Partiu Sudeste Asiático! Dicas de onde ir e do que fazer em cada país da região

Wendell Oliveira 31 · março · 2017

Em tempos de dólar alto e instabilidades na Europa e EUA, o Sudeste Asiático vem conquistando cada vez mais espaço na lista de desejos dos brasileiros. E não é para menos: paisagens incríveis, preços em conta e destinos arrasadores. Como resistir?

Foi pensando nisso que o MD resolveu preparar um resumão de cada país da região para facilitar seu planejamento. Aperte os cintos e boa viagem!

TAILÂNDIA

Destino dos sonhos de 10 a cada 10 viajantes, a Tailândia está cada vez mais acessível através de voos com menos de 24 horas de duração saindo do Brasil com escala na África, Europa ou Oriente Médio. É um país que fascina pela sua cultura exótica, arquitetura grandiosa e natureza exuberante.

Em Bangkok é possível visitar templos populares como o Wat Pho e Grand Palace, representações da fé budista no país. Já à noite, um passeio pela Khaosan Road – a Meca dos mochileiros – e um drink em um dos vários bares no topo dos prédios, com vista privilegiada da cidade a centenas de metros de altura, complementam o itinerário. Também é da capital que partem passeios clássicos para as ruínas históricas de Ayutthaya, a primeira capital da Tailândia, e também para os mercados flutuantes e feirinhas típicas que ocupam todos os espaços – das ruas aos trilhos do trem. E quando os pés cansarem de tanto andar, aprecie uma típica massagem tailandesa.

Se ao Norte, em Chiang Mai, é possível encontrar montanhas e cachoeiras dividindo espaço com elefantes adestrados e mulheres-girafa, é no Sul que os turistas encontram a principal atração da Tailândia: as praias. E que praias! Não deixe de visitar as ilhas de Koh Phi Phi, onde fica a belíssima Maya Bay, cenário do filme A Praia.

Se o seu negócio é festa, planeje visitar Koh Phanghan durante a lua cheia a tempo de pegar a lendária Full Moon Party. Para quem quer mergulhar em águas cristalinas e ver peixinhos e corais coloridos, Koh Tao é o melhor lugar do país, se não do mundo! Já casais em lua-de-mel vão adorar a romantismo de Koh Samui e a estrutura de Phuket. E tem muito muitas ilhas, para todos os gostos e bolsos.

>> Confira nossos guias completos de Bangkok e Phi Phi!

INDONÉSIA

Conhecida por ser o maior arquipélago do mundo, com “apenas” 17 mil ilhas, a Indonésia é um país verdadeiramente encantador. Começando por Bali, um refúgio hindu em um país de maioria muçulmana. Espere por lindos campos de arroz, cheiro de incenso pelo ar, com florestas e templos repletos de macaquinhos. Além das inconfundíveis ondas, que fazem a alegria dos surfistas. Na praia de Padang Padang a comunidade brasileira é tão grande que é possível encontrar restaurantes servindo arroz e feijão, enquanto se ouve português livremente pela rua. Aproveite para fazer uma aula de surf! Já nas praias de Kuta e Uluwatu, um pôr-do-sol inesquecível acontece todo os dias. Para os mais aventureiros, também é possível escalar o Monte Batur, lar de um vulcão ainda ativo.

>> Confira nosso guia completo de Bali!

Logo ao lado de Bali temos a ilha de Lombok, que guarda um dos maiores segredos da Indonésia: as ilhas Gili. Pequeninas e deslumbrantes, as três ilhotas (Trawagan, Air e Meno) são compostas de areias finas e branquinhas com águas calmas de uma coloração indescritível. Não sabemos como é o paraíso, mas deve ser parecido com Gili.

E se a capital Jacarta não encanta tanto devido a ausência de atrações interessantes, continuemos explorando as ilhas! Na Ilha de Flores, de colonização portuguesa, o Monte Kelimutu é o destaque com uma lagoa do azul mais puro que você vai ver. Em Komodo – o nome já diz tudo –, prepare-se para ver os famosos dragões com aparência de dinossauro. Para quem quer ver orangotangos e natureza em seu estado mais presevado, Bornéu reserva lindas surpresas. Existem cruzeiros que perfazem as principais ilhas, com visitas às comunidades locais e paradas para mergulho, o que torna a viagem ainda mais marcante.

MALÁSIA

Ofuscada pela sua vizinha Tailândia, a Malásia não é de se jogar fora. Em poucos dias é possível se deslumbrar com a gastronomia e o paraíso de compras que é a capital Kuala Lumpur, com a presença monumental das Petronas Towers – as maiores torres gêmeas do mundo!

>> Confira nosso guia completo de Kuala Lumpur!

Desbravando o país, é possível se surpreender com a beleza das ilhas de Penang e Langkawi, que em nada ficam devendo aos destinos mais famosos do Sudeste Asiático. Já em Malaca, encontram-se vestígios da herança portuguesa no país, ao passo que também se percebe a efervescência cultural que compõe uma nação formada por malaios, chineses e indianos.

CINGAPURA

De selva à país desenvolvido em apenas poucos anos, Cingapura é um exemplo de modernidade e progresso para o mundo todo.

>> Confira nosso guia completo de Cingapura!

O país é pequeno, metade do tamanho do município de São Paulo, e facilmente explorável com sua excelente rede de transporte público que leva a todos os cantos. Passeie sem pressa pelos resorts, shoppings e cassinos de Marina Bay, e não perca de forma alguma o caldeirão cultural dos bairros típicos de Chinatown e Little India.

Logo ao Sul, a ilha de Sentosa é a área de lazer do país, com direito à praia artificial e parques temáticos de alto nível como a da Universal Studios. Desfrute de todo a urbanização de primeiro mundo que Cingapura tem a oferecer. E não deixe de tirar a foto clichê com o Sealion, criatura mítica metade peixe metade leão, símbolo do país, localizada no beira-rio do Merlion Park.

LAOS

É possível que um país que já foi o mais bombardeado da história, montanhoso e sem acesso ao mar, tenha capacidade para se sustentar como destino turístico? O Laos é a prova que sim.

A cidadezinha de Luang Prabang, ao norte do país, tem um charme peculiar, mistura da herança francesa com o jeitinho asiático. Um legítimo sanduíche de pão francês pode ser apreciado a beira do rio Mekong, enquanto cânticos dos templos budistas são ouvidos de longe, vindo dos monges que fazem toda manhã uma bonita procissão em busca de donativos. A poucos quilômetros dali, o azul-turquesa das cachoeiras Kuang Si farão você redefinir o seu conceito de “estonteante”. Elefantes e pagodas douradas complementam a paisagem serena do local, até a chegada do pôr-do-sol, quando as ruas dão lugar a um colorido e silencioso mercado noturno.

>> Confira nosso guia completo de Luang Prabang!

Bem diferente de Vang Vieng, que de silenciosa não tem nada. O vilarejo é famoso por ser um reduto de mochileiros que vão em busca de festas, cerveja barata e muita diversão. O rio Nam Song, que corta a cidade, serve como praia e playground, e a atração principal é descê-lo em uma boia, sendo “pescado” pelos diversos bares a beira-rio que literalmente puxam os clientes para dentro. Tudo isso em meio a um cenário deslumbrante de montanhas verdes imponentes que parecem proteger o visitante, enquanto balões ao maior estilo Capadócia cruzam o céu.

A capital Vientiane é quase um ponto de passagem, mas é possível ter bons momentos nela ao visitar o monumento Patuxai, versão mais humilde do Arco do Triufo parisiense. Mas é no extremo sul do país que o Laos mostra sua autenticidade: no arquipélago fluvial de Si Phan Don, ilhas selvagens brotam do rio Mekong, numa paisagem que faz lembrar a selva amazônica, recompensando com paz e tranquilidade aqueles que são bravos o suficientes para ir até lá.

CAMBOJA

O Camboja conhecido pela miséria e passado sombrio ficou exatamente onde deveria estar: no passado. Quem visita o Camboja hoje se surpreende com a variedade de atrações, paisagens e culinária que esse belíssimo país tem a oferecer.

Siem Reap é principal destino turístico, onde encontra-se o complexo de templos do Angkor Wat, simplesmente o maior monumento religioso do mundo. A arquitetura é única e muito bem preservada, considerando que parte das construções datam de até 1000 anos atrás!

>> Confira nosso guia completo de Siem Reap!

A capital Phnom Penh assusta à primeira vista com seu trânsito caótico, mas oferece excelentes museus como o Tuol Sleng Genocide Museum e o Killing Fields, atrações que explicam em detalhes a complicada História cambojana.

No entanto, a grande surpresa do Camboja fica por conta de suas praias. O litoral do país é tão bonito quanto o da vizinha Tailândia, mas com bem menos turistas. Sihanoukville oferece um mar de águas mornas e claras, e também é o ponto de partida para as ilhas de Koh Rong e Koh Rong Samloem, onde a sensação de exclusividade é predominante.

VIETNÃ

Com um território longo e estreito, o Vietnã é repleto de paisagens únicas, tornando-se um destino completo para todos os gostos. Em Ho Chi Minh há o War Remnants Museum, o museu mais completo sobre a Guerra do Vietnã – sob uma perspectiva nada imparcial. Aproveite para conhecer os Cu Chi Tunnels e tente passar pelos túneis que os vietcongs usavam durante a guerra. Estique a estadia para conhecer o Delta do Rio Mekong e fique maravilhado com a beleza dos povoados e mercados locais que correm ao longo do rio.

Subindo em direção ao Norte é possível encontrar desde as dunas causticantes do deserto de Mui Ne até cidades serranas de clima ameno como Da Lat, coisas rara de se encontrar nessa parte do mundo. As praias de Nha Trang e Da Nang possuem infraestrutura e harmonia na medida certa, enquanto Hoi An – Patrimônio da UNESCO – atrai com a simpatia de sua cidade histórica, templos tipicamente chineses e uma noite iluminada com luzes de vela.

A capital Hanói é um destaque a parte, não só pelas buzinas de suas incontáveis motocicletas, mas também pelo paisagismo de seus lagos e parques. Não perca o Teatro Aquático de Marionetes de Thang Long antes de partir para Halong Bay, um fascinante mar de cor esmeralda com pedras gigantes que nascem do chão, formanto labirintos naturais perfeitos para fotos. Para quem gosta de ir além, SaPa, no extremo norte do país, é a parada perfeita para ver o Vietnã da nossa imaginação: tribos autênticas, plantações de arroz, gente com chapéu de vietnamita e churrasquinho de sapo, cobra e rato.

>> Confira nossos guias completos de Ho Chi Minh e Hanói!

MIANMAR

Um dos países mais isolados do mundo e recém-aberto ao turismo, o Mianmar ainda é visto como o patinho feio do Sudeste Asiático – o que é uma tremenda injustiça!

Visite Yangon, a maior cidade do país, durante a lua cheia e tenha acesso irrestrito aos Shwedagon Pagoda, onde milhares de birmaneses vão fazer suas preces. Tudo é tão dourado e extremamente fotogênico que você vai precisar de bateria e cartão de memória extra.

Em Bagan, admire as ruínas dos templos budistas espalhados pela cidade antiga – muito abertos à visitação. Os mais famosos são os templos de Ananda, Thatbyinnyu Shwegugyi, com menção especial ao Shwesandaw – chegue cedo para conseguir ver o disputado pôr-do-sol!

Mandalay também é um destino que merece ser visitado, onde milhares de monges reúnem-se nas montanhas com monastérios abertos à visitação. O Inle Lake é um paraíso para fotógrafos, onde a rotina dos pescadores e comunidades locais se misturam com a natureza.

O Sudeste Asiático é definitivamente um dos destinos mais fascinantes do planeta. Boa viagem!

Autor

Wendell Oliveira - Editor
  • Ernesto Lippmann

    Muito bom, mas sneti falta de maiores detalhes sobre Borneo, onde desejo ir.

  • Antonio Rossano

    Sei que essa pergunta é bem relativa e depende muito do ritmo de cada um, mas em média, quantos dias seriam necessário pra conhecer as principais atrações da Thailandia, Camboja, Laos, Vietnã, Malásia e Cingapura? Tenho um ritmo de viagem bem acelerado e gosto de caminhar bastante, 30 dias dariam conta do recado ou precisaria mais do que isso?

    • Washington Alves

      Também tenho a mesma dúvida se 30 dias seria suficiente. Quando vc pensa em ir?

      • Antonio Rossano

        Infelizmente não tenho data ainda…. Estou mudando de emprego agora, então até que eu tenha direito a férias, no mínimo daqui a um ano! =/

    • Igor Barros

      Acho 30 dias para os 6 países bem puxado. Com esse mesmo tempo fiz apenas Tailândia, Vietnã, Camboja e Laos, sendo que nos 2 últimos consegui visitar apenas Siem Reap e Luang Prabang (fantásticos!!!). Tailândia e Vietnã são maravilhosos de norte a sul.
      Mas se a ideia for visitar apenas 1 ou no máximo 2 cidades em cada país, daria para encarar sim.

      • Antonio Rossano

        É, acho que vou ter que quebrar em duas viagens!!! Mtos lugares que quero conhecer mas poucos dias de férias por ano! rs…

  • Pedro Meinicke

    Koh tao está longe de ser o melhor ponto de mergulho do mundo. É apenas o segundo mais barato, mas a qualidade é razoável.

  • Liliane

    Incrível!
    Adorei o resumo!
    Fiquei 20 dias na Tailândia em 2014 e concordo com tudo o que escreveu sobre o país!

  • Bethania Villela

    Wendell Oliveira, maravilha de matéria. Agora é aguardar surgir uma oferta de passagens pra Tailandia!!!

  • Antonio Rossano

    Obrigado pelas dicas!!! Tenho mta vontade de conhecer o sudeste asiático, mas sempre me dá a impressão que não conseguiria conhecer tdo o que quero conhecer em 30 dias de férias…. Na “pior” das hipóteses, teria que voltar lá mais vezes! rs…

  • Heliomar Lunz

    Parabéns pelo resumo. Estive na Tailândia e fiquei 30 dias, sendo que tirei 3 dias para visitar Siem Reap. O norte é fantástico, onde pudemos conhecer lindos templos, como o Templo Branco em Chiang Rai, uma aldeia de mulheres girafas, andar nos elefantes e tocar nos tigres. Já no sul, conhecer as belíssimas praias e por ultimo Bangkok, que foi fascinante. Comidas maravilhosas, povo acolhedor e massagens relaxantes, templos lindíssimos foram o ponto alto da viagem.

  • Liliane

    Olá Fernando!
    Eu fiz Bangkok-Chiang Mai-Railay Beach-Phi Phi-Samui (desta última fiz um passeio com snorkel em Ko Tao).
    Na costa do Mar de Andaman (onde está Phi Phi e Phuket) tem várias ilhas belíssimas e eu escolheria uma delas para passar o réveillon.
    A costa do Golfo da Tailândia (onde está Samui) lembram o litoral norte de São Paulo e também é muito bonita. O snorkel em Ko Tao foi sensacional, o melhor que fiz na vida! Inesquecível!
    Com 17 dias acho que dá para vocês conhecerem bem e com calma as duas costas e Bangkok.
    Todos os lugares em que eu fui tinham uma boa infraestrutura para crianças. Sua filha vai amar!
    Se precisar de mais informações, estou a disposição! 🙂

    • Fernando Retamal

      Obrigado Liliane!!!
      Estamos no árduo trabalho de definir roteiros e hospedagens.
      Abraço!