logo Melhores Destinos

Comac 919: conheça o avião chinês que quer competir com Boeing e Airbus

Rafael Castilho
09/05/2020 às 6:38

Comac 919: conheça o avião chinês que quer competir com Boeing e Airbus

A China busca entrar de cabeça no mercado da aviação comercial para concorrer com os campeões de venda da Boeing e da Airbus. O governo chinês, por meio da fabricante estatal Comac, lançou o C919, uma aeronave de fuselagem estreita e dois motores com o objetivo de competir com o Boeing 737 e o Airbus A320, os aviões mais usados do mundo. Um projeto ambicioso que começou há 12 anos. Mas acusado de espionagem e muitos atrasos, até o momento nenhum pedido foi entregue. Conheça o C919.

História do C919

Em 2008, a fabricante estatal Comac lançou o programa C919, uma aeronave projetada totalmente pelos chineses. A grande ambição era a disputa do grande mercado liderado pelos modelos Boeing 737 e Airbus 320. Em 2011 foi iniciada a produção do novo jato.

O primeiro protótipo do C919 foi entregue em novembro de 2015. Dois anos depois, com um ano de atraso, o avião fez seu primeiro voo. Os testes começam sempre em baixas altitudes e menores velocidades, mas problemas aerodinâmicos e estruturais foram registrados e a aeronave teve que passar por diversas melhorias.

De lá pra cá, mais cinco aeronaves para testes ficaram prontas. A última foi entregue no final do ano passado. O C919 agora passa por testes em condições extremas, umidade elevada e frio. Outros muitos ajustes estão sendo feitos. A Comac busca realizar 4.200 horas voadas no C919 para conseguir a certificação da aeronave.

Apesar do sonho chinês de brigar pelo bilionário setor da aviação mundial, o C919 é tido por muitos como um avião que chegará ao mercado com grande atraso e tecnologia ultrapassada. A previsão é que as primeiras aeronaves sejam entregues aos clientes no ano que vem, mas acredita-se que o atraso deve aumentar até 2022, devido a um novo problema apresentado nos motores. Essa falha havia sido subestimada e os motores terão que ser substituídos por mais potentes, assim novos cálculos e reforços estruturais terão que ser feitos no avião.

C919 avião chinês

C919 no Aeroporto de Shanghai – foto Shimin Gu / Wikimedia Commons

Quais são os mercados alvos do C919?

O mercado chinês de aviação deve se tornar o maior do mundo em cerca de 10 anos. Hoje atrás somente dos Estados Unidos, estima-se que o número atual de passageiros transportados em viagens aéreas, na China, passe dos atuais 3,8 bilhões para 7,2 bilhões em 2035.

De acordo com a Boeing, o mercado aéreo chinês precisará de cerca de 7 mil aeronaves nos próximos 20 anos. A grande maioria é de avião narrow-body (fuselagem estreita), com um único corredor, como o C919.

Quinto C919 construído pela Comac decola em Shanghai para voo de teste

Além do mercado chinês, a Comac mira suas expectativas comerciais no Sudeste Asiático e na África, onde a China tem investido bilhões de dólares em aquisição de empresas e obras de infraestrutura. A grande aposta de interesse comercial é o preço do C919 estimado em cerca de US$ 50 milhões, bem abaixo de seus principais concorrentes. O valor médio do o Airbus A320 é US$ 99 milhões e o Boeing 737-800 custa em torno de US$ 106 milhões.

Pedidos do C919

O C919 já conta com cerca de 1.000 intenções de compra, sendo 305 pedidos já firmados. A maioria é de companhias chinesas, como: Air China, China Eastern e China Southern Airlines. Há também interesse por empresas de leasing chinesas.

A Comac espera vender 2.000 unidades nos próximos 20 anos.

Onde o Comac C919 pode voar?

Somente após conseguir a certificação de aeronavegabilidade é que os aviões poderão entrar em operação em alguns mercados, mas o mais importante, para o C919 se tornar um avião global, é conseguir a autorização das agências reguladoras dos Estados Unidos (FAA) e da Europa (Easa). Mas isto está longe de acontecer.

China acusada de roubo de tecnologia

Em meio ao processo de desenvolvimento da aeronave e de seus testes, a empresa de segurança da informação Crowdstrike acusou a fabricante chinesa de espionagem. De acordo com o relatório, o governo chinês, proprietário da Comar, estava utilizando o serviço de hackers para invadir e roubar tecnologia dos fornecedores internacionais, entre elas as gigantes GE, Honeywell e Safran.

O caso teria acontecido entre 2010 e 2015 e a intenção seria roubar tecnologias e conhecimento ligados ao desenvolvimento do C919, como projetos para o motor turbofan e outros componentes.

Além da pesquisa da CrowdStrike Intelligence, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos também chegou acusar a Comar de espionagem internacional.

motor C919

Motor do C919 produzido pela GE e Safran.

Detalhes técnicos do C919

Passageiros: 158 (duas classes) a 168 (classe única)

Alcance: 4.075 km a 5.555 km (ER)

Comprimento: 38,9 metros

Altura: 11,95 metros

Envergadura: 35,8 metros

Motores: Turbofan CFM International LEAP-1C

Velocidade: Mach .785 (cerca de 965 km/h)

Altitude máxima de voo: 12,1 mil metros

Comprimento Pista/ Decolagem: 2.000 metros

Comprimento Pista/ Pouso: 1.600 metros

Largura da cabine de passageiros: 3,9 metros

Altura da cabine de passageiros: 2,25 metros

Um avião internacional

Apesar de ser um avião Made in China podemos definir o C919 como uma aeronave internacional. Assim como os demais aviões no mercado, incluindo o das marcas gigantes, o C919 leva componentes de várias nacionalidades.

O projeto é realmente chinês, mas o motores são da americana GE e da francesa Safran, o trem de pouso também é da GE, o sistema de alerta de incêndio é da inglesa Kidde, o descongelamento de gelo das asas é alemão da Liebherr, e assim por diante.

C919

Vale ressaltar que a briga do governo Trump com a China até jogou um balde de água fria no projeto, mas depois de alguns meses as restrições impostas para a venda de equipamentos foram retiradas e a GE pode fornecer novamente os motores.

Boeing 737 x C919

Há diferentes versões do B737 e somente uma do C919. A comparação abaixo segue o modelo mais popular do avião da Boeing.

C919

Podemos apontar que o 737 Max seria o concorrente direto do C919, mas com os problemas apresentados e a proibição de voar do 737 Max abriram caminho de mercado para o jato chinês.

a320 737 boeing

A320 e 737 da United.

A320 x C919

C919

As duas aeronaves têm sistemas de controles semelhantes Fly-by-Wire, computadorizados, enquanto o 737 tem a convencional por cabos.

Não perca nenhuma oportunidade!

ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção