logo Melhores Destinos

Alter do Chão, no Pará: 35 dicas para a sua primeira viagem

Monique Renne
Monique Renne
26/10/2020 às 17:00

Alter do Chão, no Pará: 35 dicas para a sua primeira viagem

Alter do Chão, no Pará, ganhou fama mundial depois de ter sido eleita pelo jornal The Guardian como um dos mais belos destinos de praia no Brasil, à frente de paraísos como Fernando de Noronha e Alagoas. Inusitado? Sim! Mas a verdade é que Alter do Chão tem mesmo praias dignas dos mais esplendorosos cenários do país e, vale ressaltar, tudo cercado pelo intenso verde amazônico e regado a muita água doce dos rios Tapajós e Arapiuns. Aproveite os magníficos rios paraenses e mergulhe sem medo de ser feliz! O Pará te espera com bancos de areia branquinha, banhos de rio inesquecíveis, florestas encantadas e, claro, uma culinária espetacular!

Pensar em um destino de praias na região norte do Brasil pode dar a impressão de se tratar de uma viagem muito complexa. Nada disso! Alter do Chão é bem mais fácil de conhecer do que você imagina. E para ajudar nesta viagem (que, garantimos, será uma das melhores da sua vida), preparamos um post cheio de dicas para conhecer Alter do Chão e seus arredores. Explicamos aqui tudinho sobre como chegar; a melhor época; quais praias visitar praias; pousadas e hotéis para hospedagem; como realizar os passeios e, claro, o que fazer em Alter do Chão. Vamos lá!

Alter do Chão Pará

Praia da Ilha do Amor

1- Melhor época para ir a Alter do Chão

Esta é a informação mais importante para quem pretende conhecer a região. Alter do Chão é o tipo de destino em que faz muita diferença a época do ano da viagem, já que a região muda completamente de paisagem a depender do volume de chuvas. A melhor época para ver as famosas praias de rio (principais atrações da região, que engloba também Santarém e Belterra) é o chamado verão amazônico, temporada seca que vai de agosto a dezembro. Já quem busca passeios de barco em meio à floresta e quer ver muita vida animal, o mais recomendado é viajar no inverno amazônico, temporada de chuvas que vai principalmente de janeiro a julho.

Praias de Alter do Chão

Praia no Rio Arapiuns

Durante todo o ano Alter do Chão oferece paisagens espetaculares, mas é claro que grande parte dos turistas procura a região pelas praias à beira-rio. É neste período que as hospedagens ficam mais caras e a vila de Alter do Chão mais cheia de turistas. Nos finais de semana e feriados o movimento também costuma aumentar, especialmente nas praias próximas a Alter do Chão – como a Ilha do Amor – e nas faixas de areia que oferecem infraestrutura de restaurantes. Outra data que atrai grande número de turistas é a Festa do Sairé e o Festival dos Botos, rituais tradicionais, religiosos e folclóricos que acontecem em dias diferentes a cada ano, sempre no mês de setembro.

2- Onde fica Alter do Chão

Alter do Chão é uma vila que faz parte do município de Santarém, no Pará, e conta com pouco mais de 6000 habitantes. Localizada a 1350 km da capital Belém, Alter do Chão está distante apenas 34 km do Aeroporto de Santarém (STM), principal porta de entrada para quem pretende viajar de avião a partir de todo o Brasil. Apesar de não ser a maior cidade e nem a mais populosa da região (Santarém é bem maior), Alter do Chão é a principal base para os turistas que pretendem conhecer as belezas do Rio Tapajós e Rio Arapiuns. Isso porque os passeios de lancha e barco para as praias saem quase todos de lá, mesmo os que visitam as praias de Santarém e também Belterra, município vizinho.

Onde fica Alter do Chão

Rio Tapajós

3- Como chegar a Alter do Chão

Ao se programar para visitar um destino cercado pela riqueza amazônica e localizado em meio ao grandioso estado do Pará é comum imaginar que se trata de uma viagem bastante complexa. Ledo engano! Chegar a Alter do Chão é bem mais simples do que se imagina à primeira vista. A vila de Alter do Chão está localizada a apenas 34 km do Aeroporto de Santarém (STM), onde chegam voos diariamente com saída de Belém, Manaus e Brasília. A partir das três cidades há voos diretos operados pelas companhias aéreas Latam (Brasília), Gol (Brasília, Belém e Manaus) e Azul (Belém e Manaus). Se estiver em outras cidades, basta uma conexão para chegar a Santarém.

Dicas de Alter do Chão

Rio Arapiuns

Outra opção para quem está em Manaus ou Belém é fazer o trajeto de barco até Santarém. Neste caso, o tempo da viagem irá variar de acordo com a cidade de partida. Saindo de Manaus serão duas noites de viagem, já a partir de Belém serão três noites. O custo, a partir de R$ 147, varia de acordo com a rota e o tipo de acomodação escolhida (rede, rede com ar, camarote sem banheiro e suite com banheiro). Nós fizemos a viagem de retorno (Santarém- Belém) com o barco da Amazon Star, saindo de Santarém rumo a Belém. Podemos garantir que vale cada minuto navegando pela Rio Amazonas!

4- Como ir de Santarém a Alter do Chão

O percurso mais comum entre Santarém e Alter do Chão é por via terrestre, em estrada asfaltada. O trajeto tem apenas 34 km e pode ser feito de táxi (média de R$ 70 a R$ 100), transfer particular (custo médio de R$ 100 por pessoa e as pousadas indicam motoristas) ou ônibus comum até Alter do Chão (disponível apenas durante o dia).

Vale dizer que o ônibus de linha comum para Alter do Chão não passa no Aeroporto de Santarém. Neste caso, será preciso pegar primeiro um ônibus do aeroporto até a cidade (desça no Shopping Rio Tapajós) e depois o ônibus para Alter do Chão (com frequência a cada meia hora). O trajeto é bem tranquilo e o ônibus só fica cheio em dias de final de semana, no melhor esquema praia de domingo. A viagem de ônibus dura 40 minutos e leva até o centro de Alter do Chão.

Melhor época para ir a Alter do Chão

Flona Jamaraquá

5- Quantos dias ficar em Alter do Chão

Não caia nessa de achar que a região de Alter do Chão se limita apenas à Praia da Ilha do Amor. Nada disso! Nos arredores de Alter do Chão há incontáveis praias de rio para ser feliz durante a viagem. Além das praias, Alter do Chão conta com diversas outras atrações, como florestas, lagoas, igarapés, igapós, canais e comunidades ribeirinhas que enriquecem e muito a experiência da viagem. Sendo assim, quanto mais tempo você ficar em Alter do Chão, melhor!

O ideal para curtir sem correria e conhecer as principais atracões de Alter do Chão é ficar uma semana por lá. Em sete dias será possível conhecer as principais praias do Rio Tapajós e Rio Arapiuns, visitar a Floresta Nacional do Tapajós, descansar na Praia da Ilha do Amor, subir o Morro da Piraoca, passear pelo Lago Verde e ainda investir em um tour pelos canais, igapós e igarapés locais. Você terá a sensação de ter visto o principal, mas, acredite, não será o suficiente.

Melhores praias de Alter do Chão

Lago Verde

Se quiser viajar com calma, ter tempo para voltar à sua praia favorita, fazer um passeio a pé até uma faixa de areia mais deserta e ir a atrações mais distantes, o melhor é ficar em Alter do Chão por dez dias. Com mais tempo disponível vale até fazer a viagem de barco de Santarém a Belém ou Manaus de barco. O trajeto é espetacular e você terá um gostinho do que é viajar pelo Rio Amazonas. Se puder fazer apenas um trecho, escolha o de Santarém para Belém, no qual o barco inicia a viagem pelo encontro do Rio Tapajós com o Rio Amazonas e passa pertinho das comunidades ribeirinhas da Ilha do Marajó.

Agora… Se você está na correria e tem pouco tempo para viajar, vá mesmo assim! O banho no Tapajós é maravilhoso ainda que apenas por um dia. Um feriado prolongado de três ou quatro dias é ideal para conhecer o básico da região e ficar com muita vontade de voltar! Se encontrar uma passagem baratinha, não perca a chance e corra para Alter.

6- Para quem é recomendado Alter do Chão?

Alter do Chão é o típico destino que agrada aos amantes de praias paradisíacas, mas que não necessariamente querem fazer muito esforço para chegar até elas. O acesso é fácil e o roteiro é recomendado para viajantes sozinhos, casais, famílias com crianças e idosos. Os passeios de lancha chegam a praias bem próximas da vila e também a faixas de areia bem distantes. E o grau de aventura varia de acordo com o desejo do turista, por isso Alter é para todo mundo. Bem… Quase todo mundo… Se você está em busca de cidade grande, shoppings, avenidas movimentada e muito agito, talvez Alter do Chão não seja uma boa pedida para você. No entanto, se mesmo sendo fã de grandes centros urbanos você estiver de coração aberto para um paraíso ainda pouco conhecido, aproveite e vá para Alter!

Viajar para Alter do Chão é ter a certeza de encontrar cenários dignos de incontáveis registros fotográficos. A região é excelente para quem busca dias de descanso e contato direto com a natureza e também para quem não abre mão de boa infraestrutura e quer apenas passar o dia relaxando sem tirar os pés da água, com direito aos melhores peixes paraenses e pratos cheios de sabor.

Quanto tempo ficar em Alter do Chão

Praia da Ponta do Cururu

7- O que fazer em Alter do Chão

Os dias em Alter do Chão são dedicados a passeios que levam a praias, rios, lagoas, florestas, comunidades ribeirinhas, igapós, igarapés e canais que são a síntese da beleza da região. O ideal, ao embarcar para Alter, é conhecer um pouquinho de cada paisagem. À noite, grande parte dos turistas investe o tempo experimentando algumas iguarias locais nos restaurantes da vila. Para os mais animados, vale se jogar no carimbó! Quem quiser uma experiência diferente poderá até mesmo investir em uma noite sob as estrelas em uma praia deserta ou em uma boa rede nas comunidade ribeirinhas ou em meio à Floresta Nacional do Tapajós.

O que fazer em Alter do Chão

Rio Arapiuns

8- Em Alter do Chão vá a muitas praias!

A areia fina e clara que surge à beira dos rios Tapajós e Arapiuns no período da seca forma um maravilhoso conjunto de praias nos arredores de Alter do Chão. São tantas faixas e pontas de areia que adentram a água doce que muitas delas nem nome têm. As mais famosas, quase sempre, oferecem restaurantes ou quiosques para os turistas. Outras, mais desconhecidas, presenteiam os visitantes com ambiente inóspito e a sensação de que estamos em um paraíso particular. Seja qual for o seu tipo de praia, temos a certeza de que ela será linda! E quanto mais praias você for, mais momentos inesquecíveis irá colecionar. Lembrando sempre que as praias em Alter do Chão aparecem apenas no período da estiagem, quando o nível dos rios baixa e as faixas de areia surgem esplendorosas.

Atrações de Alter do Chão

Ponta do Jutuba

9- Não se apegue tanto aos nomes ou atrações famosas

Em um lugar com tantas opções de praias, lagoas e outras atrações é comum haver confusão entre os nomes de cada uma delas. Mesmo entre os nativos da região há diferença de nomenclatura. Não se apegue tanto a esse detalhe e apenas curta os destinos dos passeios. O visual é melhor que a preocupação com os nomes. 

10- Faça passeios de lancha ou barco

Pode parecer estranho, mas as praias de Alter do Chão não são iguais umas às outras. Para conhecer diversas delas o melhor é investir nos passeios de barco ou de lancha. As rotas variam muito e há opções para todo tipo de turista. Os tours são realizados por agências de turismo, pela associação de barqueiros (Associação de Turismo Fluvial de Alter do Chão – ATUFA) ou por profissionais particulares. Para ter mais liberdade de roteiro, o ideal é contratar um barqueiro particular e escolher as paradas do passeio junto com ele.

Vale fazer amigos na pousada e na vila para dividir o custo e ainda aproveitar a liberdade de escolha da rota. Quanto mais passeios você fizer, mais praias e outras atrações irá conhecer. A depender do seu gosto e desejo, o barqueiro saberá dizer direitinho as melhores pedidas para o seu dia. Os passeios em Alter do Chão têm custo entre R$ 100 e R$ 250, a depender do roteiro e número de turistas. Tudo é negociável!

Passeio em Alter do Chão

Passeio em Alter do Chão

11- Comece pela Ilha do Amor

A Ilha do Amor é o principal destino dos turistas que chegam a Alter do Chão. Apesar do nome, a “ilha”, na verdade, é uma ponta de areia ligada ao continente, onde de um lado está o Lago Verde e do outro o Rio Tapajós. Cercada por simpáticos barquinhos coloridos e bem de frente para a vila, essa é a praia mais popular de Alter do Chão. Nos finais de semana de sol ela costuma ficar bem cheia (os moradores da região também curtem a praia), mas durante a semana o ambiente é bem tranquilo e muitas vezes deserto.

Especialmente interessante para quem gosta de praia com infraestrutura, a Ilha do Amor é repleta de quiosques e serviços, como o aluguel de caiaques. Para sair do movimento de turistas, basta caminhar por alguns minutos e a praia já estará deserta. Ao final da tarde, não deixe de ver o entardecer que acontece na faixa de areia voltada para o Rio Tapajós. O espetáculo está entre os mais bonitos da região. Ah! Vale dizer que para chegar à Ilha do Amor será preciso passar por um pequeno trecho de água. São poucos metros que podem ser percorridos com uma travessia de barco (R$ 5), nadando ou a pé, a depender da época do ano.

Ilha do Amor em Alter do Chão

Ilha do Amor

12- Suba o Morro da Piraoca

Se você já estiver na Ilha do Amor, aproveite e siga a trilha até o Morro da Piraoca. Maior morro da região, ele reina em meio à vegetação amazônica e oferece visão 360º para os arredores de Alter do Chão, de onde se pode ver o Lago Verde, o Lago das Piranhas, a Ponta do Cururu e o imponente Rio Tapajós, além, é claro, de toda Alter do Chão.

A subida para o Morro da Piraoca é bem tranquila e a trilha – contando o tempo a partir da vila de Alter do Chão – leva menos de uma hora em percurso a pé. O trajeto passa pela Ilha do Amor e segue até a placa indicativa de caminho para a subida. Diversos passeios fazem parada já de frente para o início da trilha do morro, o que encurta bastante o tempo do passeio.

Vista do alto do Morro da Piraoca

Ilha do Amor vista do alto do Morro da Piraoca

13- Assista ao pôr do sol na Ponta do Cururu ou na Ponta do Muretá

Se você fizer um passeio de lancha ou barco pelas praias de Alter do Chão é quase certo que haverá uma parada estratégica para o pôr do sol na Ponta do Cururu ou na Ponta do Muretá. A poucos minutos da vila, essas pontas de areia que adentram o Tapajós são os lugares ideais para fechar o circuito do dia com um visual estarrecedor. O sol se põe na água e você poderá assistir ao espetáculo boiando calmamente nas águas quentes do Rio Tapajós. Inesquecível e imperdível!

Para chegar à Ponta do Cururu e à Ponta do Muretá vale fazer um passeio pelo Rio Tapajós, pegar um barco apenas para o pôr do sol (na associação de barqueiros de Alter do Chão é fácil conseguir) ou, no caso da Ponta do Cururu, seguir a pé a partir da Ilha do Amor (com trajeto que pode levar 2h pela beira-rio).

Pôr do Sol na Ponta do Cururu

Pôr do Sol na Ponta do Cururu

14- Sente-se às mesas à beira-rio na Praia da Ponta de Pedras

A Praia da Ponta de Pedras, banhada pelo Rio Tapajós, é daquelas  faixas de areia que agrada a todo mundo. O visual, raro entre as praias de Alter do Chão, conta com formações rochosas à beira-rio. Apesar de haver diversos restaurantes ao fundo da faixa de areia, o bom mesmo por lá é sentar-se com os pés na água e curtir sem pressa. Não se preocupe com a cerveja e os petiscos! O serviço dos restaurantes chega até lá! Se quiser fugir do movimento de turistas, basta caminhar por cinco minutos e você já terá a sensação de praia deserta.

A Praia da Ponta de Pedras faz parte do município de Santarém e é amplamente visitada pelos passeios de barco que saem de Alter do Chão. O acesso é possível também por terra. A Ponta de Pedras está distante 36 km de Santarém e 27 km de Alter do Chão. O percurso inicial é pela PA-457 e segue depois em trecho de terra com 12 km de extensão até a praia.

Praia da Ponta de Pedras em Alter do Chão

Praia da Ponta de Pedras

15- Aproveite os charmosos quiosques ao entardecer na Praia do Pindobal

A Praia do Pindobal está entre as prediletas dos turistas que não abrem mão de quiosques e restaurantes para passar o dia. Com diversas cabanas de palha à beira do Rio Tapajós, a Praia do Pindobal é o cenário ideal para relaxar. Você poderá alugar uma dessas boas sombras nos restaurantes locais e passar o dia todo curtindo sem se preocupar. Outro detalhe que dá destaque para a Praia do Pindobal é o maravilhoso entardecer. O pôr do sol acontece na água, bem de frente para as barracas da praia. Quando o dia estiver terminando, aproveite para registrar o espetáculo.

Distante 12 km da vila de Alter do Chão, no município de Belterra, a Praia do Pindobal é acessível tanto pelo Rio Tapajós (em passeios de barco ou lancha) quanto por estrada de terra. A partir de Alter do Chão o trajeto por terra é pela Estrada do Pindobal.

Praia do Pindobal em Alter do Chão

Praia do Pindobal

16- Faça uma parada para almoço na Praia do Carapanari

O cenário da Praia do Carapanari, à beira do Tapajós, é tão bucólico e relaxante que dá vontade de deitar e por ali mesmo ficar. Com diversos braços d’água que criam pequenas lagoas, a faixa de areia branca e fina da Praia do Carapanari ganha lindas formas. Aproveite uma das cabana de madeira com cobertura de palha dispostas na areia para aquela linda foto das férias. Na Praia do Carapanari, além do banho de rio, vale aproveitar o Restaurante Casa do Saulo, um dos mais famosos da região e que conta com delicioso espaço para passar o dia, além de cardápio regado a muitos pratos regionais.

A Praia do Carapanari, no município de Santarém, faz parte de diversos circuitos dos passeios de barco e lancha a partir de Alter do Chão. Distante 20 km de Santarém e 28 km de Alter do Chão, Carapanari é acessível também pela PA-457 e depois por mais 9 km em estrada de terra.

Praia do Carapanari em Alter do Chão

Praia do Carapanari

17- Curta o banho de rio dos dois lados da Ponta do Jutuba (ou Jutubinha)

Com uma linda ponta que adentra o Rio Tapajós em formato de gancho, a Ponta do Jutuba tem cenário dos mais bonitos de Alter do Chão. De um lado, a praia forma uma profunda piscina enquanto no outro a diversão fica por conta das ondas do grandioso Tapajós. A diferença entre um lado e outro não para aí. A água tem temperatura diferente a depender do local do mergulho. A Ponta do Jutuba é uma extensão da Praia do Jutuba e você poderá transitar tranquilamente entre as duas. Quanto mais tempo por lá, melhor.

O acesso à Ponta do Jutuba é possível apenas pelo Rio Tapajós. Uma boa opção para conhecer essa praia é fazer a visita à Ponta do Jutuba junto com o Canal do Jari ou a Praia da Ponta de Pedras. Eles estão na mesma direção e será fácil aliar os passeios.

Ponta do Jutuba em Alter do Chão

Ponta do Jutuba

18- Vá às espetaculares praias do Rio Arapiuns

O Rio Tapajós não é a única estrela nos arredores de Alter do Chão. Quem visita a região poderá aproveitar também as águas transparentes do Rio Arapiuns. Afluente do Tapajós, o Arapiuns é um passeio que exige trajeto de lancha e alguns solavancos nas ondas do rio. A passagem de uma margem a outra do Tapajós para chegar ao Arapiuns pode ser uma grande aventura que lembra até mesmo uma montanha russa. É difícil acreditar que não estamos em alto-mar quando começamos a saltar as ondas. Todo o sacrifício (e sacolejo) é recompensado com praias espetaculares e cenários de emocionar.

Rio Arapiuns em Alter do Chão

Rio Arapiuns

A aventura do trajeto te levará a algumas das mais lindas praias nos arredores de Alter do Chão. Para dizer a verdade, as praias do Rio Arapiuns são tão bonitas (ou mais) que as do Tapajós. As porções de areia variam entre longas praias a pontas de areia branquinhas que adentram as águas límpidas do Arapiuns. É até difícil encolher uma delas para ficar. Entre as faixas de areia mais famosas, vale conferir a Praia do Icuxi, a Praia da Ponta do Toronó e a Praia da Ponta Grande. As três são igualmente lindas, imperdíveis e, o melhor de tudo, desertas!

Praia da Ponta Grande em Alter do Chão

Praia da Ponta Grande

A Praia do Icuxi é um bom mix entre águas rasas e profundas, o que permite ver o Arapiuns com diferentes tons. Já a Ponta do Toronó se destaca pela longa faixa de areia clara e muitas entranças que adentram o Arapiuns e formam pequenas piscinas. A Ponta Grande é uma grande ponta de areia branca, também repleta de pequenas piscinas, mas com um detalhe que rende lindas fotos: uma longa e fina faixa de areia com água dos dois lado. O cenário ideal para aquela foto especial.

As praias do Rio Arapiuns são acessíveis apenas de barco ou lancha. Os passeios de um dia que partem de Alter do Chão têm custo médio de R$ 150 por pessoa. Os mais aventureiros poderão pegar um barco de linha em Santarém, com custo de R$ 30 (barco com 4h30 de duração) ou R$ 40 (lancha com 2h30 de trajeto). Ambos partem do Porto de Santarém (de frente para o Mercadão 2000) por volta de 10h da manhã. Os barcos fazem paradas nas comunidades à beira do Arapiuns, onde é possível passar a noite.

Ponta do Toronó

Ponta do Toronó

19- Visite uma comunidade ribeirinha no Rio Arapiuns e aproveite para passar uma noite por lá

Os passeios que partem de Alter do Chão rumo ao Rio Arapiuns costumam ter parada para almoço nas comunidades ribeirinhas. Preparadas para receberem os turistas, os povoados à margem do Arapiuns oferecem deliciosas refeição, sempre à base de peixes fresquinhos e com sabor de comida de vó. De quebra, você ainda será presenteado com um irresistível redário para aquela soneca depois do almoço. Aproveite a parada também para um bom papo com os moradores, sempre com ótimas histórias para contar. É uma oportunidade maravilhosa de conhecer mais sobre a cultura e modo de vida dos ribeirinhos. Nossa parada foi na Comunidade Coroca e adoramos cada minuto, mas há outras comunidades que também recebem visitantes, tanto para o almoço quanto para o pernoite.

Comunidade Coroca no Rio Arapiuns

Comunidade Coroca

Quem quiser passar mais tempo o Rio Arapiuns, poderá se hospedar nas comunidades que recebem os turistas. Elas costumam oferecer redários para uma boa noite de sono e até casas completas, com refeições inclusas e preços muito acessíveis. Vale pela experiência do isolamento em meio à natureza e pela oportunidade de curtir o Rio Arapiuns ainda mais intensamente. É importante dizer que nas comunidades ribeirinhas do Arapiuns não há sinal de telefone ou internet. É lugar para curtir totalmente desconectado. Aproveite!

20- Percorra a trilha da Floresta Nacional do Tapajós

Bem pertinho de Alter do Chão está um dos lugares mais mágicos da região: a Floresta Nacional do Tapajós. Quem visita Alter e nunca teve a oportunidade de ver uma floresta com ambiente amazônico não pode perder a chance de caminhar entre as árvores grandiosas dessa reserva com mais de 527 mil hectares.

O passeio passa por trilhas dentro da vegetação densa, onde é possível ver a diferença entre uma mata secundária e primária. Durante o trajeto, o guia mostrará diversas plantas e o uso de cada uma delas. Você verá espécies fantásticas da Amazônia, como a gigante sumaúma (conhecida como a “árvore da vida”) e a seringueira, além de infinitas outras plantas curiosas, como as que servem de papel e repelente natural contra insetos. Além da visita diurna, quem quiser ter um contato mais próximo com a floresta e as comunidades locais poderá investir em um passeio com pernoite. O acampamento pode ser em meio à mata ou à beira do Rio Tapajós.

Flona Jamaraquá Floresta Nacional do Tapajós

Flona Jamaraquá

A Floresta Nacional do Tapajós é acessível tanto pelo Rio Tapajós quando por estrada. Os pontos de apoio mais comuns para os turistas que visitam a região são as comunidades de Jamaraquá (onde a floresta ganha o nome de Flona Jamaraquá), Maguari e São Domingos. O passeio mais popular entre os turistas é para a Flona Jamaraquá, onde há uma trilha com 9 km de extensão em meio à mata.

Durante o tour há diversas paradas para observar a natureza, banho nas límpidas águas do igapó em meio à mata primária ou um passeio de canoa em um igarapé. No retorno um bom almoço caseiro com peixes amazônicos fresquinhos estará esperando pelos turistas na base da comunidade. Apesar de ser possível visitar também as outras comunidades, os barqueiros em Alter do Chão costumam levar os turistas direto para a Jamaraquá. Caso deseje conhecer as comunidades Maguari (onde está uma samaúma milenar) e São Domingos, negocie antes do passeio.

O passeio para a Flona Jamaraquá é feito de lancha com saída de Alter do Chão. O tour, com custo entre R$ 120 e R$ 180 (o pagamento do guia e a refeição no local do passeio são pagos à parte), tem paradas antes ou depois da Flona Jamaraquá para curtir uma das praias da região. O trajeto de lancha de Alter do Chão até a comunidade Jamaraquá leva, em média, 1h. Outra opção é ir por via terrestre, com percurso que varia entre 1h30 a 2h. Neste caso, o trajeto seguirá pela BR-153 e depois por estrada de terra.

21- Vá ao Lago Verde e à Floresta Encantada

Formado pelas águas do Rio Tapajós que abraçam a Vila de Alter do Chão, o Lago Verde banha a Ilha do Amor e oferece outros diversos lindos cenários para quem quiser investir em um passeio mais a fundo. Uma boa maneira de começar a explorar o lago é seguir pela margem até outras praias. Vale até alugar um caiaque e remar em meio à paisagem. Com um pouco de fôlego não será difícil ir até os braços mais bonitos do lago, onde estão os igapós e nascentes de águas transparentes. Outra atração que vale a visita é a Floresta Encantada. O lugar é mais interessante na época da cheia e o acesso é possível em passeio de lancha. Ao chegar à floresta o turista é transferido para uma canoa que adentra a vegetação, onde é possível observar pássaros, macacos e preguiças, além da exuberante natureza que cerca o lugar.

Lago Verde em Alter do Chão

Vista do Alto do Morro da Piraoca

22- Relaxe no Lago Preto

Para quem procura uma experiência diferente das praias do Rio Tapajós, o Lago Preto é uma boa pedida com fácil acesso. Como bem diz o nome, a água desse lago dá a impressão de ser bem escura, no entanto, basta um fio de sol para ela se mostrar transparente e límpida. A água reserva também surpresas com as diferentes temperaturas. Hora frio, hora quente, o banho é constantemente uma surpresa. Apesar do acesso fácil, a chance de você curtir o lugar sem ninguém é bem grande. Escondida dos olhares das lanchas e barcos que passam pelo Tapajós, o Lago Preto é boa opção para quem busca privacidade e sossego em meio à natureza.

O Lago Preto é acessível pela Praia de Itapari (vizinha à Praia da Ponta de Pedras). Para chegar à Praia de Itapari o trajeto pode ser feito de barco pelo Rio Tapajós ou por estrada. A partir de Santarém ou Alter do Chão o percurso por terra começa pela PA-457 (rodovia asfaltada) e depois por estrada de terra por mais 11 km.

Lago Preto em Alter do Chão

Lago Preto

23- Conheça as praias de Belterra

O município de Belterra, vizinho de Alter do Chão, reserva algumas belas praias aos turistas. A partir de Alter será possível fazer passeios de lancha ou seguir viagem por estrada de terra para algumas dessas porções de areia à beira do Tapajós. A mais famosa e movimentada entre as praias de Belterra é a Praia do Pindobal, mas há outras opções, como a Ponta do Muretá, onde o pôr do sol é maravilhoso! Quem quiser fazer um roteiro por Belterra poderá visitar também a Ponta do Cajutuba, a Praia de Aramanai, a Praia de São Domingos e a Praia do Maguari. Todas são acessíveis pelo Rio Tapajós com passeios de lancha ou de carro por estrada (exceto a Praia de Aramanai).

Praia do Pindobal

Praia do Pindobal

24- Veja as belezas do Canal do Jari

O passeio para o Canal do Jari é especialmente interessante para os viajantes observadores e apaixonados por natureza. O percurso de lancha que segue por dentro desse canal leva a lindos cenários, onde será fácil ver casas típicas ribeirinhas, vegetação amazônica, muitos pássaros e ainda alguns animais, como preguiças, macacos, jacarés e, com sorte, alguns botos. O Canal do Jari é mais bonito na época da chuva, quando a vegetação está exuberante e o rio cheio permite chegar até os locais onde estão grandiosas vitórias-régias. O passeio para o Canal do Jari pode ser combinado a visitas a praias que estão no caminho. O custo médio do tour é R$ 120 por pessoa em lancha compartilhada com outros turistas.

Canal do Jari

Canal do Jari

25- Passeie por Santarém antes ou depois de ir a Alter do Chão

Se locomover entre Alter do Chão e Santarém é muito tranquilo, não sendo necessário fazer pernoite para seguir viagem no dia seguinte. Entretanto, se você faz parte do time que adora conhecer uma nova cidade, vale investir algumas horas de passeio por Santarém. É importante dizer que Alter do Chão é um distrito de Santarém e, na teoria, tudo que está em Alter do Chão faz parte de Santarém. Na prática, entretanto, muitas praias da região são tratadas pelos turistas como sendo Alter do Chão, afinal, é de lá que partem os passeios.

Santarém

Santarém

Santarém, com 300 mil habitantes, é uma das mais importantes cidades do Pará. Cercada por natureza exuberante e encrustada entre a vegetação amazônica, o Rio Amazonas e o Rio Tapajós, Santarém é uma parada interessante antes de Alter do Chão.

Conhecer as principais atrações é tarefa rápida e Santarém pode ser visitada em uma manhã ou tarde. Comece o passeio pela orla à beira-rio, onde será possível acompanhar o movimento dos barcos, experimentar alguns petiscos (dê preferência aos maravilhosos peixes da região) e ver o espetáculo do encontro das águas do Rio Amazonas com o Rio Tapajós. Para conhecer a história e cultura local, visite o Centro Cultural João Fona. Outra boa pedida é conhecer o Mercadão 2000, onde todas as manhãs chegam enormes carregamentos de peixes e outros produtos da região, o que permite ter contato direto com a cultura e culinária tapajônica. E se o seu negócio for mesmo ir à praia, pertinho de Santarém você poderá conferir a Praia do Maracanã, a Ponta do Arariá, a Praia do Pajuçara e a Praia do Carapanari, onde está o famoso restaurante Casa do Saulo.

26- Veja o “Encontro das Águas” em Santarém

Bem de frente para o orla de Santarém acontece o encontro das águas azuis do Rio Tapajós com as águas barrentas do Rio Amazonas. Para ver o fenômeno nem é preciso pegar um barco. Em terra firme será possível observar o ponto de junção dos dois rio. Quem quiser ver o espetáculo mais de perto poderá fazer um passeio de barco até o encontro e nadar entre os dois grandiosos rios que cortam o Pará. Os passeios partem tanto de Santarém quanto de Alter do Chão e o custo varia de acordo com a localidade de partida e tipo de transporte escolhido. Lembrando que da orla o show é gratuito.

Encontro das águas do Rio Tapajós com o Rio Amazonas

Encontro das águas do Rio Tapajós com o Rio Amazonas

27- Dance um carimbó na vila de Alter do Chão

Treme! Treme! Treme! Dificilmente você saíra da vila de Alter do Chão sem ouvir ao menos um dos hits de Dona Onete, a diva do carimbó que canta a tremedeira causada pelo jambu. O dançante ritmo paraense gruda na cabeça e sacode o corpo, por mais que você lute para ficar parado. E se você não puder vencê-lo, junte-se a ele! Deixe-se levar pelo carimbó e entre na roda. Para ver uma bela apresentação, vá ao Espaço Gastronômico, onde toda sexta-feira acontecem apresentações de música e dança. Se a ideia for mesmo só se divertir, baixe uma boa playlist de carimbó e entre no clima agora mesmo!

Carimbó na vila de Alter do Chão

Carimbó na vila de Alter do Chão

28- Adquira algumas peças de arte indígena

Alter do Chão tem a loja mais completa do mundo especializada em artigos indígenas. A Araribá tem uma variedade de peças impressionante e muitas delas alcançam o status de obras de arte. O seu bolso será o limite! Há desde lembrancinhas de R$ 10 a peças que ultrapassam facilmente R$ 1000. O ideal para quem busca uma recordação da viagem, um símbolo paraense ou um lindo objeto de decoração original dos povos indígenas do Brasil é ir diversas vezes à loja. É impossível ver tudo em apenas uma visita e são tantas coisas espetaculares que fica difícil escolher rápido. Veja mais sobre compras em Alter do Chão.

Loja Araribá

Loja Araribá

29- Experimente a culinária paraense e tapajônica

Os sabores do norte são autênticos e carregados de personalidade, o que faz da gastronomia uma experiência à parte na viagem a Alter do Chão. Degustar os peixes amazônicos fresquinhos, muitas vezes regados a temperos pouco comuns a quem não é da região, faz parte do pacote do viajante. Experimente o açaí paraense (bem diferente do que se tem fora da região norte), a caldeirada, o pato no tucupi, o jambu e todos os peixes de rio que são espetaculares, como o pirarucu, tambaqui e o namorado.

Vila de Alter do Chão

Vila de Alter do Chão

Durante o dia de passeio, o mais comum em Alter do Chão é fazer as refeições nos quiosques das praias com infraestrutura ou nas comunidades ribeirinhas, que servem de ponto de apoio para os barcos com turistas. Um bom peixe assado nas comunidades à beira do Rio Arapiuns, por exemplo, terá custo médio de R$ 30 por pessoa. Já em um restaurante badalado, com vista para o rio, o custo do prato para duas pessoas pode chegar a R$ 150. Ambas as experiências valem a pena, especialmente para quem está conhecendo a região pela primeira vez. Veja mais sobre onde comer em Alter do Chão.

Espaço Gastronômico

Espaço Gastronômico

30 – Passe o Réveillon em Alter do Chão

Pode parecer estranho, mas Alter do Chão tem um Réveillon famosíssimo entre o público mais festeiro. As praias isoladas e quase desertas à beira do Rio Tapajós se transformam em palco de grandes comemorações de Ano Novo, com direito a local surpresa na festa da virada, balada em barcos, festas nas praias durante o pôr do sol e tudo mais que se espera de uma mega comemoração de virada de ano. E a melhor notícia é que a festa de Alter do Chão não acontece em apenas um dia! São várias comemorações diferentes que acontecem antes, durante e depois da virada do ano. Coisa pra quem tem mesmo muita energia e disposição! A festa mais famosa de Alter do Chão é a Vai Tapajós. Se você busca um destino diferente para passar a virada do ano, corre pra lá!

Reveillon em Alter do Chão

Reveillon em Alter do Chão

31- Pousadas e hotéis em Alter do Chão

Ainda que esteja localizada a apenas 30 km de Santarém (maior cidade da região), Alter do Chão é a melhor base para os viajantes. Alter do Chão é um destino totalmente voltado para o turismo e não faltam pousadas para se hospedar por lá. Entretanto, é preciso dizer que Alter não é lugar de grandes luxos, resorts ou hotéis cheios de requinte. O que prevalece por lá são pousadas simples e com serviços básicos. Algumas, entretanto, se destacam das demais com ambientes charmosos e cuidado nos detalhes para manter o turista conectado à natureza em todos os momentos.

Hotéis em Alter do Chão

Entardecer na Ilha do Amor

A vila de Alter do Chão é bem pequena e dificilmente você estará mal localizado. Para quem gosta de ficar bem perto do agito, o ideal é se hospedar mais próximo à Igreja Nossa Senhora da Saúde, onde está a maior concentração de restaurantes e comércios em Alter do Chão. A região marca também o ponto de partida dos barcos e lanchas de passeio. Para quem deseja maior contato com a natureza, vale se afastar um pouco mais do centrinho, seja em meio à mata ou à beira-rio. Vale dizer que há pousadas que agregam localização central ao ambiente mais verde. Na alta temporada, de julho a janeiro, os preços costumam subir. Já na baixa temporada, de fevereiro a junho, é possível conseguir hospedagem com valores bem baixos.

Pousadas em Alter do Chão

Ponta do Pindobal

Entre as opções de hospedagem em Alter do Chão, vale conferir o conforto da Villa Arumã Pousada, da Vila Flor Bed & Breakfast, da Pousada Alter e do Beloalter Hotel. Com boa localização e custo benefício, veja o Hotel Borari, o Hotel Mirante da Ilha, a Pousada Coração Verde, a Pousada Sombra do Cajueiro, o Agualinda Hotel e a Pousada do Mingote. Um pouco mais afastadas da beira-rio, porém ainda bem localizadas, veja a Pousada Vila Alter, a Pousada Alterosa, a Pousada Cabocla e a Pousada Recanto Maguary. Para economizar, procure pelo Hostel Pousada do Tapajós, o Hostel Coração Verde e o Pedra do Sol Pousada Hostel.

Veja mais opções de hotéis e pousadas em Alter do Chão.

32- Telefonia e Internet em Alter do Chão

As pousadas em Alter do Chão costumam oferecer WI-FI para os hóspedes, mas não espere nada muito veloz. Entre as operadoras de celular, a Vivo é a que oferece melhor sinal, mas a Oi, Claro e TIM também costumam funcionar na vila. Nas praias o sinal é bem mais limitado. Não conte com ele para resolver problemas emergenciais.O melhor mesmo em Alter do Chão é desapegar do telefone e curtir a viagem.

Quantos dias ficar em Alter do Chão

Praia da Ponta da Pedras

33- Compras e dinheiro em Alter do Chão

Para compras do dia a dia, Alter do Chão será capaz de resolver boa parte dos problemas mais comuns. Na vila há um minimercado bem abastecido (onde está um Caixa 24h), farmácias, distribuidoras de bebidas (uma delas estrategicamente posicionada próxima ao ponto de partida dos barcos) e lojas de outros serviços mais comuns, como vestuário e eletrônicos básicos. O comum será fácil encontrar por lá, mas, caso precise de algum produto muito específico, não deixe para comprar em Alter do Chão. A chance de não achar é bem grande.

Na vila de Alter do Chão há um caixa do Banco 24h onde é possível sacar dinheiro de diversos bancos. Em Santarém há agências bancárias do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Bradesco, Santander, Banco 24h e outros.  Cartão é comumente aceito em estabelecimentos maiores de Alter do Chão, porém para pagamento dos passeios e refeições nas praias nem sempre cartão será aceito. Vá preparado com dinheiro em espécie.

Melhor época para ir a Alter do Chão

Ponta do Jutuba

34- Quanto custa viajar para Alter do Chão

Alter do Chão é um destino que atende a todos os bolsos. O problema maior no orçamento é a passagem aérea, que costuma ter preços salgados até Santarém, por isso é importante ficar atento ao Aplicativo do Melhores Destinos para não perder nenhuma promoção!

As hospedagens na região variam de pousadas simples e baratinhas a hotéis butiques cheios de charme rústico e requinte. Sem falar que por lá é possível dormir em rede a preços muito baixos de frente para praias espetaculares em comunidades ribeirinhas, onde a prosa é boa e a comida melhor ainda. Aliás, os preços das comidas também não são de assustar: um bom almoço com peixe amazônico ou um PF caprichado podem ser encontrados tranquilamente por R$ 30. Petiscos e pratos mais elaborados nas praias e restaurantes mais badalados ultrapassam facilmente R$ 100 para duas pessoas.

Quanto custa viajar para Alter do Chão

Preguiça no Canal do Jari

Ainda que seja possível visitar praias a pé e de ônibus (com rotas bem limitadas), o mais recomendado e divertido em Alter do Chão é fazer os passeios de barco ou lancha navegando pelo Rio Tapajós e Rio Arapiuns. O custo médio dos tours de um dia, com diferentes paradas e roteiros, varia entre R$ 100 e R$ 150 por pessoa em grupo com barqueiro particular ou na associação e R$ 250 em grupos com agências de turismo. A pé será de graça!

35- Dicas finais de Alter do Chão

Alter do Chão é destino para desapegar do luxo e se apegar à natureza. Aproveite cada minuto da viagem para mergulhar muitas vezes, caminhar na areia branquinha das praias, curtir a natureza exuberante da Amazônia e experimentar cada prato e peixe paraense que puder. Em Alter do Chão o ritmo é lento e você não precisa lutar contra ele. Entre no clima e aproveite para desacelerar do dia a dia. Acompanhe cada entardecer, observe atentamente a água do rio e se deixe surpreender com um salto dos botos que sempre aparecem para dar um alô. Veja Alter do Chão com os seus próprios olhos, ela é ainda melhor quando vista sem uma tela de celular como intermediária. Faça fotos, mas não deixe de guardar suas lembranças na memória mais eficiente que há: a sua! Boa viagem e curta muito Alter do Chão!

Pôr do Sol em Alter do Chão

Ilha do Amor

Já esteve em Alter do Chão? Conta tudo pra gente! Quanto mais dicas de Alter do Chão, melhor! E se quiser mais dicas, confira o nosso exclusivo Guia de Alter do Chão!