Sky Airline solicita autorização para operar voos low cost do Brasil ao Chile!

Denis Carvalho 5 · setembro · 2018

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Mais uma companhia low cost quer operar voos para o Brasil. A chilena Sky Airlines apresentou pedido à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para voos regulares do Brasil ao Chile. O objetivo da companhia é iniciar as operações em novembro, mas ainda não foi divulgado quais serão as rotas.

Em 2015 a companhia chegou a voar de São Paulo a Santiago por alguns meses, mas deixou de operar a rota após passar por uma reestruturação e se tornar low cost. Este ano a companhia havia anunciado voos sazonais de Santiago a São Paulo, Florianópolis e Rio de Janeiro, no período de 3 de dezembro de 2018 a março de 2019.

De acordo com a Anac, a Sky já possui autorização de funcionamento jurídico desde 2013, mas nunca chegou a operar voos regulares no país. Para iniciar voos regulares, é necessária a autorização operacional.

Outras empresas

A europeia Norwegian e a argentina Avian, subsidiaria da Avianca, deram início à vinda das empresas aéreas denominadas de baixo custo (low cost) autorizadas juridicamente a iniciar suas operações no Brasil.

Com pedido protocolado em 27 de julho deste ano, a Norwegian solicitou autorização para operar voos internacionais de longo curso entre o Brasil e a Europa de forma direta. A Avian informou à agência que possui interesse em iniciar as operações em setembro deste ano com voos não regulares, até que a autorização para voos regulares seja liberada.

Além das duas empresas, a Flybondi recebeu autorização do governo argentino recentemente para operar no país. Após esse passo, a Flybondi deve entrar com o pedido de autorização jurídica e operacional na Anac.

Será que a chegada dessas companhias trará um novo ciclo de promoções e preços baixos nos voos internacionais? Esperamos que sim!

Com informações da Anac

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe