logo Melhores Destinos

Maior avião de passageiros do mundo, Airbus A380 chega aos 15 anos sem motivos pra comemorar

João Goldmeier
João Goldmeier
25/04/2020 às 6:38

Maior avião de passageiros do mundo, Airbus A380 chega aos 15 anos sem motivos pra comemorar

Na próxima segunda, dia 27 de abril o primeiro voo do Airbus A380, o maior avião de passageiros do mundo, completará 15 anos. Infelizmente, a data será comemorada de forma melancólica, com o fim da produção já agendado para ocorrer ano que vem. Saiba um pouco mais sobre esse gigante dos céus, que revolucionou a aviação mundial.

Breve histórico do projeto do Airbus A380

Em meados de 1988, um grupo de engenheiros da Airbus, liderado por Jean Roeder, começou a trabalhar no desenvolvimento de um avião com alta capacidade.

Com o tráfego aéreo dobrando a cada 15 anos, a aposta da Airbus era de que no futuro, para operar nos principais aeroportos do mundo, seria necessário uma aeronave capaz de carregar mais passageiros a cada voo. Os aeroportos já operavam no limite de sua capacidade de pousos de decolagens e muitos não tinham espaço para expansão.

O novo projeto, que visava destronar o rival Boeing 747, foi anunciado ao público em 1990. Apesar do alto custo de desenvolvimento, cerca de 15 bilhões de dólares, e com o interesse público de apenas duas companhias aéreas, o A380 foi adiante.

Um dos aviões construídos para os testes do A380

A designação A380 quebrou a sequência adotada pela Airbus até então, que progrediu do A300 até o A340. Pela lógica o novo modelo deveria se chamar A350, mas o marketing falou mais alto. O número 8 simboliza que o avião tem dois andares, além de ser considerado o número da sorte em muitos países asiáticos, mercados potenciais para o novo avião.

O primeiro A380 concluído foi apresentado ao público em um evento realizado em Toulouse, na França, em janeiro de 2005. O primeiro voo, entre Toulouse e Blagnac, ocorreu no dia 27 de abril do mesmo ano.

O Airbus A380 em números

O maior avião de passageiros do mundo é um gigante composto por quatro milhões de peças, que pesa entre 510 e 575 toneladas. Seu comprimento é o mesmo de duas baleias azuis e tem a mesma altura que cinco girafas.

O A380 em números

Tem capacidade para levar até 853 passageiros, na configuração somente com classe econômica ou 525 passageiros na configuração de três classes.

O preço de catálogo é de US$ 445,6 milhões, ou R$ 2,4 bilhões.

Primeiro voo comercial do Airbus A380

Coube à Singapore Airlines a honra de realizar o primeiro voo comercial do A380, no dia 25 de outubro de 2007. O voo inaugural, de Singapura para Sydney, levou a bordo 455 passageiros e uma tripulação de 30 pessoas.

Foi a primeira oportunidade de ver ao vivo todas as possibilidades que o A380 representava em seu espaçoso interior. A Singapore inovou e equipou o gigante com 12 suites com portas na primeira classe, algo inédito até então. As suítes do meio se transformavam numa cama de casal, um luxo jamais visto.

Todo o conforto de um hotel, nos ares!

Infelizmente, depois de apenas 10 anos de serviço, esse primeiro avião entregue à Singapore foi devolvido à empresa de leasing, que não encontrou um novo dono. A opção foi desmontá-lo para vender suas peças como reposição.

Companhias que compraram o A380

Além da Singapore, outras 13 companhias aéreas receberam o super jumbo em suas frotas: Air France, All Nippon Airways, Asiana Airlines, British Airways, China Southern Airlines, Emirates, Etihad Airways, Korean Air, Lufthansa, Malaysia Airlines, Qantas, Qatar Airways e Thai Airways.

O tamanho do A380 permitiu diversas inovações a bordo. Com espaço de sobra a Korean colocou uma loja Duty Free com display de produtos dentro do avião.

Loja Duty Free no A380 da Korean

Etihad e Emirates instalaram chuveiros para os passageiros da primeira classe, também algo inédito. Qatar, Emirates e Korean ainda instalaram bares completos a bordo, com direito a comissário/barman fazendo drinques durante o voo.

Banheiro com chuveiro do A380 da Emirates

Mesmo com um número razoável de companhias recebendo o modelo, apenas algumas apostaram de fato no avião, como a Singapore (com 24 unidades recebidas) e principalmente a Emirates, com 122 A380 recebidos e mais 1 (o último produzido) a ser entregue.

Bar a bordo do A380 da Qatar

A Emirates construiu um modelo de negócios voltado para o gigante dos céus e foi muito bem sucedida. Tanto que lutou até o fim para convencer outras companhias a comprar mais aviões para que o projeto não fosse encerrado.

Bar a bordo do A380 da Emirates

Se você quiser conhecer como é o interior de cada um dos A380 dessas companhias, pode visitar o site iflyA380 criado pela Airbus. Além dos interiores, é possível saber todas as rotas que são operadas com o avião por cada empresa.

A conturbada vinda do Airbus A380 ao Brasil

Para que um aeroporto possa receber o A380 são necessárias diversas alterações de infraestrutura e de rotinas. Durante anos o Brasil não dispunha de nenhum aeroporto preparado. Ainda hoje são poucos aeroportos homologados para receber o avião, somente Guarulhos (GRU), Galeão (GIG) e Viracopos (VCP).

Primeira visita do A380 ao Brasil

Em dezembro de 2007, antes de termos qualquer aeroporto capacitado para receber o super jumbo, a Airbus trouxe um avião para demonstrar suas capacidades e tentar vender algumas unidades. Na época a TAM chegou a demonstrar um tímido interesse, mas no final nenhum A380 foi vendido na América do Sul (nem em nenhuma outra região das Américas).

Anos depois, Air France e Lufthansa chegaram a divulgar o interesse de colocar o A380 para voar para o Brasil durante a Copa do Mundo, algo que acabou não ocorrendo por conta do atraso nas obras dos aeroportos brasileiros.

Coube a outro evento de importância mundial, as Olimpíadas, a honra de receber o ilustre visitante, trazido pela Air France ao Rio de Janeiro no dia 22 de agosto de 2016.

Logo em seguida o Brasil entrou numa crise econômica e política que fez cair a demanda por voos internacionais, o que afastou qualquer intenção da vinda do A380.

Foi só em 27 de março de 2017 que a novela da vinda em definitivo do A380 para o Brasil teve um fim. Naquele dia começou a primeira (e única) operação regular do gigante dos ares, de São Paulo para Dubai.

O Melhores Destinos estava a bordo daquele voo e se você quiser saber como foi o voo inaugural do A380 da Emirates é só clicar neste link.

Porque o Airbus A380 entrou em declínio

Com um custo alto de operação, a falta de um mercado secundário para revenda da aeronave, a necessidade de pistas mais largas e adaptações nos aeroportos onde opera e a concorrência com aviões menores e mais modernos como Boeing 787 e Airbus A350, o Airbus A380 se mostrou economicamente inviável para a maioria das companhias (exceto para a Emirates, que permaneceu até o fim interessada no projeto). Tudo isso se refletiu nos pedidos, que foram caindo ao longo dos anos. Chegou um momento em que a capacidade de produção era maior que a demanda. E olhando os números, o fim da produção do Airbus A380 foi inevitável.

Airbus A380

Vários A380 estacionados durante a atual pandemia

Ao final da sua produção, terão sido fabricadas apenas 272 unidades do modelo.

Neste aniversário de 15 anos o A380 não tem muita coisa a comemorar. Porém, pra quem ama aviação, serve o consolo de que ainda veremos esses gigantes dos ares por muitos anos, até que o último avião seja aposentado.

——-

E você, caro leitor? Já voou no A380? Como foi a experiência? Conte pra gente!