Latam voltará a ter voo direto do Rio de Janeiro a Orlando

Denis Carvalho 10 · março · 2017

A Latam voltará a ter voos diretos do Rio de janeiro a Orlando. A partir de 2 de julho de 2017, a companhia vai mudar o destino de seu voo a Nova York, que passará a ser operado para a Flórida.

“Rio de Janeiro e Orlando são dois grandes destinos turísticos, e essa era uma das principais rotas entre América do Sul e os EUA sem uma conexão direta. Com este lançamento, a Latan Airlines Brasil oferecerá um serviço único para seus passageiros e pretende incrementar o fluxo de viajantes entre as duas cidades ao longo dos próximos meses”, destacou a companhia no comunicado à Imprensa.

Os voos serão operados três vezes por semana. As saídas do Galeão serão às quartas-feiras e sextas-feiras, às 22h50, e aos domingos, às 11h05. O retorno de Orlando acontecerá às quintas-feiras, aos sábados e domingos, sempre às 22h10. Todos os voos serão operados em aeronaves Boeing 767, com capacidade para 221 passageiros, sendo 30 na Premium Business e 191 na cabine Econômica.

Mudança

Com a criação do novo voo entre o Rio de Janeiro e Orlando, a Latam deixará de operar o voo entre a capital fluminense e Nova York. A rota também é feita três vezes por semana e seguirá ativa até o fim de junho.

“A Latam optou pela mudança após uma intensa avaliação da demanda da região. Os clientes que queiram viajar entre o Rio de Janeiro e Nova York poderão utilizar os voos que partem do aeroporto internacional de São Paulo ou também o voo direto da American Airlines, companhia parceria na aliança Oneworld, a partir do Galeão”, afirmou a companhia.

Todos os passageiros da LATAM com bilhetes emitidos para voos diretos entre o Rio de Janeiro e Nova York após junho de 2017 serão reacomodados ou poderão escolher entre uma das opções de remarcação ou reembolso oferecidas pela companhia.

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe
  • Bruno Caporalini

    Espero que voltem os vôos internacionais pra Brasília. Antes havia super oferta. Agora, saíram todos juntos, já não é atendida a demanda.

    • Beto Karioca

      Pois é, nao entendo isso, eh 8 ou 80… ai fica esse tira bota de voo…

    • Daniel

      Bruno,
      Segundo um colega que trabalha na TAM o problema eram os custos da operação da aeronave em Brasília, pois o 767 exige equipamentos que não são comuns a outras aeronaves. O custo do pouso e decolagem da aeronave aqui em BSB girava em torno de R$ 50 mil (equipamentos de terra, combustível, taxas aeroportuárias, etc). A TAP utiliza A330 tem possui comunalidade com outras aeronaves da família Airbus. Assim para a visão da companhia é melhor centralizar em seus hubs internacionais essas operações que reduzem o custo para eles.
      Creio que o 757 da American utilizem os mesmos equipamentos de apoio do 737, por isso não utilizam aeronaves maiores (767 ou 777) na linha.

  • Beto Karioca

    Tirar o voo do Rio p NYC, para mim, eh o fim da picada… podia diminuir afrequencia p 2 vezes na semana e fazer Rio-Orlando tmb 2 vezes na semana… mas nao, eh sempre 8 ou 80, ou tem tudo, ou tira tudo, ai fica esse tira bota de voo aqui e acola !