Como é voar no novo Embraer E195-E2 da Azul, o maior avião já fabricado no Brasil

Como é voar no novo Embraer E195-E2 da Azul, o maior avião já fabricado no Brasil

VCP Campinas
BSB Brasília
9290
Avião Embraer E195-E2
Classe Econômica
Poltrona D19
Data 16/10/2019
Partida 11:08
Chegada 12:40
Duração 01:32
Por
18 · out · 2019

A Azul realizou nessa quarta-feira (16) o primeiro voo com passageiros no novíssimo Embraer E195-E2, maior avião já fabricado no Brasil, recebido pela companhia em setembro. O voo decolou de Campinas (VCP) para Brasília (BSB) com membros da diretoria da Azul, jornalistas e convidados. O Melhores Destinos, é claro, também embarcou nessa para mostrar todos os detalhes dessa estreia para você!

Resumo do review

Azul Voo AD-9290
Campinas (VCP) – Brasília (BSB)
Quarta, 16 de outubro de 2019
Partida: 11:08
Chegada: 12:38
Duração: 01:30
Aeronave: Embraer E195-E2
Assento: 19D (econômica, janela)

Embraer E195-E2 Maior avião brasileiro

O Embraer E195-E2

A Azul foi a primeira companhia no mundo a receber o novo modelo do jato, que tem capacidade para 136 passageiros, mas pode transportar até 146 pessoas em configurações de maior densidade. Ele integra a nova geração de aeronaves desenvolvidas e fabricadas pela Embraer, com tecnologia brasileira.

Além desse exemplar número 1, a empresa possui outras 50 unidades encomendadas, sendo que mais 5 devem ser entregues ainda em 2019.

O E195-E2 apresenta motores de alto desempenho, asas novas, fly-by-wire completo e um novo trem de pouso. Em comparação com a primeira geração do E195, 75% dos sistemas da aeronave são novos. Ele também possui maior alcance, menor consumo de combustível e pode operar em pistas mais curtas.

A rota Campinas-Brasília é a primeira a ser atendida pelo E2 e, embora o voo de estreia tenha sido apenas para convidados, ele passa a operar voos regulares nesse trecho já em outubro. Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, Maceió e Petrolina também receberão a aeronave em alguns voos. Para saber se a sua viagem será com esse avião basta procurar a indicação 195-2 na reserva.

Check-in e Embarque

Por ser um voo especial o check-in já havia sido feito previamente pela própria assessoria da companhia, só precisei passar no guichê para retirar meu bilhete e não havia fila. Os balcões 49 e 50 foram designados exclusivamente para atender os passageiros que embarcariam nesse voo. Não pude escolher o lugar, mas fiquei feliz ao ver que meu assento era na janela: D19.

Passei pela segurança e segui direto para o portão C6, onde já havia bastante movimentação. O início do embarque estava previsto para às 10:40, mas às 10:33 o embarque já foi anunciado pelo próprio presidente da Azul, John Rodgerson. Não foram respeitadas as sessões dos bilhetes, mesmo assim não houve tumulto e o embarque foi bastante tranquilo.

Rodgerson recebeu todos os passageiros na porta da aeronave ao lado de outros membros da diretoria que participariam do voo.

Por dentro do E195-E2

Logo na entrada o E2 impressiona e as diferenças chamam a atenção. A cabine continua com 4 poltronas por fileira, no formato 2-2, uma das principais características dos jatos da Embraer. Por ter uma fuselagem mais longa, a aeronave possui 3 fileiras a mais em relação ao seu antecessor, sem redução do espaço entre as poltronas.

As poltronas são mais finas e mantém o acabamento em couro com detalhes em cinza e azul escuro (Espaço Azul nas cinco primeiras fileiras), ou apenas em cinza (demais poltronas). Os compartimento de bagagens (bins) também ganharam mais espaço.

As janelas são maiores em relação ao E195-E1 e os banheiros também ficaram um pouquinho mais espaçosos.

As poltronas agora possuem entradas USB com carregamento rápido, o que fazia muita falta! Mas continuam sem tomadas de energia elétrica. As mesinhas passaram a ser dobráveis.

O espaço entre as poltronas continua o mesmo.

As saídas de ar, luz de leitura, galleys e saída de emergência também foram repaginadas no novo modelo.

O sistema de entretenimento conta com uma boa seleção de filmes, séries, músicas e jogos, além de informações sobre o voo. Os filmes possuem áudio e legendas em inglês, português e espanhol. Destaque para os monitores, bem maiores e com uma definição de imagem superior às do modelo antigo! Agora eles são controlados por toque e não há mais aquele controle incômodo no braço da poltrona.

O wifi ainda não estava disponível nesse voo, mas a previsão é de que o serviço pago seja liberado à partir de janeiro. Também estava disponível a revista de bordo da companhia, a Azul Magazine.

Sempre levo meus fones de ouvido quando viajo, mas aceitei um dos fones oferecidos pela Azul para testar o entretenimento com ele. São fones simples e até frágeis, mas que servem bem caso você esqueça o seu em casa.

Serviço de bordo

20 minutos após a decolagem foi iniciado o serviço de bordo. Primeiro um comissário passou anotando os pedidos de bebidas, como é padrão nos voos da Azul. Havia opção de sucos, refrigerantes e água.

Logo em seguida foram oferecidos snaks, a surpresa é que eles foram servidos pelo próprio John Rodgerson, que esbanjou bom humor e não decepcionou como comissário honorário. Entre as opções havia batata frita, torresminho, bolinho e as tradicionais balinhas em formato de avião. Escolhi refrigerante e peguei uma batata, um torresminho e um pacotinho de balas.

Meia hora depois os comissários ofereceram café e bolinhos. Acabei aceitando um bolinho.

Por se tratar de um voo especial e por isso mais “festivo” havia pessoas em pé no corredor o tempo todo (conversando, fazendo fotos e explorando cada detalhe da aeronave), o que dificultava um pouco a circulação, mas não chegou a afetar o andamento do serviço de bordo.

Na hora de recolher o lixo o presidente Rodgerson entrou novamente em ação, dessa vez com ajuda do Gerente Geral de Comissários na Azul, Alexandre Pupe.

Comissários e Equipe em solo

A equipe foi extremamente profissional e prestativa, tanto em solo quanto no ar. Não era de se esperar algo diferente em um voo especial como esse, mas em geral o atendimento da tripulação da Azul se distingue das outras companhias nacionais. Mesmo com todo o agito durante o voo os comissários estavam sempre atentos à segurança dos passageiros.

Programa de fidelidade

Embora seja bastante querido pelos leitores do Melhores Destinos o Tudo Azul não é o melhor programa no quesito acúmulo e resgate de milhas do mercado. Durante o evento, o vice-presidente de Receitas da Azul,  Abhi Shah, revelou ainda que a Azul pretende reduzir o limite de emissões de bilhetes prêmio para até 6 CPFs por conta (incluindo o próprio titular). A mudança está prevista para entrar em vigor já em de 2019, o que deve dificultar o comércio paralelo de pontos.

Pouso e desembarque

Já bem próximo de Brasília houve uma leve turbulência. Nada preocupante, mas serviu para que todo mundo que estava em pé no corredor se sentasse rapidinho! O pouso foi suave, às 12:40, 5 minutos antes do previsto. E o avião foi recebido com os tradicionais jatos de água.

Evento de lançamento

No fim da tarde aconteceu o evento oficial de lançamento do E195-E2, que foi batizada com champanhe. Estiveram presentes Onyx Lorenzoni, ministro-chefe da casa Civil e Tarcísio Gomes de Freitas, ministro de Infraestrutura.

Foi possível visitar a aeronave com mais calma e dessa vez consegui conhecer o cockpit.

Conclusão

Entre as novidades trazidas pelo E2 a que mais chamou a atenção foi o baixo nível de ruído na cabine. Meu assento era no meio do avião,  que é uma região mais barulhenta, e realmente fiquei impressionado! Nas fileiras da frente então a diferença é ainda maior.

Segundo a Azul, até 2023 todos as aeronaves E195 antigas serão substituídas pela E2. Eu gostei tanto da experiência que já estou ansioso para poder voar nele novamente.

Confira o relato completo desse voo inaugural em vídeo em nosso canal no Youtube:

O Melhores Destinos viajou à convite da Azul Linhas Aéreas.

Nota final

Azul

Campinas - Brasília

Voo 9290

9,5
Embarque 10
Assento 10
Entretenimento 10
Amenidades 9,0
Equipe 10
Fidelidade 8,0