logo Melhores Destinos

Anac libera retorno das operações do Boeing 737 MAX no Brasil

Leonardo Cassol
25/11/2020 às 15:59

Anac libera retorno das operações do Boeing 737 MAX no Brasil

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou agora há pouco que autorizou novamente a operação das aeronaves modelo Boeing 737-8 MAX no Brasil. Com um trabalho de aproximadamente dois anos, a validação das modificações do projeto foi feita pela agência após a aprovação da autoridade certificadora, a Agência Federal de Aviação dos Estados Unidos (FFA, da sigla em inglês).

Dessa forma, a Anac retirou a diretriz de aeronavegabilidade que restringia a operação do MAX no Brasil após concordar com a avaliação da FAA de que todos os elementos técnicos e regulatórios necessários para endereçar as questões de segurança foram realizados. A Diretriz de Aeronavegabilidade da FAA, divulgada no dia 20/11, foi adotada também pela Anac e tem vigência automática no Brasil, devendo ser cumprida de imediato pelos operadores aéreos que pretendem operar o modelo. Atualmente, somente a GOL Linhas Aéreas possui aeronaves Boeing 737-8 MAX na frota brasileira.

A aprovação do novo projeto do Boeing 737-8 MAX reuniu quatro autoridades de aviação que compõe o fórum Certification Management Team (CMT)a autoridade da União Europeia European Union Aviation Safety Agency (EASA), a canadense Transport Canada Civil Aviation (TCCA) e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) do Brasilque discutiram em conjunto com a FAA quais seriam as exigências para o retorno do modelo de aeronave às operações. 

Novo projeto e próximos passos

Dentre as exigências de projeto está a determinação para a reconfiguração do sistema de controle de voo desse modelo de aeronave, a correção do roteamento do conjunto de cabos, revisões de procedimentos incorporados ao manual de voo e testes de recalibração dos sensores. Adicionalmente, também houve a revisão do programa de treinamento dos pilotos.

De acordo com a Anac, a Gol segue implementando, sob supervisão, os requisitos necessários para retorno das operações com as aeronaves Boeing 737-8 MAX em segurança. A expectativa é que dentro de poucas semanas os aviões possam ser colocados em operação novamente.

Para voltar a operar voos comerciais com o MAX a GOL ainda precisa concluir todas as atualizações determinadas pelas Agências, realizar o treinamento dos pilotos, preparar as aeronaves que passaram por um longo período de preservação, bem como realizar um voo sem passageiros com cada aeronave que volte a operar.

Ao todo, a GOL possui 7 aviões Boeing 737 MAX preservados e deve receber mais 13 aeronaves nos próximos meses. Ao todo, a empresa tem 95 aviões encomendados, os únicos da frota com autonomia para voar sem escalas para Miami, Orlando e Quito, por exemplo.

Participação da Anac no processo de validação

Desde abril de 2019, quando a Boeing iniciou as atividades para recertificação das modificações propostas, a Anac vem dedicando esforços para o retorno seguro das operações do Boeing 737-8 MAX no Brasil. Ao todo, cerca de 20 profissionais da Agência, dentre engenheiros(as) de diversas especialidades e pilotos, inclusive de ensaio de voo, participaram desse processo.

Ressaltando a importância da coordenação entre as autoridades do CMT para o desenvolvimento dessa atividade de recertificação, o superintendente de Aeronavegabilidade da ANAC, Roberto Honorato, afirma que “essa avaliação minuciosa do sistema de controle de voo é um registro sem precedentes na história da aviação”. Além disso, “as modificações e procedimentos revisados fornecem total confiança para a retomada das operações do Boeing 737-8 MAX no Brasil”, destacou Honorato.

Segundo a Anac, a implementação de outras melhorias, não condicionantes para o retorno do Boeing 737-8 MAX às operações, permanecem em andamento com o objetivo de continuar aprimorando a utilização do modelo de aeronave e suas funcionalidades.

Já a Boeing destacou que realizou mais de 4.400 horas de testes, incluindo mais de 1.350 voos com o 737 MAX. Segundo a empresa, equipes de mecânicos e engenheiros estabeleceram processos de manutenção adequados durante o armazenamento e já estão trabalhando para apoiar as atividades de despreservação das aeronaves da GOL no Brasil. Por fim, a Boeing destacou que a segurança é a sua principal prioridade e que continuará a trabalhar com as agências reguladoras e nossos clientes para a retomada da operação das aeronaves globalmente.


Veja também:

Não perca nenhuma oportunidade!

ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção