TAM na Star Alliance. Veja o que muda.

Leonardo Marques 29 · outubro · 2009

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Essa semana a TAM confirmou que as adaptações para a entrada na Star Alliance estão seguindo o planejado e que em maio a TAM fará parte da Star Alliance. A entrada da TAM na Star Alliance é algo muito importante para a companhia e principalmente para seus clientes. São muitas mudanças que estão sendo feitas a maioria boas. Entenda como funciona e o que muda.

O que é a Star Alliance
A Star Alliance é um acordo que várias companhias aéreas de vários países fizeram para trabalhar de forma integrada. A idéia fundamental é permitir que o passageiro possa voar para os mais variados destinos do Mundo através das companhia que fazem parte da aliança. Vamos supor que você quer ir Boa Vista para a Croácia, você poderá comprar uma passagem na TAM para este trecho, embarcar em Boa Vista em um avião da TAM e ir até Brasília, em Brasília pega um avião da TAP até Londres e em Londres pega um avião da Croatia Airlines até Zagreb.

Números da Star Alliance
– Companhias aéreas membro: 25
– Aviões das companhias que fazem parte: 3.740
– Aeroportos atendidos: 1.071
– Países atendidos: 171

O que muda na TAM

Mais cidades atendidas – com a entrada da TAM na Star Alliance o número de cidades atendidas irá aumentar significativamente. São mais de 1.000 cidades.

Mais salas vip – a Star Alliance tem salas vip em aproximadamente 90% dos aeroportos onde ela opera então a TAM deve criar novas salas e melhorar as já existentes.

Melhor sistema de reservas – a TAM passará usar o sistema de reservas/emissão de bilhetes Amadeus, o mesmo que a Varig usava e que é líder mundial.

Mudanças no TAM fidelidade – essa é a parte não tão boa. Certamente a TAM irá anunciar muitas mudanças e uma delas possivelmente será o aumento de milhas necessárias para fazer vôos internacionais.

Autor

Leonardo Marques - Diretor do Melhores Destinos