Do Brasil ao Chile no Boeing 777 da TAM – classe econômica

Denis Carvalho 25 · agosto · 2011

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Enquanto aguardam o sinal verde para sua fusão, as empresas TAM  e LAN continuam a riscar os céus em algumas rotas internacionais onde são concorrentes. É o caso do trecho entre São Paulo e Santiago, a principal rota entre Brasil e Chile, cada vez mais procurada por brasileiros e chilenos para aproveitar os encantos dos dois países. Neste confronto, a TAM tem um trunfo importante: trata-se do Boeing 777-300, o chamado “triple seven”, que a empresa emprega na ligação para a alegria de seus passageiros. Entre eles está nosso leitor Samuel Paiva, que fez uma experiência completa com o gigante da Boeing: na ida, aproveitou todas as regalias da classe executiva enquanto na volta optou pela econômica. Desta viagem nasceu o relato detalhado e cheio de fotos que reproduziremos em dois posts separados. Alterando a ordem da viagem, segue abaixo o trecho da regresso, onde nosso leitor descreve a classe econômica. Não perca amanhã a continuação, quando ele detalha como é voar na classe executiva deste maravilhoso avião. Acompanhe:

Este relato vai contar como é voar para o Chile no maior avião que liga o Brasil àquele país e ainda como é o vôo na sua classe econômica.

A TAM possui atualmente 4 Boeing 777-300 configurados para 365 passageiros em 3 classes , essas aeronaves são empregadas nos vôos noturnos da companhia para Londres e Frankfurt e ao chegarem pela manhã um deles faz a rota entre Guarulhos e Santiago e outro atende três vezes por semana a cidade brasileira de Manaus.

Check-in
Nosso voo de retorno foi na classe econômica e como não teria nenhuma regalia, rumamos direto para a fila de check-in, que não era tão grande. Em pouco menos de 20 minutos estava realizado com cordialidade e praticidade.

O aeroporto de Santiago tem amplas instalações é muito limpo e organizado.

Fomos então passar pela imigração e rumar direto para o portão de embarque.

Embarque e Vôo
Com o vôo lotado o embarque fica demorado (cerca de 30 minutos) e as filas são longas, mas o pessoal da TAM em Santiago organizou todo o procedimento com muita eficiência e clareza aos clientes.

O vôo da volta seria no assento 27K , localizado na segunda de três partes da classe econômica do 777-300 da TAM. O speech do comandante informava clima bom em rota e um tempo de vôo estimado de três horas e meia.

Decolagem autorizada e logo deixaríamos Santiago para traz sobrevoando a Cordilheira dos Andes, que é o ponto alto da rota: inesquecível!

Serviço de bordo
Após estabilizados, os comissários iniciaram o serviço de bordo, que era composto de um almoço com opções de carne ou massa.

Optei pela carne que estava razoável e acompanhado de salada , sobremesa e pão: tudo dentro do esperado para a classe econômica.

A simpatia dos comissários da TAM chama a atenção e tornou todo o serviço de bordo muito agradável.

A maioria das grandes companhias aéreas utiliza a configuração 3+3+3 na classe econômica do 777. Como exemplo cito a Singapore, Air France, British e KLM entre outras. Já as norte-americanas oferecem a configuração 2+5+2, entre elas a American Airlines, o que em ambos casos totalizam nove assentos por fileira .

Na TAM, a configuração é 3+4+3 o que totaliza 10 assentos por fileira e deixa a largura do assento muito apertada.

É impossível comer sem esbarrar no passageiro do lado e qualquer movimento e você está em cima do vizinho. Esse ponto é muito negativo, pois se foi muito incômodo em um vôo de menos de quatro horas imagine cruzar o Atlântico nessa situação. Acho que a TAM precisa rever isso para conforto de seus passageiros de classe econômica do Triplo Sete.

Entretenimento
O sistema de áudio e vídeo AVOD (Audio Video On Demand) era o mesmo da classe executiva e os monitores da classe econômica têm boa qualidade. Chegam a ser acima da média de alguns 777 mais antigos de outras companhias.

Chegando a São Paulo, fizemos uma espera para poder efetuar os procedimentos de pouso em Guarulhos e atrasamos cerca de 30 minutos.
O pouso foi tranqüilo e suave em um inicio de noite de inverno com muita movimentação de aeronaves no pátio em GRU.

Abaixo estão algumas fotos desse voos. Não perca o post de amanhã com uma aviação muito completa e 30 fotos da classe executiva da TAM.

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe