logo Melhores Destinos

Aeroportos de Buenos Aires – saiba como escolher

Denis Carvalho
Denis Carvalho
25/04/2011 às 13:19

Aeroportos de Buenos Aires – saiba como escolher

Atualizado em janeiro de 2019

No futebol e outros esportes somos rivais eternos, mas em tudo o mais não há como negar: cada vez mais o brasileiro se apaixona pela Argentina, especialmente por sua capital, Buenos Aires. A proximidade, o ar europeu, a cultura, a culinária e o real forte transformaram a cidade no principal destino dos turistas que deixam o país – e para cá voltam maravilhados com os encantos da terra do tango.

Como ocorre com as metrópoles brasileiras, a escolha do aeroporto é uma dúvida comum para os que viajam à capital portenha. Para chegar em Buenos Aires, dois aeroportos estão disponíveis: Ezeiza e Aeroparque. Há ainda um terceiro, El Palomar, que desde o início de 2018 tem voos low cost da FlyBondi e futuramente poderá ter rotas internacionais, incluindo o Brasil.

Leia também: O que fazer em Buenos Aires: 41 dicas para sua primeira viagem!

As diferenças, vantagens e desvantagens entre eles são o tema deste post, que dá sequência à série sobre qual aeroporto escolher em sua viagem.

Aeroportos de Buenos Aires

Buenos Aires se parece bastante, em termos de aeroportos, com São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte – cidades que já abordamos nessa série. Há um aeroporto menor e melhor localizado, neste caso o Aeroparque, e um gigante com mais estrutura porém mais afastado, o Aeroporto de Ezeiza.

Por enquanto ambos os aeroportos recebem voos do Brasil, mas infelizmente até 2019 deixarão de existir voos do Brasil ao Aeroparque, que será destinado exclusivamente a voos nacionais ou para o vizinho Uruguai.

Além do Aeroparque e Ezeiza, desde janeiro de 2018 está funcionando o aeroporto de El Palomar, exclusivamente com voos low cost da FlyBondi. A companhia tem planos de voar para outros países, incluindo o Brasil, mas por enquanto é uma boa opção para que vai explorar mais destinos na Argentina.

Aeroparque

O Aeroparque Jorge Newbery fica na avenida Costanera Norte, no bairro de Palermo, à margem do rio da Prata. Desde sua inauguração, o terminal foi planejado para atender especialmente às linhas nacionais. Em 2010, porém, ele passou a ser internacional, atendendo a voos de países vizinhos, incluindo o Brasil. Atualmente o Aeroparque está sendo remodelado em um ambicioso projeto que levará vários anos e o converterá em um moderno terminal de conexão de voos domésticos. Com isso, a partir de 2019 nenhum voo internacional chegará ao terminal, exceto vindos do Uruguai.

A principal vantagem para quem pousa ou decola por ele é a localização, a apenas dois quilômetros do centro de Buenos Aires. Em poucos minutos de táxi , Uber o Cabify chega-se a qualquer hotel na área central, sem complicação e pagando pouco. Isso faz dele a melhor opção para quem faz viagens curtas, como um fim de semana ou mesmo feriado prolongado à capital argentina.

Outra vantagem importante é a conexão com praticamente todas as linhas para o interior do País. Assim, se seu destino final for Bariloche, Córdoba , Mendoza ou qualquer outra região argentina este aeroporto é o ideal.

O aeroporto em si é pequeno, mas charmoso. Alguns o adoram por ser mais tranquilo, outros o detestam – sendo aqui mais uma questão de gosto pessoal. Há caixas eletrônicos, lanchonetes e um pequeno free shop. Também há opções de ônibus executivos para Ezeiza pela empresa Tienda León e várias linhas de ônibus para o centro.Vale lembrar que para usar o transporte público é necessário ter o cartão SUBE.

Mais informações no site oficial.

Ezeiza

O nome oficial é Aeroporto Internacional Ministro Pistarini, em homenagem ao militar que o idealizou, na época da primeira presidência de Perón. Mas todos o conhecem por Ezeiza, que é o nome da pequena cidade onde está localizado, a cerca de 35 quilômetros do centro de Buenos Aires. O terminal concentra mais de 90% dos voos internacionais do país e partir do ano que vem receberá todos os voos internacionais, à exceção dos low costs da FlyBondi, que descerão no El Palomar. A presença de brasileiros é tamanha que em 2017 o aeroporto adotou o português como um de seus idiomas oficiais.

A grande vantagem de Ezeiza é a infraestrutura, com muito mais opções de alimentação e serviços, incluindo uma agência do Banco de la Nación Argentina, onde se pode trocar pesos a taxas excelentes. Também é a opção certa para quem deseja fazer compras no Free Shop – para alguns um dos grandes atrativos da viagem, com grande variedade e preços convidativos.

Há várias opções de transporte para o centro da cidade. De táxi, o percurso leva menos de uma hora fora de horários de rush e custa cerca de 800 pesos. A Táxi Ezeiza é a empresa oficial e tem um guichê no saguão com tabela fixa e pagamento antes de pegar o carro.

Uma opção mais confortável são os remises – carros alugados com motoristas. Também há linhas de ônibus executivo, também da empresa Tienda León, para o Aeroparque ou para o centro de Buenos Aires e mesmo cidades próximas, como Mar del Plata e Rosario. Também se pode pedir um Uber e Cabify – os aplicativos são os mesmos usados no Brasil e há wifi grátis no terminal.

Para quem quer economizar, há uma linha de ônibus urbano que faz o trajeto do aeroporto à cidade por 10 pesos – mas o trajeto chega a durar mais de duas horas. Procure a Línea 8, operado pela empresa Transportes Rio Grande S.A.C.I.F., telefone 0800-5553682. Também há outras linhas urbanas com destinos variados. Para usar o transporte público é necessário ter o cartão SUBE.

Leia nosso post especial sobre como ir do Aeroporto de Ezeiza a Buenos Aires: opções de transfer, táxi, ônibus e Uber.

Mais informações no site oficial.

El Palomar

El Palomar (EPA) é o terceiro aeroporto da Região Metropolitana de Buenos Aires e o primeiro a ser conectado ao trem, já que está a 300 metros da estação de Palomar, na linha San Martín. O governo argentino investirá um total de US$ 1,6 milhão em obras para melhorar o aeroporto.

Como primeiro terminal de companhias aéreas low cost do país, está localizado a poucos quilômetros da cidade de Buenos Aires e possui serviços mais básicos – que reduzem os custos operacionais das companhias aéreas entre 40% e 50%. Por exemplo, não há fingers ou serviços de reboque para aeronaves.

O aeroporto é pequeno, mas cômodo. Tem vários balcões de check-in, todos da Flybondi, por enquanto. O terminal conta com dois cafés Brioche Doreé, um deles antes da área de pré-embarque, e outro depois, além de máquinas de café e bebidas, estações de recarga de celulares, banheiros e duas redes WiFi grátis.

Para quem vai a Buenos Aires, o aeroporto de El Palomar é muito mais próximo do que Ezeiza e, dependendo da região, até mesmo mais conveniente do que o super bem localizado Aeroparque.

Há várias opções de transporte para o centro da cidade. De carro, táxi, remis, Uber ou Cabify: A partir do Obelisco de Buenos Aires, a distância até o aeroporto de El Palomar é de 26 km. No nosso caso, fomos de Cabify. Como referência, sem desconto, um táxi ou Uber do Obelisco para EPA custa 570 pesos, enquanto um Cabify 680 pesos. Além disso, há dois pedágios: nas autopistas AU Perito Moreno e AU 25 de Mayo, com valores de 40 a 55 pesos, e na Au Oeste, de 28 a 50 pesos. Pode evitá-los se não for pela autopista, mas o trajeto será mais longo.

Trem: A linha San Martín demora 39 minutos até Palermo ou 42 minutos a Retiro. Custa a partir de 7,50 pesos com o cartão SUBE ou 18 pesos comprando avulso.

Ônibus executivo: A empresa Manuel Tienda León oferece uma linha do aeroporto até vários pontos da cidade de Buenos Aires, com passagens a partir de 150 pesos.

Ônibus comum (coletivo): Podem ser usadas as linhas 53, 182 ou 320. A passagem precisa ser paga com cartão SUBE e custa a partir de 9,50 pesos.

A chegada do novo Aeroporto de El Palomar é crucial para o desembarque das companhias low cost na Argentina, tanto para voos domésticos, como internacionais. Ao que tudo indica, em breve esse será um terminal importante para os brasileiros, seja para chegar ao país com uma companhia de baixo custo, seja para fazer conexão e aproveitar baixas tarifas para destinos como Mendoza, Cordoba, Bariloche e Jujuy!

Mais informações no site oficial.

Dicas

Se for pegar qualquer ônibus coletivo em Buenos Aires tenha sempre o cartão SUBE. Os coletivos não vendem passagens nem aceitam dinheiro!

A Prefeitura de Buenos Aires possui um site com todas as informações para os turistas, incluindo mapas interativos com atrações e transporte público.

Não perca nosso post especial o que fazer em Buenos Aires e o nosso Guia completo de Buenos Aires!