Alternativas ao Uber: Aplicativos de transporte para usar em viagens

Wendell Oliveira
16/07/2019  ·  5:00Publicado 16 · jul · 2019  ·  5:00Atualizado 31 · ago · 2019

Alternativas ao Uber: Aplicativos de transporte para usar em viagens

Lançado em 2010, o Uber é um aplicativo que revolucionou o modo como nos relacionamos com o transporte individual. Para a alegria dos viajantes — e muita polêmica com os táxis —, o serviço oferece comodidade, praticidade e segurança na hora de se deslocar de um ponto ao outro. Do dia para a noite, tornou-se normal pegar carona com um desconhecido, pré-selecionar o seu destino, saber com antecedência o preço da corrida e ainda avaliar o condutor. Tudo isso na palma da mão. Dá para acreditar que um dia não foi assim?

Presente em 63 países e 785 regiões metropolitanas ao redor do mundo, o Uber é um desses aplicativos essenciais, especialmente para quem está em viagem. Várias alternativas surgiram ao longo do tempo, oferecendo preços ainda mais competitivos e outras vantagens. Por diversas razões, nem sempre o Uber está presente em alguns lugares, mas apps concorrentes surgem a todo instante. Preparamos um post especial com dicas de aplicativos “tipo o Uber” para usar na sua viagem.

Seu carro está chegando. Vamos embarcar nessa?

99

O 99 (anteriormente conhecido como “99 Táxis”) é um dos aplicativos similares ao Uber mais usados no Brasil, presente em mais de 1 mil cidades brasileiras, com 600 mil motoristas cadastrados. Na hora de selecionar o veículo, a categoria 99Pop possui os preços mais baratos. Também há a opção de chamar um táxi convencional (99Taxi) ou um veículo preto (99Top) com mais conforto. O app aceita pagamentos em dinheiro ou cartão.

Cabify

Presente em 38 cidades na América Latina, Espanha e Portugal, o Cabify recentemente formou uma parceria com o Easy (antes Easy Taxi) para concorrer com o Uber no Brasil. Os carros disponibilizados pelo app em geral possuem um padrão acima da média. A categoria Essential do Cabify possui uma bandeira de R$ 2,50, além da tarifa por quilômetro de R$ 1,44, de acordo com o tarifário da empresa. A duração da viagem (R$ 0,33/min) e uma taxa fixa de serviço de R$ 0,75 também entram no cálculo do valor total da viagem. Em alguns casos, o Cabify também pratica tarifas dinâmicas. A principal forma de pagamento é no cartão, embora algumas cidades aceitem dinheiro. É uma boa opção ao Uber em Buenos Aires, onde o app ainda não foi liberado e funciona meio na clandestinidade.

Lyft

Ainda desconhecido no Brasil, o Lyft é o principal concorrente do Uber nos Estados Unidos, com excelente cobertura em território americano e também no Canadá. Na hora de pegar um carro em Miami, Nova York ou Orlando, não deixe de comparar as tarifas do Uber e Lyft para ver quem oferece a melhor tarifa. Atenção: o aplicativo não aceita pagamentos em espécie, apenas cartões.

Alternativas em países onde não tem Uber

O Uber chegou a ser proibido no Brasil em 2015. Até pouco tempo, outros aplicativos de transporte funcionavam com restrições ou às margens das legalidade, sendo finalmente oficializados após uma decisão do STF.

Em alguns países, seja por razões políticas, comerciais ou tecnológicas, o Uber simplesmente não existe. Na Dinamarca, uma lei que torna os taxímetros obrigatórios levou a suspensão dos serviços da Uber no país. Até mesmo na Alemanha, Itália e França, o uso do aplicativo é restrito às maiores cidades e tem a operação altamente regulada. Uma alternativa na Europa é o MyTaxi (recentemente renomeado para Free Now), que disponibiliza táxis regulares licenciados. Justamente por isso, o app não oferece um preço fixo final para a corrida, e sim uma estimativa.

grab bike app mototaxi

Trânsito no Sudeste Asiático? Baixe o Grab e vá de mototáxi! (Foto: Divulgação)

Em países como a Tailândia e Vietnã existe até mesmo a opção de pedir um mototáxi pelo Grab, aplicativo mais utilizado do Sudeste Asiático, que acabou se fundindo com a Uber. No Irã, as sanções econômicas dos EUA impedem que empresas norte-americanas operem no país, abrindo espaço para concorrentes locais como o Snapp e o Careem (líder no Oriente Médio). Banido na China, o aplicativo mais próximo do Uber que você encontrará é o DiDi (que recentemente comprou a 99 no Brasil).

uber riquixa

Uber Riquixá: uma realidade em países como Índia e Paquistão (Foto: Divulgação)

Curiosamente, em alguns países outros apps despontam mesmo com a presença do Uber. É o caso da Índia com o Ola, que adaptou-se à cultura local sendo o pioneiro nos serviços de tuk-tuk e riquixá (!), criando até um botão do pânico para situações de emergência. Já em Portugal, o Bolt (antigo Taxify) vem crescendo a passos largos graças à uma política atraente de tarifas e baixas comissões.

Mais dicas de aplicativos de transporte

– Dependendo do país, alguns aplicativos não aceitam pagamento em espécie. Por isso, é importante cadastrar seu cartão de crédito.

– Se possível, faça o download do aplicativo e cadastre-se antes de viajar. Além de ganhar tempo, isso evita problemas com recebimento de código de confirmação via SMS através de um chip local.

– Quer economizar? Verifique se existe a opção de viagem compartilhada. Embora a duração do trajeto possa aumentar e sua privacidade seja comprometida, dividir os gastos da corrida é uma boa pedida para poupar dinheiro em países caros.

– Use e abuse dos cupons de desconto! Geralmente eles são oferecidos para novos usuários, mas siga as páginas do seu aplicativo de transporte preferido nas redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter…) e fique atento aos códigos promocionais eventualmente divulgados.

– Para viagens de média/longa distância no Brasil e exterior, experimente o BlaBlaCar. A plataforma funciona de maneira diferente dos outros apps, com disponibilidade limitada, servindo basicamente como uma rede social de caronas. Dividir gastos é o objetivo, não lucrar. Para viagens intermunicipais e estaduais, o Buser é uma alternativa que promete ser “o Uber dos ônibus”, com até 60% de desconto nas passagens.

– Segurança nunca é demais. Alguns aplicativos possuem a opção de compartilhar sua rota com amigos e familiares ao embarcar. É uma maneira de se proteger e, de quebra, ainda ter uma desculpa em caso de atrasos 🙂


E você, qual aplicativo usa em suas viagens? Deixe seu comentário!

Veja também: