logo Melhores Destinos

Usar Apple AirTag para rastrear bagagem despachada vale a pena? Fizemos o teste!

Sandro Kurovski
Sandro Kurovski
16/09/2021 às 4:57

Usar Apple AirTag para rastrear bagagem despachada vale a pena? Fizemos o teste!

Ter a bagagem extraviada ou perdida durante uma viagem sem dúvida está entre os piores pesadelos de qualquer viajante, mas a tecnologia está aí pra ajudar. Recentemente a Apple lançou o AirTag, um dispositivo que promete encontrar objetos perdidos (ou evitar que eles se percam).

Nas imagens de divulgação a fabricante destaca seu uso em malas, bolsas, mochilas e chaveiros. Mas será que funciona mesmo? Para tirar a dúvida – e descobrir se realmente vale a pena incluir o dispositivo entre os itens essenciais de viagem – despachamos uma mochila com AirTag em um voo de Curitiba para o Rio de Janeiro com conexão em São Paulo. O resultado você confere a seguir:

O que é o Apple AirTag?

A Apple AirTag é um dispositivo de localização fabricado pela Apple, desenvolvido para concorrer com o SmartTag da Samsung.

Apple AirTag para localizar mala

Ele pode ser preso a objetos como chaves, ou colocado dentro de mochila ou mala, assim eles aparecem no radar do app Buscar e podem ser localizados pelo proprietário.

Como funciona o Apple AirTag?

Ao contrário do que possa parecer, os AirTags da Apple não possuem conexão com a internet – muito menos via satélite. Para poder enviar a localização ele precisa estar perto de algum outro dispositivo Apple, como um iPhone, iPad ou MacBook, para ser identificado via Bluetooth. Ele conta com três tipos de conexão, o Bluetooth, o UWB e o NFC.

Apple AirTag para localizar mochila

Basicamente o dispositivo usa outros aparelhos da marca como intermediários para enviar a localização para os servidores do iCloud. Ou seja, se não houver nenhum aparelho Apple por perto a localização não será registrada.

Como em aeroportos há muitas pessoas circulando com iPhones e afins, espera-se que haja uma boa “cobertura” para rastreamento de bagagens. De acordo com a Apple a bateria do AirTag foi pensada para durar mais de um ano.

Quanto custa o Apple AirTag?

O produto pode ser encontrado nos canais oficiais de venda da Apple no brasil por R$ 369. Já o pacote com quatro dispositivos custa R$ 1.249 (R$ 312,25 por unidade).

Considerando que é preciso ter um iPhone ou iPad para usar a AirTag, o investimento pode ser bastante alto.

Testando Apple AirTag para rastrear bagagem

Aproveitei para fazer o teste em uma viagem de Curitiba (CWB) para o Rio de Janeiro (SDU) que teria uma conexão curta, com troca de aeronave, em São Paulo (CGH). Quem viaja com frequência já sabe que conexões apertadas em aeroportos movimentados aumentam bastante a chance de ter a bagagem extraviada, então achei que seria a ocasião ideal.

Não sou usuário de iOS, mas para o experimento usei um iPhone 7 Plus que estava encostado no escritório do Melhores Destinos. Celulares a partir do iPhone 11 oferecem tecnologia que possibilita uma busca mais precisa, que dá todas as coordenadas específicas e distância exata para chegar ao item perdido, desde que você esteja próximo dele. Como o objetivo nesse teste era rastrear a bagagem à distância, através do sinal enviado por outros celulares, usar um modelo antigo não fez muita diferença.

Ainda em casa, pareei o dispositivo com o smartphone e batizei de “Mochila do Sandro”. Depois coloquei o AirTag dentro da minha mochila cargueira, embalei ela bem em plástico filme para evitar que as alças prendessem nas esteiras dos aeroportos.

No estacionamento, ainda com o telefone ao lado da mochila, a localização era exibida com bastante precisão.

Depois que me despedi dela no balcão de check-in e segui para a sala de embarque, o app exibiu a última posição por mais de 10 minutos, até que a mochila fosse finalmente detectada já perto do portão de embarque.

Quando o avião começou a se movimentar ela ainda aparecia como se estivesse no terminal, não muito longe da aeronave. Fiquei na dúvida se ela havia realmente embarcado ou não.

Assim que pousamos no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, ativei os dados para ver se a mochila aparecia no radar. Demorou um pouco, mas logo ela foi identificada perto do terminal.

A aeronave continuou taxiando e parou no pátio para desembarque remoto. Enquanto estava no ônibus a caminho do terminal vi que a mochila ainda aparecia do outro lado do terminal, longe de onde a aeronave havia estacionado.

Só quando embarquei no avião que seguiria rumo ao Rio de Janeiro é que a posição foi atualizada no aplicativo. Por coincidência, a aeronave que veio de Curitiba e a que faria o segundo trecho estavam paradas uma ao lado da outra. Então é a mochila deve ter feito um caminho bem mais curto do que eu na conexão, já que tive que pegar o ônibus até o terminal e retornar em outro ônibus.

Após a partida do voo para o Rio, com o avião já perto da cabeceira da pista, a mochila aparecia como se ainda estivesse no pátio. Mais uma vez fiquei na dúvida se ela havia trocado de aeronave ou não.

Só fiquei mais tranquilo quando finalmente pousamos no Aeroporto Santos Dumont e ela apareceu no aplicativo. Primeiro em uma posição longe do terminal, e depois já na ponte de acesso onde desembarcamos.

Enquanto seguia para a esteira de bagagens a posição foi atualizada novamente, coincidindo com a área de restituição de bagagem do terminal.

Logo que recolhi a mochila na esteira ela já foi identificada pelo iPhone 7 e o app passou a indicar que ela estava comigo.

Vale a pena usar Apple AirTag para rastrear bagagem?

Certamente a AirTag pode sim ser útil na hora de localizar uma bagagem extraviada, mas não dá para confiar 100% nisso. Como ele depende do sinal de outros aparelhos Apple nos arredores para enviar a localização não há garantias de que haverá sempre algum iPhone ou iPad por perto na área onde é feita a triagem das malas nos aeroportos.

Além disso, como a localização não é registrada em tempo real isso pode causar ainda mais preocupação caso seu objetivo seja acompanhar cada passo da bagagem durante a viagem, como ocorreu comigo no teste.

Claro que a tecnologia ainda é nova e deve ser aperfeiçoada nos próximos anos. Mas se você tem um iPhone ou iPad e não se importa em gastar R$ 369, esse pode ser sim um brinquedo bem interessante. De quebra, a chance de localizar sua bagagem em caso de extravio será um pouco maior do que sem usar o dispositivo.


Você acha que o Apple AirTag pode ser útil para rastrear as malas? Usaria nas suas viagens? Conta pra gente aí nos comentários.