Azul recebe proposta para aporte de R$ 2 bilhões com apoio do BNDES e consócio de bancos

Leonardo Cassol
Leonardo Cassol
14/09/2020 às 8:17

Azul recebe proposta para aporte de R$ 2 bilhões com apoio do BNDES e consócio de bancos

Demorou, mas chegou! A Azul Linhas Aéreas confirmou que finalmente recebeu a proposta de financiamento do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), no valor de R$ 2 bilhões. Os recursos haviam sido prometidos pelo Governo Federal em março de 2020, mas a complexidade da operação e discussões em relação ao termos do acordo acabaram demandando mais tempo do que o esperado.

A proposta prevê uma oferta pública de um instrumento financeiro híbrido com objetivo de captar recursos com debêntures simples e bônus de subscrição (papéis que dão ao detentor a preferência na aquisição de novas ações emitidas pela companhia), cujos valores serão determinados pelo mercado. A operação será conduzida pelo  BNDES Participações S.A. (BNDESPAR) e um consórcio de bancos, com base no Programa Emergencial de Apoio aos Setores atingidos pelos efeitos da crise decorrente da pandemia do COVID-19.

A BNDESPAR será o investidor âncora, podendo subscrever até 60% da oferta. Já os demais bancos prestarão garantia firme de até 10% da operação. O valor remanescente deverá ser captado junto a outros investidores, através de uma oferta pública.

A Azul informou que seu Conselho de Administração vai analisar a proposta da BNDESPAR, juntamente com outras alternativas de financiamento disponíveis. Destacou ainda que a retomada da demanda por voos e a posição de caixa estão mais favoráveis do que inicialmente estimado, e que manterá o mercado informado sobre sua decisão.

A emissão do bônus de subscrição resultará em uma potencial diluição de aproximadamente 15%, de acordo com a companhia aérea, baseado no preço de fechamento da ação da empresa na última sexta-feira (11).

É uma boa notícia para a aviação brasileira, já que a Azul ganha mais uma opção para se financiar durante a pandemia. Vale lembrar que a Gol e a Latam também negociam com o BNDES um aporte semelhante.


Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *