logo Melhores Destinos

Air France-KLM confirma pedidos por Airbus A220 e anuncia aposentadoria dos A380

Thayana Alvarenga
Thayana Alvarenga
31/07/2019 às 11:35

Air France-KLM confirma pedidos por Airbus A220 e anuncia aposentadoria dos A380

A Air France-KLM anunciou mudanças em sua frota durante reunião nesta terça-feira. Foi confirmado que serão compradas 60 aeronaves modelo Airbus A220-300 para substituir gradualmente os jatos A318 e A319 da companhia. O primeiro avião deve ser entregue em setembro de 2021, se unindo à frota de curta e média distância da aérea francesa. Outra novidade anunciada pela empresa é que seus 10 A380 serão retirados da frota até 2022.

De acordo com a companhia, o A220-300 gera 20% menos emissões de CO2 do que aviões semelhantes e é duas vezes mais silencioso. Com 150 assentos e um alcance de operação de 6.200 quilômetros, a aeronave pode ser adequada para substituir os A318 e A319 nas malhas de curta e média distâncias. Além disso, permite aumento na competitividade reduzindo seu custo por assento em mais de 10% em comparação com as aeronaves atuais. Suas poltronas oferecem mais espaço e há compartimentos de armazenamento maiores para bagagem de mão, além de corredores mais largos e tecnologia de Wi-Fi a bordo.

Companhia vai comprar 60 aeronaves modelo Airbus A220-300

A Air France-KLM também informou que vai aposentar sete A380 restantes da frota até 2022, sendo que a eliminação de três aeronaves adicionais já havia sido decidida. Cinco desses aviões são de propriedade da empresa, enquanto dois são arrendados. Segundo a companhia, o atual ambiente competitivo limita os mercados nos quais o A380 pode operar lucrativamente. Com quatro motores, o A380 consome de 20 a 25% mais combustível por assento do que a nova geração de aeronaves de longa distância e, portanto, emite mais CO2.

O aumento dos custos de manutenção de aeronaves, bem como as reformas necessárias da cabine, reduzem ainda mais a atratividade econômica dos A380 da Air France-KLM. Manter esse tipo de aeronave na frota envolveria custos significativos, enquanto o programa de fabricação da aeronave foi suspenso pela Airbus no início de 2019. Estão sendo estudadas opções de substituição destas aeronaves pelas de nova geração atualmente disponíveis no mercado.

E você, o que achou das novidades? Comente e participe!