Webjet deixa de cobrar por copo de água em seus voos

Denis Carvalho 4 · outubro · 2012

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

A Webjet finalmente decidiu abolir uma das medidas que mais irritavam os seus passageiros: a cobrança pelo copo de água a bordo dos aviões. Desde setembro, quem voa pela companhia não precisa pagar se quiser beber um copo de água mineral. Até então se o passageiro sentisse sede teria de pagar R$ 3 pelo copo de água. Agora, basta que peça aos comissários de bordo durante o voo, sem custo adicional. Os demais lanches e bebidas continuam a ser cobrados normalmente

A notícia foi publicada na edição de hoje do jornal Folha de S. Paulo. Na matéria, a publicação relata que no início do ano um de seus repórteres chegou a presenciar um passageiro pedindo um copo de água a uma comissária em um voo entre São Paulo e Rio de Janeiro, para tomar um remédio. “A comissária, constrangida, lhe informou do preço da água e da necessidade de o pagamento ser em dinheiro”, informou a Folha.

O jornal destacou ainda que a quem reclamasse, a empresa dizia que vender qualquer produto a bordo era uma tendência da aviação mundial -embora a venda de água seja exceção, mesmo entre companhias de baixo custo na Europa e nos Estados Unidos.

Por meio da assessoria de imprensa, a Webjet informou que deixou de fazer a cobrança “atendendo sugestões de seus clientes”. Exceção à água, todo o cardápio da empresa oferecido a bordo é pago à parte.

A Folha destacou ainda que até o ano passado, a empresa cobrava também pela marcação de assentos, mas foi proibida pela Justiça de fazê-lo após o Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro obter uma liminar. O mérito da ação ainda não foi julgado.

Vale lembrar que desde o ano passado a Webjet pertence à GOL, mas a companhia ainda aguarda a aprovação da fusão pelo Cade. O julgamento foi adiado na semana passada, mas deve ocorrer em breve. Se for autorizada, é provável que a GOL dê fim à Webjet, passando a operar toda a malha unicamente com sua marca.

Com informações da Folha de S. Paulo

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe