Viracopos abre free shop e que ser maior aeroporto da América Latina

Denis Carvalho 18 · setembro · 2012

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Finalizando nossos posts especiais sobre as obras dos três aeroportos concedidos à iniciativa privada, apresentamos hoje o plano de trabalho divulgado pela concessionária Aeroportos Brasil para a ampliação do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas. O projeto, que ainda aguarda aprovação da Anac, prevê a construção da segunda pista de pouso e investimentos de R$ 8,4 bilhões com uma meta ousada: aumentar a capacidade  80 milhões de passageiro por ano e transformar Viracopos no maior aeroporto da América Latina. No curto prazo, o terminal deve ganhar um free shop e novos banheiros.

A concessionária dividiu as obras em cinco fases de execução e pretende entregar a primeira delas em maio de 2014. Este primeiro estágio inclui a construção de um novo terminal com capacidade para 14 milhões de passageiros por ano. A construção terá 28 pontes de embarque, sete novas posições remotas de estacionamento de aeronaves e um edifício-garagem com quatro mil vagas, além da ampliação das pistas de taxiamento de aeronaves.

O projeto também prevê a captura da energia solar e sistema de reutilização da água da chuva pela cobertura do telhado.  As áreas de embarque serão ampliadas em 142%, passando dos atuais 2.396 m² para 5.814 m² através de conexão com mezanino para aproveitamento do espaço, conector para uso adicional de embarque e construção de terminal remoto para aeronaves com motor turboélice com sete novas posições para o estacionamento.

O projeto prevê ainda a construção de um edifício garagem com túnel de integração entre o novo terminal de passageiros por uma ponte coberta, restaurantes, lojas de aluguel de carros, escritórios de órgãos públicos e preparação das estruturas para uma futura expansão vertical para a acomodação de escritórios comerciais e de um hotel.

Por enquanto, o canteiro de obras conta com 250 operários que executam preparo do terreno e terraplenagem, que se estenderá até outubro quando se inicia a fundação. O pico com cerca de 3 mil operários deve ser atingido no ano que vem.

Freeshop 

Simultaneamente às obras da primeira etapa  do plano de ampliação, a Aeroportos Brasil investirá R$ 69 milhões na revitalização do atual terminal de passageiros do aeroporto até que o novo terminal esteja em operação. As intervenções foram iniciadas em agosto e serão concluídas no primeiro trimestre de 2013. Além disso, outros R$ 31 milhões serão investidos na readequação do atual terminal de cargas.

Entre as ações previstas está a inauguração de um free shop, que deve ser inaugurado no dia 14 de novembro, a construção de novos banheiros e a reforma e modernização dos existentes. As áreas de embarque também serão ampliadas em 142%. A concessionária também executará obras complementares no Módulo Operacional Provisório (MOP) para a instalação de esteiras de bagagem, ampliando a capacidade de check-ins.

Na área externa, já estão em andamento as obras para implantação de uma passarela coberta, com cerca de 600 metros de extensão, entre os bolsões de estacionamento e o terminal de passageiros. Outra intervenção prevista para os bolsões de estacionamento é a implantação de guaritas elevadas de vigilância.

Acesso

O acesso a Viracopos também deverá ser alterado, com mudanças no sistema viário e a instalação de novas linhas ferroviárias de trem metropolitano. Alterações no volume de pistas no km 66 da rodovia Santos Dumont são outras exigências que a ampliação de Viracopos vão exigir, segundo a concessionária.

Foi anunciada também a construção de uma estação de trem para conectar o aeroporto a dois modais ainda a serem construídos: o trem de alta velocidade (TAV), que ligará Rio-São Paulo-Campinas, e o Trem Expresso, do governo paulista, que ligará São Paulo-Jundiaí-Campinas. Interessante é que pelos planos da CPTM, haverá integração entre Campinas e os dois outros aeroportos paulistanos – Congonhas e Guarulhos. Hoje nenhum deles conta com acesso ferroviário.4

Ciclos de investimento

Após a primeira etapa de investimento, até 2014, a empresa promete investir mais R$ 7 bilhões na  expansão e modernização do complexo aeroportuário. No segundo ciclo, a capacidade esperada será de 22 milhões de passageiros ao ano, com início das intervenções projetado para 2018 e construção da segunda pista. Já no terceiro ciclo, serão 45 milhões de passageiros, com início das obras previsto para 2024 e construção da terceira pista, o quarto ciclo tem previsão de 65 milhões de passageiros, com início das intervenções projetado para 2033 e construção da quarta pista. O quinta ciclo, com capacidade esperada para 80 milhões de passageiros ano, tem início das intervenções projetado para 2038.

As datas previstas para os ciclos de investimento levam em consideração uma projeção da demanda de passageiros, podendo ser antecipadas para manter o nível de qualidade e conforto necessários à operação do aeroporto.

O novo aeroporto foi concebido, segundo os investidores, a partir do conceito de “aeroporto cidade” e prevê, na expansão, hotéis, shopping center e centro de convenções. O projeto foi desenvolvido em parceria com a projetista holandesa NACO, consultoria especializada na engenharia de aeroportos responsável pelo aeroporto de Schipol, em Amsterdã, e também com a consultoria da Flughafen München GmbH (FMG), operadora do Aeroporto de Munique, na Alemanha, o sexto maior da Europa.

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe