logo Melhores Destinos

Alpha, bravo, charlie: conheça a origem do alfabeto fonético e como ele é usado na aviação

Rafael Castilho
05/02/2021 às 5:05

Alpha, bravo, charlie: conheça a origem do alfabeto fonético e como ele é usado na aviação

Alfabeto Fonético: a origem

A utilização de alfabetos fonéticos vem do início do século passado. Por volta de 1920, a União Internacional de Telecomunicações (IUT) desenvolveu o primeiro tipo de alfabeto fonético. Para designar cada letra a IUT usou nomes de cidades, como: Amsterdam, Baltimore, Casablanca, etc.

Entretanto esta primeira tentativa de unificar as transmissões não vingou devido à não utilização por alguns países. Com a Segunda Guerra Mundial, esta diferença ficou mais latente e prejudicou até a comunicação dos aliados. As áreas militares aliadas envolvidas no conflito utilizavam alfabetos diferentes de norte-americanos e ingleses. O exército dos Estados Unidos e da Inglaterra utilizavam outro alfabeto fonético, chamado de Able Baker.

Alfabeto Able Baker – Able, Baker, Charlie, Dog, Easy, Fox, George, How, Item, Jig, King, Love, Mike, Nan, Oboe, Peter, Queen, Roger, Sugar, Tare, Uncle, Victor, William, X-ray, Yoke, Zebra

O alfabeto Able Baker recebia críticas principalmente por adotar somente palavras em inglês. Para minimizar os problemas e universalizar o uso de uma lista única, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) propôs, em 1951, um novo alfabeto fonético adotando também palavras em espanhol e francês.

A proposta da época era bem similar com a que conhecemos hoje. Era assim: Alfa, Bravo, Coca, Delta, Echo, Foxtrot, Gold, Hotel, India, Juliett, Kilo, Lima, Metro, Nectar, Oscar, Papa, Quebec, Romeo, Sierra, Tango, Union, Victor, Whiskey, eXtra, Yankee, Zulu.

Mas a tentativa da Iata foi por água abaixo, pois os americanos, ingleses e até a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) insistiam em usar o Able Baker. Era nítido que algo deveria ser feito e a unificação dos alfabetos foi proposta pela Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO) com a troca das palavras que representavam as letras C-M-N-U-X.

Depois de muito debate encabeçada pela Otan, em 21 de Fevereiro de 1956, os países membros da Organização foram comunicados da adoção do novo alfabeto fonético. Anos depois a ITU também adotou o mesmo em todas as comunicações de rádios militares, civis e amadores assumiram a lista que ficou sendo conhecida como alfabeto fonético da Otan.

O Alfabeto Fonético atual

A – ALPHA J – JULIET S – SIERRA
B – BRAVO K – KILO T – TANGO 
C – CHARLIE L – LIMA U – UNIFORM
D – DELTA M – MIKE V – VICTOR
E – ECO N – NOVEMBER W – WHISKEY
F – FOXTROT O – OSCAR X – X-RAY
G – GOLF P – PAPA Y – YANKEE
H – HOTEL Q – QUEBEC Z – ZULU
I – INDIA R – ROMEU

Como utilizar o Alfabeto Fonético da Aviação

O alfabeto fonético da Otan é utilizado pela aeronáutica mundial. Sendo assim também é conhecido como alfabeto fonético da aviação. Os pilotos o utilizam para se comunicar com a Torre de Controle e identificar a aeronave. Exemplo: o prefixo do avião é PP-YHA, o comandante dirá Papa Papa Yankee Hotel Alpha.  Da mesma forma todo o pessoal que trabalha com aviação utiliza para identificar letras e prefixos.

Uso do Alfabeto Fonético no seu dia a dia

As pessoas que não são militares ou não trabalham com a aviação civil dificilmente utilizarão o alfabeto fonético da Otan no seu dia a dia. Mas fica aqui um dica! Na hora de identificar o localizador de seu bilhete aéreo para um atendente, principalmente em ligações telefônicas, fica mais fácil o entendimento dos códigos utilizando o alfabeto fonético. Nada de C de Casa, M de Maria, N de Navio, etc. Tente, se possível, adotar o uso aeronáutico nestas horas. Assim evitará confusões pela interpretação errada.

Alfabeto Fonético Internacional x Alfabeto Fonético da Otan

Muitas vezes o Alfabeto Fonético da Otan ou da Aviação é chamado erroneamente de Alfabeto Fonético internacional. Há uma grande diferença entre os dois.

O Alfabeto Fonético da Otan funciona de uma forma bem simples utilizando palavras para identificar cada letra. Assim, na hora da transmissão, ao invés do responsável falar uma letra, ele diz a palavra que é atribuída à letra evitando confusões de interpretação. É adotado em todas as comunicações de militares e civis, por isso é conhecido como Alfabeto Fonético da Aviação e Alfabeto Fonético Militar.

Já o Alfabeto Fonético Internacional é uma sistema de notação fonética como forma de representação padronizada dos sons do idioma falado. São aquelas letrinhas “com formas e acentos estranhos” que aparecem ao lado das palavras nos dicionários. Usamos bastante eles quando estamos aprendendo algum idioma ou precisamos utilizar uma palavra estrangeira. Ele foi criado pela Associação Fonética Internacional com base no alfabeto latino.

O Alfabeto Fonético Internacional está sempre sendo atualizado. Ocasionalmente letras ou diacríticos são adicionados, removidos ou modificados pela Associação. A última revisão foi em 2019 e o alfabeto, hoje, é representado por 107 letras, 52 diacríticos e quatro marcas de prosódia.


Já conhecia o alfabeto fonético? Ou ficava se perguntando que palavras estranhas eram aquelas usadas pelo pessoal das companhias aéreas e aeroportos? Participe nos comentários!

Não perca nenhuma oportunidade!
ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
tela do app do melhores destinos
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção