que já matou cerca de 6.000 pessoas e infectou mais de 160.000, a maioria na Ásia. Enquanto a preocupação com uma epidemia começa a surgir, o turismo na região também pode ser afetado.

É seguro viajar para a Ásia em tempos de coronavírus? É necessário cancelar a viagem? O que se sabe até agora sobre o coronavírus chinês, quais são os sintomas e como se prevenir? Confira tudo que você precisa saber para a sua viagem na Ásia!

Leia também:
Central de informações na crise do coronavírus: orientações aos viajantes e espaço para tirar dúvidas

Atualização (22/01 – 08:30)
Coreia do Norte suspende temporariamente visita de turistas devido ao coronavírus

Atualização (23/01 – 13:12)
China isola 13 cidades para conter surto de coronavírus

Atualização (24/01 – 08:34)
China fecha seções da Grande Muralha em Pequim e Disneylândia de Xangai

Atualização (29/01 – 21:29)
Companhias suspendem operação para a China devido ao coronavírus

Coronavírus: o que se sabe até agora

O coronavírus da China já infectou cerca de 160.000 pessoas, em casos confirmados na China, Itália, Japão, Estados Unidos e mais países. Cientistas acreditam que o número de infectados seja muito maior do que o oficialmente divulgado.

Com sintomas semelhantes aos de uma gripe comum, a nova variante do vírus foi originalmente encontrada na cidade de Wuhan, na China. A primeira morte causada pelo novo coronavírus ocorreu no dia 11 de janeiro deste ano.

Wuhan: o marco zero do coronavírus da China. (foto: Sky News)

O coronavírus pertence à mesma família do vírus da gripe e de outras doenças de maior risco à saúde humana, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) — essa última, com mais de 8.000 infectados e 774 mortos em 37 países, durante o surto de 2002-2003.

Também conhecida como 2019-nCoV, a nova variação do coronavírus causa febre, tosse, falta de ar e dificuldade em respirar. A China confirmou que o vírus — que causa um tipo de pneumonia — é transmitido de pessoa para pessoa.

mapa wuhan china coronavirus

Wuhan, cidade chinesa onde foi descoberta a nova variação do coronavírus. (mapa: BBC)

Coronavírus: devo cancelar minha viagem para a Ásia?

Embora algumas agências e companhias aéreas estejam permitindo o cancelamento gratuito de hotéis e voos para a China e outros países afetados, cancelar ou não sua viagem é uma decisão estritamente pessoal. A menos que sua passagem seja flexível ou a companhia disponibilize a opção de cancelamento gratuito, analise bem seus direitos antes de mudar os planos.

Leia também:
Coronavírus: companhias aéreas flexibilizam remarcação ou cancelamento de passagens internacionais

Beijing Daxing, o novo aeroporto de Pequim.

Beijing Daxing, o novo aeroporto de Pequim.

É recomendável é acompanhar o noticiário e se atualizar diariamente. Surtos de doenças como a Gripe Suína (H1N1), SARS, MERS e Ebola receberam bastante atenção da mídia no passado, mas foram controladas e não causaram uma pandemia. Caso tenha viagem marcada para a Ásia, é importante filtrar informações sérias de eventuais manchetes sensacionalistas.

Quais são os sintomas do coronavírus?

Os sintomas do coronavírus da China são bem parecidos com os de uma gripe comum: febre, dificuldade de respirar, coriza, tosse e dor de garganta.

Grupos de maior risco (idosos e pessoas com doenças crônicas) podem desenvolver doenças mais graves ao serem contaminadas com o coronavírus, como pneumonia, síndrome respiratória aguda grave, falha renal e morte.

Coronavírus: como se prevenir?

A recomendação da OMS é semelhante aos métodos de prevenção da gripe: Lavar as mãos frequentemente com água e sabão, evitando tocar nos olhos, nariz ou boca e mantendo-se afastado de pessoas doentes.

Coronavírus: como se prevenir?

Na Ásia, é comum usar máscaras cirúrgicas no dia a dia contra poluição e doenças (foto: Sky News)

Caso já tenha viajado pela Ásia, você deve ter notado o hábito da população local em usar máscaras cirúrgicas no dia a dia. Embora também estejam relacionadas à poluição e outras doenças respiratórias, usá-las pode ser uma boa medida preventiva. A máscara pode evitar de 50% a 92% a transmissão do coronavírus, barrando as gotículas de saliva que carregam os micrômetros de partículas.

Aliás, máscaras estão sendo adotadas por comissários de bordo nos voos na China.

Há um risco de pandemia de coronavírus?

Atualização (11/3): a OMS declarou a pandemia do coronavírus.

Em meio a temores de uma epidemia global, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) norte-americano buscou tranquilizar os cidadãos norte-americanos após a confirmação do primeiro caso de coronavírus chinês nos EUA.

De acordo com relatório emitido pela instituição, o nível de detalhamento da doença ainda não é claro. Ainda segundo o documento, embora sintomas graves e mortes tenham sido relatados na China, alguns pacientes não apresentaram maiores complicações e logo tiveram alta.

O CDC ressalta ainda que não é incomum a disseminação desse tipo de vírus de pessoa para pessoa, como ocorreu com a síndrome respiratória aguda (SARS, na sigla em inglês) e a síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS, na sigla em inglês), pertencentes à mesma família do novo coronavírus.

“A confirmação de que uma disseminação limitada entre pessoas do vírus está ocorrendo na Ásia aumenta o nível de preocupação, mas o CDC continua acreditando que o risco do 2019-nCoV para o povo americano, em geral, permanece baixo neste momento”.

Coronavírus: qual é o tratamento?

Ainda não há tratamentos conhecidos para combater o coronavírus. Por enquanto também ainda não existe uma vacina que impeça a contaminação pelo coronavírus. Por isso, embora não haja alertas de restrições de viagens, a OMS recomenda que os países redobrem a atenção em relação à saúde dos viajantes.

De acordo com a CNN, há uma vacina para combater a propagação do coronavírus em desenvolvimento. No entanto, pode levar mais de um ano até que ela esteja disponível.

A importância do Seguro Viagem

Por razões como essa, é sempre recomendável contratar um seguro viagem internacional antes de viajar. Ele garante atendimento médico e hospitalar em casos de urgências, emergências ou doenças durante a viagem. Além disso, você pode garantir consultas, internações, além de tratamentos, remédios e repatriação médica e funerária em situações mais extremas.

Leia também:
Seguro viagem e coronavírus: confira as empresas que garantem cobertura em meio à pandemia