logo Melhores Destinos

Conheça a Azul Conecta, a nova companhia aérea regional da Azul, e saiba como é voar com ela

Thayana Alvarenga
Thayana Alvarenga
12/08/2020 às 8:37

Conheça a Azul Conecta, a nova companhia aérea regional da Azul, e saiba como é voar com ela

A Azul Linhas Aéreas lançou ontem a sua nova subsidiária para o mercado de voos regionais: a Azul Conecta! O Melhores Destinos participou do evento de apresentação realizado no aeroporto de Jundiaí, no interior de São Paulo, com jornalistas, tripulantes e executivos da companhia. Acompanhamos o tradicional batismo das aeronaves, soubemos mais detalhes das operações e ainda fizemos um voo com um dos aviões da nova empresa regional brasileira. Confira tudo sobre a Azul Conecta e como foi a cerimônia a seguir!

Azul Conecta

A Azul Conecta é a nova companhia aérea regional da Azul Linhas Aéreas. A empresa nasceu após a compra da TwoFlex pela Azul por R$ 123 milhões em janeiro desse ano. O objetivo da nova empresa é desenvolver a aviação sub-regional no Brasil, alcançando cidades e comunidades menores e conectando as regiões à malha de voos domésticos e internacionais da Azul. São rotas para 36 destinos que antes eram atendidos pela TwoFlex.

Com a chegada da Azul Conecta, a Azul Linhas Aéreas pretende atender mais de 200 destinos. “Vamos transformar o Brasil com essas aeronaves e chegar a 200 destinos. E ainda vamos fazer muito mais. Sei que todo mundo está triste com o que está acontecendo no mundo, mas isso vai acabar e temos que olhar para o futuro”, disse o CEO da Azul, John Rodgerson.

A chegada da nova empresa regional também representa um ganho de slots (autorização de pousos e decolagens) no aeroporto de Congonhas, um dos mais disputados do país. Isso porque a TwoFlex antes tinha 14 horários no aeroporto da capital paulista, que agora são da Azul Conecta.

Frota da Azul Conecta

Os passageiros que forem voar com a Azul Conecta estarão a bordo de aeronaves Cessna Gran Caravan, um turboélice regional monomotor com capacidade para até nove assentos. Sua configuração interna é 1-2 para transportar até três passageiros por fileira, sendo uma poltrona individual e outros dois assentos ao lado separados por um mini corredor.

A frota da empresa conta com 17 unidades do modelo, sendo que três são exclusivamente cargueiros e devem contribuir para a expansão da Azul Cargo Express, a unidade de cargas da Azul que pode levar materiais a cidades que não são atendidas por voos regulares da empresa.

Os mesmo aviões modelo Cessna Gran Caravan já vêm sendo utilizados na retomada das operações de algumas bases da Azul, como já aconteceu em Araçatuba, Marília, Bauru, no interior de São Paulo, além de Macapá, no Amapá.

Quais os destinos atendidos pela Azul Conecta?

Seguindo os destinos que eram atendidos anteriormente pela TwoFlex, a Azul Conecta atua em 36 cidades brasileiras, com forte presença principalmente nas regiões Norte e Centro-Oeste do país. A nova companhia deve fortalecer as operações em estados como Amazonas, Pará e Mato Grosso, em que a TwoFlex já tinha rotas a partir das capitais para cidades menores.

O passageiro poderá comprar a sua passagem aérea de uma pequena cidade e voar até os Estados Unidos, por exemplo, com um único bilhete, tudo direto com a Azul.

Leia também
Azul inicia operação e venda de voos regionais da TwoFlex, sua nova companhia

Ainda de forma modesta, a proposta principal da Azul Conecta é futuramente ligar todos os cantos do país considerando os mais de 5 mil municípios existentes no Brasil. “É fundamental chegarmos a cidades menores e de outras regiões fora do eixo Rio de Janeiro – São Paulo – Brasília para ampliar essa conectividade, já que nem todos os aeroportos do país são como Guarulhos e Congonhas, e só podem receber aeronaves menores”, explicou o Secretário Nacional de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura, Ronei Saggioro Glanzmann.

Segundo a Azul, a recuperação da economia e a retomada do mercado é que irão determinar o momento mais oportuno para o retorno de operações regionais em cidades do país.

Hangar da Azul Conecta em Jundiaí

O centro de operações da Azul Conecta fica em Jundiaí, no interior de São Paulo, exatamente onde eram as instalações da antiga TwoFlex.

Logo na entrada já dava pra perceber que a antiga empresa ficou realmente só na lembrança. Embora ao chegar ainda fosse possível avistar um logo da antiga marca, logo no portão de acesso o ambiente já muda e tudo vira Azul Conecta – e num tom de azul que já conhecemos muito bem.

Ali no hangar em Jundiaí também são realizados voos de teste de pilotos nos simuladores da companhia, como também acontece no hangar da Azul na Pampulha, em Belo Horizonte.

Como é voar com a Azul Conecta

Alguns jornalistas presentes no evento de inauguração participaram de um voo panorâmico de cerca de 30 minutos para conhecer um pouquinho de como é estar a bordo da Azul Conecta, e o Melhores Destinos embarcou nesta!

Uma simpática escadinha com somente três degraus separava o chão da tão esperada entrada na aeronave.

Como citei anteriormente, a cabine é configurada para transportar nove passageiros em três fileiras com três pessoas em cada uma. O assento é de couro e bastante confortável! O espaçamento entre as poltronas também é muito bom – dava até para tranquilamente cruzar as pernas, por exemplo.

Diferente de um voo convencional, em que o passageiro no máximo tem contato com o piloto ali na entrada do avião, com a Azul Conecta tudo acontece de uma maneira mais intimista: é tudo ali pertinho. Ou seja, você pode observar os procedimentos de voo sendo realizados bem ali na sua frente, já que não há separação entre a área dos passageiros e dos pilotos.

Este tipo de avião não tem muito espaço, portanto não espere pelo tradicional serviço de bordo. Ainda assim, nos bolsões da poltrona à frente havia garrafinha de água e um biscoito doce com recheio de goiaba, um velho conhecido dos voos da Azul. No mesmo compartimento ainda tinha o cartão de informações de segurança do voo.

Quem tem medo de voar deve ficar esperto, já que esse avião por ser pequeno transmite a sensação de balançar um pouco mais do que o convencional. Sobrevoamos por cerca de 30 minutos a cidade de Jundiaí e arredores, e na sequência já pousamos no hangar da Azul Conecta.


Para saber mais sobre como é voar nesse aviões Cessna Grand Caravan, assista ao vídeo que fizemos em um voo da TwoFlex antes da compra pela Azul, quando ainda era parceira da Gol. Fora a goiabinha, a experiência deve ser muito parecida com a que os passageiros encontrarão ao voar com a Azul Conecta:

E você, o que achou da nova companhia da Azul? Ficou curioso para experimentar os serviços? Comente abaixo e participe!