logo Melhores Destinos

“Very nice!”: Cazaquistão adota bordão de Borat para promover turismo

Wendell Oliveira
27/10/2020 às 9:02

“Very nice!”: Cazaquistão adota bordão de Borat para promover turismo

Aproveitando a estreia de Borat 2, o Cazaquistão adotou o bordão “Very nice!” em sua nova campanha de turismo. Desde o lançamento do primeiro filme, o país natal do personagem de Sacha Baron Cohen era retratado em uma visão repleta de estereótipos. O governo do Cazaquistão chegou a banir a obra por divulgar uma imagem misógina, primitiva e antissemita do país. Mas agora o entendimento sobre a comédia mudou, dando visibilidade ao turismo da nação.

Leia também:
15 estereótipos de países que você sempre acreditou (alguns são verdadeiros!)
Quirguistão: Dicas de viagem para a “Suíça da Ásia”

‘Very nice!’: Nova campanha de turismo do Cazaquistão

Apesar da representação satírica do país, Kairat Sadvakassov, responsável pelo Turismo do Cazaquistão, declarou ao Huffington Post que adotar o bordão de Borat na campanha “oferece uma descrição perfeita do vasto potencial turístico do Cazaquistão, de uma forma curta e memorável. ”

“A natureza do Cazaquistão é muito boa (“very nice!”); a comida é muito boa (“very nice!”); e seu povo, apesar das piadas de Borat, é um dos mais legais do mundo. Gostaríamos que todos experimentassem o Cazaquistão por si próprios, visitando nosso país em 2021 e depois, para que pudessem ver que a terra natal de Borat é mais agradável do que ouviram falar”, disse ele.

Os anúncios mostram turistas caminhando com um pau de selfie, bebendo leite de égua fermentado, maravilhados com a arquitetura e posando para uma fotografia com cazaques em trajes tradicionais.

A ideia da nova campanha

A ideia para a campanha veio do americano Dennis Keen, que viajou ao país em um intercâmbio durante o ensino médio, depois estudou com um professor cazaque na Universidade de Stanford. Ele agora mora na cidade de Almaty, onde oferece tours a pé, informou o New York Times.

Com muito tempo disponível devido à pandemia do coronavírus, ele e um amigo apresentaram a ideia ao conselho de turismo do Cazaquistão e “imediatamente” receberam autorização para fazer quatro anúncios de 12 segundos.

Questionado sobre o filme durante uma visita ao Reino Unido, Nazabayev riu: “O próprio fato de você ter feito essa pergunta fará você querer aprender mais e vir ao Cazaquistão para ver por si mesmo”, disse ele.

Lago Kolsai, no Cazaquistão

Lago Kolsai, no Cazaquistão

Por que ‘Borat’ escolheu o Cazaquistão?

Isso é uma comédia, e o Cazaquistão do filme não tem nada a ver com o do mundo real“, disse o ator Sacha Baron Cohen, em um e-mail ao jornal The New York Times, após descobrir a mudança de posicionamento do Cazaquistão.

Escolhi o Cazaquistão porque era um lugar que quase ninguém nos Estados Unidos conhecia, o que nos permitiu criar um mundo selvagem, cômico e falso. O Cazaquistão real é um belo país, com uma sociedade orgulhosa e moderna — o oposto da versão de Borat.”

Turismo no Cazaquistão cresceu após ‘Borat’

Quando o filme “Borat – O segundo melhor repórter do glorioso país Cazaquistão viaja à América” foi lançado, em 2006, o longa foi proibido no Cazaquistão pelo governo local, que ameaçou processar o humorista. Mas em 2012, o ministro das Relações Exteriores do Cazaquistão chegou a dizer que estava grato ao filme por ter ajudado a atrair turistas ao país.

Segundo o ministro Yerzhan Kazykhanov, na época o número de vistos de turismo solicitados para o Cazaquistão aumentou dez vezes!

“Acho que inclusive a informação negativa foi benéfica (para a imagem do país). Nosso Ministério recebeu no ano passado jornalistas de 18 países interessados em comprovar se o que mostra o filme corresponde à realidade”, disse em entrevista coletiva.

Turistas presos no Cazaquistão por se vestirem de ‘Borat’

Apesar do estímulo ao turismo, Borat ainda causa polêmicas no país. Em 2017, dois turistas da República Tcheca foram detidos no Cazaquistão por vandalismo, ao vestirem o infame “biquíni para homens” que o personagem usa no filme.

Por ser um país muçulmano, de regras conservadoras, o comportamento dos fãs da comédia não foi bem aceito no Cazaquistão. Apesar disso, eles não tiveram que pagar a fiança. O próprio ator Sacha Baron Cohen se ofereceu para pagar.


Se não pode contra eles, junte-se a eles. Wawaweewa!

Com informações do The Guardian

Não perca nenhuma oportunidade!
ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
tela do app do melhores destinos
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção